1. Spirit Fanfics >
  2. Me mate, querido — Jikook,Taegi >
  3. 002

História Me mate, querido — Jikook,Taegi - Capítulo 2



Capítulo 2 - 002


Fanfic / Fanfiction Me mate, querido — Jikook,Taegi - Capítulo 2 - 002


12:00

- Os artigos ajudaram? - Taehyung, um velho amigo de Jimin, questionou o mesmo enquanto cortava a carne de seu prato.

- Não como eu queria. - O Park suspirou apoiando os braços na mesa - mas, talvez eu não tenha lido com atenção.

Os papéis eram de alta importância, mas não teve cabeça para ler os mesmos, apenas os quardou aonde nem o diabo acharia.

- É o Jeon. - Taehyung apenas afirmou levando um pedaço de carne para a boca; conhecia o mais novo a sua frente para afirmar e não perguntar. - você se apegou a ele.

- Me apeguei...? - Jimin sorriu cínico - eu não me apeguei, apenas quase me casei e sinto como se meus dias fossem merda nenhuma sem ele. 

- Ele não está diferente. - O mais velho apontou, terminando de mastigar o último pedaço de carne de seu prato. - Yoongi me contou.

- Yoongi está de quatro nas suas mãos, e você não dá a mínima.  - Jimin encarou o Kim; mudou de assunto, ter a noção que Jungkook não estava consigo, fazia seu peito pesar.

- Ele quer estar nessa posição para mim, o que eu posso fazer? - Taehyung sorriu debochado, empurrando o prato vazio para frente e se encostando na cadeira; a verdade era simplesmente que se sentia estranho em relação ao Min, mas cresceu no meio de homens que não davam valor as mulheres, então por que teria que dar valor a um homem?

- Filho da puta. - Jimin xingou em bom som; não gostava desse tipo de atitude.

 Se não gosta da porra, não a engula.

E Taehyung gostava de ter alguém para lhe colocar em cima e bom, Yoongi era o palco perfeito, pois sempre o elogiava rebaixando a si mesmo.

- Não me xingue. - O Kim sorriu, dizendo com a voz arrastada - não demonstro que gosto dele, pois não gosto. Mas, se ele gosta de dar para mim, não serei louco a ponto de recusar. - Deu de ombro como se estivesse falando sobre algo sem importância. - quando as garotas estão ocupadas, ele me faz um bom trabalho. - Se referiu a algumas prostitutas que o rondavam se oferecendo; claro, apenas pelo dinheiro que o Kim dá sem muito esforço.

- Fique longe dele, não o machuque. - Jimin disse entre-dentes; era absurdo o que escutava, ainda mais de seu melhor amigo.- Tenho meus problemas, e não quero mais os seus, quando Yoongi se mágoar contigo e você ver os caralhos que está falando, virá chorar no meu ombro.

- Não se preocupe, Yoongi é apenas mais um. - Revirou os olhos, pegando sua carteira para pagar seu almoço, pois o Park não quis comer.

- Eu irei rir muito, quando ele puxar o seu carpete e sua cara quebrar no chão. - Sorriu ácido, afastando um pouco a cadeira para trás. - marcou o almoço, apenas para isso? 

- Não. - Taehyung se levantou jogando algumas notas na mesa, logo quardando a carteira e ageitando a jaqueta. - os chefes iram dar um baile como costume.

- E você sabendo que eu estou na polícia quer me enfiar lá dentro e sujar minha barra? - Jimin perguntou com sarcasmo, se levantando da mesa logo seguindo para a saída do lugar não tão longe de onde estava.

- Não. - Taehyung revirou os olhos pela segunda vez e seguiu o mais baixo para o lado de fora, logo ficando ao lado do mesmo passando seu braço pelo pescoço do Park. - Jungkook vai estar lá.

- Sei. - Jimin observou a pista a sua frente com poucos carros passando - quer que eu faça o que lá, seu idiota?

- O que você sempre faz. - O mais velho sorriu ladino, olhando para Jimin. - lá estará cheio de mulheres que você não iria gostar que chegassem perto do Jeon.

- Não me provoque, Taehyung. - O Park o encarou de volta; ser possessivo estava em seu sangue. Nunca foi uma pessoa sufocante com ciúmes histéricos, mas não era de se fazer de santo e passar a mão na cabeça de quem o confrontasse indo na direção de Jungkook com segundas intenções.

- Marque seu território, querido amigo.


[...]


O Jeon tinha o olhar fixo nas notas de bolos de dinheiro que Yoongi contava, mas seus pensamentos iam mais longe e chegava a fazer sua mente pesar; Jimin estava bem? 

Não era no sentido de estar machucado ou algo do tipo, pois Jimin não era alguém que se abalava por qualquer ferida. Mas, ele também chegava em um horário que se sentia estranho como se sua presença faltasse? 

Era de fato um dependente do Park.

Suspirou alto e se levantou andando até a mesa central do cômodo.

- Quantas pessoas foram convidadas para esse baile? - Arqueou uma sobrancelha olhando as notas passarem pelos dedos longos de Yoongi; Dinheiro era apenas papel e quando você tem muito, percebe que é apenas uma grande porcaria que não compra amor de ninguém e muito menos, empatia.

- Todos que fazem parte desse circo. - O Min sorriu procativo e levantou o olhar para o Jeon no outro lado da mesa. - Quer saber a presença de alguém em específico? 

- Não. - Respondeu firme desviando o olhar para qualquer canto da sala. - E o babaca do Taehyung, aonde ele está?

Sentia certa desconfiança em relação ao Kim.

Sua mãe não lhe ensinou coisas boas e gentis, eram lições egoístas e mesquinhas. Porém, algo não tão ruim surgiu de sua infância; Aprendeu a não confiar facilmente, não acreditar nas primeiras palavras de boa impressão.

E bom, Taehyung lhe dava impressão de traiçoeiro apenas pelo olhar.

Mesmo sendo melhor amigo de Jimin, o Jeon nunca escondeu que o mesmo não lhe agradava nem pelo cheiro.

- Não sei. - Yoongi deu de ombros abaixando o olhar; O Kim era o pilar de seus sentimentos e isso lhe trazia angústia por não serem valorizados e ao menos um afeto nunca foi demonstrado. - Acho que ele foi resolver alguma coisa para o baile ou comprar.

- Yoongi...

O Jeon arrastou a cadeira e se sentou, respirando fundo pegou nas mãos do outro com as véias aparentes e os anéis chamativos de pedras grandes; Bom gosto diria.

Os olhos negros encararam Jungkook, esperando o mesmo dizer algo.

O maior apertou as mãos entre as suas e olhou o Min de volta; Queria abrir os olhos de Yoongi com alguma forma, gritar para o mesmo que Taehyung nunca iria o amar e que Yoongi merecia alguém melhor para si, que correspondesse seus sentimentos e lhe levantasse, apoiasse.

Porém, as coisas não eram tão fáceis, nunca foram. Yoongi continuaria a cada dia com o mesmo sentimento e sendo um submisso de Taehyung até de ser conta de tudo a sua volta.

- O que há? - A voz de Yoongi saiu arrastada e baixa, com o olhar preocupado observando Jungkook que parecia desnorteado.

- Você precisa abrir os olhos. - Sussurrou soltando aos poucos as mãos do outro e então se recostando na cadeira.

Antes que Yoongi pudesse responder, as portas do cômodo se abriram ecoando um som alto e Taehyung entrou com um sorriso grande como se pudesse rasgar suas bochechas.

- Oras estão de segredinhos? - O Kim andou em passos rápidos até a mesa. - Quanto dinheiro! Esse baile irá ser bom, pelo visto. - Sorriu em cinismo olhando de canto para Yoongi; O mesmo sempre seria sua presa fácil e nunca se cansaria de brincar com seus sentimentos, era divertido para si.

O Min sentiu suas batidas serem violentas contra seu peito e suas mãos tremeram levemente, logo as levou para apoiar em suas coxas.

- Preste atenção em suas atitudes. -  Jungkook se levantou e deu alguns passos até o Kim, levando sua mão até o braço do mesmo o apertando sem medir a força. - Pessoas como você não aprendem na surra, então eu irei avisar. - Aproximou os lábios do ouvido de Taehyung que é de seu tamanho; Não queria que Yoongi escutasse. - Não brinque com as pessoas, principalmente com as que eu gosto. Se não, o seu buraco irá ficar mais embaixo, seu filho da puta.


















Notas Finais


Erros? Me perdoem.

Acho que esse cap saiu mais sentimental, e teve mais Yoongi e Taehyung.
Porém o próximo terá Jikook!!!!
@Sloopey tá off e eu to 👌😭


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...