História Me Apaixonei Pela Pessoa Errada - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias Malhação
Tags Amor, Gadizaski, Gune, Malhação, Malhação Viva A Diferença, Piano, Reencontro, Romance
Visualizações 136
Palavras 1.127
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente voltei com mais um capitulo. E hoje teremos uma conversa difícil adivinha com quem?
E o final vai tá impagável é melhor vocês mesmo lerem.
Espero que gostem

Capítulo 19 - Tranquilidade? Não


Fanfic / Fanfiction Me Apaixonei Pela Pessoa Errada - Capítulo 19 - Tranquilidade? Não

Depois que Bruno saiu deixou uma Daphne pensativa e mais tranquila era tudo que ela precisava, mas como na vida de Daphne as coisas sempre acontece de maneiras surpreendentes parecendo uma novela mexicana bem ruim, como no momento que a mocinha está conseguindo ser feliz o vilão aparece de  Deus sabe aonde só para bagunçar e destruir a vida da personagem, no caso dela era o marido nunca pensou que o “seu Nando” ia ser taxado como um vilão, mas naquele caso era. Quando abriu a porta e se deparou com quem era não sabia o que fazer, várias emoções passou por seu corpo e era uma mistura perigosa não do tipo boa como o prazer essa não, era do tipo que faria estragos para ambos. 

(abrindo a porta) 

Daphne- esqueceu alguma coisa... (parou assim que viu que era Luiz Fernando) 

Luiz Fernando- sou eu  

Daphne- oi (fria) 

Daphne- o que você veio fazer aqui? (falou firme e direta) 

Luiz Fernando- posso entrar? 

Ela assentiu e abriu passagem para ele entrar (maldita educação que não conseguiu mandar ele se Fu*** e bater à porta na cara dele) 

Ele ficou andando de um lado pro outro como se tivesse treinando para dizer algo 

Daphne- agora você pode me dizer o que você veio fazer aqui? (indo direta ao assunto) 

Luiz Fernando- você não mandou as minhas roupas... 

Daphne- quer dizer que o “senhor Embaixador” o “maior empresário do Brasil” não conseguiu comprar roupas novas. Conta outra! (falou visivelmente irritada) 

Luiz Fernando- não foi por isso que eu vim é que eu queria pedir desculpa... 

Daphne- nem começa com isso! (bufou de raiva) 

Luiz Fernando- Daphne me escuta por favor (falou implorando) 

Daphne- por favor digo eu VOCÊ ERA A PESSOA MAIS IMPORTANTE DA MINHA VIDA, E VOCÊ 
ACABOU COMIGO! 

Luiz Fernando- aquilo tudo só foi uma aventura e é você que eu amo me dar outra chance 

Daphne- Já saí com muitos mentirosos antes, então normalmente sei identificá-los, mas você é o melhor mentiroso que já conheci 

O silêncio pairou entre os dois 

Daphne- Você partiu meu coração! Eu te amava, e você acabou comigo. E a pior parte é que você nem sabia. 

Luiz Fernando- nossa! Isso doeu (caiu uma lágrima do olho dele) 

Daphne- eu me rebaixei moralmente porque eu amei você absurdamente  

Luiz Fernando- você não se rebaixou Daphne 

Daphne- sim eu me rebaixei, pois eu abrir mão do meu próprio amor pelo seu 

Daphne-agora vá embora 

Luiz Fernando- amor.. 

Daphne- vá! 

Então ele obedeceu, mas antes mesmo que ele pudesse ir mesmo ela falou algo que faria deixa-lo em choque. 

Daphne-Tive dois acidentes trágicos na minha vida O carro e você E você foi bem pior 

Ele saiu com muitas lágrimas no rosto, mas também deixou nela um choro, mas dessa vez mudou o foco da sua emoção para algo perigoso, se encaminhou para o bar que continha na casa sabia exatamente aonde o marido guardava os melhores uísques e foi isso que fez pegou um copo e encheu por completo não foi só uma dose foi a capacidade total que o copo suportava. Colocou o liquido forte e quente na boca deu um grande gole e sentiu o queimar pela sua garganta e sentiu um gosto familiar a Daphne não era muito de beber uísque já tinha bebido uma vez na adolescência para provar, mas já na fase adulta preferia a delicadeza de um bom vinho Tinto, só que o momento pedia por algo mais forte. Bebeu um gole, dois goles quando deu por si já tava no terceiro copo de uísque e estava muito bêbada estava preste a começar a encher mais uma rodada quando escutou novamente a campainha tocar, então foi meio cambaleando abrir a porta. 

Daphne- Bruno você era tudo que eu precisava! (falou com uma euforia típica dos bêbados) 

Bruno- Daphne? (franziu a testa) 

Olhou novamente 

Bruno- você bebeu? 

Bruno 

Eu saí da casa de Daphne muito feliz e surpreso pois ela me revelou coisas muito pessoais sobre o passado e o pai isso me deixa alegre em ver a felicidade dela, assim que desci não tinha nenhum taxi então fiquei esperando, mas estava demorando muito então eu ia de ônibus mesmo não gostando, e foi o que fiz só que na hora que eu fui pagar a passagem não encontrei a minha carteira, desci do ônibus pois obviamente eu tinha esquecido na casa dela, voltei para pegar e foi ai que eu vir que a Daphne não estava bem. 

 

Daphne- só um pouquinho (amostrando a quantidade nos dedos que pra ela era o equivalente a “pouco”) 

Bruno- não você está bêbada (falou um pouco preocupado) 

Daphne- talvez um pouco (falou perto do ouvido dele talvez até demais) 

Daphne- porque você ainda está aí fora? 

Ele balançou a cabeça e entrou 

Bruno- você não viu a minha carteira? (aguardando uma resposta) 

Daphne- carteira? (confusa) 

Ele suspirou e viu que foi muita idiotice fazer aquela pergunta se ela tinha visto, quando provavelmente não se lembrava que dia era aquele 

(começou a procura que rapidamente foi encontrada) 

Bruno- achei! (aliviado) 

Daphne- quer um uísque? (perguntou sugestiva) 

Na hora que ela ia se levantar para pegar mais um copo ela se desequilibrou e quase ia caindo se não fosse Bruno que segurou ela firme 

Daphne- obrigado, você é muito forte (olhando para os braços dele) 

Bruno-você precisa parar. Já bebeu demais (orientando) 

Daphne- não eu quero mais (falou como uma criança que queria mais doce) 

Bruno- alguém vai ficar com você? Carla? Fernando? 

Daphne- não eu vou ficar sozinha como sempre (falou no tom um pouco triste) 

Ele olhou pro lado e pra outro e viu que não poderia ir embora e deixar ela nesse estado 

Daphne- eu vou pegar TEQUILA! (falou animada) 

Bruno- não vai não (a impedindo) 

Ela se levantou rápido, mas Bruno segurou no braço dela só que Daphne não estava disposta a parar de beber então puxou com mais força fazendo eles caírem em cima do sofá de um jeito um pouco comprometedor e num piscar de mágica Daphne estava no colo dele e si você se perguntar como ela tinha feito aquilo tão rápido ainda mais bêbada não obteremos respostas 

Daphne- nossa seus braços são musculosos (passando a mão pelo braço) 

Bruno- Daphne! (pedindo para ela parar) 

Mas aquilo serviu mais de incentivo do que como uma advertência 

Daphne- e essa barriga que eu poderia passar o dia todo lambendo (levantando a camisa dele e mordendo o lábio inferior da boca e lançando um olhar de luxuria) 

Bruno- DAPHNE POR FAVOR CHEGA! (falou firme e tirou ela do colo dele se não daqui a pouco o corpo dele começaria a responder ao os “estímulos”) 

Daphne- que foi? Só falei a verdade (fazendo uma cara de desentendida) 

Continua... 


Notas Finais


Oi Brasil

Que foi isso? eu tô no chão!😱

Que conversa difícil!😔

Meu Deus ela está no estado de Daphne do passado, que eu gosto dessa um pouco.🤭

Daphne você é a Melhor!😉😉

Gostou? Não? Então comente criticas e sugestões são bem aceitas
#SóFaleiAVerdade


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...