1. Spirit Fanfics >
  2. Me perdoa-paulicia >
  3. Capítulo único;

História Me perdoa-paulicia - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


boa leituraaa💗

Capítulo 1 - Capítulo único;



Pov's alicia:

eu estava terminando meu turno,eu trabalhava pra ajudar minha avó que precisava fazer uma cirurgia,eu morava com ela,meus pais me abandonaram assim que eu nasci,desde então eu moro com a minha avó,eu estava limpando as mesas cantarolando uma musica qualquer em inglês até um grupo de garotos entrar,um deles era meio baixinho, ruivo,ele tava com uma bandana do Japão eu acho,amarrada em volta da cabeça,o outro era negro,forte,esbelto,e tinha um olhar humilde,o outro era moreno,cabelos lisos em um topete e alto,bem alto (vulgo o filho do meu patrão) e o outro era com certeza o mais bonito entre eles,ele usava uma touca,um fone em volta do pescoço,e uma mochila nas costas,mas espera,mochila a essas horas?já eram quase 18:00 horas,mas okay...,eles vieram se aproximando e eu continuei limpando a mesa de trás do balcão

-eii ally,ainda tá aí?cobrindo o horário de alguém hoje?-levantei a cabeça encarando o Mário,que se mantinha de braços cruzados e um sorriso divertido no rosto me encarando,o outro garoto que eu achei gato me secava descaradamente,os outros dois mexiam no cllr rindo de algo.

-to cobrindo o horário da marcelina-vi um sorriso bobo se formar em seus lábios e eu soltei uma risadinha- você e apaixonado nela né?.

-e...eu? que nada Alícia não viaja-ele corou e eu soltei uma gargalhada gostosa.

-você não me engana ayala-ele solta uma risadinha ao me ouvir chamar ele de Ayala.

-quem e ela Mário?-disse o garoto ruivinho de bandana.

-e uma menina que eu fiz amizade,Alícia,esse sashimi e o kokimoto, o chocolate e o Cirilo e o retardado que tá te secando descaradamente e o Paulo-ele diz a última frase rindo,fazendo o garoto acordar do transe dele e eu corar.

-cala a boca marcelina-mostrei língua pra ele e ele me mostrou língua de volta.

-quanta maturidade- disse a Maria Joaquina saindo da cozinha e vindo até nos rindo das nossas palhaçadas.

-mas porque você teve que cobrir o horário da Marcelina?ela foi fazer o que?-eu e a majo nos olhamos e engolimos em seco.

-ela...ela...ah não dá,fala você Maria Joaquina-digo ficando nervosa e guardando o pano.

-ah Mário..a marce...ela...ela... saiucomodaniel.

-ela o que?-ele perguntou sem entender direito.

-ela saiu com o Daniel-vi a expressão do mesmo mudar,ele havia ficado triste,fui até ele é juntei nossas testas fazendo o mesmo me encarar.

-ela vai perceber a burrada que tá fazendo e vai voltar atrás de você tá bom?-ele assentiu e sorriu,eu sorri de canto e ele me abraçou.

-mas vocês vieram pra pedir algo ou só pra ver a Alícia?-ela disse com ciúmes bufando,eu gargalhei e abraçei ela de lado.

-ah,a gente tá com fome por isso veio aqui né?-o Mário disse irónico e eu mostrei dedo do meio pra ele-enfia no cu

-vira ai- eu disse e ele virou empinando a bunda me fazendo gargalhar alto,eu dei um tapa na bunda dele que fez ele resmungar.

-mas eai? vão querer o que?-digo pegando o papel pra anotar os pedidos

-ou gatinha,eu vou querer um milkshake de chocolate,o Ayala vai querer um de morango,o koki um de creme e o Cirilo um de chocolate também-ele disse encarando no fundo dos meus olhos e eu encarando ele de volta.

castanho no preto.

preto no castanho 

Acordei do transe e anotei no papel,ouvindo o Mário rir baixinho,entreguei pra Maria Joaquina e peguei meu celular,vendo que havia duas mensagens,uma do meu avô e outra da Marcelina.

Pequena 🧚🏻‍♀️

ela:AMIGAAAAA

ela:rolou eu e o Daniel

ela:se e que me entende,rs

ela:mas que saco,o Ayala não sai da minha cabeça por nada amiga

eu:se tentar se declarar pra ele pode dar certo

ela:MAS NEM FERRANDO ALÍCIA GUSMAN

ela:e você nem sonhe!!

vô💗🌻

ele:alicia,minha neta

ele:o quadro dela está estável

ele:ela está respirando por meio de aparelhos,mas está passando bem

eu:graças a deus 🙌🏼

eu: bença vô

eu:manda um beijo pra vô,e fala que eu tô sentindo saudade *coração vermelho*

Senti meus olhos marejarem mas respirei fundo,peguei a bandeja que a majo já havia deixado ali que estavam os milkshakes e levei ate eles,deixando eles beberem e fiquei conversando com a Maria Joaquina..

Algumas horas mais tarde....

eu havia acabado de fechar a lanchonete,e estava saindo,eu sempre ia a pé,embora hoje eu tivesse ficado até mais tarde,eu andava calmamente de fones,até sentir alguém me puxando pela cintura,eu estava pronta pra gritar,mas a pessoa colocou a mão na minha boca,quando eu vi que era o tal do Paulo eu dei um tapa no mesmo e resmunguei.

-calma marrentinha eu não vou te assaltar não-ele disse soltando uma gargalhada e me soltando,me fazendo revirar os olhos e rir baixinho.

-para de ser idiota garoto-empurrei de leve o ombro dele soltando uma risadinha,fazendo o mesmo gargalhar em seguida-ta fazendo o que aqui?essa hora?-coloco uma mecha do meu cabelo atrás da orelha o olho,ficando novamente em transe.

-tava na pista de skate espairecendo,aí passei aqui e vi essa donzela em apuros e achei melhor salva-la antes que alguém machucasse a mesma-,ele disse me fazendo gargalhar alto,enquanto ele me encarava.

-cade a donzela?só se for você né gatinho?-eu disse rindo,mas assim que percebi o que eu havia falado parei de rir e me xinguei mentalmente.

-voce me acha gatinho marrentinha?-ele se aproximou segurando em minha cintura,um sorriso malicioso brincando em seus labios,me fazendo rolar os olhos e o empurrar em seguida.

-foi sem querer idiota-rolo os olhos pela quinta vez no dia.

-gostou de me chamar de idiota né marrentinha?-ele arqueou a sombrancelha se aproximando de mim novamente.

-gostou de me chamar de marrentinha né idiota?-retruquei cruzando os braços,com um sorriso convencido nos lábios,enquanto o mesmo se encontrava com um sorriso malicioso.

no mesmo instante,ouvi uma buzina conhecida soar,me afastei dele vendo o Mário com um olhar malicioso no rosto.

-to atrapalhando algo casal?-ele disse com um tom malicioso me fazendo resmungar e rolar os olhos,enquanto o Paulo ria.

-não tô vendo nenhum casal aqui Ayala,por falar nisso me dá uma carona pra casa?-digo com cara de cachorro abandonado

-voce e o guerra combinam sabiam?-ele disse rindo,porém eu o fuzilei com o olhar e ele parou-entra logo Lícia,quer carona também guerra?

-não cara,não precisa não,eu vou ir de skate mesmo,falou,a gente se vê por aí marrentinha-ele piscou subindo no skate e saindo andando,me fazendo resmungar e entrar no carro.

-sem dizer um a sobre o guerra ayala-digo bolada e ele gargalha.

-okay senhorita gusman-ele disse rindo e eu bufei mostrando dedo do meio pra ele.

Alguns dias após...

Eu estava trocando alguns flertes com o Paulo tem algum tempo já,o Mário não parava de dizer que shipava eu e ele,criou até shiper "#paulicia" ele começou a namorar com a Marcelina,o kokimoto com uma tal de Bibi,e a majo tá enrolada cm o Cirilo enquanto eu estou flertando com o paulo,pq né,eu sou dessas.

eu estava com um vestido colado preto,um salto 15,uma maquiagem não muito forte,e meus cabelos lisos,hoje teria a festa de 20 anos do Mario,a majo estava com um vestido rosa claro com brilhos,ela também usava um salto 15 e uma maquiagem forte,ela deixou o cabelo dela preso em uma trança de lado,com eles soltos em cachos.

assim que ficamos prontas,nos fomos de táxi,chegando lá a festa já estava bombando,eu abraçei o Mário,e entreguei uma caixinha pra ele,que era um cordão com a letra "M" a majo entregou uma jaqueta preta com alguns tons cinzas pra ele.

fomos entrando na festa e eu peguei um copo de bebida sem álcool e fui pra pista dançar com a Maria Joaquina,algo me dizia que aquela festa iria render.

Algumas horas mais tarde....

eu estava dançando,até ouvir a voz do guerra no alto-falante

-oie pessoal,desculpa atrapalhar a festa de vocês,eu sei que a estrela do dia e o Ayala,mas eu só criei coragem pra fazer isso hoje,e eu tô tremendo de nervoso mas vamos lá,ah cara,como eu conheci a garota da minha vida?foi simplesmente em um dia aleatório que o Mário saiu arrastando eu e os meninos pra lanchonete do pai dele,e chegando lá,eu me encantei por uma certa marrentinha,eu não me encantei por ela só por me encantar,eu amo quando ela sorri e aquela pintinha de cima da boca dela aparece,eu amo quando ela rebate as minhas respostas,amo quando ela se faz de inocente mas de inocente não tem nada,eu amo essa menina demais e pra isso eu reservei a festa do Ayala pra dizer isso-ele desceu de lá enquanto o Mário me encarava com um olhar cúmplice-alicia Gusman,me perdoa,eu não queria ter me apaixonado por você,me perdoa por te irritar e por ficar te testando,eu faço isso porque eu sou completamente apaixonada por você,então,Alícia Gusman você quer namorar comigo?-ele estava tenso,suando frio,me encarando ajoelhado com uma caixinha com dois anéis,todos em volta nos encaravam curiosos,pra saber se ele ia levar um fora ou se eu iria aceitar,o Mário,estava abraçado com a Marcelina,sorrindo orgulhoso pra nós,eu o encarei e respirei fundo 

-paulo guerra,por mais que você seja insuportável as vezes,ou melhor,sempre,não tem como eu não negar,eu me apaixonei por você Paulo Guerra.

Ele sorriu com os olhos marejados,colocou o anel em meu dedo e eu coloquei o outro anel no dedo dele,ele se levantou,juntando nossas testas enquanto nossas respirações estavam se acalmando aos poucos,ele diminuiu a distância entre nós dois selando nossos lábios em um singelo beijo calmo e lento,sem pressa,suas mãos apertavam levemente minha cintura,enquanto as minhas estavam em seu pescoço,acariciando levemente sua nuca.

e no fim...tudo deu certo.

eu realmente me apaixonei pelo guerra.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...