História Me Against You - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bottom!jungkook, Power!bottom, Taekook, Top!taehyung, Vkook
Visualizações 2.361
Palavras 3.142
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Esporte, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E aqui estou eu, iniciando minha nova fic!
Para quem está aqui por conta de Assistente do Senhor Kim: eu sou do tipo de pessoa que gosta de sempre tentar algo novo, então não tentem encontrar os personagens da minha outra fic nessa; eles serão (MUITO) diferentes. Acho que já já vocês entenderão o porquê.
Já deixo avisado de antemão que nunca nem conheci uma universidade de esportes, e estarei me baseando completamente no que eu conheço de universidades comuns e também no que eu vi em doramas esportivos (como "A Fada do Levantamento de Peso, Kim Bok Joo", por exemplo);
Tive a ideia pra essa fic depois de assistir pela centésima vez o Jungkook vencer uma corrida no ISAC.
Espero que gostem! <3

AVISO: As frases em itálico são os pensamentos do Jungkook ou de seja lá quem for o foco da cena.

Capítulo 1 - Eu contra você


Fanfic / Fanfiction Me Against You - Capítulo 1 - Eu contra você

— Ás suas marcas... 

 

Mãos no chão. Joelho direito elevado à altura do peito. Pés nos blocos de partida. 

 

Você consegue, motiva-se. Você é o melhor dentre todos nessa pista. Você consegue; sempre conseguiu. 

Prepara-se. Pode sentir o peso do seu corpo sendo suportado pelas suas mãos. Uma boa largada é tudo o que precisa, está certo disso. 

 

Escuta o som do gatilho, impulsiona o corpo e acelera. 

 

Um, dois, três segundos; corre o mais rápido que pode e sente todo o seu corpo arder junto do passar dos segundos. 

Quatro, cinco e seis; não está nem perto da metade do caminho. Olha para ele, que está há alguns metros à sua frente, mantendo-se na velocidade perfeita. 

De repente, perde-se entre os segundos; entre a corrida. 

 

Encontra-se chegando na linha final e encara o treinador, esse que tem uma expressão desgostosa no rosto. 

Mais uma vez, não foi o primeiro. 

— Você vai se sair melhor na próxima, Jeon — diz Hope, dando-lhe tapas leves no ombro, enquanto leva sua garrafa até a boca e bebe alguns goles de água. — Você é o nosso campeão. Não esqueça disso! Fighting! 

Hope (ou até mesmo J-Hope), conhecido pelos leigos como Jung Hoseok, é um dos melhores corredores da universidade e também é o culpado pelo seu atual fracasso. Recentemente, ele passou a ser sempre o primeiro colocado nos treinos, e, ao fim de cada um, simplesmente sorri e lhe diz que se sairá melhor da próxima vez. Age como se realmente torcesse pelo melhor dos outros. 

A regra é clara: quando você é um atleta (ou um profissional qualquer), você não torcerá para que os seus adversários se saiam bem. Você torcerá — e fará o possível — para se sair melhor do que eles. Sempre. 

 

Ele não responde o comentário do mais velho. Hope já tem atenção suficiente direcionada a si pelo fato de ter lhe vencido nos treinos dos últimos dias. Está se tornando comum estar perto dele e ouvir perguntas direcionadas ao mesmo, tais como "é sério que você venceu do Jungkook?" ou até mesmo "o Jungkook deixou de ser o melhor?". 

Jungkook acha patético como algumas pessoas acreditam que, de alguma forma, isso seja capaz de fazê-lo deixar de ser o melhor. Isso apenas fere o seu orgulho. Sabe que o título de número um sempre será seu. 

 

Assim como Hope, todos à sua volta agem como se realmente estivessem torcendo pelo seu melhor — o que não estão, pois, o sonho de todos aqueles que não o querem ao seu lado é simplesmente tomar o seu lugar. Salva meras exceções, como as pessoas que são tão bem-sucedidas em suas atividades quanto ele é na dele. 

 

Dirige-se até o banco e pega a garrafa de água que estava dentro da sua bolsa. Vê o treinador aproximando-se de si. 

Não fala nada; não tem o que falar. 

— O que está acontecendo, Jeon? Já é a terceira vez seguida — diz ele, em um tom calmo. Não está impaciente pois sabe que o número três é quase nulo em comparação à quantidade de vitórias do mais novo. 

— Não sei, treinador. — Bebe alguns goles do líquido gelado, e então retorna a falar. — Vou me sair melhor no próximo treino. 

— Assim espero — fala ele por fim e se afasta, indo conversar com algum outro velocista. 

 

As coisas nunca foram difíceis para Jeon. Sempre venceu todas as corridas sem precisar de muito esforço, então como que, de uma hora para a outra, o Hope começou a deixar-lhe para trás? Não faz o menor sentido. Sempre o viu treinar e treinar, e sempre ficou cerca de quatro segundos à sua frente. 

Quatro segundos podem ser pouco para uma pessoa comum, mas um segundo já é demais para um atleta como Jungkook e todos que lhe cercam. 

Ficar tão à frente de todos como sempre ficava era simplesmente magnífico. Sentia-se superior, como se ninguém fosse capaz de lhe derrotar. E, agora que havia perdido por alguns meros segundos, Hope lhe venceu e lhe derrubou do pedestal que havia construído para si mesmo. 

 

Caminha até o vestiário de cara fechada, como o seu habitual. Não quer demonstrar o quanto está puto por estar passando por essa merda. Pensando melhor, está lidando razoavelmente bem com a situação. Outras pessoas enlouqueceriam e tentariam assassinato contra quem está fazendo-as perder. Esse não é o seu caso, pois não precisa de trapaças; é realmente o melhor corredor da universidade. 

O velocista jovem número um de Seoul. 

E, em breve, o número um da Coreia. 

 

Tira a vestes sujas pelo suor e parte em direção ao chuveiro. Toma uma ducha morna e se permite descansar a cabeça nos azulejos verde-claro que compõem a parede gelada. Se isso se repetir mais uma ou duas vezes, o treinador avisará seu responsável e a diretoria da universidade. Merda; mil vezes merda

 

Retira-se do chuveiro e seca seu corpo com a toalha grande que sempre leva para os treinos. Hope está em um chuveiro distante, cantando uma canção alegre de um grupo feminino de pop coreano. 

Deve estar sendo muito bom vencer de mim, então aproveite enquanto pode, Hope. 

 

Já vestido, pega seu celular dentro da bolsa e vê que recebeu três mensagens nos últimos dez minutos. Pode imaginar de quem são, e se coloca a verificá-las. 

 

SUGA: Soube que perdeu para o Hope nos treinos... de novo! 

SUGA: Você deve estar puto pra caralho. Venha, vamos comer carne juntos! 

SUGA: Estamos esperando por você. 

 

Dá algumas risadas; um tanto frustradas, diria. Ouvir isso vindo de Yoongi é como um chute nas canelas. Realmente, não pode chamá-lo de fracassado. Mesmo com seus 1,74m de altura, o desgraçado conseguiu se tornar o líder do time de basquete da faculdade, ultrapassando a posição até mesmo do gigante orelhudo. 

Já sabe onde eles estão lhe esperando, então apenas calça seu tênis e ignora o "até amanhã" gritado por Hope, ainda dentro daquela cabine de banho. Se tiver sorte, não o verá nem no dia seguinte nem nunca mais. 

 

[...] 

 

O céu já está escuro, e a placa que nomeia o restaurante tem seus cabos de neon acesos. Caminha em passos rápidos até a porta do local e entra, procurando então pelos seus amigos. Pode os ver em uma mesa ao fundo do local, conversando e jogando batatas-fritas uns nos outros. Dirige-se até eles, estes que começam a sorrir assim que lhe veem. Cada um tem um sorriso próprio, sendo o de Yoongi um sorriso gengival debochado. 

— E aí, Jungkook — diz ele, animado. Dá algumas batidas no estofado vermelho que cerca a mesa, fazendo o velocista entender que deve sentar ao seu lado. — Essa cara de bravo é por que perdeu para o Hope? 

É, é sim. Estou extremamente puto. 

— Não ligo para isso — fala, já pegando algumas das batatas-fritas e levando-as até a boca. Por alguns segundos esquece da sua dieta. — Por que o gigante não está aqui? — pergunta, referindo-se ao orelhudo. 

— Chanyeol se machucou durante o jogo de hoje. Mas não se enganem; — Sorri de canto e encara um a um que está na mesa, verificando se todos estão prestando atenção em si. —  ele não foi atingido por uma bola, e sim por um soco — diz ele, rindo enquanto desata a faixa que prende seus cabelos azuis. 

— Eh? Quem ousou dar um soco no Channie? — pergunta Jin, boquiaberto. 

Kim Seokjin — ou simplesmente Jin —, o mais velho na mesa, é um caso engraçado entre eles. Ele não é um atleta propriamente dito, mas foi parar naquela universidade por conta de alguns erros na papelada de transferência, e então decidiu ficar e treinar badminton. Criado em uma família rica, assim como a maioria dos estudantes de lá, ele é regrado pelos bons costumes e civilidade — é claro, isso quando não está bêbado. Apesar de estar no time de badminton, falta quase todos os treinos para se dedicar ao seu trabalho como modelo. 

— Foi um aluno novo. Ele socou Chanyeol por algum motivo aleatório e sequer disse algo. Nós ficamos tão surpresos com o ato dele que não defendemos o gigante. Não sei, foi engraçado ao meu ver. — O azulado então pegou sua garrafa de soju e bebeu alguns goles da mesma, contando mais um pouco sobre como foi cômico assistir o garoto de 1,85m de altura ser derrubado por um único golpe. 

 

[...] 

 

Assim que chega no seu quarto do dormitório, joga as suas coisas em qualquer canto e então faz o mesmo com seu corpo, jogando-se na cama. 

Não está com paciência para fazer nada. Não quer pensar ou sequer tomar um outro banho. Haverá treino no dia seguinte — assim como há em todos os dias da semana —, e precisa vencer o Hope desta vez. Precisa mostrar a todos que não deixou de ser o melhor; que jamais deixará de ser o melhor. 

Todos apostaram suas fichas nele, e ele precisa vencer. 

 

[...] 

 

— Tudo bem, agora que finalizaram o treino, descansem, tomem água, enfim... Estejam aqui em cinco minutos para correr. — Avisa o treinador, deixando-os sozinhos por alguns instantes. 

Hope está, como sempre, sentado em um dos bancos, tomando água e conversando com um garoto aleatório que nunca fica entre os primeiros colocados. Ele sempre tem o sorriso brilhante no rosto, mas jamais antes de uma corrida. Talvez essa seja a tática dele. Jungkook poderia aderi-la, se ao menos conseguisse sorrir após alcançar o primeiro lugar. 

Já venceu tantas vezes que não há mais a mesma emoção. Apesar disso, não quer perder seu posto para outra pessoa. Eventualmente, todos deixam de sentir aquela felicidade extasiante quando vencem algo, basta isso acontecer várias e várias vezes. O fato é que, o que lhe traz essa felicidade arrebatadora é conquistar algo novo, e correr está se tornando algo costumeiro demais. 

Bebe sua água; impaciente, nervoso. Não pode, de jeito nenhum, continuar perdendo para o Hope. Vê que todos os dias o mais velho realiza quase os mesmos treinos que si e, apesar de estar treinando cada vez mais, ele está sempre à sua frente. Como pode algo do tipo estar acontecendo?! 

Aish, vou ficar maluco. 

 

— Preparem-se! — grita o treinador, soprando seu apito em seguida. Todos então largam suas coisas onde estão e caminham até a pista. Escolhem alguma das raias e se posicionam nos blocos de partida. — Às suas marcas... 

Concentre-se, Jungkook. Você já ganhou de todos eles centenas de vezes. Não é tão difícil ganhar mais uma. 

  

Escuta o som feito pela pistola de largada. 

Impulsiona o corpo e acelera. 

Corre o mais rápido possível, e sequer foca em outra coisa além do ponto de chegada. 

 

Eu só preciso manter essa velocidade... 

Talvez eu precise correr um pouco mais rápido... 

 

 

— Hope! Excelente trabalho! — O treinador parabeniza o mais velho, e Jungkook sabe que, mais uma vez, falhou. 

— Ei, não se cobre tanto, Jeon — diz Hope, colocando, como sempre, a mão imunda em seu ombro, apertando-o como se quisesse o seu bem. —  Você é o velocista de ouro, não esqueça disso. Isso aqui são apenas os treinos. 

 

Como o habitual, não responde. Sente-se humilhado demais para falar qualquer coisa. Desvia os olhos para o banco, onde vê um garoto desconhecido se levantar e sorrir. Ele usa o — completamente-não-obrigatório — uniforme social da universidade, este todo amassado, junto de uma gravata listrada nas cores vermelho e preto, como se fosse um bônus. Seus cabelos são cinzas e minimamente ondulados. Seu sorriso é quadrado. 

— Você é o melhor, Hope! — grita ele em um tom animado, fazendo um cumprimento de mãos com o corredor. 

"Você é o melhor". 

 

Jungkook sente a raiva se apossar do seu corpo e se controla para não ir até os dois e mostrar quem é o melhor. Eu sou o melhor, afirma para si mesmo. É a primeira vez que vê o acinzentado ali, então isso significa que o mesmo sequer viu as suas corridas anteriores; como pode ter tanta certeza de que o Hope é melhor do que si?! 

— O Jeon é o melhor... — diz o outro corredor, usando um movimento de mãos para negar o que o amigo havia lhe falado. 

— Não mesmo! Você venceu, logo você é o melhor. — O garoto frisa todas as palavras que diz, principalmente "você" e "melhor". Jungkook dá um passo na direção dele, e então para. 

Não vale a pena. Sabe que demonstrar que isso lhe afeta é como alimentar a quem o odeia. Não irá fazer isso. 

— Não mesmo, V... — Quem caralhos se chama "V"? Porra, cada dia é um nome pior do que o outro, indigna-se Jungkook. — Digo, não mesmo, Tae. 

— Vou passar a também chamar você de "V" — diz ele, e passa seu braço em volta do pescoço do Hope. — Afinal, não sou o único vitorioso aqui. 

 

Ok, chega para mim. 

 

Joga com raiva a garrafa de água em qualquer lugar, e atrai olhares curiosos para si. Foda-se, não ligo. Caminha rápido em direção a saída, sentindo-se melhor assim que respira ao ar livre. Estava sendo sufocante ouvir aquelas palavras. É angustiante ter elogios que costumavam ser seus, direcionados a outra pessoa. 

 

Ouve a porta de ferro se abrir novamente e sequer direciona seu olhar para ver quem a abriu. Talvez seja o Hope com mais um de seus sorrisos largos, ou talvez um dos garotos enxeridos que sempre ficam em quinto e sexto lugar. 

 

— Oi... Você está bem? — Escuta a voz rouca direcionando-se a si e a ignora. Não precisa que ninguém pergunte se está bem. Isso não fará o tempo voltar e suas pernas alcançarem a linha de chegada primeiro. — Eu falei com você. — Ignora novamente. — Ei, seu mal-educado! É surdo, por acaso?! — pergunta bravo, e Jungkook se vira em sua direção pela primeira vez. 

 

Errou. É o amigo do Hope. 

 

— Interessa a você se estou bem ou não? — Jungkook questiona, completamente rude. Não está com paciência para lidar com a pena falsa de mais um dos que torcem pelo seu fracasso — ou pelo simples sucesso dos seus adversários. 

— Ah, já entendi. — Ri irônico e então aponta para o moreno. — Está com complexo de inferioridade por ter perdido para o Hobi, não é? — "Hobi"? Então é assim que ele chama o Hope? Porra, o cara já tem vinte mil apelidos, para que inventar mais um? —  Se eu fosse você, aprenderia a lidar melhor com isso, pois, enquanto você agir como um mal perdedor, ele vai continuar vencendo. 

 

Desta vez, pronto para responder, são lhe dadas as costas. O acinzentado simplesmente abre a porta de ferro e volta para dentro do ginásio, deixando Jungkook sozinho com as palavras mortas em sua garganta. 

Filho da puta! 

 

Corre depressa em direção ao dormitório. Não para por nada no caminho; nem pela sua dor nas pernas, muito menos pela sua vontade de voltar ao ginásio e confrontar aquele garoto de cabelos cinzas. 

 

[...] 

 

— Ele tocou meu ombro e, assim que me virei, bum! O desgraçado me deu um soco no nariz! — diz Chanyeol, explicando para os amigos como foi a sua não-tão-interessante briga unilateral. 

Jungkook, por um instante, lembra-se do garoto de fios acinzentados e suas palavras sobre o Hope continuar lhe vencendo.  Se aquele cara pensa que o "complexo de inferioridade" de Jungkook é o que o faz perder, o mesmo irá mostrar para ele de uma vez por todas que não tem isso e que também não terá mais nenhuma derrota em seu histórico. 

— Oh, Jiminnie! — grita Yoongi, apontando para o garoto de cabelos pretos que acaba de chegar. Este apenas sorri e acena para todos, cumprimentando os amigos. 

— E aí, galera. Tudo na boa? — Jimin pergunta, e Jin ri nasalado. 

— "Tudo na boa"? — Repete o mais velho, e então ri de novo. — Acho que a água da piscina do clube de natação entrou na sua cabeça e está, pouco a pouco, fazendo um estrago no seu cérebro. 

— Aish, eu sequer nado lá! — Jimin leva a frase ao pé da letra e se irrita. Pega alguns dos bolinhos que estavam em cima da mesa e Jungkook suspira aliviado por ter alguém para comê-los antes que ele, mais uma vez, ferrasse com a própria dieta. Seus últimos dias foram muito estressantes, e quando está estressado come mais do que deve. 

Park Jimin é mais um dos poucos bolsistas que estudam na universidade. O moreno, há cerca de dois anos, conseguiu uma vaga para as aulas de tiro com arco que tanto queria estudar — e que aguardava na fila há mais de um ano. De qualquer modo, Jimin trabalha em várias áreas do campus para conseguir dinheiro extra, e é por meio disso que faz tantos amigos, como Jungkook, por exemplo. Se o velocista não tivesse simpatizado com o arqueiro, provavelmente não teria conhecido ninguém sentado naquela mesa. 

— Eu tenho algo para contar a vocês... — diz Jimin, diminuindo o volume de suas palavras, tentando criar um ar de mistério. 

— Sabe que não gostamos de fofocas. — Namjoon fala e então mexe as mãos, incentivando-o a continuar. 

— Não contem a ninguém; não há nada confirmado ainda, mas... — Aproxima-se mais do centro da mesa, e então segreda baixo. — O campeão regional de natação vai vir estudar aqui! — Conta, entusiasmado. 

— Achei que era algo interessante. — Comenta Jungkook, por fim. 

Nunca deu toda essa atenção que os outros dão à natação. É apenas água, e Jungkook é infinitamente mais familiarizado com o chão e com o vento. 

 

— Aigo, Jungkook! Dizem que ele é muito bonito e divertido! — Ok, agora me interessei, pensou Jungkook. 

Não é como se sentisse interesse por qualquer um, mas é convicto de que deve experimentar tudo o que sentir vontade — e isso inclui nadadores bonitos. É raro se interessar sentimentalmente por alguém, mas adora observar uma pessoa bonita. É um observador, de fato. 

 

[...] 

 

Sente sua cabeça doer. Os olhos pesam. Seu corpo inteiro dói e pesa. Não, isso não pode estar acontecendo.... Porra! O que está havendo de errado comigo?! 

 

— Boa! Eu não tinha dito que você era um vencedor nato? — Parabeniza a voz grossa, e Jungkook sabe que não é para si. 

Cansou.

Eu sou o campeão, não ele.

Dá alguns passos pesados até os dois e se coloca na frente do outro corredor. Espalma suas mãos no peitoral do acinzentado e lhe dá um empurrão, quase levando-o ao chão.

— Qual é a porra do seu problema, cara? — esbraveja o amigo de Hope, irritado. Agora é Jungkook quem leva um empurrão, e Hope parece uma barata tonta sem saber o que fazer. 

— Atualmente é você! — grita em resposta. — Quem você acha que é para ter me deixado falando sozinho?! — Usa a primeira desculpa que vêm em sua cabeça. Não pode dizer que está assim por ter perdido novamente para o amigo dele. Seria humilhante demais. 

— Eu sou qualquer coisa, menos um perdedor, como você. — Ele sorri cínico, provocando o atleta.

O caso é que: Jungkook não é alguém que aceita provocações de graça e fica calado.

— Ah, é?! Você acha isso? Então, a partir de hoje, será eu contra você. Vamos ver quem é o perdedor. 


Notas Finais


Só mais uma coisinha: Não atualizarei isso tão rápido quanto eu atualizava minha outra fic. Minhas aulas irão até janeiro/2018, então eu (provavelmente) ficarei cada vez mais cheia de provas para estudar.
Muito obrigada por ler até aqui!
Um beijinho~ <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...