História Me, You and More - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias JJ Project
Personagens JB, Junior
Tags 6 Anos De Jjp, Got7, Jjp Como Pais Do Got5, Jjparents, Jjproject
Visualizações 117
Palavras 2.887
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Como prometido, segue a minha OS para comemorar os 6 anos de debut de JJProject.
A minha ideia inicial era publicar 6 histórias durante a semana, mas como coincidiu com minha viagem a Porto Alegre, infelizmente ficou impossível de realizar isso :(
tivemos o capítulo especial de Ginger Cookies também em homenagem aos dois e hoje deixo essa OS super amorzinho para vcs.
Quem sabe nas próxima semanas eu não completo as OS e vou postando aqui né?

Boa leitura <3

Capítulo 1 - Capítulo único


As cortinas do quarto de Jinyoung voavam de acordo com o vento que passava pela janela. O homem de cabelos negros estava parado em frente ao seu guarda-roupa, com diversas peças jogadas na cama atrás de si e algumas outras no chão.

Ele nunca fora bom para escolher suas roupas em momentos assim e essa seria a quinta vez que ele iria passar pelo mesmo processo.

Do lado de fora de sua casa tinha sol, mas o vento soprava forte, por isso escolheu entre as dezenas de opções de seu armário um suéter azul bebê. Era um dos seus favoritos e já tinha sido usado na última reunião. Como tudo deu certo ele acreditou que o casaco tricotado por uma tia lhe dava sorte.

Colocou a gola da camisa que usava por baixo do lado de fora e se olhou no espelho, sorrindo timidamente para sua figura refletida. Um leve pigarro chamou sua atenção para a porta do quarto e ele corou verdadeiramente, ajeitando os fios de cabelo para trás em sinal de nervosismo.

‒ Você está ótimo Nyoungie. - O outro homem entrou no quarto e abraçou Jinyoung por trás, depositando seu queixo no ombro do outro enquanto observava ambos no espelho.

‒ Mas e se ele não gostar de mim? Jaebum eu estou tão nervoso. - Jinyoung falou se virando para o marido e sentindo a mão do mesmo lhe acariciar a bochecha.

‒ É impossível ele não gostar de você. Todos te amam, você sabe disso.

‒ Mas ainda assim eu fico nervoso.

‒ Hey! - Jaebum levantou o rosto do mais novo e lhe selou os lábios gentilmente - Eu vou estar lá com você, não se esqueça disso.

‒ Você é o melhor marido do mundo, já te falei isso? - Jinyoung sorriu para o outro passando uma das mãos nos cabelos do marido que já estava grande o suficiente para ele enroscar os dedos ali.

‒ Digo o mesmo de você. - Jaebum beijou Jinyoung mais uma vez e o soltou sorrindo. - Vamos? Wooyoung e Nichkun já está aqui para olhar os outros.

‒ Vamos!

Jinyoung pegou sua pasta de couro ao lado da cama e saiu do quarto junto com o marido. Eles desceram as escadas para a sala e encontraram os dois amigos os esperando. A casa de Jaebum e Jinyoung não era uma mansão, mas os cômodos eram espaçosos e bem iluminados. Os dois eram empresários de uma pequena startup de desenvolvimento de softwares que nos últimos três anos ganhou muita notoriedade no segmento. Grandes empresas estavam os procurando e viviam o melhor momento de suas vidas.

Eles se conheceram na faculdade e descobriram muitas similaridades em seu passado, por isso o casal não teve dúvidas quando a assistente social os contatou para dar a notícia que tinham sido aprovados para o processo de adoção.

Jaebum e Jinyoung foram crianças órfãs, por isso eles sabiam da importância de um lar e logo no início da suas vidas de casados eles decidiram que deveriam ter uma casa cheia de crianças - Para a alegria de Jinyoung que amava os pequeninos com todo seu coração.

‒ Boa sorte, Jinyoung. - Wooyoung, um dos amigos, também conhecido como babá nas horas vagas, desejou ao mais novo. - Vai dar tudo certo.

‒ Obrigado, Hyung.

Passos apressados foram ouvidos vindo do corredor da cozinha e Jinyoung apenas teve tempo de proteger suas partes íntimas antes que um dos seus pequenos lhe esmagasse ali.

‒ Pai, onde você está indo? - Jackson, o segundo filho adotado pelo casal perguntou agarrando a perna do pai. - Me leva junto.

‒ Jackson, hoje eu não posso levar você, ok? Na próxima vez vamos todos juntos. - Jinyoung falou abaixando para ficar na altura do outro.

‒ Mas…

‒ Sem mas. - Jaebum cortou o menino - Seu pai falou da próxima vez, então é na próxima.

Jackson emburrou um pouco, mas aceitou, deixando os pais de lado para ir sentar ao lado do outro irmão que estava no sofá jogando no celular.

‒ Mark, vê se sai um pouco desse celular, vão brincar no jardim. - Jinyoung pediu ao outro menino que apenas balançou a cabeça sinalizando ter ouvido.

‒ Vocês vão chegar atrasados. - Nichkun falou segurando o pequeno e sonolento Bambam nos braços. - Pode deixar que a gente cuida deles.

‒ Obrigado! - Jaebum passou os dedos pelos cabelos de Youngjae que estava sentado na cadeirinha comendo bananas amassadas e depositou um beijo na cabeça do mesmo. - Não vamos demorar.

Jinyoung deu um beijo em cada um dos filhos e saiu junto com o marido para o carro. O orfanato já era um lugar conhecido do casal. Não era o mesmo no qual eles haviam crescido, mas mesmo em cidades e construções diferentes as energias do ambiente eram as mesmas.

Todos as crianças adotadas por Jinyoung e Jaebum vieram dessa mesma casa e cada uma teve uma situação em particular ao serem agraciadas pela família.

Jinyoung ainda se lembra como Jackson grudou neles quando ambos entraram pela primeira vez na instituição. Naquela época o órfão chinês tinha apenas três anos e mal sabia falar a língua dos atuais pais. O casal tinha ido para adotar outra criança, Mark. Mas se apegaram tanto ao menino que acabaram adotando os dois. Foi difícil conseguir a aprovação da assistente social. Eles eram jovens e mesmo com uma situação financeira favorável, haviam muitos obstáculos. Mas o olhar brilhante que Jackson esboçou mesmo não entendendo direito as palavras de Jinyoung quando o perguntou se queria ir morar com ele, fizeram a assistente pular algumas burocracias e autorizar a adoção dos dois ao mesmo tempo.

‒ Chegamos. - Jaebum falou parando o carro no estacionamento e apertando de leve a perna do marido ao seu lado. - Vai dar tudo certo.

Jinyung sorriu nervoso. Ele não sabia como Jaebum conseguia se manter tão calmo em uma situação assim. A única vez que ele vira Jaebum ansioso pela adoção, foi quando foram buscar Youngjae.

O garoto tinha apenas dois anos e sendo o terceiro filho do casal, Jaebum não tinha muitas certezas se conseguiriam educar uma criança tão pequena. Jackson e Mark foram adotados com mais idade e por isso ele se sentia mais confiante, mas para ele Youngjae era ainda muito frágil e isso o deixava assustado.

Mas bastou um sorriso de dentes de leite de Youngjae para Jaebum se derreter pelo pequeno. Youngjae era uma criança animada para idade e depois de adotado foi uma das poucas crianças que choraram a ir para escola. Youngjae sorria para todos e logo virou o favorito da escolinha onde as outras duas crianças do casal frequentavam enquanto eles tinham que trabalhar.

 

‒ Fico feliz em vê-los aqui novamente. - A assistente social recebeu o casal assim que eles entraram pelos portões de madeira.

‒ Nós também. - Jinyoung respondeu cumprimentando a mulher mais velha e sorrindo.

O casal acompanhou a mulher até a sala da mesma e se sentaram de frente para ela na mesa.

‒ Eu fiquei muito feliz ao ver que ainda estava com o nome de vocês na fila de espera. Normalmente as famílias ficam com apenas uma criança, mas vocês estão indo para a quinta, isso é algo raro.

‒ Outras famílias não tendem a ser como nós. - Jaebum falou segurando a mão de Jinyoung amorosamente.

‒ Com certeza não. - A mulher sorriu gentilmente e continuou olhando alguns papeis. - O Kunpimook se adaptou bem? Ele foi o último adotado.

‒ Perfeitamente. - Jinyoung sorriu animado. - Jackson virou seu melhor amigo e já está o ajudando a aprender palavras em coreano.

‒ Mark também ficou animado com o novato, ele adora crianças mais novas. - Jaebum completou lembrando de ver Mark amassando bananas para os irmãos menores.

‒ Fico feliz em saber isso. - A mulher respondeu e fechou a pasta de arquivos com as informações de todas as crianças adotadas por eles. - Bem, vocês devem estar ansiosos para conhecê-lo, né? Não vou ficar atrasando vocês.

Jinyoung levantou de imediato devido a ansiedade e aguardou a mulher passar por si para a acompanhar até o jardim.

Jaebum abraçou o marido pela lateral e caminharam juntos até o parquinho do jardim. Algumas outras crianças corriam por ali e Jinyoung queria ter condições para cuidar de todas. Porém, mesmo tendo uma condição financeira boa, isso não lhe era permitido.

Jaebum sentiu o mais novo tremer um pouco ao seu lado quando a assistente parou e apontou para o campinho, onde um garotinho estava sentado na grama, brincando com um bonequinho dos Minions.

‒ Vou deixá-los à vontade. - Sorriu a mulher deixando o casal há alguns passos da criança que ainda não havia notado a presença deles ali.

Jinyoung olhou Jaebum esperando um sinal de aprovação e, como ele esperava, recebeu o sorriso caloroso do marido lhe incentivando.

Deu leves passos em direção ao pequeno e se agachou ao lado do mesmo quando chegou próximo o suficiente, finalmente chamando sua atenção.

Os olhos redondos da criança encararam Jinyoung, analisando o recém chegado.

‒ Olá! - Jinyoung falou baixo. - Posso me sentar aqui com você?

O garoto confirmou com a cabeça. Seus cabelos pretos estavam compridos e quase chegavam a cobrir seus olhos. Jinyoung não pode deixar de pensar em como o menino o tinha traços parecidos com os de Jaebum e quando seu marido se aproximou ao seu lado, também se sentando na grama perto do pequeno confirmou sua teoria, observando uma minúscula marquinha próxima a pálpebra do infanto, muito parecida com a do marido.

Jaebum mostrou seu chaveiro do Bart Simpson ao menor e este lhe deu atenção, percebendo alguma semelhança entre os bonecos.

Os três brincaram um pouco com os bonecos e Jinyoung percebeu que o menino era muito carinhoso com o brinquedo, isso deixou seu coração derretido. Mal haviam se conhecido e ele já tinha se apegado ao pequeno.

‒ Eu sou Jinyoung e esse aqui é o Jaebum. - Jinyoung falou se apresentando. - Qual é o seu nome?

‒ Yugyeom. - Respondeu a criança coçando o nariz e olhando os adultos a sua volta.

‒ Você sabe o que nós viemos fazer aqui? - Jaebum perguntou.

Yugyeom balançou a cabeça em negação e continuou a olhar os mais velhos, curioso.

‒ Nós temos uma casa muito grande. - Jaebum comentou. - E nós estávamos pensando que seria legal ter mais gente lá para morar com a gente.

‒ Nós temos outras crianças lá. - Jinyoung completou, observando que o garoto mostrou um pouco de interesse.

‒ Você não quer ir morar com a gente também, Yugyeommie? - Jaebum perguntou gentilmente.

Yugyeom encarou os dois, abraçou seu boneco dos Minions e olhos em volta do jardim, como se estivesse analisando a situação. Jinyoung sentiu o peito bater mais rápido, imaginando que a criança não iria querer ir embora com eles assim tão fácil, era o primeiro contato com o garoto e ele poderia não ter gostado dos dois adultos.

‒ Choco? - Yugyeom falou depois de alguns minutos.

Jinyoung olhou para Jaebum sem entender o que a criança estava querendo, ansioso por alguma intervenção do marido.

‒ Chocolate. - A criança falou novamente esperando uma resposta de Jinyoung.

‒ Oh! - Jinyoung sorriu aliviado - Sim, nós temos chocolate em casa.

Yugyeom sorriu animado e se levantou limpando a sujeira da calça, depois estendeu a mão para Jinyoung segurar, esperando que ele também levantasse.

‒ Você quer ir para casa com a gente? - Jinyoung perguntou observando a pequena mão de Yugyeom.

A criança apenas balançou a cabeça positivamente e esperou os adultos se levantarem. Jinyoung não resistiu ao impulso e puxou o pequeno para seu colo, o segurando entre os braços. Yugyeom não contestou, apenas se ajeitou no colo do homem e se deixou ser carregado para o lado interno do orfanato novamente.

Jaebum e Jinyoung assinaram os papéis de adoção de Yugyeom e aguardaram as funcionárias do lugar organizarem os poucos itens da criança, como algumas roupas e brinquedos.

Jinyoung prendeu Yugyeom na cadeirinha do banco de trás do carro e acariciou os cabelos do mesmo. Ele sorriu para Jinyoung e acenou para as funcionárias do orfanato enquanto Jaebum saía com o carro.

Quando chegaram na casa de Jaebum e Jinyoung, Yugyeom parou na frente da porta, se escondendo atrás da perna do novo pai. Ele colocou uma mão na boca e Jinyoung percebeu que o mesmo estava envergonhado.

‒ Está tudo bem, Yugyeommie. - Jinyoung se abaixou para falar com a criança. - Você vai conhecer seus novos irmãos, eles vão cuidar bem de você, não se preocupe.

Yugyeom olhou para Jaebum esperando alguma ajuda. Jaebum também se abaixou ao seu lado e lhe beijou no canto da tempora, sorrindo docilmente.

‒ Você vai gostar daqui. Nós temos muitos brinquedos e coisas legais para você brincar e aprender.

‒ E temos chocolate. - Jinyoung completou, observando os olhinhos da criança brilharem.

Jaebum abriu a porta e Jinyoung entrou com o novo integrante da família grudado em sua perna.

Wooyoung e Nichkun, que estavam sentados no chão ao lado do sofá brincando com Bambam e Youngjae, sorriram gentilmente ao ver o novo integrante. Jackson e Mark vieram correndo da porta dos fundos, gritando pelos nomes dos pais e pararam subitamente ao ver que Jinyoung estava acompanhado.

Yugyeom se escondeu mais ainda atrás de Jinyoung e observou as outras crianças da casa.

‒ Está tudo bem, Gyeommie. - Jaebum levemente direcionou o menino para frente das pernas do marido. - Pessoal, esse aqui é o Yugyeom, ele vai morar com a gente também. Por favor sejam amigos deles.

Bambam e Youngjae se aproximaram com as mãos dadas, olhando a outra criança. Jinyoung apenas observou os dois garotos chegarem perto dele e estenderem a mão para Yugyeom segurar.

‒ Eu sou o Bambam. - Falou a criança, tropeçando um pouco nas palavras ainda.

‒ Bambam. - Yugyeom repetiu e segurou na mão do novo irmão.

Jackson e Mark foram de encontro ao novo e também se apresentaram.

Youngjae apenas sorriu apontando que ele também tinha uma pintinha no olho.

As cinco crianças se entenderam rapidamente e em questão de minutos Yugyeom estava sentado no meio da sala vendo os brinquedos que Jackson tirava das caixas para lhe mostrar.

Jaebum abraçou Jinyoung ao ver a emoção em seus olhos e logo em seguida correu para o escritório, para buscar sua máquina fotográfica e registrar os primeiros momentos de seus filhos juntos.

 

~

 

‒ Eu estou tão feliz! Tudo deu certo. - Jinyoung falou deitando no ombro de Jaebum em sua cama, depois de ter colocado todas as crianças para dormir.

‒ Eu disse que ia dar certo. - Jaebum abraçou o marido e se virou um pouco para o encarar.

‒ O que seria de mim sem você, Im Jaebum? - Jinyoung sorriu beijando o queixo do outro.

‒ Sem mim você seria apenas Park Jinyoung. - Jaebum falou se virando até ficar por cima do outro, puxou a mão esquerda de Jinyoung e deu um beijo na aliança dourada que nunca saia do dedo do mais novo. - Mas comigo você é Im Jinyoung.

Jinyoung riu envergonhado e puxou Jaebum para um beijo romântico.

‒ Eu te amo. - Falou acariciando o rosto do mais velho.

‒ Eu te amo muito também. - Jaebum replicou beijando Jinyoung mais profundamente e puxando seu corpo contra o seu.

As mãos de Jaebum conheciam bem as curvas de Jinyoung e as explorava com carícias firmes. Jinyoung se entregava às carícias do marido com facilidade, deixando-o lhe marcar pelo pescoço. Eles estavam iniciando as preliminares quando os passos pesados vieram do corredor, abrindo a porta do quarto do casal com força.

‒ PAI! - Jackson entrou no quarto e indo até a cama. - Yugyeom não está conseguindo dormir.

Jaebum que ainda estava com metade do corpo em cima do marido fechou os olhos e contou até cem, respirando fundo enquanto rolava o corpo para o lado.

‒ Ele está com medo. - Mark apareceu na porta e entrando no quarto junto com Bambam e Youngjae.

‒ Mas ele ta com vergonha. - Youngjae falou baixo, segurando uma mantinha que sempre usava para dormir.

Jinyoung se sentou na cama e olhou para a porta, esperando Yugyeom aparecer depois dos irmãos. Yugyeom olhou pelo canto da porta, observando a movimentação do quarto.

Jackson já havia subido na cama e se enfiado entre as cobertas dos pais, separando Jaebum de Jinyoung. Bambam e Youngjae estavam fazendo o mesmo enquanto Mark esperava o irmão mais novo entrar no quarto, esperando ao lado de Jinyoung.

‒ Pode vir. - Jinyoung chamou o novo filho de maneira gentil. - Tem espaço para todo mundo.

Yugyeom fez um barulhinho de surpresa e correu com suas perninhas curtas até a cama, sendo ajudado por Mark a subir na mesma.

Os sete se posicionaram da maneira mais confortável possível e em poucos minutos as cinco crianças estavam adormecidas.

Jaebum olhou Jinyoung por cima dos cabelos de Jackson e não pode deixar de sorrir ao ver como os olhos do marido brilhavam enquanto ele acariciava os cabelos do mais novo deles.

Eles não podiam ser uma família tradicional, mas eram uma família feliz e tudo que o casal sempre sonhou.  

 


Notas Finais


Espero do fundo do meu coração que tenham gostado dessa fic. Muito obrigada por ler e que meus JJP continuem lindos por muitos e muitos anos ainda ao lado de seus filhotes maravilhosos hehe <3

XoXo ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...