1. Spirit Fanfics >
  2. Mayu >
  3. Ossos do ofício

História Mayu - Capítulo 27


Escrita por:


Notas do Autor


Dois capítulos fresquinhos, espero que gostem

Capítulo 27 - Ossos do ofício


Fanfic / Fanfiction Mayu - Capítulo 27 - Ossos do ofício

Após a cama de casal ser adquirida, Ayumi foi imediatamente morar na casa dos Yamazaki. Como esperado, ela foi muito bem recebida pela mãe da família. Mesmo dormindo na mesma cama por 3 dias, o casal não fez amor, apenas deu alguns pequenos amassos antes de dormir.

Era domingo, dia do baile anual da Asahi Gakko. Mayu estava muito animada para ir com Ayumi, tanto que sua mãe quis fazer de tudo para essa ser uma grande noite. Fez questão de comprar dois vestidos para o casal. Ainda as levou em dois salões de beleza diferentes, pois queria que o visual de uma fosse segredo para a outra. Após sua produção, Ayumi chegou em casa, já com seu vestido.

-Cheguei! - anunciou.

Hinata apareceu descendo as escadas.

-Você está linda! Eu te disse que aquele cara tem mãos de ouro pra cortar cabelo!

-Onde está a Mayu?

-No quarto terminando de se ajeitar.

-Vou lá ver ela.

-Nananão! Você fica! Quero ver a sua reação!

-Então vou ter uma surpresa?

-A Mayu nunca foi vaidosa, então não é todo dia que ela se produz tanto. Você vai ver!

-Oh senhora... assim meu coração dispara.

A voz da jovem ecoa pelo corredor:

-Mãe! Estou pronta! Posso sair?

-Pode vir!

Mayu aparece descendo as escadas. os olhos da Ayumi brilharam. A jovem Yamazaki estava usando um vestido azul Royal de manga única com um drapeado na cintura e saia irregular com uma fenda no meio da coxa esquerda. Seu cabelo fora ondulado e tranças entrelaçadas foram feitas. Um tom de vermelho-sangue cobria seus lábios. Em seus pés, um par de sapatos de salto coberto de cristais brilhantes. Sua pele branca e macia foi cuidada com creme perfumado. Em seu pescoço estava um pequeno pingente de coração dourado, e uma tiara de cristal na cabeça.

Ayumi fica boquiaberta.

-Uau! Você... Uau...! Eu tô sem palavras! Você está maravilhosa!

Mayu cora lisonjeada.

-Obrigada. Você também está incrível.

A ruiva usava um vestido semelhante ao da namorada, só que na cor vermelho-sangue. Seu cabelo também foi ondulado e foram feitas trancas rabo-de-peixe. Ela carregaria uma bolsa de couro vermelha para levar os celulares e documentos.

-Ayumi, o presente! - disse Hinata, entregando a caixinha para a nora.

A ruiva desfaz o laço do presente e tira da caixa uma linda rosa, que ela prende na alça do vestido da Mayu. Ela olha apaixonada no fundo dos olhos da namorada, desejando seus lábios carnudos, mas tentando se conter para não arriscar borrar a maquiagem das duas.

A Sra Yamazaki sacou seu celular e pediu para o casal posar para a foto.

-Own, minhas duas princesas estão lindas! - ela vai até Mayu, emocionada - Olha só pra você filha. Tão grande, já é uma mulher feita! Logo logo não precisará mais da mamãe.

-Oh mãe, não diga isso! Eu sempre vou precisar de você! - e elas se abraçam.

Hinata nota o pingente de coração que sua filha está usando.

-O meu pingente?

-O próprio. Eu resolvi dar uma segunda chance a ele.

-Ficou perfeito com o seu vestido. Agora vamos pois são quase 19 horas.

Hinata, com seu carro, levou o casal até a escola. As duas ficaram no banco de trás, de mais dadas por toda a viagem.

-Chegamos. Podem ir e se divirtam. Não se preocupem em voltar cedo, eu vou madrugar maratonando meus animes, então me liguem quando quiserem que eu as venha buscar.

-Obrigada mãe. Tchau.

As namoradas atravessaram o portão da escola, caminhando em direção à quadra, onde seria o baile. Casais chegavam de todos os lados. Garotos de terno e gravata acompanhados de moças com lindos vestidos.

-Eu nem posso acreditar... - disse Mayu, sorrindo.

-No quê?

-Que estou realmente indo num baile! E acompanhada!

-Você nunca foi num desses antes?

-Nunca. Minhas escolas até realizavam algo do tipo mas eu sempre ficava em casa mesmo. Quer dizer... uma vez eu tentei ir, mas acabei ficando sozinha, sentada na arquibancada olhando os casais dançando no salão. Não fiquei muito tempo pois vi a Haruka e dei no pé antes que elas pudessem pensar em algo pra me humilhar na frente de todo mundo.

-Que chato, por quê a Haruka pega tanto no seu pé?

-Sei lá, é o jeito dela. Desde que eu a conheço ela é ruim comigo. Mas não quero pensar naquela vaca hoje. Eu vim pra me divertir. Fiquei esperando por esses baile por dias. Principalmente na dança principal. Sonhei com nós duas agarradinhas dançando a valsa. Eu até treinei secretamente no meu quarto. Não quero pisar no seu pé na hora H. Ai, Ayumi, eu tô tão feliz! Sinto um calor tão confortável no peito.

-Eu prometo fazer essa noite ser inesquecível pra nós duas!

Do longe dava pra ver o prédio do ginásio. Luzes piscavam nas janelas altas e era possível ouvir a batida da música. Na porta, um segurança parava os casais para a identificação. Ele disse para as jovens:

-Carteiras de estudante para comprovar que são alunas da instituição.

Ayumi tira os documentos da bolsa e entrega ao homem.

-Muito bem. Ayumi e Mayu. Este é um baile somente para pessoas acompanhadas. Onde estão os seus parceiros?

-Viemos juntas. - disse Mayu.

-Sinto muito, mas como eu disse, a festa é só para casais.

-Mas nós somos um casal!

-Quando eu falo "um casal", quero dizer um namorado e uma namorada, não um casal de amigas.

Yamazaki começou a ficar irritada.

-Moço, eu vou explicar e talvez você entenda. Esta aqui é a minha namorada e é ela quem está me acompanhando. Agora, por favor, será que podemos entrar?

-Eu não sei. A diretora Mitsuha não disse nada sobre um par de lésbicas.

-Então eu quero falar com a diretora.

-Desculpe, ela está ocupada organizando tudo e pediu para não ser incomodada.

-E o que você sugere, grandalhão?

-Vocês podem esperar aqui e talvez ela apareça, mas pode demorar um pouco.

-Então devemos ficar plantadas aqui fora enquanto todos os outros casais podem entrar?!

-E o que é que você quer que eu faça?

-Poderia ir chamar a diretora em vez de ficar nos fazendo de trouxas!!! - Mayu se exaltou.

-Escuta aqui pirralha, quem você pensa que é pra falar nesse tom comigo?!

A diretora aparece, exaltada.

-Kato! Que escândalo é esse?!

-É esse cara que não quer nos deixar entrar! - disse Mayu.

-E onde estão os seus acompanhantes?

-Será que eu tenho que explicar pra todo mundo que nós somos namoradas?!

-Bom... nesse caso eu tenho que concordar com o Kato e não deixar que as duas entrem.

-Quê?! É piada?!

-Esta escola é extremamente conservadora e homossexualismo não é bem vindo aqui. Desculpem, mas são as regras. Voltem quando tiverem parceiros do sexo masculino.

-Isso é injusto! Eu esperei tanto por essa noite!

-Então sugiro que vá tê-la em outro lugar. E só avisando que as regras valem no dia-a-dia, portanto gestos homossexuais são proibidos no perímetro da instituição.

Yamazaki a aquela altura já estava furiosa e não queria levar desaforo.

-A gente já se beijou dentro da sala de aula na frente dos nossos colegas. Algum problema com isso Mitsuha?

A diretora apontou para a jovem, irritada.

-Se eu pegar as duas fazendo isso novamente aqui dentro é suspensão instantânea!

Mayu se vira para Ayumi e beija sua boca.

-O quê vai fazer? - confrontou.

-Já chega! Kato, tire-as daqui! E se voltarem eu chamo a polícia!

O segurança segura as duas pelos braços e consegue leva-las para fora apesar dos protestos.

-Sua preconceituosa!!! Vadia do caralho!!!

Mayu respirava ofegante. Queria chorar mas se conteve para não borrar a maquiagem.

-O que vamos fazer agora? Quer entrar escondida pelos fundos ou pular uma janela? - perguntou Ayumi.

-Nem pensar. Não vamos voltar.

-Mas você quis tanto vir para esse baile!

-Que se foda esse baile. Se não somos bem vindas então que a vaca da Mitsuha se exploda. Tomara que haja um incêndio.

-Então vamos voltar pra casa depois do quanto a sua mãe gastou com a gente?

-Claro que não. Não precisamos perder a nossa noite só por causa disso. Vamos jantar fora. O que me faz lembra que ainda não tivemos nosso primeiro encontro. Pode ser agora! - sorriu Mayu.

-Boa ideia! Eu sei de um restaurante ótimo na redondeza!

Ayumi deu a mão para a namorada. Demorou um pouco mas elas chegaram no lugar. Parecia ser bem romântico. Olhando lá dentro podiam-se ver casais jantando. Mayu até ficou feliz vendo um deles se beijando. Elas optaram em sentar numa mesa do lado de fora.

-Desculpe pelo barraco que eu causei. Eu nunca fui de fazer escândalos. Não sei o que tem dado em mim nesses últimos meses.

-Não tem problema. Você estava certa em gritar. Eles foram muito injustos com a gente. E não há mal em mudar assim.

-É que foi tão rápido, sabe? Há dois meses eu era a garota mais esquisita da escola. Sempre me deixava levar pelos outros, ingênua pra caramba. Agora olha pra mim, não levo desaforo de ninguém, estou mais corajosa e confiante. Fora que eu descobri que posso amar garotas, estou grávida, fui estuprada, fui expulsa da escola, fiz aquelas coisas deploráveis. Olha quanta coisa aconteceu em dois meses!

-E você se sente mal?

-Quer saber? Não! Eu gosto de confrontar os outros! Cansei de só ouvir tudo o que eles dizem pra mim! Quero ser forte!

-Essa é a minha garota. Corajosa, gostosa e fodona. Sem falar que é a coisa mais fofa do meu mundo.

-Own, vem cá.

As duas se inclinam e se beijam. Um gesto que reaqueceu o coração da Yamazaki e deixou sua noite um pouco melhor.

-Te amo, sua ruiva safada. - risos.

-Por falar nisso, as raízes loiras estão começando a aparecer. Estive pensando em pintar meu cabelo de novo, o que acha?

Interrompendo a conversa do casal, o garçom apareceu falando:

-Com licença senhoritas. Recebemos reclamações de alguns clientes sobre um beijo que as senhoritas deram. Em nome de todos os clientes peço para não repetirem.

-O casal daquela mesa está se beijando desde que a gente chegou e eu não ouvi ninguém reclamar.

-Sinto muito mas se repetirem terei que pedir para vocês se retirarem.

Mayu agarrou a mão da Ayumi e se levantou, falando para todos ali ouvirem:

-Não tem problema! Se estamos incomodando, vamos embora! Aproveitem o jantar!

Ela saiu rápido, agarrada ao braço da namorada.

-Deixa pra lá. Vamos comer em outro lugar. - disse Ayumi.

-Sim! Tem um monte de restaurantes por aqui! Algum vai nos receber.

-Não fica triste, tá? - Ayumi abraça a namorada.

Um carro passou rápido por aquela rua. Um dos passageiros viu o casal se abraçando e quis fazer algo. Apanhou seu copo de milkshake e atirou pela janela, gritando:

-Sapatona!!!

O copo atingiu em cheio o casal, espalhando a batida de sorvete de morango nos vestidos das duas, deixando Yamazaki louca de raiva.

-Merda!!! Filhos da puta!!! Os vestidos!

-Que covardes!

Mayu não aguentou e começou a chorar. Ela se senta na calçada, colocando a mão sobre o rosto, borrando a maquiagem.

-Mayu?

-Ayumi, vamos pra casa.

-Você vai desistir assim?

-Acabou! Fomos expulsas do baile, expulsas do restaurante, os vestidos já eram! - ela chora mais - Eu disse que queria ser forte mas fica difícil quando todo mundo nos odeia. Já me acostumei a ser odiada mas pensei que agora seria tudo diferente, agora que eu finalmente tava feliz! Eu sabia que receberíamos represálias por gostarmos de garotas mas não pensei que esses ataques viriam de todos os lados! A nossa noite acabou... Eu quero ir pra casa.

-Mayu, eu já estou acostumada com essas coisas. Já sofri muito por ser lésbica, tanto que parei de me importar a certo ponto.

-O mundo é mau...

-Quer saber? Que se dane o mundo! Não precisamos de ninguém pra sermos felizes, só de nós mesmas! Eu me recuso ela deixar nossa noite acabar assim!

-E o que vamos fazer?

-Eu tive uma ideia! Eu quero que você vá na sua casa, pegue roupas limpas e lençóis para a gente e me encontre no nosso lugar especial!

-Tá um pouco escuro pra gente ir lá, não?

-Confie em mim. Te espero lá!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...