1. Spirit Fanfics >
  2. Mean Girl >
  3. A leopard can't change its spots

História Mean Girl - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Anteriormente em Mean Girl:

Chegando ao meu destino, paguei o taxi no dinheiro, agradeci e uma mulher com compras nas mãos estava saindo do prédio. Aproveitei a porta aberta para entrar sem precisar apertar o interfone, subi correndo pelas escadas. Cheguei ofegante até a porta do apartamento de Matt, apertei a campainha algumas vezes, ele abriu a porta e eu invadi. Ele não entendeu nada, eu o abracei forte.

- O que houve? – Ele me apertou contra seu corpo quente, ele estava sem camisa.
- Viola mentiu para mim! – Passei as minhas mãos por suas costas nuas. – Ela queria roubar a minha herança.
- Calma. – Ele me deu um beijo no alto da cabeça. – Como você descobriu isso? – Eu o soltei, sentei no sofá dele.
- Eu fui até o advogado para poder como poderia receber a minha herança, para poder te livrar do sacrifício de ficar com Viola. – Cruzei as pernas, Matt foi a cozinha, tirou algo dentro do armário. – Descubro que minha mãe deixou uma boa grana e que Viola queria roubar a minha parte, já que ela fumou a parte dela.
- Isso é muita doideira. – Matt veio com Jack Daniels de mel, com um copo. Ele serviu um copo cheio para mim. – Imagino que você só pode mexer na sua herança quando fizer 18 anos.
- Sim, mas posso receber antes. – Eu segurei o copo nas mãos e dei um gole. – Isso é bom, só que preciso que Viola assine uma autorização. – Me recostei no sofá. – Isso é impossível, capaz de pedir uma grana ou não aceitar por pura birra.
- Não acredito que você veio apenas me contar “a boa notícia”. – Eu tomei mais um gole e ele virou a garrafa. – Onde eu entro nessa história?
- Você precisa fazer aquela mulher assinar a autorização sem ler, essa é a parte difícil que ela desconfia da própria sombra, não pode ser assim. – Estalei os dedos. – Não estou afim de esperar fazer 18.
- Será que consigo até o final do verão? – Eu me aproximei de Matt, toquei seu rosto.
- Por que até o final do verão? – Ele tirou a minha mão.
- A banda conseguiu vários shows até o final de janeiro, então não vou ter tempo para brincar de namorado perfeito e fiel com a Viola. – Terminei o meu copo, estendi e ele encheu novamente.
- Então temos oficialmente 3 meses para executar nosso plano, pode ficar tranquilo que você vai ser recompensado por isso.

Capítulo 10 - A leopard can't change its spots


Fanfic / Fanfiction Mean Girl - Capítulo 10 - A leopard can't change its spots

- Quanto você vai me dar, Gabe? – Matt levou a garrafa para longe.

- Sei lá, quanto você precisa. – Coloquei a minha mão no peito. – Por que é tão difícil ficar longe? Estou morrendo de vontade de tirar a minha roupa e transar com você.

- Gabe, Gabe... – Matt se afastou um pouco. – Estou precisando de coisas para banda, uns dois mil.

- Feito, Viola mentiu sobre o dinheiro. – Passei a mão na coxa dele. – Vou receber bem mais de mil dólares, posso te dar mais um agrado. – Coloquei a minha mão dentro da cueca samba canção.

- Eu preciso desse agrado já que sua irmã não vai me agradar. – Comecei a massagear o membro dele até formar uma ereção. – Continua assim, Gabrielle.

- Como sou malvada, vou fazer isso. – Continuei a masturba-lo, ele fez os olhos revirarem quando peguei em cima e fui mais rápida. – É tão grande e duro.

- Tira a roupa bem devagar. – Parei e ele tirou o membro para fora, continuando o que estava fazendo.

- Como você quiser.

 

            Tirei meus coturnos e as meias rapidamente, fiquei na frente dele, segurei a barra da minha camiseta, comecei a rebolar os meus quadris, tirei a minha camiseta. Matt não parava de me olhar, abri a minha calça, fui abaixando lentamente pelas minhas pernas, deixando Matt ainda mais excitado. Segurei a barra da calcinha, tirei lentamente como se estivesse torturando. Eu estava excitada e ele ainda não tinha me tocado.

            Eu me sentei no colo dele, abaixei a cueca dele até suas pernas, ele a chutou de qualquer jeito. Matt encostou seu membro na minha intimidade, não deixei que ele me penetrasse, passei a minha língua no seu queixo. Ele sorriu para mim, segurei uma de suas mãos e coloquei no meu ponto de prazer, eu estava molhada, mas queria estar quase gozando quando ele fosse me penetrar.

            Matt me estimulou com dedos lentamente, me fazendo gemer, se movimentar no seu colo e fazendo com que ele chupasse o bico do meu peito. Eu voltei a segurar seu membro, o masturbando mais rápido por toda a extensão, Viola nunca daria esse prazer que estava dando a ele. Senti dois dedos seus entrarem e mexerem dentro de mim tão rápido. Era melhor do que quando eu me masturbava no meu quarto, seu polegar acariciando a minha carne, aumentando ainda mais o meu prazer.

Ele chupava o meu mamilo enrijecido, seu membro ficou ainda mais duro, pulsando. Demos espasmos de prazer juntos, Matt tirou seus dedos, tirei a minha mão, coloquei em seus ombros, abri mais as minhas pernas e o deixei que me invadisse completamente. Comecei a me movimentar no colo dele, rebolei meus quadris em cima do membro ereto dele, desci as minhas mãos até seus quadris para me apoiar melhor. Suas mãos espalmaram na minha bunda, arqueei as minhas costas, sentindo seu membro duro pulsar dentro de mim, as nossas respirações ficaram descompassadas.

Nossos gemidos preenchiam aquele maldito apartamento, me movimentei mais rápido no colo dele, deitei meu corpo, apoiando as minhas costas em seus joelhos. Matt segurou as minhas pernas e as colocou em cima do seu peito forte e tatuado, investindo com força e velocidade como num filme pornô. Eu tive um orgasmo quando chegou no meu ponto G, ele investiu algumas vezes e acabei gozando, o que fez gozar dentro de mim.

Eu deitei no sofá, com o corpo relaxado, Matt deitou por cima de mim, começou a beijar o meu pescoço. Foi descendo seus beijos até meu colo, desceu até a minha barriga, foi descendo, mordi o meu lábio inferior e fechei meus olhos. Senti sua língua tocando toda a extensão da minha intimidade, arqueei as minhas costas e ele ficou lambendo. Gemi alto, ele parou e pediu para que eu ficasse de quatro no sofá, assim eu o fiz.

Matt continuou lambendo a minha intimidade como fosse um sorvete, apertei o braço do sofá, era uma sensação ótima. Ele parou novamente, resmunguei querendo mais, Matt deu uma risada, de repente comecei a sentir seu membro rígido entrando em mim e dei um gritinho. Eu já estava molhada, senti um espasmo muscular quando estávamos conectados, ele agarrou meus quadris e começou a se movimentar violentamente contra os meus. O som dos nossos corpos se chocando era alto demais, gemíamos selvagem, ele ia tão rápido.

O celular de Matt começou a tocar, pedi para que ele ignorasse e continuássemos a transar, ele atendeu ao meu pedido, afinal o sexo estava bom para ambos. Ele desacelerou um pouco para descansar, mas não parava de investir, dei um gritinho quando ele chegou mais fundo, Matt deu uma mordida na pele das minhas costas, respirou ofegantemente e acelerou rapidamente seus quadris contra minha bunda, eu ia atingir o orgasmo mais uma vez, contudo ele tirou o membro dele, xingou bastante e senti o liquido quente dele em cima da minha bunda. O celular tocou novamente, Matt xingou bastante e saiu de perto de mim para atender.

Eu me deitei de bruços no sofá, joguei meus cabelos para o lado, meu coração estava acelerado, o cheiro de sexo estava forte na sala, coloquei o dedo na boca. Era uma sensação estranha, pensei que não poderia viver sem aquilo, não sabia se era excitante apenas por Matt ser namorado de Viola, ou realmente eu gostava dele, ou de transar com ele. Matt voltou, deitou por cima de mim, ele começou a beijar a minha nuca.

 

- Aguenta dar mais uma? – Ele me penetrou novamente. – Isso é bom. – Ele começou a se movimentar lentamente dentro de mim. – Ah, ah... Quem era?

- Sua maldita irmã, ahn... – Matt chupou o lóbulo da orelha. – Empina essa bundinha linda para mim. – Assim eu fiz, ele puxou meus cabelos para trás. – Ela quer que eu jante com vocês para comemorar o novo emprego, eu disse que eu ia pensar porque estou muito ocupado trabalhando em uma nova música. – Deu um beijo na minha nuca.

- Como você está ocupado, fodendo a irmã dela. – Ele penetrou forte e fundo. – Assim mesmo, te quero assim forte e devagar. Posso passar o resto do dia com você?

- Claro. – Uniu nossos lábios num beijo rápido, seus lábios molhados e macios com hálito de uísque. – Gostosa. – Suas mãos agarraram meus seios, movimentei meus quadris contra seu membro.

 

XXX

 

            Mais tarde, almoçamos juntos e transamos mais algumas vezes, tão prazerosas quanto as vezes anteriores. Tomei um banho no apartamento dele, Matt me avisou que seria a última vez que ficaríamos juntos para não sermos descobertos, eu menti que concordava, mas no fundo eu sabia, sabia que não seria a última vez.

            Matt me deu uma carona de moto até em casa, entretanto me deixou em outra esquina, por causa dos vizinhos fofoqueiros. Corri até em casa para que chegasse antes de Viola voltar do trabalho. Troquei de roupa, como eu teria que fingir que não sabia que Matt viria jantar, eu coloquei minha camisola de seda preta curta. Ouvi barulho na porta, mexi nos meus cabelos e me joguei na cama.

Bateram na minha porta, fingi que não ouvi e continuaram a insistir, sabia que era Viola. Dei uma risada, me lembrando de que havia transado o dia inteiro com o namorado dela, como ela era burra ao desprezar sexo com ele. Senti como se as mãos dele estavam passeando pelo meu corpo, seus lábios me beijando, tive um comichão na intimidade só de lembrar. Ela insistiu, revirei meus olhos, abri a porta e ela entrou.

 

- O que você quer, Viola?

- Você está de camisola? – Respondeu com outra pergunta. – Esquece, preciso que você faça o jantar. – Dei de ombros. – Matt vem jantar conosco e quero que ele coma uma boa comida, sabemos que eu não sei cozinhar.

- E eu com isso? Você chamou seu namorado, pede comida num restaurante chinês ou no italiano da esquina. – Fingi indiferença.

- Gabrielle, eu realmente estou gostando do Matt e estou tentando agrada-lo. – Viola estava desesperada. – Você não entende, sinto coisas por ele que não deveria sentir. – Dei um sorriso de lado.

- Só eu poder ir à Nova York com Leah no verão. – Ela me deu um tapa no rosto.

- Eu não vou deixar viajar, você reprovou por faltas, seria uma recompensa pelo seu mau comportamento. Você é tão egoísta, Gabrielle.  – Viola rodou em círculos. – Você vai se arrepender por não me ajudar.

- Eu ia cozinhar em consideração pelo Matt, esse pobre rapaz te aguentar, depois desse tapa se vire e saia do meu quarto! – Viola saiu do meu quarto e bateu a porta com força. – É você que vai se arrepender por não me dar o que eu quero, burra nem sabe que eu transo com seu namorado.

 

            Eu deitei na cama, cruzei os braços, depois peguei o travesseiro e coloquei no meu rosto, gritando de raiva. Senti o cheiro de queimado, dei uma risada, entretanto fiquei com pena de Matt que teria que comer aquela bosta de comida e ficar com ela, depois de estado nos meus braços e provado o melhor.

            Os gritos de Viola davam para ser ouvidos do meu quarto, caí na gargalhada, então tocaram a campainha, ela quase chorou e xingou diversos palavrões. Fiquei curiosa para ver Matt, resolvi ficar na minha cama deitada, meu corpo se arrepiou pensando nas sensações novamente, respirei fundo. Bateram na minha porta novamente, revirei meus olhos, abri a porta e era Matt. Levei um susto, ele ficou me olhando de camisola, babando pelo corpo e tentando controlar uma ereção.

 

- Para de agir como um moleque excitado. O que você quer, além de sexo?

- Se você quer que eu sobreviva até o final da noite, cozinha qualquer coisa. – Abaixei a alça da minha camisola, mostrando um dos meus seios. – Eu vou para o inferno, se sua irmã estivesse mais chapada ou não estivesse em casa, te comeria como eu fiz mais cedo. – Levantei a alça e coloquei a mão dele entre as minhas pernas. – Oh, céus.

- Gosta do perigo? Sabemos que a Viola não vai te dar nada hoje, nada do que eu posso te dar. – Flertei, Matt me deu um selinho longo. – O que você está fazendo comigo?

– O que você faz comigo? Perco o controle quando estou perto de você, sua buceta está quente demais. – Senti seus dois dedos me invadindo. – Parece que coloquei manteiga em você. – Fechei meus olhos, os dedos de Matt estava se movimentando rápido demais.

- Matt, por que você está demorando tanto? – Viola gritou, sua voz estava mais perto, Matt voltou a colar meus lábios nos dele. – Estou indo aí.


Notas Finais


Será que finalmente Viola vai dar um flagrante nesses dois?
Gabe e Matt vão continuar sem envolvendo?
Ela vai receber essa herança?
Beijos e ate a proxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...