1. Spirit Fanfics >
  2. Me encontrei em você >
  3. One

História Me encontrei em você - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá pessoal!

Nessa história não estamos convivendo com a atual pandemia do Covid-19, mas se passa nos tempos atuais.

Me desculpem os erros, sou nova no ramo de escritores...

Boa leitura!

Capítulo 1 - One


Fanfic / Fanfiction Me encontrei em você - Capítulo 1 - One

                                          

Olá querido sub-consciente, sou eu de novo. Faz tempo que eu não converso com você né? Quando foi a última vez mesmo? Acho que eu tinha 11 anos... bons tempos aqueles, eu era feliz e não sabia.

Infelizmente eu cresci,--não cresci muito de tamanho-- mas minha cabeça já não é a mesma, meu corpo não é o mesmo, eu mudei de muitas formas que na verdade não queria ter mudado. Tanto fisicamente quanto mentalmente.

Vou resumir o que aconteceu durante esses anos.

Quando eu entrei no ensino fundamental,eu conheci várias pessoas, umas legais e outras nem tanto. Viramos amigos e fizemos um juramento " seremos amigos para sempre!" Coisas de crianças sabe? Nosso pra sempre durou pouco...

Infelizmente a puberdade me atacou, meus seios cresceram, meu quadril alargou, minhas pernas engrossaram e meu corpo derrepente já era praticamente de uma mulher. E eu não sabia lidar com isso,eu tinha apenas 14 anos!

Então eu comecei a ser assediada, na rua, no mercado,na escola e etc. As mulheres mais velhas me achavam vulgar, Já os homens não me deixavam em paz, eram tantos comentários que me deixavam com nojo de mim mesma.

Na escola, as minhas "amigas" se afastaram porquê "EU" estava dando em cima dos seus namorados.

Já os meus "amigos" me faziam propostas diferentes todos os dias e quando eu recusava me chamavam de Vadia, depois espalhavam pela escola que já tinham me pegado, sendo que eu nem sabia oque era beijar na boca!

Quando eu fui para o Ensino médio, já estava completamente só, até que apareceu um menino na minha vida.

Eu me apaixonei, acreditei que ele me amava e me entreguei para ele. Fomos um casal muito bonito,mas ele começou a se afastar de mim e euzinha aqui, desesperada por amor, corri atrás dele, fiz de tudo pra ele ficar... mas ele se foi, como todos os outros.

Eu fiquei muito mal,acreditava que todos saíram da minha vida porquê eu fui insuficiente, e acredito nisso até hoje.

Fiquei tão paranóica com a idéia de ser inútil nessa vida que desejei minha própria morte, parei de comer e não saía da cama. Meus pais tentaram de tudo para me ajudar, eles me deram tanto amor e atenção que eu resolvi melhorar por eles.

Voltei a comer, voltei a estudar, comecei ajudar minha mãe no meu tempo livre...mas eu nunca voltei a ser a mesma, nunca mais mostrei o meu corpo, não deixei ninguém se aproximar por medo que me deixassem de novo.

Na escola as meninas me olhavam com pena e os meninos me olhavam com nojo, só vestia roupas largas o suficiente para não mostrar o meu corpo.

E foi assim que eu descobri que tudo se refere a aparência, é sempre a aparência...

Depois de um tempo eu finalmente terminei meus estudos e meus pais resolveram se mudar para a Coreia do sul, pois apareceu uma oportunidade de trabalho que pagava muito mais e ele trabalharia bem menos, podendo ficar em casa por mais tempo.

Ele não precisava desse dinheiro extra, já tinhamos uma renda muito boa, mas ele falou que vai ser bom mudar um pouco a nossa rotina, conhecer um país novo e pessoas novas ...

E eu pensei por quê não? Eu não tenho nada a perder, posso arranjar um emprego, começar uma faculdade, quem sabe até me aproximar mais das pessoas!

E aqui estou eu, uma garota de 19 anos, com 1,63 de altura, cabelos castanhos longos, vestindo oque parece um saco de batatas no terraço de um prédio de 20 andares que se encontra em uma cidade pequena e bastante tranquila da Coréia do sul, falando com o próprio pensamento. Bastante normal não acham??

Essa sou eu! Prazer Bunny... sim meu nome é Bunny, pode rir é um nome estranho mesmo.

Certo! já contei praticamente toda a minha vida, e nesse papo todo já anoiteceu, tenho que voltar para o meu apartamento.

Dei uma última olhada no céu e voltei para dentro do prédio. Eu moro em um prédio muito tranquilo, ainda não conheci os meus vizinhos, mas eles parecem bastante tranquilos... peguei o elevador vazio e fui para o 15 andar do prédio, onde fica o meu novo lar.

Deixei o meu sapato do lado de fora e entrei. A sala estava vazia, mas a TV estava ligada, fui para a cozinha e encontrei minha mãe olhando algo no forno

___ O cheiro está ótimo mãe-- me aproximei para ver oque era--

___ Ah querida! Você me assustou!-- colocando a mão no peito-- Onde estava? Demorou para voltar.

___ Estava no terraço. Precisa de ajuda?

___ Não querida. Aproveite que seu pai não chegou e leve o coelho para passear no corredor.


Eu ganhei o coelho de presente de aniversário, quando nos mudamos eu não quis deixar ele para trás. Eu dei o nome de Felpudo por ser um coelho anão bastante peludinho

Subi a escada e fui para o meu quarto, liguei a luz e fui para a cerca do felpudo, que por sinal tinha feito uma bagunça no cantinho dele. Coloquei a colerinha dele e desci a escada.

___ Mãe eu volto daqui uns 15 minutos-- gritei enquanto abria a porta--

Chegando no corredor coloco o Felpudo no chão e deixo ele saltar o quanto quiser. Até que uma porta se abre e o coelho entra no lugar. Corri até lá mas alguém já o tinha pegado.

Era um garoto alto, dos cabelos negros e um sorriso perfeito no rosto, seus olhos eram tão escuros, mas pareciam que tinham um universo dentro...Fiquei tão encantada com àqueles olhos que esqueci do coelho em seus braços.

___ Acho que isto é seu...-- disse me tirando do meu transe--

___ É sim, me desculpa por isso-- digo tentando tirar o felpudo de seus braços -- Acho que ele gostou de você-- desisto de tentar pegar ele--

___ E eu gostei dele-- disse carinhando o coelho-- Como ele se chama?-- disse me devolvendo o coelho

___ F-felpudo...-- falo com dificuldade já que o animal está tentando pular de volta pro maior-- Ele realmente gostou de você

___ Me sinto honrado--sorriu-- Você é a nova vizinha né? Me chamo jungkook, é um prazer em conhece-la --se curva--

___ Me chamo Bunny. O prazer é todo meu ...junggukie?-- me curvo de volta e ele ri

___  jungkook, kook parecido com biscoito-- sorri--

___ Ahh! Desculpa... eu ainda não sei falar coreano muito bem, acabo errando algumas palavras-- falo envergonhada

___  Sem problemas, com o tempo você aprende Banny.

___ Bunny,  como coelho em inglês-- corrijo sorrindo pelo erro--

___ Viu? Agora estamos quites!

___ É... bem, eu preciso voltar agora.

___ Certo. Até mais então-- se curva--

___ até mais-- me curvo--


Volto para casa, deixo o felpudo na cerca e desço para jantar. Cumprimento meu pai com um beijo na testa e ajudo a minha mãe à servir o jantar

Jantamos e conversamos sobre o nosso dia e eu falei as mesmas coisas de sempre," ajudei a mamãe, arrumei as pastas do trabalho do papai, fui para o terraço , levei o Felpudo para passear... e conheci o vizinho"

Após o jantar me despedi dos meus pais e subi para o quarto. Tomei um banho, evitei me olhar no espelho e usei um pijama de conjunto do batmam. Amarrei o cabelo já seco e me deitei. Aquela era a única hora do dia em que eu me vestia normalmente, pois eu me sentia mais segura, ninguém iria me ver, ninguém iria me julgar, a não ser eu mesma.

Já deitada eu olhei para o teto escuro do meu quarto e imaginei um universo, o mesmo em que eu encontrei em seus olhos...









 


Notas Finais


Quem chegou até aqui, obrigada por ler!
Esse capítulo foi dedicado a explicar a história da nossa protagonista.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...