História Mayhem - Beautiful and Cruel ... The story not told - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Avenged Sevenfold, Linkin Park, Mayhem, Ozzy Osbourne, Rammstein, Tarja Turunen, The GazettE, The Rasmus
Personagens Aki Hakala, Aoi, Brooks Wackerman, Chester Bennington, Christian "Flake" Lorenz, Eero Heinonen, Hellhammer, Johnny Christ, Kai, Lauri Ylönen, M. Shadows, Mike Shinoda, Necrobutcher, Oliver "Ollie" Riedel, Ozzy Osbourne, Paul Landers, Personagens Originais, Reita, Richard Z. Kruspe, Ruki, Synyster Gates, The Rev, Till Lindemann, Uruha, Zacky Vengeance
Tags Bennoda, Dead, Euronymous, Linkin Park, Mayhem
Visualizações 29
Palavras 3.126
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ola meus amores lhes trago mais um capitulo quentinho e fresco para o divertimento ou HORROR de suas almas sombrias hehehehehe.
Espero que gostem e boa leitura a todos
recadinho IMPORTANTE no final

Capítulo 2 - Freezing Moon


Fanfic / Fanfiction Mayhem - Beautiful and Cruel ... The story not told - Capítulo 2 - Freezing Moon

Antes de contar para vocês o que aconteceu depois que eu a as meninas volto para casa, deixe eu contar um pouco sobre a personalidade de Dead, Euronymous e Varg... vamos começar com Dead. Dead tinha uma personalidade muito estranha...Quando era criança ele tinha Apneia do Sono. Aos 10 anos, sofreu rompimento do baço após, segundo ele, sofrer um acidente enquanto patinava no gelo. Ele teve que ser levado às pressas para um hospital, onde foi por um tempo dado como morto. Após essa experiência de quase-morte Dead se tornou encantado e obcecado com a morte.

 

Era sueco e não norueguês, como muitos pensam. Era um homem alto, magro e de pele muito branca, que por vezes até parecia azul. Dead maquiava-se como um cadáver até durante os ensaios da banda. Dead era um fanático pelos castelos Cárpatos e Pophyrians. Além disso dizia ser de outra realidade.

 

Quando ele entrou para o Mayhem atrás de uma carta mandada a um outro integrante da banda o Necrobutche, junto com a carta falando os motivos dele para querer entrar na banda Dead mandou para os meninos um pacote com a carta e um porquinho da índia morto já em estado de decomposição. Os meninos em 1990 acharam aquilo estranho, mas mesmo assim Dead tinha chamado a atenção deles para sua voz e seu jeito peculiar de lidar com temas sombrios e a morte. Dead na época foi um dos primeiros e pioneira do Corpse Paint (pintura de cadáver no rosto) ele era uma pessoa muito deprimida e tinha depressão profunda o que o levava a trancar em seu quarto e muito mal falar com as pessoas.

 

Seu relacionamento com os colegas de banda era muito bom, com Varg mais com Euronymous a coisa era mais estranha e sinistra do os olhos de amigos conseguiam enxergar na época. Certo dia enquanto eu Kleuda e Stephany estávamos na casa com os meninos havia rolado uma discussão terrível entre Dead e Euronymous por causa das músicas eletrônicas que Øystein Aarseth (Euronymous) estava escutando constantemente...

 

 

FLASHBACK DHEIA ON

- Caralho Aarseth desliga essa porra de musica do caralho, como você pode escutar esse lixo de coisa – Disse Dead enquanto encarava o baixinho moreno que estava dançando ao som das batidas barulhentas da musica eletrônica.

-Ué zumbi viadinho, você não gosta da música ou não gosta que eu dance para todo ver como sou gostoso e foda – Fala Euronymous rebolando provocativo na direção do loiro maior.

-Viadinho você vai ver quando eu acertar minha mão na sua cara e ficar a marca dos meus cinco dedos nela aí sim todo mundo vai ver isso – Responde Dead abrindo a porta da frente da casa e saindo em direção a floresta.

-Onde você vai Dead volta aqui não precisa descontar sua falta de senso de humor em mim – replica Euronymous rindo.

-Vai para cara do caralho Øystein e me deixa em paz, vou dormir na floresta já que é quase 22:00 horas e você não me deixa dormir com essa musica infernal.

-Se você sair por essa porta eu vou pegar minha espingarda e dar uns tiros na sua cara o que acha disso, seu babaca? – Pergunta Euronymous ficando visivelmente irritado por causa da decisão de Dead de ir dormir na floresta.

 

Dead não lhe deu a mínima atenção e pega as roupas que enterraria para o show que aconteceria dali a 3 dias e segue floresta a dentro enquanto Euronymous furioso pega uma espingarda maior que ele e segue para a porta da casa atirando para todos os lados e gritando com Dead a plenos pulmões.

 

-VOLTA AQUI SEU IDIOTA ZUMBI DO CARALHO, EU ESTOU FALANDO COM VOÇE DEAD. QUANDO EU FALAR VOÇE ME OBEDECE – Gritava Euronymous furiosamente enquanto atirava sem saber realmente onde estava acertando ou se acertava alguém. Mais Dead já estava muito longe para voltar.

 

 

FLASHBACK DHEIA OFF

Aquela cena já era normal de se ver com o passar dos dias em que estávamos convivendo com eles. A amizade entre Dead e Euronymous se resumia em...ciúmes, rivalidade, possessividade e sexo as vezes...sim eu disse sexo mesmo. Eles negavam mais esse excesso de ciúmes e possessividade e implicâncias gerava uma certa atração perigosa entre eles o que levava a noites de sexo selvagem onde eles enquanto transavam se cortavam, deixavam hematomas um no outro e varias marcas de mordidas e machucados que eles gostavam de fazer.

 

O sexo entre Dead e Euronymous era uma disputa entre a rivalidade e o prazer onde um queria mostrar pro outro quem era o mais mal ali. Nenhum dos dois vencia é claro já que no final da noite ambos tinham chegado ao orgasmo e na manha seguinte era o assunto na roda de nossos amigos.

 

Como eu sei disso? Muito simples, uma noite eu Kleuda e Stephany estávamos na casa deles para o ensaio que eles fariam e logo a briga já rolava solta entre os dois e Varg tentava a todo custo separa-los.

 

 

FLASHBACK DHEIA ON

-Meu Deus os dois vão se matar desse jeito, vai lá Varg e separa eles – Kleuda dizia apavorada com a cena que se desenrolava a nossa frente.

Dead estava dando murros no rosto de Aarseth por que este tinha desenterrado suas roupas e as colocado para lavar. Dead ficou muito bravo com isso e logo os dois estavam discutindo sobre as roupas...

-VOÇE FICOU LOUCO PORRA? Quem te deu o direito de mexer nas minhas coisas sem a minha permissão e colocar minhas roupas para lavar? – Dead gritava com Euronymous.

-VOÇE QUE É LOUCO. Olha só o estado dessas roupas cheias de vermes e bichos. Sem falar no cheiro que essa merda estava exalando na casa. Eu desenterrei por que não quero mais fazer um show ao lado de uma pessoa que cheira a morte o tempo todo Dead. – Aarseth fala e Dead se deprime com isso mais revida furioso.

- QUANDO EU ENTREI PARA ESSA MERDA DE BANDA DEIXEI BEM CLARO que eu não pertenço a este mundo morto e vazio. Vocês aceitaram de boa e agora você me trata desse jeito? Vai se fuder Øystein.

Dead joga Euronymous no chão e logo sobe em cima dele e começa a distribuição de socos e chutes. Euronymous tenta revidar mais o loiro maior era mais forte que ele.

-PAREM JÁ VOÇES DOIS...estão assustando as meninas porra...PAREM, PAREM...Dead já chega por favor – Diz Varg que também era grande e fortinho ate tirando Per de cima de Aarseth.

Dead corre para seu quarto se trancando ali e Euronymous se levanta senta no sofá e começa a beber a cerveja que antes da briga tinha deixado no local. Víamos em seu olhar que ele estava furioso com Dead mais o clima de tensão que tinha se espalhado ali não nos permitiu falar algo ate que resolvo falar algo...

-Øystein por favor não brigue com o Per, você sabe que ele se deprime facilmente amor...por que vocês brigam tanto assim e desse jeito? – Pergunto tentando conversar mais Euronymous já demonstrava sua frieza naquela altura do campeonato

- Andreia não se mete onde não foi chamada porra...meu problema com Dead eu mesmo resolvo – Euronymous se levanta e chuta a cadeira que estava sentado para trás.

Ele segue na direção do corredor para os quartos deles e Varg faz sinal com a mão para que eu não vá atrás dele.

-Deixa ele Dheia, ele está rabugento assim por causa do namoro de Dead e Stephany, vocês sabem meninas que esses dois viadinhos se odeiam e se querem ao mesmo tempo...Euronymous não admite mais sente tesao por Dead e vice-versa. Eles são assim mesmo desde que Dead veio para cá morar com a gente. – Varg fala abrindo mais uma garrafa de cerveja e pegando um cigarro de cima da mesa de vidro.

 

Depois de uns 15 minutos de conversas aleatórias Kleuda sente vontade de ir ao banheiro e quando volta estava branca feito papel e não sabíamos se ela estava vermelha apenas ou se chorava de rir. Seu rosto estava vermelho e seus olhos arregalados e ela colocava e tirava as mãos da boca enquanto um pequeno sorriso se formava em seus lábios...

-O que aconteceu Kleuda por que você está assim mana? – Stephany diz dando um gole em sua cerveja gelada e tragando um cigarro jogando a fumaça para o alto.

-Acabo de ver a cena mais chocante e bizarra da minha vida não fato sexo entre dois homens e sim pelo fato de ser S-E-L-V-A-G-E-M em todos os sentidos da palavra manas.

-Sexo entre dois homens? Como assim mana explica isso melhor. Do que você está falando? – Falo me levantando do sofá e indo ate ela que estava muito constrangida e ao mesmo tempo já estava as gargalhadas de nervosa que estava.

-Acabo de ver Dead e Euronymous transando loucamente no quarto do Dead, mas eles estão se cortando juntos e é muito selvagem a coisa toda ali.

-Meu Deus meu namorado é bissexual hahahahahaha – falo e Stephany olha maliciosamente para mim e Kleuda.

-Meninas eu não sei vocês, mas eu quero ver o Dead e o Euronymous transando o que acham? – Stephany fala e Varg a olha com curiosidade.

-Tem certeza de que vocês querem mesmo assistir o sexo entre os dois? Digamos que não é lá uma cena muito bonita de se ver – Varg fala levantando do sofá e guiando Kleuda de volta ao corredor dos quartos e banheiro.

Eu e Stephany nos levantamos do sofá e seguimos os dois a nossa frente. Paramos na porta do quarto de Dead que estava meio entreaberta e a cena era a seguinte.

Euronymous ligou o som naquelas músicas que Dead odiava e o chamou... eles dançavam colocados um no outro e Dead molhava toda a roupa preta de Euronymous com sangue ele havia recém cortado os braços em locais onde não lhe faria mal. O sangue jorrava nas roupas e no rosto de Euronymous que não se importava com isso, na verdade ele estava gostando se sentir o sangue fresco e quente de Dead em sua pele fria e pálida.

 

As roupas de Dead aos poucos ia sendo tiradas por Euronymous, o engraçado de tudo era que parecia que os dois não se importavam sobre o fato de SANGUE estar sendo jorrado dos ferimentos abertos sobre os dois. Aquela cena era bizarra e um pouco nojenta mais queríamos ver o sexo rolando entre os dois. Estavam só de cueca quando Dead pega na sua mochila uma venda e algemas, Euronymous deixou ser envolvido por ele.

 

Dead vendou os olhos de Euronymous e o deixou de costas e colocou as algemas como se ele fosse um criminoso, ele ficou totalmente preso enquanto Dead com os braços pingando sangue pelo quarto inteiro tirava a cueca de Euronymous com a boca, e passava algo em seu corpo que ardia já que o moreno baixinho gritava de dor mais o som era abafado pela música barulhenta e aquilo esquentava, Dead assoprava e ficava mais quente ainda... a cena seguinte era Dead fazendo um corte na coxa esquerda de Euronymous enquanto este gritava e gemia ao mesmo tempo de prazer.

 Dead se levanta e vai até a mochila pegando uma vela e acendendo indo em direção a Euronymous e pingando a vela nas costas do moreno. Enquanto assistíamos essa cena do lado de fora do quarto, exatamente encostados na porta Kleuda cutuca eu e Stephany e nos mostra que Varg estava excitado em ver a cena de Dead torturando Euronymous e disfarçadamente sorrimos com isso.

Já lá dentro do quarto Dead vira Aarseth de frente, e aumenta o som que rolava alto demais agora enquanto tira a venda dos olhos de Euronymous e desamarrava seus pulsos ... Dead tinha aproveitado e também estava totalmente cheio de cera de vela em seu corpo, ele mandou que Euronymous realizasse seu fetiche. Euronymous amordaçou a boca de Dead, as algemas que estavam nele agora estavam no loiro maior, e deu um chicote, ele pedia pra apanhar de Euronymous e quanto mais ele batia, mais Dead gostava... eu estava com pena, pois a pele de Dead estava toda vermelha e sangrava mais ainda!

- Me bate Euro...me bate, sei que você gosta assim de me castigar e me cortar. Você com essa sua carinha de bom moço não engana ninguém – Dizia Dead enquanto era açoitado por Aarseth.

-Vou te bater e cortar você inteiro Dead, quero sentir seu sangue quente escorrendo pelo meu corpo enquanto eu fodo você. – Euronymous respondia e víamos tudo aquilo horrorizados e excitados ao mesmo tempo.

- Me come Euronymous... me chupa, bati na minha cara bate. -  Quanto mais Euronymous batia nele mais o pau de Dead pulsava .... Euronymous deixou ele de 4 e Dead pediu que ele metesse de uma vez. Ele gritava de dor e o pau de Aarseth entrou com tudo em Dead.

 

Dead estava em cima de Euronymous penetrando profundamente e durante o ato, Euronymous gemia ao mesmo tempo. Dead mordia as costas dele e com o seu punhal em mãos cortava a pele de Euronymous. Eu, Kleuda e Varg olhamos a cena assustados enquanto Stephany olhava a cena com expressão maliciosa e mordia os lábios. Dead também dava beijinhos no pescoço, braços e costas que deixavam marcas nada discretas em Euronymous. Durante o prazer juntamente com a dor ele dizia:

- Como você tem a capacidade de me deixar louco desse jeito, seu filho da puta?

Dead nada dizia, só continua socando fortemente na entrada de Euronymous. Ele continuava com seus gemidos e grunhidos e Dead continuava mordendo, cortando e dando chupões no corpo de Euronymous. Saindo daquela posição e Dead agora no lugar de Euronymous, se posiciona feito gato e agora é Euronymous que comia Dead sem dó e nem piedade. Dead começa a gritar e gente vendo a cena escondidos nos assustamos com os gritos de Dead. Euronymous penetrava e também mordia, beijava até deixar marcas e cortava as costas de Dead ao ponto de o sangue espirrar em seu rosto e ele chupar o sangue. Eles ficam assim até Euronymous chegar ao seu limite.

Olhei para Kleuda, Stephany e também para Varg e comecei a rir baixinho de nervoso da situação e Varg também riu comigo e depois disse:

- Eu te disse Dheia

- Quer que eu coma você viadinho zumbi? – Euronymous gargalhava enquanto se movia num vai e vem dentro de Dead – Que apertadinho você é Dead, gosto tanto de te ver sofrendo assim amor.  – Euronymous já estava fora de si e completamente insano enquanto estocava o interior do loiro e este gemia gostando de ser comido por Aarseth.

Certa altura Euronymous pega a faca usada por Dead para se cortar e faz um corte meio fundo em seu próprio peito e vira Dead de frente para ele colocando as pernas do loiro em volta de sua cintura e a cabeça de Dead em seu peito. Dead lambia a ferida feita em Euronymous e os dois gemiam como animais que eram.

-AHNNNNNN ISSO MEU ZUMBIZINHO...me lambe e sente o gosto do meu sangue. Gosta de sangue ne? Vou te dar muito essa noite – Euronymous estocava fundo o interior de Dead enquanto se cortava no peito, barriga, braços e onde mais pudesse alcançar fazendo com que Dead bebesse de seu sangue.

Olhávamos a cena com nojo e excitação ao mesmo tempo e eu queria participar da cena mais Varg não me deixava entrar lá. Ele estava excitado com o que via em sua frente e nem Dead e muito menos Euronymous percebiam a nossa presença na porta do quarto...ou perceberam mais não ligavam para isso. Os dois queriam mais era desfrutar do prazer macabro e insano que estavam tendo naquela cama ensanguentada.

Euronymous depois de um tempo para com os cortes e se joga pro lado ficando deitado na cama e Dead sobe em cima dele pegando a faca de sua mão enquanto penetrava de novo o membro duro de Aarseth dentro de si.

-Gosto quando você se corta para mim Euro, mais também gosto quando eu me corto e você prova meu sangue. Caralho isso é tão gostoso AHNNNNNN – Dead gemia rebolando no membro de Euronymous enquanto se cortava no rosto e se abaixava para que Euronymous pudesse lamber os cortes feitos ali.

 

Passamos a noite assim, assistindo Dead cavalgando em cima de Euronymous e os dois banhados em sangue onde um batia no outro com socos e tapas... os dois gemiam de dor... e prazer. Quando Euronymous estava perto de gozar colocou o membro na boca de Dead e esse deu uma mordida dolorida que por incrível que pareça foi o ápice para Euronymous que gozou com vontade em sua boca. Dead gozou logo em seguida despejando seu sêmen no rosto e na boca de Euronymous que tratou de não desperdiçar nenhuma gota sequer e engoliu tudo.

- Vocês três aí idiotas parados na porta gostaram do showzinho particular ne seus putos do caralho – Dead fala ficando meio deprimido.

-Aí viadinho zumbi deixa eles para lá, eles gostaram da cena olha só o Varg esta ate de pau duro e minha garota também gostou. Todos curtiram nosso momento de insanidade – Euronymous fala levantando da cama mais não antes de fazer mais um corte na perna esquerda. Ele passa a mão no ferimento e vem em nossa direção passando seus dedos em minha boca e me dando um beijo quente. Em seguida ele leva seus dedos de novo ao ferimento que sangrava muito e logo passa as pontas na boca de Varg, Kleuda e Stephany.

-CREDO ISSO É NOJENTO AARSETH – Kleuda fala com nojo mais Varg a beija de língua e os dois provam do sangue de Euronymous.

-Nojento mais vocês estavam parados na porta olhando como dois insanos transam não é mesmo curiosa hehehehehe – Euronymous fala agora chupando os próprios dedos.

-Relaxa querida as coisas funcionam assim aqui e vocês estão gostando que eu sei disso – Varg fala enquanto beijava Kleuda e os dois compartilhavam o sangue que Euronymous passou em suas bocas.

-Não fique com ciúmes minha gatinha de vez enquando eu e Dead brincamos assim – Euronymous fala passando seus dedos sujos de sangue em minha boca e logo me beija.

Sua língua estava cheia do liquido vital de seu corpo e no começo eu queria vomitar mais acabei gostando da experiência desse beijo...era gostoso e ao mesmo tempo com gosto metálico. Dead se levanta da cama e se coloca atrás de Euronymous lambendo e chupando as feridas de suas costas e logo o sangue de Aarseth era compartilhado entre nós como se fosse uma calda de morango.

Depois dessa noite nunca mais fomos as mesmas mulheres e cada vez mais eles nos mudavam do jeito que bem queriam e não percebíamos a burrada que isso estava sendo.

Agora vamos voltar de onde paramos...


Notas Finais


Eita que esse povo gosta de um sangue jorrando na cara e tudo mais hein hehehe
Esse Dead e esse Euronymous pegam fogo juntos que delicia e que bizarro heheh
metade desse capitulo foi escrito pela minha amiga Dheia https://www.spiritfanfiction.com/perfil/dheiabennington aqui o link do Spirit dela. Quem quiser da uma olhadinha la que ela tem historias maravilhosas e lindas. 😍
Espero que tenham gostado, deixem seus comentarios.
Bjos e jaja sai um CAPITULO EXTRA...Ate mais 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...