História Me beija - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Personagens Originais
Tags Baekyeol, Chanbaek
Visualizações 506
Palavras 2.459
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Chegay amores de my life!
Desta vez com uma fanfic amorzinho feita com base em um plote doado por uma pessoa mais amorzinho ainda!

Eu quero agradecer a minha mana pela oportunidade de poder desenvolver essa nenem... E sem mais delongas... "Me beije!"

Capítulo 1 - Capítulo um


Baekhyun bufou e revirou-se na cama, seus olhos encontraram seu melhor amigo que estava sentado no tapete do quarto pertencente ao mesmo:


-Hey Chan. Que tal uma partida daquele seu jogo favorito- Abraçou o travesseiro alheio enquanto virava-se de bruços e fitava o grandalhão com os olhos pidões:


-Hoje não Baek- A resposta foi tão desanimada quanto seu amigo andava nos últimos dias. O menor dentre os dois sentou-se e fitou o mais novo, Chanyeol estava aéreo e estranhamente quieto:


-Okay! Já chega Park Chanyeol!- Falou irritado vendo os olhos arregalados voltarem-se para si- Você vai falar o que está acontecendo e vai falar agora!- Levantou-se e sentou de frente para o amigo. O maior mordeu o lábio inferior de forma nervosa- Anda! Desembucha homem!- Jogou o travesseiro no rosto do outro que abraçou-o escondendo uma parte de sua face nele:


-Eu... –Sussurrou e respirou fundo em seguida- Acho que estou apaixonado, Baek- Falou em um fiozinho de voz que foi dificultosamente captado pelo mais velho. Baekhyun arqueou uma sobrancelha e sorriu malicioso para Chanyeol.



-Cheguei mãe!- O filho único dos Byun gritou ao adentrar sua casa:


-Estou na cozinha querido!- A voz suave de sua matriarca ecoou da cozinha, Baekhyun caminhou até o local e deixou um beijinho cálido na testa da senhora- Como esta Chanyeol?- Indagou enquanto lavava algumas peças de porcelana:


-Igual a ultima vez que ele veio aqui, idiota e preguiçoso- Brincou:


-Continua tão lindo quanto?- A senhora Byun sorriu contido ao ver o filho revirar os olhos:


-Yah! Eu sou bem mais bonito que aquele orelhudo! Desde que somos pequenos!- Murmurou:


-Você é realmente lindo meu filho- Secou as mãos no avental e acariciou as bochechas de seu menino- Mas precisa reconhecer que Chanyeol não é de se jogar fora- Sorriu sugestiva:


-Mãe! Pela milionésima vez, eu sou hetero!-Resmungou frustrado:


-Claro querido, claro- Suspirou- Lerdinho como seu pai- Deixou uma bitoquinha na ponta do nariz de seu filho, Baekhyun revirou os olhos e seguiu o caminho até seu quarto.


Jogou-se na cama e começou a pensar. Alias, está era a coisa que Baekhyun mais fazia em sua vida, pensar. Ele pensava em tudo muitas vezes e em cada uma delas tirava uma conclusão diferente, e naquele momento sua mente listava todas as garotas de seu colégio e tentava achar alguma ligação entre elas e seu amigo de infância, afinal tinha que ser alguém próximo.


Baekhyun pensava, pensava e pensava, mas não conseguia encontrar uma só garota que fizesse o “tipo” de Chanyeol. Conhecia o grandalhão desde que eles tinham seis anos, poderia descrever todas as qualidades e defeitos do Park sem dificuldades e definitivamente nenhuma garota que estudava junto a eles chegava nem próximo de ser a escolhida. Quando o adolescente cansou de quebrar a cabeça com aquele assunto resolveu dormir, aquela era a segunda coisa que o Byun mais fazia em sua vida.




-Baekhyun! Levanta! Seu pai já esta saindo, você não quer ir para escola andando não é mesmo?- Baekhyun resmungou ao ouvir sua mãe chama-lo o que deveria ser a decima vez naquela manhã. Muito contragosto levantou e foi fazer sua higiene matinal e vestir seu uniforme escolar.


Quando desceu as escadas viu sua mãe segurando uma maça e um copo de leite, parada na porta:


-Anda garoto! Pega isso e come no caminho! Você precisa acordar mais cedo Baekhyun!- Bronqueou o filho que selou sua bochecha antes de pegar seu “café da manhã” e correr até o carro onde seu pai lhe esperava:


-Bom dia filho- O senhor sorriu e ligou o carro- Atrasado de novo, você não toma jeito né garoto!- Riu baixinho- Ultimo ano da escola e não teve um dia de sua vida que eu não te visse sair de casa assim- Brincou ouvindo o filho resmungar enquanto tomava seu leite de forma apressada. Não demorou para que estivessem de frente para os portões da grande escola onde o menor havia iniciado seus estudos, e agora estava prestes a encerrar.


O Byun desceu do carro e assim que seu pai deu a partida o sinal que indicava o inicio das aulas soou, Baekhyun se sentia em um filme de detetive enquanto andava pelos corredores, seus olhinhos felinos analisavam todas as garotas conhecidas que passavam por ele. Definitivamente Baekhyun precisava saber por quem Chanyeol estava apaixonado, ou morreria louco.


Adentrou a sala e assumiu seu lugar em frente a mesa Park, o grandalhão estava no fundo da sala conversando com Kai. Kim Jongin, ou Kai como era conhecido, fazia parte dos populares da turma, com certeza um dos garotos mais bonitos e desejáveis da escola. Assim que viu o amigo chegar, Chanyeol voltou para seu lugar com um sorriso que rasgava seu rosto de orelha a orelha:


-Bom dia Byunnie- Falou alegre e Baekhyun corou ao ouvir o apelido infantil:


-N- não me chame desse jeito! Nós não temos mais seis anos Chanyeol!-  Bronqueou o amigo que apenas ignorou-o- Porque está tão alegre?- Indagou ao notar que o largo sorriso não havia abandonado o rosto infantil do maior um minuto sequer:


-As coisas estão dando certo para mim, Baek!- Falou animado- Estão dando fodidamente certo!- Completou, o Byun arqueou a sobrancelha e sentiu uma sensação estranha apossar-se de si lentamente. “Porque diabos você está tão animado assim, uh?!” pensou virando-se para frente bruscamente, no exato momento que o fez viu um garoto parado na porta:


-Aquele não é Do Kyungsoo? O filho da professora?- Falou baixinho olhando Chanyeol por cima do ombro, os olhos bonitos do maior voltaram-se para o local onde o menino estava e seus lábios se abriram em um perfeito “O”- Yeol?- Não obteve resposta- Chanyeol?- Chamou novamente, mas o mais novo estava em um estado de inercia- Chanyeol!- Estralou os dedos em frente ao rosto do mesmo que se assustou e corou:


-O –oi- Falou envergonhado:


-O que é que você tem?!- Franziu o cenho, mas a atenção do Park foi capturada por um certo garoto que parara ao lado dos dois:


-Com licença, eu sou Kyungsoo- Sorriu meigo tendo a atenção da dupla toda em si- Tem alguém que senta aqui?- Apontou para mesa ao lado de Chanyeol, como o Park parecia ter esquecido todo alfabeto Baekhyun tomou a frente:


-Não- Deu de ombros:


-Posso me sentar ao seu lado?- Voltou os olhos gentis a Chanyeol que assentiu lentamente, o Byun estreitou os olhos para o amigo que parecia admirado de mais com a presença alheia para notar sua existência e isso enfureceu o baixinho.




-Qual é Baek!- Chanyeol choramingou pela decima vez naquele dia- A gente já tinha combinado de ir na sua casa faz tempo! Por que resolveu sair assim tão de repente?- Formou um bico tentando acompanhar os passos apressados do menor:


-Eu não vou sair!- Parou e encarou o maior que pareceu meio desnorteado- Quero ficar sozinho!- Concluiu irritado:


-Você nem gosta de ficar sozinho!- Chanyeol retrucou persistente- Me deixa ficar com você...Eu prometo que vou ficar quietinho e deixar você fazer o que quiser! Por favor, por favor, por favorzinho!- Resmungou feito uma criança- Vai meu pequeno!- Usou sua melhor arma e viu o menor render-se ao ouvir aquele apelido tão intimo:


-AH! Okay sua criança de dois metros de altura!- Revirou os olhos ouvindo um “Yes!” por parte do maior- Mas como pagamento eu quero que você faça aquele chocolate quente que apenas você sabe fazer!- Sorriu travesso- E eu já disse para não me chamar de “meu pequeno”, eu não sou pequeno e nem seu!- Resmungou voltando a andar, desta vez ao lado do maior:


-Você é pequeno sim! E muito meu também!- Bagunçou os fios achocolatados e recebeu um tapa no braço como resposta. Como era de costume eles voltaram andando até a casa do Byun, conversando sobre coisas banais enquanto a mente do menor trabalhava em uma maneira de abranger o assunto e descobrir logo quem era a garota que o Park estava de olho:


-Mãe! Estamos em casa!- Gritou ao chegar em casa, logo a matriarca apareceu e andou em direção a Chanyeol abraçando carinhosamente:


-Você parece ainda mais bonito que da ultima vez!- Acariciou as bochechas do grandalhão que exibiu seu sorriso infantil para a mais velha:


-Obrigado tia. Você também parece mais nova do que a ultima vez!- Falou sendo novamente apertado entre os braços da senhora Byun:


-Você é um menino de ouro Chanyeol! Um menino de ouro!- Sorriu meiga- Quando for namorar, trate de namorar uma pessoa tão graciosa quanto ele Baekhyun!- Sorriu sugestiva para o primogênito que rolou os olhos e respirou fundo:


-Sei que Baekhyun vai namorar uma pessoa maravilhosa, tia! Ele merece alguém muito bom!- Chanyeol sorriu meigo fitando o menor e um sorriso encheu o rosto da senhora Byun:


-Vai sim!- Falou pensativa- Porque não vão para o quarto do Baekhyun, o almoço está quase pronto! Eu chamo vocês quando terminar- A senhora falou enquanto voltava para cozinha. Baekhyun tomou a inciativa de guiar o Park pela casa, não que este precisasse ser guiado já que passara sua infância inteira visitando aquela casa diariamente:


-Eu amo a tia, serio!- O mais novo riu espevitado enquanto deixava sua bolsa num canto do quarto de seu amigo e se jogava na cama:


-Ela me deixa envergonhado- Murmurou com um bico e sentiu a mão grande envolver seu pulso, seu corpo foi puxado na direção da cama e em questão de segundos estava deitado ao lado de Chanyeol. O maior acomodou a cabeça do mais velho em seu peito e deixou que este moldasse seu corpo ao seu como em milhares de outras ocasiões:


-Faz tempo que não ficamos assim, não é pequeno?- A voz rouca de Chanyeol causou em Baekhyun um pequeno gelo na boca do estomago e ele se contentou em apenas assentir- Desculpe por estar estranho- Suspirou e Baekhyun encontrou ali sua deixa, moveu-se levemente até encostar o queixo sobre o peito de Chanyeol encarando-o de baixo:


-É por estar apaixonado que você está assim, não é?- Sussurrou, não precisava falar muito alto, estavam próximos o suficiente para ouvir a respiração alheia:


-Eu não sei Byunnie- Levou os dedos até a cabeça do mais velho e passou a enrolar os fios cheirosos em seu indicador em uma caricia suave que fazia o pequeno ronronar- Acho que sim- Suspirou e fechou os olhos sentindo o coração de Baekhyun martelar contra suas costelas, trazendo ao maior uma costumeira paz que apenas aqueles momentos compartilhados com seu amigo de infância o traziam:


-Quem te deixa assim, Yeollie?- Aquele antigo apelido só escapava pelos lábios de Baekhyun em momentos como aquele, quando o Park conseguia envolve-lo em um casulo de afeto e segurança- Me diz o nome da garota e eu juro que corro atrás de Deus e o mundo para te ajudar- Conteve um suspiro ao sentir os dedos longos contornarem sua orelha de forma suave. Chanyeol soltou o ar preso em seus pulmões e mordeu o lábio inferior ainda com os olhos fechados, naquele momento Baekhyun sentiu seu corpo esquentar de uma forma anormal. Ele estava acostumado a ter momentos assim com o amigo, mas em nenhum deles sentira aquela vontade devastadora que implorava por mais, mais carinho, mais aconchego, mais de Chanyeol. O Park abriu os olhos e fitou o menor, a troca de olhares intensa fez com que os pelinhos de Baekhyun se arrepiassem, sentia como se o maior estivesse varrendo sua alma, enxergando aquele emaranhado de sentimentos que borbulhavam em seu amago, então ele lambeu os lábios já secos e foi o fim do Byun. O mais novo prendeu o tecido da camisa alheia entre os dedos e seu coração disparou, os lábios de Chanyeol pareciam chama-lo para que provasse-os, sentisse o sabor escondido entre a pele rosinha e a língua vermelhinha que parecia tão apetitosa naquele momento:


-Esse é o problema, Baek- Sussurrou e o Byun foi obrigado a sair de seu transe- Eu estou apaixonado pelo Kyungsoo- E todo aquele momento intenso foi apagado, Baekhyun sentiu como se as palavras de Chanyeol tivessem ganhado vida e lhe dado um belo tapa na cara- Eu estou tão fodido, não é?- Gemeu frustrado enquanto afundava sua cabeça no travesseiro. Silenciosamente Baekhyun se sentou sobre os calcanhares afastando-se do corpo alheio:


-U- um menino?- Sua voz falhou miseravelmente- Você é g- gay?- Indagou incrédulo apertando o tecido de sua calça entre os dedos:


-B- bem... Eu não gosto de todos os meninos... Eu gosto do Kyungsoo- Chanyeol também sentou-se encarando o amigo que estava de cabeça baixa- Você vai deixar de ser meu amigo por isso Baek?- Indagou temoroso, mas sua resposta não veio. Baekhyun sentia seus olhos arderem de forma inexplicável, seu coração batia anda mais forte, porém doía como nunca antes, ele queria chorar e nem sabia o motivo, eram apenas sentimentos demais que não cabiam no peito e tentavam transbordar pelos olhos- Baek?- A voz chorosa do maior chamou sua atenção e o Byun se recompôs ao máximo para voltar seu olhar ao maior, apenas rezando que não estivesse tão bagunçado por fora quanto estava por dentro:


-Hey, você é meu melhor amigo, hetero ou não!- Sua voz saiu firme e tudo que sentiu depois foi o calor familiar de Chanyeol envolver seu corpo novamente, mas desta vez em um abraço que transbordava alivio:


-O- obrigado Baekhyun!- Fungou e sentiu as mãos tremulas do amigo finalmente corresponderem ao abraço- Porque está tremendo Baek?- Indagou preocupado afastando-se do menor para fita-lo com o cenho franzido:


-Como você descobriu que estava apaixonado pelo Kyungsoo?- Indagou em um sussurro impensado, Chanyeol desviou o olhar envergonhado e abriu um sorrisinho meigo:


-Há Baek- Sentou-se na famosa posição de índio e fitou o amigo- Eu me sinto inexplicavelmente feliz quando ele está perto- Baekhyun prendeu a respiração- Ele me conforta, é como se meu lugar ideal fosse onde ele estivesse- O Byun sentiu seu coração falhar uma batida- Eu quero sempre estar perto e poder toca-lo- O nervosismo parecia ter tomado todo o corpo tenso do mais velho- É uma inexplicável vontade de ser o motivo de seu sorriso e o dono de sua atenção- Chanyeol estava aéreo e Baekhyun agradeceu a isso, pois ele não pode ver o desespero quase palpável que dominou suas expressões- Se isso não é paixão, eu não sei o que é!- O sorriso infantil de Chanyeol fez o coraçãozinho sofrido de Baekhyun dar um pulinho e ele murmurou frustrado:


-MENINOS! Venham comer!- A voz da matriarca se fez presente e Baekhyun agradeceu mentalmente, não sabia por quanto tempo conseguiria levar aquela conversa:


-Estou com uma saudade da comida da tia!- O Park sorriu arteiro e se levantou sendo seguido por Baekhyun que sentia suas pernas bambas. “Paixão? Eu não sou apaixonado pelo Chan, eu não sou apaixonado pelo Chan, eu não...” seus pensamentos foram cortados pela mão grande que envolveu a sua, uma sensação gostosa dominou todo seu corpo rapidamente e ele conteve um gemido frustrado “Sou apaixonado pelo Chan! Merda, merda, merda!”, repetia a palavra diversas vezes em sua mente como se ela fosse ajudar seu estado critico.



Notas Finais


É isso... Espero ter correspondido a expectativa de vocês... Logo me volto com o segundo capítulo!
~chu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...