1. Spirit Fanfics >
  2. Mean Girl >
  3. Showtime

História Mean Girl - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Anteriormente:

Peguei a minha bolsa de camurça, joguei meu celular lá dentro, fui até a cozinha. Viola estava animada e sorrindo, imaginei o que seria, contudo não estava afim de saber. Peguei uma caixa de cereal dentro do armário, coloquei numa tigela, abri a geladeira, peguei uma garrafa de leite e joguei dentro.

- Pode comemorar, não vou te levar para escola. – Revirei meus olhos. – Eu tenho uma entrevista de emprego em LA daqui a duas horas. – Ela pegou sua bolsa chique e se mandou.
- Comemore por enquanto, sua vaca.

Capítulo 6 - Showtime


Fanfic / Fanfiction Mean Girl - Capítulo 6 - Showtime

Mais tarde eu coloquei remédios amassados dentro das bebidas de Viola, mesmo sabendo que não poderia dar certo. Eu só queria que ela dormisse enquanto eu saísse de casa, depois sairia depois. Vesti uma meia calça preta, uma minissaia de couro, uma camiseta preta dos Ramones. Fiz uma maquiagem pesada, passei bastante sombra preta. Passei perfume, coloquei na minha cabeça que esqueceria Matt nos braços de um cara qualquer.

            Esperei Viola entrar no quarto dela, se trancar, quando tudo ficou silencioso. Peguei a minha bolsa, coloquei meus coturnos e saí do quarto. Tranquei a porta, andei pela ponta dos pés, as luzes estavam todas apagadas, tranquei a porta da frente e pude andar normalmente. Peguei meu celular, chamei um Uber e coloquei o endereço na esquina onde meus vizinhos fofoqueiros não poderiam ver.

            Chegando ao local da festa, era uma pequena casa amarela num condomínio em Anaheim Hills. Tinha muitos jovens, alguns universitários tomando cerveja, garota mostrando seus peitos para serem filmados, revirei meus olhos e entrei. A casa estava vazia de moveis, me aproximei do bar improvisado com uma mesa de madeira, cheia de bebida e pedi uma piña colada. Eu peguei o copo de plástico cheio, dei um gole e me afastei.

            Ligaram o som, não reconheci a banda. Apareceu um cara correndo pelado pela casa, dei uma risada, vi Matt dançando de uma forma desajeitada com uma garota, senti um pouco de ciúmes. Coloquei a mão no meu rosto, saí de perto deles, senti uma mão agarrando meu braço e arrastando para um cômodo vazio. Era Matt e ele me olhou como senão acreditasse que estava naquela festa.

 

- Esse tipo de festa não é para você. – Ele achou uma garrafa de vodca no chão, estava meio cheia e começou a tomar. – Por que você não atendeu as minhas ligações?

- Eu não vi, precisava de algo para distrair a Viola. – Menti, ele acreditou enquanto bebia aquela garrafa. – Então deu tudo certo? – Fingi interesse.

- Sim, a gente se beijou. – Bebi a meu copo, tentando controlar meus ciúmes. – O encontro foi um saco, mas ela gostou e isso que interessa.

- Será? – Perguntei ironicamente.

- Entendi o tom de sarcasmo. Isso era o que você queria? – Queria gritar que não queria mais. – Eu não gosto da Viola, o beijo dela parecia que eu estava beijando um peixe. – Ainda não estava tranquila. – Eu não aguento mais, sei que ela é um saco. Mas ela merece o que estamos fazendo com ela?

- Se você quiser desistir tudo bem... – Joguei o copo no chão. – Vai ter que pagar as 500 pratas até a segunda! – Matt agarrou meus ombros.

- O que deu em você, Gabrielle? Você está com ciúmes? – Ele me sacudiu e me soltou. – Você se meteu nessa. – Matt deu um soco na parede, abriu a porta e me deixou sozinha.

- Burra! – Gritei.

 

            Encostei a minha cabeça na parede, bufei, abri a porta, Matt estava bebendo uísque com seus amigos, colocou uma das mãos na parede, tropeçou os pés e uma garota riu dele. Peguei meu maço de cigarros dentro da bolsa, peguei meu isqueiro e acendi um cigarro.

            Eu me encostei na parede, apareceu um cara do meu lado. Ele era alto, tinha cabelos castanho claro, olhos acinzentados, ele me ofereceu uma bebida, não aceitei. Dei um trago, ele era bonito, não tanto quanto Matt, agarrou pela minha cintura, começou a beijar o meu pescoço, espiei e vi que Matt estava bebendo com os amigos, nem olhou para mim.

 

- Quero ficar à vontade com você. – Eu me virei de frente para o cara. – Eu me chamo Josh.

- Gabrielle. – Dei um selinho nos lábios dele. – Aonde você vai me levar?

- Para um quarto, onde vamos nos divertir. – Ele me olhou com desejo, enfiou a mão na minha bunda e eu me afastei.

- Acho que não é uma boa ideia. – Eu o empurrei, ele deu de ombros.

- Vadia idiota.

 

            Ele foi embora se esfregar em outra garota, fui até a mesa, enchi um copo de vinho tinto barato. Eu virei num gole, acendi outro cigarro, dei um trago, Matt estava numa cadeira de escritório, vendado e estavam girando-o. Depois ele abriu a boca, encheram a boca dele com vodca, ele engoliu e depois giraram de novo, eu me aproximei e dei mais um trago.

            Enchi meu copo de novo com vinho, Matt levantou da cadeira, apontaram os celulares para filma-lo, ele estava totalmente tonto. Ficaram incentivando para que ele beijasse a primeira garota que visse. Ele esbarrava em alguém, essa pessoa empurrava de volta, até que ele ficou na minha frente, bateram palmas e eu tirei a venda dos olhos de Matt.

            Matt olhou para meus lábios, eu olhei para os dele. Eu o abracei pelo pescoço e toquei sua nuca, ele colou seus lábios nos meus, bateram mais palmas e gritaram. Senti seus lábios com gosto de bebida, molhados e macios junto aos meus, fechei meus olhos para senti-lo melhor. Fiquei na ponta dos pés para poder beija-lo, desceu as suas mãos até a minha bunda e agarrou com força.

            Meu coração acelerou de uma forma que nunca tivesse acontecido comigo, a ponta da sua língua tocando o meu lábio inferior, pediu passagem e virei a minha cabeça. Seu beijo era tão quente, as nossas línguas se tocaram rapidamente, as pessoas comemoraram ainda mais. Ele apertou suas mãos enormes, grudando nossos corpos e intensificamos o beijo, virei a cabeça e a minha língua tocou o céu da boca dele.

            Meus pés começaram a doer de ficar naquela posição, toquei seu rosto com as duas mãos, chupei seu lábio inferior, então jogaram um balde de água com gelo, nos separando. Acabou com o beijo e a minha maquiagem, respirei ofegantemente, todos riram. Então Matt me pegou pela cintura e me levou até o bar improvisado. Um cara bateu suco de morango, água de coco, vodca, açúcar e meia garrafa de tequila, bateu tudo no liquidificador.

            Ele encheu nossos copos, bebemos rapidamente, estava ardendo e doce demais. Eu toquei seus lábios lentamente, mas Matt se afastou para beber mais um pouco. Segurei a sua mão, ele piscou para mim, comecei a rir descontroladamente, tudo ficou mais lento.

 

XXXX

 

            Dei por mim, estava tudo escuro, estava numa cama, apenas de lingerie em cima de Matt, as mãos estavam no elástico da minha calcinha, puxou para baixo, senti um arrepio na espinha. Matt beijavam meu colo, estava tão quente, minha intimidade estava molhada demais. Invertemos nossas posições, habilmente Matt arrancou a minha calcinha, fiquei com o corpo mole na cama.

            Matt estava bêbado demais, demorou demais para tirar a própria cueca. Eu me sentei na cama, ele caiu da cama, tocou as minhas coxas lentamente, abriu as minhas pernas e começou a beijar a parte interna da minha coxa, respirei lentamente. Chegou seus beijos até a minha virilha, passou a língua na região, abriu ainda mais as minhas pernas, beijou a minha parte intima.

            Revirei meus olhos, senti sua língua quente massageando a minha intimidade, gemi alto e a respiração descompensada. Esfregou sua língua molhada no meu clitóris, meu coração acelerou e senti tanto prazer. Matt parou, dei um sorriso, demos um selinho longo e ele ficou em pé. Vi seu membro ereto, ele colocou na minha boca, comecei a chupar toda a extensão, mesmo sem saber como fazer aquilo. Suguei tão rápido, ele gemia baixo e segurou meus cabelos, mexeu seus quadris como se tivesse transando com a minha boca.

            Matt me jogou na cama, abriu a gaveta, tirou um preservativo e se protegeu rapidamente. Reparei como ele era um rapaz abençoado, Matt deitou por cima de mim, estava relaxada por causa da bebida. Coloquei as minhas pernas em volta da cintura de Matt, então o senti entrando em mim, senti uma ardência na minha intimidade, era minha primeira vez.

            Então o senti todo dentro de mim, senti seu corpo colado ao meu, ele começou a se movimentar lentamente, revirei meus olhos, era tão gostoso. Pedi para ele ir mais rápido, assim ele o fez. Gemi seu nome, Matt também estava gostando, nossos corpos começaram a suar, ele chegou no ponto sensível. Cravei as minhas unhas na sua pele das costas, gememos mais alto, a cama começou a ranger, senti um espasmo de prazer, Matt chupou a pele do meu peito como bebê faminto.

            Matt foi mais rápido, mais rápido até que gozou dentro de mim. Ele se jogou do lado da cama, relaxei na cama, era sensação ótima. Tinha um gosto de pecado, felicidade, deitei a minha cabeça no peito de Matt. Senti uma das suas mãos nas minhas costas suadas, eu me senti tão feliz.

            No dia seguinte, acordei nos braços de Matt, estava feliz, sorri um pouco. Estava um pouco de ressaca, eu saí na cama, peguei a camiseta de Matt que estava no chão e me vesti. Matt estava apagado na cama, me estiquei, então me lembrei que havia passado a noite fora e Viola ficaria uma fera. Peguei minha bolsa que estava no chão, peguei meu celular e vi se tinha ligações perdidas. Nada, então Viola não tinha acordado, fiquei um pouco aliviada. Olhei e era sete da manhã, comecei a me preocupar.

            Tirei a camisa de Matt do corpo, olhei para Matt nu dormindo, mordi o lábio inferior. Peguei as minhas roupas e coloquei correndo, me sentei com dificuldade, estava sentindo um pouco de dor na intimidade. Chamei um Uber correndo, não daria tempo de Matt se arrumar, depois a gente conversaria. Saí correndo do prédio, percebi que havia esquecido a minha meia calça e meu sutiã no apartamento.

            O Uber chegou rapidamente, entrei no Honda Civic preto, pedi para que ele acelerasse com tudo. Respirei fundo, meu coração ficou batendo a mil, ele estacionou na porta de casa. Saí correndo até a porta, abri a bolsa para pegar a minha chave, a porta se abriu e era Viola com cara de poucos amigos.

 

- Onde você estava, Gabrielle Young?

 


Notas Finais


O que Viola vai fazer com Gabe?
Será que Gabe e Matt vão continuar juntos?
Beijos e até a proxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...