História Me odeia? Será? - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Suga
Visualizações 882
Palavras 2.090
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Vamos lá. Eu decidi reescrever pq eu li isso de novo hoje e vi o quão ruim estava e o quanto eu podia melhorar nisso.

NUNCA QUE EU ESPERARIA QUE ESSA FIC RECEBESSE 96 FAVS CARA. EU TO TÃO FELIZ!!!! AAAAAAAA EU AMO VCS DEMAIS S2

espero de verdade que gostem mais dessa versão e que me perdoem por qualquer coisa que os chatear.
Amo vcs bbs S2

Capítulo 1 - Vá embora!


Eu me arrastava até o banheiro. Ontem a noite foi uma bosta. Por que eu fui naquele lugar? Por que eu não fiquei em casa como sempre? Mas que merda, agora essa ressaca esta me matando e meu corpo não consegue ficar em pé.

Eu estava morrendo de frio com a roupa que eu ao menos me dei ao trabalho de tirar, mas como a idiota aqui usou todos os pijamas para esse clima, tive que colocar algo improvisado. Uma calça legg não era o suficiente para me esquentar, mas a blusa de lã que eu usava até que ajudava.

Depois de tudo feito, fui direto para a sala ajeitar o sofá para eu passar o dia encolhida nele. Travesseiros estavam espalhados pelo móvel junto com uma manta super quente. Fui para a cozinha preparar um balde de pipoca e arrumar um copo cheio de refri. Aproveitei também para pegar barras de chocolate e um resto de sorvete que havia sobrado na geladeira.

As comidas estavam na mesinha de centro, a TV estava ligada na netflix e só faltava eu enrolada no cobertor para o meu dia “produtivo” começar. Mas a merda da campainha resolve tocar justo agora. Vou caminhado até a porta e xingo muito a pessoa que vem me incomodar às oito da manhã.

Ele estava deslumbrante com aquela calça jeans rasgada nos joelhos, vestindo aquela blusa de gola alta branca e com um casaco enorme por cima de tudo. Seu nariz e boca eram cobertos por um cachecol preto, da mesma cor que seus cabelos. Seus olhinhos me encaravam de forma profunda.

Eu poderia me apaixonar mais ainda por ele se eu não lembrasse o que aconteceu ontem à noite.

-Vá embora. – Disse seca e tentei bater a porta em sua cara, mas em um empurrão, ele abriu de novo e entrou na minha casa.

-Não vou embora até me explicara o que aconteceu. – Fechou a porta atrás de si, me encarando com aqueles olhos negros que sempre apareciam em meus sonhos.

-Yoongi, estou falando serio. Vá embora agora! – Cruzei os braços.

-Cheiro de pipoca. – Sorriu, ignorando completamente a raiva estampada na minha testa.

-Já falei para sair daqui! – Peguei seu braço, o parando de prosseguir qualquer ação seguinte.

Me apaixonar por Yoongi nunca esteve em meus planos. Eu nunca soube a certo o que me fez ter esse sentimento tão odiado, mas simplesmente aconteceu, o que é uma merda, pois ele é apenas um babaca que não se importa com ninguém.

-Já falei que só irei depois de você me explicar o porquê de todo aquele drama. – Disse sério, se desprendendo da minha mão.

-O que? Drama? Escuta aqui, eu fiz aquele “drama” todo porque simplesmente você me chama para irmos a uma festa e logo eu me deparo com você transando com uma menina qualquer no jardim da casa. Aquilo foi nojento Yoongi. – Falei, tentando me manter calma, coisa que era muito difícil quando se falava de Yoongi e sentimentos numa frase só.

-E daí? Eu fui pra me divertir. Transar é diversão e recomendo a você fazer mais vezes. – Se jogou no sofá rindo, me olhando de forma desafiadora.

-Eu não quero ficar transando com qualquer um, igual você. – Foi a vez dele revirar os olhos, enquanto pegava o balde de pipoca e colocava mais do que cabia em sua boca do alimento. – Eu fui pra me divertir com você, não para ficar em pé e ver você enfiando esse pau em qualquer vadia.

-Não fala assim delas, se você se desse ao trabalho de pelo menos trocar uma palavra com elas. – Aquele sorriso irritante não saía de seu rosto. É, ele sabia que eu estava com muito ciúmes.

Joguei uma almofada nele. Conversar com elas? Ele estava ficando louco. A almofada nem o atingiu, já que ele a segurou no ar e jogou ao seu lado.

-Pare com isso, que inferno! – Ele havia se irritado. – Você não é minha mãe, eu faço o que eu bem quiser e com quem eu quiser!

-Ótimo, então saía daqui e vá foder quem você quiser, seu babaca de merda! – Ok, eu raramente falava palavrões, mas eu estava no ápice da fúria que eu sentia por ele naquele momento.

Meu corpo se arrepiou com o olhar cortante que ele me dirigiu. Eu sabia que estava ferrada, então quando ele levantou sem tirar seus olhos de mim, comecei a andar para trás, com certo medo da sua reação. Já perto de mim,pegou meu pulso e me empurrou na parede, colando nossos corpos.

-Me chamou do que? – Se aproximou mais do meu rosto. Eu não respondi, e, apesar de estar com muita vergonha da proximidade de nossos seres, desviar meu olhar do dele estava fora de cogitação. – Responda! – Sua voz saiu firme e rouca, me fazendo suspirar e fechar os olhos, respirando todo aquele perfume que exalava dele.

-Yoongi. – Eu queria repreende-lo, mas saiu mais numa forma de gemido.

Ele não disse mais nada. Senti seu rosto se aproximar de meu pescoço, me fazendo abrir a boca em puro deleite ao passar a língua devagar na região, como se estivesse se deliciando com aquilo. Apertei suas mãos e deixei um suspiro pesado sair pelos meus lábios, sentindo aquele natural desconforto em minha intimidade. Senti um sorriso se forma contra meu pescoço e logo ele voltou a ficar na altura de meu rosto. Abri os olhos e o fitei.

Cara, ele não poderia ser real.

-Eu te odeio Min Yoongi – Soltei, ficando a ficar irritada com aquele sorriso de canto que me deixava louca.

-Tanto faz. – Me ergue no ar, fazendo minhas pernas rodearem sua cintura – Você não é a primeira pessoa a me dizer isso. – Caminho até a cozinha e me colocou na bancada.

Eu ia me pronunciar, mas ele atacou meu lábios com euforia. Como eu não tinha nada a perder, enlacei seu pescoço com meus braços e ele me puxou mais para si. Nossas bocas se encaixavam perfeitamente e se moviam em pura sincronia. Seus apertos me levavam a loucura, eu podia ver as estrelas com aqueles toques. Arrepiei-me toda ao sentir sua mão gelada adentrar minha blusa tocar em minha pele quente.

-Me diga, ainda me odeia? – Sussurrou e eu balancei a cabeça positivamente.

Rapidamente, ele tira a minha blusa e deixa meus peitos amostra, já que eu não usava sutiã. Ele apertou o esquerdo devagar e eu joguei minha cabeça para trás, indicando que eu estava amando aquilo. Ele fazia caricias nos meus seios, enquanto beijava suavemente meu pescoço e dava alguns chupões que com certeza ficariam ali por algum tempo.

Quando ele fez menção de descer para minha intimidade que estava totalmente molhada, puxei seu rosto com uma mão e com a outra, apertei seu membro por fora da calça, recebendo um suspirou pesado de volta e um olhar possessivo do mesmo.

-Minha vez. – Sorri, tentando parecer provocadora.

Desci da bancada e tirei seu casaco de forma lenta, o fazendo revirar os olhos impacientes. Ri do seu nervosismo e abri o botão da sua calça. Deixei ela escorregar por suas pernas e admirei aquele volume que se encontrava na sua cueca. Mordi o lábio o olhando. Ele me puxou para mais um beijo cheio de luxuria, enquanto eu adentrava a peça com minha mão e agarrava seu pênis que já se encontrava bem acordado. Ele interrompia os beijos para gemer baixo quando eu o apertava entre meus dedos. E isso se seguiu por um certo tempo, até eu tirar minha mão dali e receber um grunhido em resposta.

-Alguém parece ansiosa demais. – Peguei a barra de sua blusa e ele esticou os braços para cima, facilitando a retirada da peça.

Passei a unhas de leve pelo seu peitoral pouco definido e pensei no estrago que eu faria com aquela pele branquinha. Ele pegou a barra da minha calça e começou a tirar ela, apreciando toda vista do meu corpo e do meu rosto, completamente entregue ao prazer. Jogou a peça em qualquer lugar e voltou a me beijar. Eu arranhava seu corpo e apertava seus ombros quando recebia alguma mordida ou quando sentia um estalo em minhas coxas, feito pela sua mão.

Soltei um gemido baixo em seu ouvido quando senti sua mão adentrar minha calcinha e passar os dedos pelo meu intimo.

Um dedo. Um gemido alto. Um sorriso sacana. Sanidade na puta que pariu. Dois dedos. Um grito. Movimentos lentos e torturantes. Uma sequencia de gemidos vindos do fundo da minha garganta.

Yoongi era sádico e nisso eu tinha total certeza. Ele sentia prazer em me ver completamente entregue a si. Mas eu não queria pensar naquilo, e sim nos seus dedos grossos que me penetravam de forma rude e violenta.

Estava quase chegando ao meu ápice, quando ele retira os dedos e recebe um olhar mortal. Chupou eles de forma sensual e se aproximou do meu ouvido, me fazendo fechar os olhos e sentir toda a excitação que seu corpo exalava.

-Não aguento mais isso, você é gostosa de mais para esperar mais um segundo. – Num ato rápido, rasgou minha calcinha e a jogou em qualquer canto.

Retirou sua cueca e segurou minha cintura, fazendo nossas intimidades se chocarem, sem nenhum pano sequer para atrapalhar. Ele ficava pincelando minha vagina e eu queria socar a cara dele.

Eu grito cortou minha garganta quando ele se afundou em mim, sem qualquer aviso ou preparo. Eu podia sentir toda a sua extensão, toda sua grossura e era maravilhoso. Mordi seu ombro em completo prazer e suspirei seguidamente. Rebolei indicando que poderia começar os movimentos e assim o fez. Ele metia profundamente, me fazendo gritar a cada estocada. O barulho dos nossos corpos se chocando e de nossos gemidos, tanto altos quanto baixos, me deixam ainda mais excitada e mais próxima do meu orgasmo.

Eu fazia um belo estrago com as suas costas. Sabia que sangue escorria por elas e que alguns gemidos dele eram de dor, mas isso era por ele ter feito aquilo com outra pessoa.

 Encostei minha cabeça em seu ombro enquanto um gemido alto e arrastado sai de minha boca quando meu líquido saiu e envolveu todo o seu pênis. Ele continuou por mais um tempo até retirar seu membro e se derramar em minha coxa.

Nossos olhares se uniram e nossas respirações se misturavam. Yoongi era um pecado por inteiro. Seus olhos escuros mostravam o prazer que ele havia sentido, sua boca vermelha estava entreaberta, tentando levar ar para seus pulmões, enquanto seu peito subia e descia, acompanhando o meu. Por conta do suor que escorria por seu rosto, a franja negra grudava na testa e cobri de leve sues olhos escuros, que mostravam todo o prazer que ele havia sentido.  

-Quer assistir algumas coisa? – Perguntei, abraçando seu pescoço e encostando a cabeça em seu ombro, tentando normalizar minha respiração.

-Pode ser. – Me tirou da bancada e me levou até o sofá, me colocando ali com delicadeza.

Em seguida, foi até sua cueca e a vestiu. Ele pegou sua blusa e jogou em minha direção. Sorri, cheirando-a disfarçadamente, não querendo que ele visse aquele ato.

-Acho que terá de jogar fora essa calcinha. – Passei a blusa pelo pescoço e o olhei, que segurava a peça rasgada.

-Realmente, não precisava fazer isso né. – Ele deu de ombros, jogando-a em qualquer canto.

Veio andando até o sofá e se jogou ao meu lado, me fitando da cabeça ao pés. Pegou uma mecha do meu cabelo e ficou brindando com ela entre seus dedos. Eu olhava para o seu rosto, que era iluminado pelo sol que passava pela grande janela que havia ali. Yoongi estava tão bonito, ele era tão bonito e nada mudaria isso.

-Namora comigo? – Recuei por um segundo.

-O que? – ele estava brincando, certo?

-Seja minha namorada. Você gosta de mim, eu gosto de você. Ficar juntos é o melhor. – Deu de ombros, soltando minha mecha e encarando a vista que a janela aberta lhe proporcionava.

Procurei em seu rosto qualquer sinal de brincadeira ou de uma suposta loucura, mas ele falava sério.

-Isso é clichê demais Yoongi.– Ri, me encostando em seu peito nu e olhando para a mesma direção que ele.

-Vou levar isso como um sim. – Seus braços me envolveram e eu sorri, não ligando se ele veria ou não.

-Talvez eu não te odeie tanto assim.

-Eu sei. – Ele sorria, e eu revirei os olhos.

Me virei para o encarar e antes dele pensar em qualquer coisa, juntei meus lábios aos seus. Sem língua, sem pressa.

Apenas eu, ele, e meu ódio por amá-lo demais.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...