História Maybe, you are my love - Capítulo 32


Escrita por:

Visualizações 95
Palavras 749
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 32 - Não te quero longe


Fanfic / Fanfiction Maybe, you are my love - Capítulo 32 - Não te quero longe

Esse término realmente rendeu, quando dei por mim já havia passado um mês, eu e Ben estávamos "ficando" e eu já estava pensando em voltar para o Brasil, comprei um flat só para levar meus bichinhos de estimação e parar de incomodar o Benedict. Minha vida estava finalmente entrando nos eixos, eu ia voltar para o meu país, desisti de tentar achar amor onde não tem, estou super bem comigo mesma, sem nenhuma peso na consciência, basicamente eu estou levíssima. 

Me levantei já eram oito horas,fui para o banheiro, tomei um banho e logo fui tomar meu café da manhã, olhei meu celular e Thomas me ligou ontem a noite, provavelmente deve ter bebido e me ligado. Resolvi ligar de volta.

Tom?

Coline? Eu te liguei ontem você não atendeu.

Eu estava ocupada. (Benedict Cumberbatch o nome da minha ocupação) O que houve?

Saudades, queria saber se você ainda vai pro Brasil.

Eu tô arrumando as coisas para voltar. 

Queria me despedir já que não vou te fazer ficar.

Eu te aviso. 

Ele desligou logo em seguida, nos conversávamos de vez em nunca, ele estava com uma moça e eu estava com Ben, seguimos caminhos diferentes mas ainda assim pensávamos um no outro.

Resolvi sair um pouco, peguei a coleta da  Gaia, coloquei um short jeans e uma blusa amarela que quase cobria o short, meu tênis preto e minha mochila. Resolvi ir para o Central park, quem sabe eu encontrava alguém lá. Resolvi passar numa lanchonete e comprar uma limonada, o calor era tipo um forno. Segui meu caminho até o Central park me sentei na grama, soltei Gaia que logo saiu correndo pelo vasto gramado. Peguei meu celular e coloquei uma música da Elis Regina para tocar, logo percebi que algumas pessoas me reconheciam mas não falavam comigo, só acenavam e eu acenava de volta. Fiquei um bom tempo curtindo minha paz quando vi Thomas fazendo a corrida dele em minha direção, ele se sentou do meu lado e eu o ofereci um pouco da limonada.

- Como você consegue ficar sem fazer nada? - ele disse sentando do meu lado arfando.

- Assim ó. - fiquei parada olhando para o nada e ele riu. - Como você consegue levantar cedo e correr? 

- Assim ó. - ele disse levantando mas sentou de novo. - Minhas pernas estão doendo.

- Viu, eu não faço nada, logo não tenho dor. - eu disse rindo e ele deu uma risada abafada, encostei minha cabeça no ombro dele. - Como vai a vida?

- Indo e a sua? - ele disse colocando a cabeça levemente por cima da minha. 

- Tá tudo se encaminhando da melhor maneira. - eu disse tentando não parecer muito triste.

- Sabe aquela moça? - eu fiz que sim. - Ela me deixou, mas eu não fiquei tão triste como quando foi com você.

- Às vezes é melhor sair do que ser substituída. - eu disse já quase deixando uma lágrima rolar quando Gaia chegou correndo para o colo do Tom. 

- E você? Tá na seca todo esse tempo? - ele perguntou enquanto fazia carinho na Gaia.

- Tem um cara aí, mas nada que vá para a frente. - eu disse e ele pegou meu queixo gentilmente me fazendo olhar para ele.

Por alguns segundos meu cérebro desligou e eu só pensei em beija-lo, ali mesmo sem nem me importar com os outros, mas logo percebi o erro que eu estava cometendo.

- Desculpa, finge que isso não aconteceu. - eu disse quando nos separamos e ele riu de mim, já que eu estava mais vermelha que tomate.

- Eu também senti sua falta. - ele disse investindo para outro beijo quando vi Benedict vindo em minha direção.

- Coline? - eu me levantei e o abracei. - Podemos conversar? 

- Claro, claro. Thomas, eu já volto. - eu disse me levantando e logo Gaia veio atrás de mim, me derrubando nos braços de Ben. - Desculpa, o que houve?

- Sophie, estamos nos resolvendo. - eu dei um sorriso sincero. - E pelo o que eu vi você e Tom estão se resolvendo também?

- Não, não tá nada resolvido. - eu disse rindo. - Parabéns, desejo só o melhor pra vocês. 

Nós abraçamos e logo eu voltei para perto de Thomas, na verdade eu empurrei ele na grama e deitei em cima dele. 

- Olha aqui, eu não te perdoei mas também não quero ficar longe de você, imbecil. - ele riu da minha cara e me beijou. 

Talvez voltaremos, talvez não. Quem sabe é o nosso futuro e destino.








Notas Finais


Capítulo curtinho mas serve de transição para o próximo 😀❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...