História Me Apaixonei Pelo Meu Melhor Amigo - Conto Gay - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Conto Gay, Hot, Romance, Shounen Ai, Vida Escolar, Yaoi
Visualizações 12
Palavras 621
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), LGBT, Lírica, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Os personagens citados nessa FanFic são meramente "fictícios", e não apontando ser baseado de fonte ou história real. Fanfiction feita por composição minha. Tenho total "Responsabilidade" e " Direito" a postagem de cada capítulo apresentado.
Por favor, respeitar a classificação indicativa da Fic.
Se não estiver dentro da idade permitida, saia de imediato, pois poderá conter cenas líricas implícitas, linguagens obscenas e etc...

Capítulo 14 - Capítulo Extra - Parte 2


Fanfic / Fanfiction Me Apaixonei Pelo Meu Melhor Amigo - Conto Gay - Capítulo 14 - Capítulo Extra - Parte 2

Amanhece o dia, umas 7:30 da manhã, já acordo e tomo meu banho quente.

Faço um café com leite, acompanhado de um pão quente com manteiga.


"Não consigo esquecer de ontem."


Fiquei irritado com Gustavo sem pensar. Então, decido tomar meu café rápido e ligar para ele.


"Espero que ele não esteja chateado comigo."


Pego meu celular que estava em cima do sofá no carregador perto do abajur.

Disco os números e ligo diretamente para ele.


//Sua chamada está sendo encaminhada para caixa postal, por favor, deixe seu recado...//

Desligo o telefone...


Ele deve ter desligado seu celular.

Como não sabia o que fazer naquele momento, decidi ir até sua casa.


~~~


Chegando lá, bato na porta.

Depois de alguns segundos, alguém abre a porta... E lá estava ele, de pijama e usando sandálias. Ele acabara de acordar.


- Ah, desculpe. Não sabia que você tinha acabado de acordar. Volto uma outra hora. - Viro de costas e logo vou, mas Gustavo me chama.


- Weslley, espera! Não vai embora, por favor! Entre e me faça companhia. - Diz ele segurando um dos meus ombros.


- Eu não quero te incomodar... Você deve estar chateado comigo por causa de ontem. Pode ficar com raiva de mim.


Começo a abaixar a cabeça e sai um pouco de lágrima e meu olho.

Gustavo chega perto de mim e me abraça levemente dizendo:


- Nunca ficaria chateado com você. Pare com isso, não gosto de ver você triste! - Beija minha testa logo em seguida!


Um leve sorriso sai de minha boca e meus olhos pararam de derramar lágrimas.

Gustavo faz um gesto para que eu entre em sua casa.

Então, sem pensar muito, nós dois entramos.


- Sente-se, fique a vontade. Já tomou café hoje? - Pergunta enquanto pega um pedaço de pão e coloca um pouco de manteiga.


- Sim, tomei café hoje antes de vir para cá. Obrigado. - Sorrio depois.


Alguns minutos se passaram e ficamos conversando por mais ou menos meia hora.

Não teve muito assunto a falar...


Certo momento, minha cabeça não parava de pensar sobre o assunto que eu queria falar com Gustavo.

Mas como estava tudo calmo, decidi perguntar.

Até porque, era meu desejo.


- Amor, queria te perguntar uma coisa muito importante. Espero que não se sinta pressionado com isso.


- Era aquilo que você queria me contar? - Levanta uma das sobrancelhas.


- Sim, é! - Afirmo.


- Pode me falar então, sou todo ouvidos.


Suspiro e falo:


- Gustavo, eu quero dizer que...eu queria ter... quero adotar um filho para nós dois.


Ele me olha meio que assustado, pois eu nunca tinha chegado a esse tipo de assunto, e também, não estavamos preparados para isso.


- Bom, não acha que ainda está cedo para isso? Assim, faz 15 anos desde que nos casamos no civil. E não sei se estamos preparados para formar uma família...


Sem reação sobre o que ele disse.

Tento argumentar pouco sobre a mesma.


- Eu venho tendo esse desejo a pouco tempo, e está mais do que claro que queremos ser felizes juntos. Mas para isso, precisamos de ter um novo membro em nossa família. - Digo olhando em seus olhos o repreendendo.


- Bom, podemos falar disso outra hora? Não quero criar falsas expectativas sobre isso. Tá?


- Ok... Eu entendo... - Abaixo a cabeça levemente.


- Ei, fica assim não, algum dia, iremos formar essa família que tanto você quer. Basta ter paciência e tempo.


Ficamos nos abraçando por uns segundos ali mesmo no sofá da sala enquanto ele me dizia coisas fofas para me confortar.

Sei que isso exige muito do desejo dos dois lados. Então espero que isso venha trazer a felicidade pelo qual tanto sonho.


[...]


Notas Finais


Gostaram do capítulo de hoje?
Então, comentem e compartilhe essa história com os seus amigos amantes de Fics.
Irei postar o próximo capítulo extra, se o tempo me permitir! Fiquem no aguardo!

- Até à próxima!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...