História Mayhem - Beautiful and Cruel - The Story not Told! - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Olá meus amores, no capítulo de hoje teremos uma prisão. Mais tretas entre Euronymous, Mike e Chester. Kleuda vai enfrentar o baixinho e altas confusões. Espero que gostem e boa leitura a todos.

Capítulo 15 - Ameaças e Pressão


Fanfic / Fanfiction Mayhem - Beautiful and Cruel - The Story not Told! - Capítulo 15 - Ameaças e Pressão

DHEIA P.O.V

 

Quando Euronymous e Dead voltaram para casa, Mike e Chester vinham sorridentes atrás deles. Euro já chegou chutando a porta da sala e estava visivelmente muito nervoso com a situação que se encontrava na sala. Varg estava sendo algemado pela polícia que insistia que ele era o causador dos incêndios nas igrejas. De um certo modo eles não estavam errados, mas Varg não estava sozinho. Todos ali naquela sala éramos culpados, e não sabíamos o que tinha acontecido para que Varg estivesse sendo preso por uma coisa que não tinha culpa sozinho…

 

— Posso saber o que porras está acontecendo aqui? — Euronymous perguntou para um dos policias que algemavam Varg.

— Este homem está sendo preso pela queima de todas as nossas igrejas. Foi feita uma denúncia e investigamos a fundo. Descobrimos que um animal morto foi deixado na entrada da igreja Fantoft antes dela ser reduzida a cinzas. No animal continha as impressões digitais deste homem. Por isso o estamos levando conosco. — Disse o policial puxando Varg para fora da sala.

 

Eu, Kleuda e Stephany estávamos desesperadas, mas conseguimos disfarçar. Kleuda chorava angustiada e eu sabia o porquê. Era obvio que se chegaram até Varg, não demoraria para chegarem, até nos também. Antes que os policiais levassem Varg, ele pede para eles deixarem que ele se despedisse da namorada e dos amigos. Os policiais concordam.

 

— Eu te amo meu amor, se eu não voltar dentro de dois dias, você já sabe o que fazer. — Varg cochicha no ouvido de Kleuda a abraçando forte, mas eu consigo escutar.

— Não se preocupe meu amor, logo tudo isso vai acabar. — Kleuda responde para Varg, num tom de voz muito baixo.

 

Algo me dizia que as coisas iam ficar muito ruins, depois que Varg fosse preso. Depois que ele se despediu de Kleuda, Varg foi se despedindo dos demais. Quando ele chega em mim, ele me abraça apertado também e sussurra no meu ouvido…

— Me perdoe Dheia, você e Dead vão me odiar, pelo que vai acontecer, mas esse é o único jeito de tudo isso acabar. — Varg fala e não me dá tempo de perguntar do que é que ele estava falando.

 

Ele segue em direção a Euronymous e também o abraça forte, mas sinto um aperto no peito quando ele abraça Euro. Algo me dizia que Varg e Kleuda estavam tramando algo que mudaria completamente o rumo de nossas vidas. Eu podia sentir a ameaça de Varg ao abraçar Euronymous de longe…

— Faça algo para me tirar da cadeia dentro de dois dias, então você vai pagar muito caro por destruído nossas vidas. E se acontecer alguma coisa com Kleuda ou Stephany. Você também pagará caríssimo por isso! — Ele fala e antes que Øystein pudesse lhe responder, Varg sai da casa e os dois policias o algemam e o colocam dentro do carro, deixando Euronymous confuso com a ameaça que lhe foi feita.

 

Logo o carro da polícia já não estava mais no terreno de nossa casa. Varg havia sido preso e isso nos traria grandes consequências. O clima já estava muito pesado e todos ali estavam tensos demais. Kleuda estava chorando, mas olhava para Euronymous como se ele fosse o culpado pela prisão de Varg. Na verdade, ele era em parte, mas não totalmente. Chester e Mike não poderiam perder a oportunidade de desdenhar de Euronymous e causar mais discórdia no local.

 

— E agora pandinha trevoso, o que você pretende fazer? Vai deixar Varg ficar preso, por uma coisa que ele não fez sozinho, ou vai finalmente mexer essa sua bunda branca de panda e ajudar a tirar ele da cadeia. — Disse Chester rindo da cara de Euronymous junto com Mike.

— CALADO PORRA! É claro que vou dar um jeito nisso, afinal de Varg ficar preso, logo chegaram, até nos também. Só preciso pensar um pouco e descobrir um jeito de tirar ele de lá. — Euronymous fala colocando as mãos na cabeça e se sentando no sofá. Me sento ao lado dele e Dead senta do outro lado.

 

Dead finalmente fala alguma coisa, já que até aquele momento ele havia ficado calado o tempo todo. O loiro fazia carinho nas costas de Euronymous, quando finalmente se pronuncia…

— O que deu na cabeça dele, para ter deixado uma lebre na porta de entrada da igreja? Dissemos a ele que isso seria uma idiotice, lembra Euro? — Dead disse como se tirasse uma lembrança muito estranha da cabeça.

— Ele fez isso por que queria que vissem que os cristãos não podem comandar o solo de nossos antepassados, Dead. — Kleuda responde.

— Não, ele fez isso por que é burro! Seu namorado ainda teve a coragem de me ameaçar. Eu só vou tirar ele da cadeia por que se ele ficar lá, vai acabar dando com a língua nos dentes e ferrando todos nos. — Euronymous disse encarando Kleuda, que sorria diabolicamente para ele, e isso me assustou bastante. — Está rindo de que mulher?

— Você não perde por esperar, querido! Logo tudo isso vai ter um fim. — Kleuda disse virando as costas e seguindo em direção ao quarto que dividia com Varg, antes que Euronymous lhe acertasse um vaso de flores que estava do lado dele, na mesinha de centro da sala.

 

O vaso acertou a parede fazendo um barulho de vidro se quebrando logo em seguida. Euronymous estava furioso com o que acabou de acontecer e isso era bem visível em seu olhar. Eu e Necrobutcher fomos até a área onde ficava os produtos de limpeza e pegamos, vassoura e uma pá de lixo. Voltamos para a sala e limpamos toda a sujeira. Dead estava sentado no sofá com Stephany de um lado e Euronymous de outro com a cabeça encostada em seu ombro.

— Meu amor, ligue para Lauri Ylönen e diga a ele para vim para cá. Assim que ele chegar aqui explique o que aconteceu e você e Necrobutcher ajudem ele a comandar uma reunião do Inner Circle, enquanto eu e Dead vamos, até o centro achar um advogado para o Varg. — Euronymous disse enquanto se levantava com o Dead do sofá.

— Claro meu amor e o que mais você quer que Lauri diga a eles? — Pergunto achando estranho o fato de Øystein me pedir para chamar Lauri e não Chester ou Mike, ou até mesmo Fenriz.

— Ajude Lauri a fazer a reunião, expliquem o que aconteceu e deixem bem claro que o Inner Circle tem que ficar de boca fechada, caso a polícia prenda outro de nós. — Euronymous fala colocando sua costumeira jaqueta de couro, preta. — Vou levar Dead comigo.

 

Euronymous me dá um beijo de despedida e Dead se despede de Stephany lhe dando um beijo também e ambos saem pela porta da sala, sem dizerem mais nada. Assim que eles saem, faço como me foi pedido. Ligo para Lauri Ylönen e peço para ele vir para cá e se ele quisesse, poderia trazer Aki e Eero com ele, apesar de os dois não fazerem parte do Inner Circle. Acho que Lauri se sentiria mais confiante assim, por ser menor de idade ainda. Ele se sentiria menos pressionado pelos adultos se estivesse com seus dois namorados…Sim Lauri namorava dois homens, e parece que isso não impedia Euronymous de ter confiança no rapaz para liderar uma reunião do grupo.

 

Ligo para Lauri e quem atende e sua irmã Hanna. Era uma moça muito simpática e agradável, que cuidava de Lauri. De vez em quando ela estava aqui em casa com ele, Aki e Eero. Depois da terceira chamada, Hannah atende…

 

LIGAÇÃO ON

 

— Alô! Quem fala? — Pergunta ela.

— Oi! Hannah. Aqui quem fala é Dheia, tudo bem? Bom, Euronymous me pediu para ligar para Lauri e chamar ele para liderar uma reunião do Inner Circle hoje. Teria como você pedir para ele vir com Aki e Eero, por favor! — Falo e sinto em sua voz que ela realmente não gostava muito do irmão menor de idade metido nas coisas do Inner Circle, mas ela não podia evitar, já que todos na família de Lauri, tinham medo de Euronymous.

— Claro! Pode deixar eu o aviso sim, mas o que aconteceu para o Euro pedir que Lauri liderasse a reunião? As coisas estão bem por aí? — Pergunta Hannah e eu não sabia o que dizer.

 

Posso contar a verdade, mas penso que isso significaria que ela odiaria mais ainda Øystein, ou ela poderia proibir que Lauri fizesse a reunião. Acho que isso não seria bom nesse momento. Ela poderia acabar descobrindo do mesmo jeito que Varg foi preso, então opto por lhe contar a verdade, mesmo que isso gere mais problemas por parte dela.

 

— Bom, Varg Vikernes acabou de ser preso, pela queima das igrejas… calma não precisa ficar nervosa. Nada vai acontecer com Lauri, acho bem difícil que cheguem, até ele, afinal ele nunca foi oficialmente registrado como membro do grupo. — Falo quando percebo ela se alterar do outro lado da linha.

— Se o meu irmão for preso, Dheia juro que Euronymous pagará muito caro por isso. — Ótimo agora mais uma para ameaçar meu namorado. Era só o que me faltava.

— Ninguém vai ser preso Hannah, Euronymous e Dead foram até a cidade procurar um advogado para Varg. Ninguém do Inner Circle tem permissão para falar para a polícia, o que houve. Acho muito difícil chegarem, até o Lauri.

— Acho bom mesmo Andrea, se não vai ter consequências, e eu não tenho medo do Øystein como vocês aí têm. Vou avisar para o Lauri ir para aí. Adeus. — Ela desliga o telefone na minha cara!

 

LIGAÇAO OFF

 

Mais que filha da puta! Desligo o telefone também e me jogo no sofá atrás de mim. Necrobutcher e Stephany estavam assistindo ao noticiário, onde a notícia da prisão de Varg estava sendo passada pela apresentadora de um jornal da tarde. Kleuda pelo jeito estava vendo a entrevista de seu quarto também, logo ela aparece na sala…

 

— Dheia me perdoe, mas acho que algo terrível vai acontecer logo, logo. — Ela fala e resolvo esclarecer de uma vez essa história de Varg e ela terem ameaçado Euronymous.

— Você pode me explicar o que está acontecendo? quando Varg se despediu de Euronymous e o que foi aquilo que você disse, quando Varg saiu? O que vocês estão tramando Kleuda? — falo me ajeitando no sofá e Stephany também se ajeita no outro assento de veludo negro.

— Não podemos te falar nada. Você e Dead vão nos odiar, mas é o único jeito das coisas voltarem a ser normais por aqui. Deixe Lauri liderar a reunião, como Øystein quer. Isso pode, até ser melhor no momento.

— Kleuda por favor, não me diga que você e Varg vão fazer alguma besteira. Vocês dois podem acabar presos ou mortos! Por favor, não faça nada de que possam se arrepender. — Stephany diz com lagrimas nos olhos.

— Não se preocupem tudo já está muito bem planejado. Teremos a paz de volta nesse lugar! Bom, enquanto Lauri está a caminho, vou me arrumar para a reunião, e vocês duas fiquem de boca fechada.

 

Meu Deus! o que será que eles estão aprontando. Isso vai terminar muito mal para todos nós!

 

 

Enquanto isso no centro de Oslo, Dead e Euronymous já tinham achado um advogado que cuidasse do caso de Varg. Eles se encaminhavam para a delegacia nesse momento. Euronymous não conseguia tirar as ameaças de Varg e Kleuda da cabeça e temia por sua vida. Ele teria que tomar decisões drásticas se quisesse continuar vivo e no comando da cena Black Metal. Ele teria que matar Varg de qualquer jeito, mas como fazer isso sem ser pego e sem chamar a atenção? Isso era o que martelava em sua cabeça nesse momento, que ele nem escutou Dead lhe chamando.

 

— Euronymous…Euronymous… OYSTEIN! — Dead acaba gritando com ele, quando finalmente chegam na prisão. — Chegamos porra. No que é que você pensa tanto?

— Em nada… em nada. — Euronymous mente, e eles entram na delegacia com o advogado na cola deles.

 

Eles chegam, até uma pequena sala, onde aconteciam reuniões da delegacia. Eles entram na salinha e se sentam em cadeiras que estavam nos cantos, perto de uma grande porta de vidro fume. Em menos de dez minutos, Varg é trazido para a sala e se senta do outro lado de uma mesa que separava ele, do advogado, Dead e Euronymous. Varg estava sorrindo, mas era um sorriso de puro desprezo em direção a Øystein, e isso fez a espinha do menor gelar.

 

— Vejo que o “líder” finalmente resolveu ajudar um de seus seguidores e “Amigos”. Varg fez aspas com as mãos. Ele teve dificuldades já que estava algemado.

— Ora, não seja abusado Varg! Estou aqui para te ajudar, mas poderia muito bem te deixar mofando aqui. — Euronymous fala rispidamente.

— Isso, faça isso e vai pior para você Øystein. — Varg a ameaça de novo e Euronymous estava se segurando para não voar do outro lado da mesa e matar Varg ali mesmo.

— Varg o que aconteceu com você? Por que está ameaçando tanto o Euronymous assim! O que ele te fez? — Dead pergunta muito chateado por Varg estar tratando Euronymous desse jeito.

— Você sabe exatamente o que ele fez Dead. Eu sei que você e Dheia o amam, mas veja onde as coisas que ele fez estão nos levando. Olha para você, você não é feliz! Você o ama, mas será que ele te ama tanto assim? Ele nunca vai ser só seu Dead. Você sempre terá que dividi-lo com Dheia. Isso se todos nós, não acabarmos mortos, pelas decisões egoístas de Øystein. O Mayhem nem sequer está fazendo mais shows. Nos muito mal temos o que comer em casa.

 

— PARE por favor Varg, não diga isso. Amo Euronymous e sei que ele me ama. Dividi-lo com Dheia não é o problema. Afinal ele tem me dividir com Stephany. Nossa bissexualidade não é um problema para nós. — Dead responde com lagrimas nos olhos, enquanto o advogado estava olhando e observando tudo o que acontecia ali.

— CALEM A BOCA VOCÊS DOIS! E você Varg, não admito que fique colocando besteiras na cabeça do Per. — Euronymous grita.

— Você já não manda mais nada Øystein! Não pode mais falar o que devo ou não fazer. Assim que eu sair daqui. Sairei do Inner Circle, com Kleuda. Mais não sem antes te deixar uma lembrancinha minha, para SEMPRE. — Varg fala e até o Advogado que não havia se pronunciado ainda olhamos, para ele assustados.

 

O advogado achou que já era hora de se pronunciar, antes que aqueles dois se atracassem na porrada ali mesmo, e as coisas se complicassem ainda mais para o seu cliente. Ele se levantou como se os outros três presentes ali fossem lhe dar atenção. O advogado loiro de cabelos na altura da nuca, olhos incrivelmente tão azuis, quanto os de Dead, pigarreou alto para que eles parassem de se encararem e prestassem atenção ao que ele tinha para dizer.

 

— Olá! Senhor Vikernes. Me chamo Kurt Cobain e serei seu advogado! Senhor Vikernes, o senhor Øystein Aarseth e o Senhor Per Ohlin me procuraram para que eu possa defender o senhor, das acusações de… — Ele pegou uma folha que estava em cima da mesa e começou a ler. — Das acusações de incendiar mais de duas igrejas. Uma delas havia uma lebre na porta de entrada, carbonizada. Também há a acusação de cumplicidade no assassinato de Johnny Christ, cometido pelo amigo de vocês… Matsumoto Takanori mais conhecido como Ruki. O próprio senhor Ruki alegou que o senhor estava lá e o ajudou.

 

— Olá! Senhor Cobain. Isso é mentira. Eu não estava lá quando Ruki matou Johnny. A gente nem se viu aquele dia. — Varg mentia descaradamente e Euronymous e Dead perceberam isso.

 

O que Euronymous e Dead não sabiam era que essa acusação de cumplicidade no assassinato de Johnny, havia sido planejado por Varg, Kleuda, Ruki, Reita, Chester e Mike. Eles haviam planejado que se um deles fosse preso pela queima das igrejas, alguém teria que fingir ser cumplice de Ruki, apara aumentar as acusações. O que Varg não imaginava, era que Chester e Mike haviam denunciado ele, e o usariam para criar ódio por Euronymous e fazer todos se voltarem contra ele. Varg era peça chave em um plano que acabaria muito mal…

 

 

Enquanto isso na reunião do Inner Circle…


Notas Finais


Eita! O que será que Varg e Kleuda planejam com a ajuda do Chester e do Mike. Acho que algo muito ruim vai acontecer, espero estar errada. Espero que tenham gostado, deixem seus comentários que logo mais eu responderei. Bjos e ate mais.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...