História Me Adiciona ai... - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bottom!hoseok, Hopev, Segunda-feira, Semanafuffly, Seoktae, Taehope, Taeseok, Top!taehyung, Vhope
Visualizações 360
Palavras 2.002
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Dore de barriga não escolhem hora e nem lugar, paixão também


Fanfic / Fanfiction Me Adiciona ai... - Capítulo 5 - Dore de barriga não escolhem hora e nem lugar, paixão também

– Tem certeza que não quer um pouco? – Taehyung dizia com um sorriso tímido nos lábios. Naquele instante ele estava pronto para se lambuzar com um enorme algodão-doce da cor azul. Havia sido um presente do seu hyung e ele não podia estar mais do que feliz por ganhar tal mimo. Por mais que achasse que era ele quem deveria pagar uma ou outra guloseima para o mais velho. Havia economizado muito para isso. Mas o outro não deixou que isso acontecesse, parecia mais feliz com aquele ato do que qualquer outra coisa.

– Claro que não. Pode comer. Fica a vontade TaeTae, só cuidado para não ficar com dor de barriga. - o Jung incentivou o outro a provar do doce açucarado enquanto brincava consigo.

O moreno não disse nada, não era mentira não é? Vai que acontecia um acidente? O que não demorou muito a acontecer, já que o Kim só não contraia diabetes porque o destino era bom. O que trouxe um prazer enorme para HoSeok, que estava achando a coisa mais linda do mundo um Kim TaeHyung que mesmo sendo maior do que ele, com um corpo mais bonito e másculo do que o dele, se lambuzando assim como uma criança de seis anos ou menos. Era tão adorável que ele não evitou em limpar aquele rostinho bonito quando foi necessário. Tirou algumas fotos também, mas disso o Kim não precisava saber.

– Desculpe hyung. - o Kim estava constrangido e escondeu aquele sorriso lindo que o mais velho estava tão encantado em poder ver assim tão de perto. A amizade que o Kim tinha consigo era doce e terna, mas agora – mesmo com pouco tempo de conhecimento – ele já o vi de outra maneira. Mas ainda não teve a oportunidade de estar com o mais novo assim, observar daquele jeitinho. Tão perto e ao mesmo tempo intimo. Era estranho, mas não era ruim. E ele pode notar certas coisas que, ao longe, não conseguia ver. E uma delas era como ele era fofo e exercia sobre si uma atração forte. Não queria se apaixonar tão rápido assim, mas a poucos minutos ao lado do mais novo era como uma tentação, quase impossível não amar.

– Pelo que? – quis saber. Não via o porque de se desculpar, só agradecer pela companhia. O tempo estava correndo mais rápido, mesmo ele querendo que passasse devagarinho.

– Por parecer uma criança no nosso encontro. – baixou a cabeça. Estava se sentindo horrível agora. Mas tornou a levantar a mesma quando ouviu uma risada contida do mais velho. Não era somente com isso que ele não sabia lidar, mas aquilo era o principal e ele não queria que um clima ruim ficasse entre os dois, quando na realidade estava tudo bem até demais.

– Você está sendo apenas você e eu estou amando isso. Não tem porque se sentir assim. Eu também não sou um exemplo de maturidade. – o Jung hesitou coçando a cabeleira ruiva em sinal de nervosismo. Não queria fazer nada de errado. - Por isso não se preocupe se nós dois parecermos duas crianças. - sorriu pequeno ao passo que se aproximava mais do Kim. Só para deixar um selar casto naquela bochecha, que aos poucos, ganhou uma coloração avermelhadinha. Tão lindo que fez com que seu coração acelerasse.

– Tudo bem, hyung! - TaeHyung não sabia bem o que dizer ou fazer depois dali. Tudo estava sendo como um sonho para si. O homem por quem ele era apaixonado estava ali consigo e o melhor, estava lhe aceitando do seu jeito. Sem tirar e nem por. Era como estar dormindo mesmo acordado. Tinha medo de que tudo evaporasse caso acordasse. Depois do que seu amigo Jimin havia dito isso era uma preocupação e tanto. Mas decidiu que não pensaria naquilo no momento.

– Vamos andar na roda gigante. - sugeriu o mais velho. - Sempre gostei daquele brinquedo, acredita? Amava pensar em como seria legal passar um dia todo olhando a imensidão do mundo. Amo brinquedos assim.

– Sim, sim. Eu também. – com isso o Kim passou a seguir o Jung multidão a dentro. O mais velho não era tão fã assim quanto parecia, mas TaeHyung estava ali, isso era o que bastava.


 

[…]


 

– A vista daqui não é bonita? - HoSeok comentou quando já estavam no brinquedo e esse, por sua vez, já estava os levando quase ao topo. Nem parecia tão assustador assim agora que estava admirando a beleza do rapaz mais novo.

– Sim hyung, por mais que eu acredite que esteja tendo a mais bela das vistas mesmo fora da roda gigante. - HoSeok pareceu não entender o quão clichê aquilo soou e nem muito menos parou para pensar que fora um elogio em direção a si. Por estar tão acostumado a não receber coisas como aquela. Ficou um pouco recluso e isso foi notado pelo mais novo, que sentiu a necessidade de dizer mais claramente de que visão ele estava se referindo. – Você hyung. Sua beleza é maior do que essa que estamos vendo aqui. E eu quando digo que estou sendo sincero, pode acreditar que sim.

HoSeok e Taehyung coraram violentamente, um se sentiu um adolescente e o outro queria não ser um adolescente. Mais o maior motivo não era nem esse. Mas sim por um não ser acostumado a receber elogios assim de terceiros e o outro por não acreditar no que estava dizendo. Que piegas, pensou o Kim. Mais clichê do que aqueles doramas que assistia com Jimin, ou melhor, que obrigava Jimin a assistir consigo. Nunca pensou que sua coragem desse para aquilo. Já HoSeok nunca pensou em estar sentindo as famigeradas borboletas no estômago de novo. Era muito bom, desde que JungKook se foi ele nunca esperou sentir-se assim de novo.

Movido pela vergonha o mais novo levou suas mãos enormes para o rosto, o cobrindo com as mesmas. Aquele ato deixou o Jung sem saber o que fazer, sério que existia uma pessoa tão adorável assim no mundo? Achou aquilo tão lindo e digno de romance de novela que pensou consigo se poderia ousar um pouco. Se poderia fazer como via os mocinhos faziam. Suspirou. Estava querendo mesmo aquilo. Não se envolver como aconselhou NamJoon estava fora de cogitação. Aquele era um momento clichê, com uma cena clichê. Certo que a forma como se conheceram não foi, mas ele gostava de dias aonde a mesmice os deixava leves.

Assim, aos pouquinhos ele se aproximou do Kim e com uma delicadeza desconhecida por si, pus sua mão pequena por cima da do mais novo, retirando a dele dali, encarando o rosto corado. Suspirou. TaeHyung estava lindo. Muito lindo. Por um momento se esqueceu de tudo o que prendia a incertas, se lembrou apenas daquele sorriso, das conversas, do olhar do Kim nas fotos que ele lhe mandava e das madrugadas em claro trocando informações que não pareciam interessantes para uns, mas para eles eram as mais preciosas.

E bem devagar, tomado por uma coragem que não conhecia ele se aproximou do outro, com um sorriso pintando seus lábios, querendo passar uma confiança gentil enquanto seus olhos se encontravam com os do outro. Aproximou-se até estar com seu rosto rente ao do outro e assim, tomando um pouco de coragem ele encostou os lábios nos de TaeHyung lentamente. Era só um pedido. Como quem está diante de uma porta e tem receio e passar por ela.

De início era um selar, bem leve e apenas de reconhecimento. Como quem não quer assustar, porque era bem isso que o Jung não queria. Não tinha vontade de parecer abusado. Só queria sentir o outro. De forma breve, o mais novo ali entendeu que a pessoa que fazia seu coração acelerar estava o beijando. E o pior, esperava que ele lhe correspondesse. Os lábios deles se encostaram de uma forma tão inocente, os lábios ainda tremulavam um pouco e suspiros escapavam sem querer. Quase uma cena de dorama.

Taehyung se sentiu afobado por dentro, querendo provar para HoSeok que ele também o queria e por isso mesmo tratou de corresponder ao beijo que estava sendo dado. Abrindo seus lábios de forma cuidadosa e sugando levinho o do outro. HoSeok se assustou um pouco a medida que seu coração martelava no peito. Sentir aquilo era estranhamente gostoso. O gosto do seu hyung era de outro mundo e uma mistura de desejo e paixão lhe arrebatou com tudo. Era sem dúvida o melhor momento de sua vida.

E quando aqueles dois menos poderam esperar estavam trocando um beijo daqueles. Digno dos filmes Hollywoodianos que assistiam e nem sabiam. Só que bem mais real e muito mais amoroso. E sem perceber eles sorriam enquanto se beijavam e tornavam aquele contato mais profundo, ao mover as cabeças para que pudessem respirar enquanto se beijavam. Não queriam se desgrudar tão cedo. Era prazeroso. Um novo vicio. E o medo de se apaixonar não existiu naquele momento, só o medo desse momento ter de acabar isso porque a barriga do Kim roncou alto. Muito alto mesmo.

Os dois se separaram rindo daquilo, o Kim se contorceu inteiro na cadeira e HoSeok – mesmo diante de sua boa educação – não conseguiu não rir. O acastanhado estava revirando os olhos, batendo os pés no chão para tentar espantar algo que não se sabia, as mãos foram de encontro a barriga e ele espremeu as pernas uma na outra com vontade. O Jung deixou de rir do mais novo quando viu que a dor era séria e tirou o casaco que usava, vai que acidentes aconteciam no meio do caminho para o banheiro?

– Vem, vamos pedir para descer, amarra isso na cintura.


 

[…]


 

EsseHomemÉMeu: Você está bem TaeTae? Está ai a mais ou menos meia hora, eu estou preocupado.

Você: Eu estou bem sim, hyung, só com muita dor. Me desculpa mesmo por isso. Eu não queria estragar o nosso primeiro encontro com essa dor de barriga. Nossa, eu juro que nem comi nada demais.

EsseHomemÉMeu: Não se preocupa Tae! Não tem problema se sentir assim as vezes, dor de barriga é uma coisa que não escolhe nem hora e nem lugar, por isso você não deve pensar demais nisso. Apenas tenta não desidratar tanto sim? Eu já comprei uma água para você.

Você: Aiiih, hyung! Obrigado mesmo. Eu sei que não é para eu me culpar, mas o nosso momento estava tão bom, mas tão bom. Mas foi separado por uma merda dessas, literalmente.

EsseHomemÉMeu: Eu estou rindo aqui sozinho, TaeTae! Já disse para não se preocupar com uma coisa assim. E outra que a gente vai ter a oportunidade de ficar juntinhos por mais tempo.

EsseHomemÉMeu: Mesmo com o medo que eu estou sentindo de me decepcionar eu decidi arriscar sabe? A gente não pode deixar de tentar as coisas por medo. Eu penso assim. E se não deu certo com o Jeon, não quer dizer que não vá dar certo com você, não é mesmo?

Você: Ahhhhh, hyung! Eu juro que não vai se arrepender. Eu estava com medo disso também, de você não querer tentar por causa daquele outro lá ou por achar que eu era um ser humano sem juízo demais que não merecia uma chance.

EsseHomemÉMeu: Rindo muito. Eu amo seu jeito assim meio sem juízo TaeTae. As pessoas completamente normais são chatas demais. A gente tem de variar um pouquinho, não é mesmo?

Você: Você é o melhor, hyung! Eu não acredito que eu tenho o melhor quase namorado do mundo.

EsseHomemÉMeu: Quase namorado? Ué, eu pensei que a gente estava namorando. Mas eu não pedi ainda não é? Deixa eu pedir então, mas não agora, por mensagem. A gente pode ir para minha casa e lá eu faço um pedido digno de vossa pessoa.

Você: Ah, hyung… suspirando enquanto estou sentindo minhas forças indo embora. Suspiros e suspiros. Eu quero namorar com você sim, mas deixa só eu sair daqui, o que eu não sei quando, e eu quem peço, certo?

Você: Meu sonho de princesa é pedir o amor da minha vida em namoro. 


Notas Finais


Juntos na alegria na tristeza, na saúde e na doença até que o vaso os separe.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...