História Maze - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens D.O, Kai
Tags Exo, Kaisoo, Poderes
Visualizações 23
Palavras 1.404
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, não tenho muito o que falar sobre esse capitulo e não irei os prender aqui kkk
Espero que gostem <3

Boa leitura

Capítulo 2 - Duas Luas


Fanfic / Fanfiction Maze - Capítulo 2 - Duas Luas

 

 

Todo ano os guardiões eram obrigados a se encontrarem para uma reunião no centro do labirinto. Na realidade se tratava de algo sem objetivo. Para KyungSoo esse encontro não passava de uma idiotice para que os guardiões pudessem compartilhar ou exibir seus avanços, trocar informações sobre suas habilidades e conversar fiado. E todo ano Kyungsoo se esquivava das conversas e se isolava em um canto qualquer como planejava hoje.

Os guardiões sempre estavam juntos na maior parte do tempo, menos Do. Entretanto ele não se importava ficar distante era a intenção.  Pois não adiantaria criar laços nesse mundo já que pretendia sair do labirinto o quanto antes. 

Mas em todo lugar chato há uma exceção, e nesse caso o moreno alto era a sua. Nunca havia tido uma conversa profunda com ele, nem ao menos sabia seu nome. Porém gostava de o ver sorrir, mesmo que não fosse direcionado a ele.

O labirinto era imenso e por isso o guardião deveria seguir seu caminho pelo menos dois dias antes para chegar ao centro, onde encontraria uma mansão, a qual todos denominavam casa. O centro  era de longe a região mais bela do labirinto, tinha as mais belas luzes e o maior lago, que possuía a melhor vista para o céu, onde podia ver as estrelas e suas nebulosas nitidamente, e as duas luas iluminando toda planície.

KyungSoo imaginava se encontrar com o garoto de sorriso bonito e cabelos brancos perto do lago em uma noite qualquer, seria de longe a coisa mais bela que poderia ver em sua vida: o luar e aquele maldito sorriso que tanto gostava de admirar.

 

Do chegou à mansão um pouco mais tarde do que planejava. Estava silencioso e ninguém se encontrava no salão principal, apenas um bilhete foi deixado na grande mesa. 

Vamos ocupar apenas seis quartos, para cada quarto:  dois guardiões.

Ao lado vocês encontraram três chaves com os números dos quartos que vocês deveram residir durante essas cinco noites.

Atenciosamente, Kim JunMyeon

PS: Do KyungSoo chave 7, Park ChanYeol chave 5 e Wu YiFan chave 1.

 

KyungSoo se sentiu aliviado por não ser o único atrasado. Mas era feitio de ChanYeol nunca chegar no horário e YiFan raramente chegava no dia combinado. 

Kyungsoo nunca estivera em tal quarto e foi um pouco difícil o encontrar, assim que o fez destrancou a porta com certa dificuldade, e ao entrar se deparou com um dos guardiões deitado na cama, cobrindo até seu rosto com a coberta. Tentou não fazer barulho, mas falhou, e fez com que o outro levantasse rapidamente meio atordoado.

- Desculpa. – proferiu uma única palavra, enquanto o seu colega de quarto limpava o rosto com a mão.

- Você é o KyungSoo certo? - O moreno alto arrumava seus cabelos brancos rapidamente. 

- JongIn. Portador do teletransporte. - ele riu, um sorriso falso por não compreender o porque do menor ser assim, afastado e frio. -  Somos apenas doze e você nem ao menos sabe nossos nomes. 

KyungSoo desviou o olhar, não podia tentar formular uma desculpa. Era verdade. Seu rosto se encontrava, mas JongIn percebeu que ele se incomodou com seu argumento.

- Eu queria pedir desculpa por ter sido indelicado, mas não sinto que deveria me sentir culpado. - Kim fitava-o . O portador da força era bonito, uma beleza tão comum quanto a de qualquer outro guardião. Mas sua boca era como um imã para Kyungsoo e seus olhos eram sempre atraídos a ela. - Vamos dividir a cama se não se importar, não quero dormir no chão e imagino que você muito menos. 

KyungSoo continuou sem dizer nada, seria melhor assim. Ele apenas traçou seu caminho até a cama e se deitou de costas para o outro. 

- Ok. Você não é de conversar. - JongIn falou voltando a se deitar. Mirou as estrelas e procurou alguma lua, mas ambas não podiam ser vistas pela janela, não se estivesse distante da mesma...

O tempo foi fluindo e JongIn era o único no quarto acordado lutando contra o sono. Estava tarde, mas ele não queria se render. Logo a lua se posicionaria na frente da janela e iria iluminar o quarto com seu brilho. Olhou para KyungSoo que se encontrava dormindo encolhido e uma súbita vontade de abraça-lo surgiu, um instinto desconhecido. Mas em vez disso apenas o cobriu com seu cobertor. 

E de tanto o olhar acabou se entregando ao sono. 

 

Quando amanheceu apenas KyungSoo estava no quarto, e ao perceber que era o único se levantou para se arrumar. Estava apressado. Já havia chegado atrasado uma vez e não queria repetir o erro. Mesmo não querendo estar ali ele tinha noção dos seus afazeres e odiava não cumpri-los. Antes de sair do quarto olhou o relógio e não era nem mesmo seis horas. Praguejou a si mesmo, afinal, poderia dormir mais um pouco. 

Após uma tentativa falha, Do levantou e desistiu de dormir. Se escorou na janela para apreciar o lago, mas não esperava ver Kim JongIn sentado na beirada. O vento soprava seus expressos cabelos brancos e suas vestes claras lhe davam um ar cada vez mais angelical. Kyungsoo ficou o observando por alguns minutos, não conseguia se cansar ou muito menos parar. 
       Depois JongIn o olhou, cerrou seus olhos para confirmar que a silhueta do menor não era uma miragem, e quando foi feito, sorriu gentilmente como costumava fazer. E em seguida desapareceu, fazendo os olhos de Do mergulhar em uma procura intensa durante sete segundos.

- Bom dia. – falou Kim, dando um susto não intencional em Do. – Teletransporte lembra? – justificou-se, mas aqueles olhos negros não paravam de fitá-lo repletos de surpresa. O mais alto não soube o que devia falar ao certo, porque pelo visto KyungSoo não gostava de conversar e muito menos de estar com ele, entretanto mesmo sabendo disso um desejo indômito de o ter por perto o consumia, e lamentavelmente não era de hoje. 

-Bom dia. – a voz do menor saiu quase como um sussurro. Agora não olhava o outro surpreso, havia se deixado levar quando o perdeu de vista e de repente ele apareceu a menos de um metro de si. – Você demorou sete segundos para aparecer aqui, certo? – perguntou curioso.

- Quatro na verdade, fiquei te olhando um pouco antes de me revelar. – JongIn respondeu com seu timbre calmo, esboçando sempre um sorriso a cada palavra. 

- Esse tempo equivale a qualquer distância? – continuou quase o interrogando, enquanto mais perguntas sobre o poder de JongIn surgia em sua mente. 

- Qualquer distância. - confirmou. - Quer experimentar? – estendeu a mão para D.O, que hesitou para pega-la. Uma pontada daquilo sobre não criar laços o perseguiu... Não havia necessidade de entrelaçar os dedos, mas fez questão de firmar o contato com o sorriso bonito.
JongIn abriu aquele largo sorriso cheio de confiança  e então KyungSoo fechou os olhos e contou mentalmente os segundos necessários, e ao abrir estava em uma elevação, distante da casa, porém perto o suficiente do lago. Olhou para a paisagem, o reflexo das luas – que mesmo de dia ousava  aparecer tão claramente quanto o sol – no lago, a vista era bela e não pode conter que um tímido sorriso escapasse. Ficaram ali por minutos, observando a calma movimentação do lago e olhando brevemente um ao outro, sem desfazer em nenhum momento o contato de suas mãos.

 

Os cinco dias necessários se esgotaram. Agora cada guardião seguia seu caminho. alguns iam pela mesma direção, outros não se decidiram para onde deveriam ir e teve JunMyeon que ficou ali na casa, planejando usar suas habilidades no lago, o qual favorecia seu controle da água. Pela primeira vez KyungSoo sentiu que aquela casa era seu lar, talvez fosse porque dessa vez permitiu-se comunicar mais com seus pseudos irmãos. Descobriu a habilidade de cada um, gravou seus nomes e até mesmo contribuiu no treinamento deles, mas isso apenas foi permitido por causa de JongIn, que sempre o empurrava para as rodas de conversas.  O garoto de cabelos escuros sempre fora quieto e mesmo com toda aquela interação dizia apenas o necessário e nunca deixava escapar nada sobre si, nenhum feito, nenhuma vontade ou o porquê de ser tão fechado. 

KyungSoo estava prestes a entrar em uma das passagens do labirinto quando olhou para trás com a falsa intenção de olhar a casa enorme, quando na verdade seus olhos procuravam por JongIn, que em segundos surgiu na sua frente. 

- Quatro segundos, lembra hyung?

 

 


Notas Finais


O que acharam sobre?



Amém Lalisa melhor pessoa que está me ajudando a fazer a fic <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...