História Me daria a honra de uma dança? - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Eijirou Kirishima, Katsuki Bakugou
Tags _moon-san_, Bakugo, Bakukiri, Boyslove, Ejiro Kirishima, Homossexualidade, Katsuki Bakugo, Katsuki!transboy, Kiribaku, Kirishima, Lgbtq, Transexualidade
Visualizações 56
Palavras 614
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), LGBT, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá mundo!

Hoje, trago uma oneshot kiribaku (que há muito estava guardada) abordando a transexualidade.

Espero sinceramente que gostem e boa leitura 🖤

[Agradecimentos nas notas finais]

Capítulo 1 - Único; mas não como aquela dança seria


Fanfic / Fanfiction Me daria a honra de uma dança? - Capítulo 1 - Único; mas não como aquela dança seria

— Lady Kimberly, você me daria a honra de uma dança? — Eijirou perguntou com um charmoso sorriso que mostrava seus dentes anormalmente afiados.

Kirishima observava maravilhado a moça de encantadora beleza que estava bem a sua frente. Viu a sobrancelha dela arquear levemente, mas a loira logo abriu um sorriso, aceitando o convite ao levar sua delicada mão à mão estendida do ruivo.

— Acredito que poderia fazer esse pequeno esforço — Kimberly disse, brincalhona.

Enquanto valsavam, era perceptível um sorriso envolvente nos lábios do ruivo. Kimberly, porém, estava distraída, com um sorriso que não parecia tão forçado – mas Eijirou, que observava atenciosamente aquela lady a cada dança dos dois, podia perceber o ar tristonho da moça.

— O que a perturba tanto, minha lady? — Ele indagou. Kimberly parecia intrigada com a pergunta dele, mas nada respondeu, apenas deu um sorriso singelo.

Kirishima percebia que algo estava errado; Kimberly não era delicada assim – seus anos de amizade que o digam –, era irritadiça até demais. Agora, ela parecia tão avoada, calma. 

— Eu não vou insistir se a senhorita assim desejar. — Disse, por fim. Ela assentiu satisfeita. 

— Obrigada. — Sussurrou no ouvido dele discretamente.

E valsaram por toda a noite, até cansarem.

[...]

Eijirou suspirou, segurando sua taça de vinho enquanto olhava para a porta do salão, esperando sua preciosa dama loira.

Ficou perplexo quando percebeu – ao olhar seu relógio – que estava chegando às dez da noite e lady Kimberly ainda não havia chegado. Sua atenção, porém, foi roubada por um rapaz baixo, de olhos vermelhos e cabelos curtos. Ele levemente lembrava lady Kimberly.

Com a semelhança visível entre o rapaz e sua dama, Kirishima decidiu ir abordá-lo.

— Boa noite, Lorde. – o ruivo comprimentou. – Espero não estar errado em dizer que vossa senhoria me lembra levemente lady Kimberly. Posso perguntar se o senhor tem notícias de minha dama?

Boa noite, Eijirou. — O rapaz loiro sorriu. Um sorriso aberto, sincero. 

Kirishima reconheceu a delicada voz rapidamente, mas estranhou ao ver as roupas que Lady Kimberly — será que ela ainda queria ser chamada assim? — usava; ao invés de um vestido normalmente vermelho, estava com um terno preto e gravata cor de vinho. Os cabelos que outrora alcançaram a cintura agora estava curto e arrepiado. 

— Sei que deve estar confuso. Na verdade, você com certeza está confuso sobre as roupas que estou vestindo agora, e com o meu cabelo tão curto. — ele sorriu, mas agora era perceptível que estava sem graça – suas bochechas avermelhadas mostravam isso. 

Kirishima permaneceu em silêncio, esperando as palavras da pessoa a sua frente.

— Sinto que lhe devo minhas sinceras desculpas por estar assim. Me desculpe, lorde Eijirou, mas eu não me sinto confortável sendo sua Lady Kimberly. – Suspirou, desviando o olhar. – Eu sou Katsuki. Eu sou um homem. Não nasci para ser uma lady, e sim um lorde. 

Os olhos do loiro estavam lacrimejados quando se afastou, indo sentar em uma mesa afastada. Kirishima, por sua vez, estava perplexo.

[...]

— Lorde Katsuki, você me daria a honra de uma dança? — o ruivo perguntou, novamente com um sorriso charmosos nos lábios. 

Eijirou observou o rapaz a sua frente e sua encantadora beleza. Os olhos avermelhados que pareciam ter um destaque excepcional nos cabelos loiros repicados. 

— Eijirou…? — Katsuki arqueou a sobrancelha ao aceitar o convite levando sua mão a mão estendida de Kirishima. — Mas… eu não sou uma garota, e você sabe. — Ele questionou ao se deixar ser conduzido. 

— Eu não te admiro pelo seu gênero, Katsuki, e sim pelo que tu és por dentro. Você é uma pessoa maravilhosa e cativante, a mesma pessoa pela qual me apaixonei e continuarei apaixonado independente se você é ele ou ela. – Eijirou deu um beijo na testa do mais baixo.


Notas Finais


Agradeço de coração à @cyberwave ,por ter feito as capas e por ter sido um doce ao fazê-lo (relevemos que eu estava quase vendendo um rim na TL antes desse anjo aparecer) e me ajudado a tirar esse projetinho da gaveta.

Também agradeço à @Tia-Blanch, por ter sido uma luz no fim do túnel e me ajudado com a sinopse (porque, convenhamos, eu sou péssima nisso).

Se você chegou até aqui, agradeço de coração e quero te lembrar que um favorito e um comentário podem ser feitos de graça e deixam o dia da autora mais feliz❤️

~Tema 13: Uma fanfic baseada em um conto de fadas clássico~

Ps: dou um beijo e um queijo pra quem souber responder qual o Conto.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...