1. Spirit Fanfics >
  2. Mean Girl >
  3. Next Day

História Mean Girl - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Anteriormente em Mean Girl:

O Uber chegou rapidamente, entrei no Honda Civic preto, pedi para que ele acelerasse com tudo. Respirei fundo, meu coração ficou batendo a mil, ele estacionou na porta de casa. Saí correndo até a porta, abri a bolsa para pegar a minha chave, a porta se abriu e era Viola com cara de poucos amigos.

- Onde você estava, Gabrielle Young?

Capítulo 7 - Next Day


Fanfic / Fanfiction Mean Girl - Capítulo 7 - Next Day

- Eu fiz uma pergunta. Onde você passou a noite? – Ela gritou, senti dor de cabeça devido a ressaca, mas entrei rapidamente.

- Numa festa, bebi e me diverti a noite toda. – Lembrei um pouco da minha transa com Matt. – Desculpe, eu não vou fazer mais isso. Estou de castigo por uma semana. Blá, blá, blá... – Subi as escadas.

 

            Entrei no meu quarto, tirei a minha roupa, me enrolei na toalha e tomei um banho rápido. Depois voltei ao meu quarto, peguei uma lingerie preta e coloquei uma camiseta preta enorme do ACDC. Tentei tirar Matt da minha cabeça, o nosso negócio era profissional, ele tinha que seduzir Viola, apenas isso.

            Saí do quarto, cheguei até ao alto da escada, Viola foi até a sala pegar uma garrafa de uísque e foi até a cozinha. Ouvi vozes, ajeitei a minha camiseta velha no corpo, desci as escadas. Andei até a cozinha, pegar alguma coisa para beber, devido a minha ressaca. Matt estava bebendo uísque, rindo e levei um susto com ele. Ele me deu um sorriso largo como se não estivesse acontecido nada entre a gente.

 

- Bom dia, Matt. – Cumprimentei e o abracei. – Por que você veio aqui tão cedo?

- Vim ver a Viola. – Cocei a nuca, Viola bebeu direito do gargalho.

- Que tal chama-la para dar um passeio na praia? – Sugeri e Viola me olhou com ódio. – Ela precisa pegar um sol.

- Ela quer se livrar de mim porque chegou da balada agora. – Dei um sorriso falso enquanto Viola falava.

- Você precisa ficar de bom humor. – Respondi sarcasticamente.

- É uma boa ideia, vamos Viola. – Ela revirou os olhos.

- Ok, vou me arrumar. – Viola saiu do nosso campo de visão, eu me aproveitei e sentei ao lado de Matt.

- Lembra de ontem à noite? – Passei a mão na coxa de Matt e ele tirou sua mão da coxa.

- O que eu deveria lembrar? – Ele estava confuso. – Você estava na festa ontem, eu lembro de você, mas não lembro do que eu fiz depois de girar naquela porra de cadeira. – Ele passou a mão na cabeça raspada.

- Você pagou o maior mico, eu sei que bebi demais e você mais do que eu. – Dei um sorriso sem graça, pensei que era melhor ele não se lembrar. – Saiu com alguma garota da festa, estou morrendo de ressaca.

- Espero que Viola não veja os vídeos de ontem. – Dei de ombros. – O que você quer eu faça, além de levar a serpente do mar para nadar? – Tive que rir.

- Converse, na verdade deixa aquela bruxa fazer o monologo de sempre. – Fingi que estava falando com a mão. – Quando estiver quase dormindo, ou com dor de cabeça, ou perceber que ela está dando condições, você a beija. – Matt fez cara de nojo, pegou a garrafa da mesa ainda tinha um pouco de uísque e bebeu. – Toma o elixir da coragem.

- Preciso mesmo. – Revirou os olhos e colocou a garrafa vazia no lugar.

 

XXXX

 

Huntington Beach High School: Uma semana e uns dias depois

 

            Aquela semana foi mais tranquila, comecei a evitar a presença de Matt, só que ele se tornou mais presente na minha vida do que nunca. Viola começou a gostar de sair com ele, começou a sorrir, contudo aquela vadia continuava pegando no meu pé. Voltei a juntar dinheiro para comprar meu carro, porque vi um Mustang preto, custava 3 mil dólares, só o dinheiro da herança não daria para comprar. 

Arrumei um emprego meio expediente no verão, ajudaria para comprar meu carro mais rápido. Depois de mais um ano, consegui tocar meu violão, consegui cantar, o problema que não conseguia tirar Matt da minha cabeça.

            Estava na escola, Leah voltou para assistir as aulas, ela me abraçou e pediu desculpas por ter me abandonado pela namorada. Eu a perdoei, não aguentava mais ficar sozinha. Matamos uma aula, sentamos na grama do pátio, acendemos nossos cigarros escondido para que não nos pegasse.

 

- O que aconteceu enquanto estive fora? – Leah deu um trago no seu cigarro.

- Nada demais, teve uma festa incrível semana passada e eu perdi a virgindade. – Leah derrubou o cigarro. – Não foi com qualquer um, foi com o gato do Matt.

- Aquele gostoso que sai com a vadia da sua irmã, Gabe. – Corei as bochechas.

- Sim, mas ele não se lembra de nada. – Leah revirou os olhos. – Não consigo parar de pensar nele, no cheiro dele, gosto da boca dele, da sensação ótima de trepar com ele.

- Sexo é bom, muito bom. – Leah respondeu, - Você não pode desistir dele pela Viola.

- Credo, não. – Fiz careta. – Não é pela Viola, sim pela minha herança. – Dei um trago no meu cigarro e soltei a fumaça pelo nariz. – Quero que a Viola se foda, ela trocou as fechaduras de casa e não consigo sair.

- Aquela vaca arrumou um emprego? – Balancei a cabeça negativamente.

- Vou adiantar as coisas, aquela idiota está comendo nas mãos de Matt então vou adiantar logo as coisas entre eles. – Dei mais um trago longo, Leah ficou me olhando. – Preciso do meu dinheiro, quero comprar o carro antes que o verão termine.

- Estou vendo seu violão do seu lado. – Eu peguei meu violão, toquei alguns acordes com o cigarro na boca. – Não perdeu o jeito de tocar.

- Não, ando muito inspirada. – Meus olhos brilharam. – Você acha que eu deveria falar com Matt sobre o que aconteceu entre nós?

- Acho que sim, o máximo que pode acontecer é ele te mandar pro inferno. – Leah cruzou os braços e deixei meu violão na grama. – Não precisam se casar, mas podem transar quando der vontade, sempre é bom ter um amigo com benefícios. – Me olhou maliciosamente. – Disk sexo: ligou, transou. – Rimos bastante.

 

            Vimos o diretor, apagamos o cigarro na grama, ele me chamou com o dedo e Leah cruzou os dedos. Eu guardei meu violão, coloquei nas costas, pendurei a bolsa, me levantei e o segui. Revirei meus olhos, andamos juntos até a sala do diretor. Chegando lá, Viola estava sentada na cadeira com cara de poucos amigos, revirei meus olhos e me sentei ao lado dela. O diretor sentou na cadeira dele e colocou as mãos em cima da mesa.

 

- Bem, eu te chamei aqui, senhorita Moore para te avisar que sua irmã foi reprovada pelo excesso de faltas e notas baixíssimas. – Me recostei na cadeira. – Preciso que assine o termo.

- Onde eu assino, me desculpe pela minha irmãzinha ser tão irresponsável, vou ficar de olho nela. – Cruzei os braços e Viola assinou a papelada.

- Desculpe pelo incomodo, vou precisar dos seus dados atualizados. – Aproveitei que Viola estava distraída e mandei uma mensagem para Matt que dizia “Os planos mudaram, preciso que você vai imediatamente para minha casa, diga que está apaixonado por Viola. Depois me liga, em seguida”. – Pode voltar à aula, senhorita Young.

 

            Eu dei um sorriso falso, me levantei da cadeira, cruzei os braços, andei pelo corredor e entrei na sala de economia doméstica. Eu me sentei no fundo da sala, a professora estava explicando algumas coisas, deitei a minha cabeça na mesa e dormi profundamente. Meu celular começou a vibrar, levantei a minha mão e pedi para ir ao banheiro. A professora deixou, coloquei o celular dentro do bolso da calça e saí da sala.

 

- E aí, Matt? – Estava nervosa.

- Viola começou a chorar, quase fiquei com pena dela. – Matt respondeu. – Ela saiu correndo e disse que não acreditava em mim, não sei o que faço.

- Eu queria te ver para explicar o que fazer, mas Viola deve me buscar na escola. – Eu me sentei no chão. – Quando a Viola dormir, eu vou te ligar e você vem aqui em casa, eu vou te explicar o que você tem que fazer.

 

XXXX

 

            Mais tarde, Viola encheu a cara de remédios e foi dormir cedo. Entrei no meu quarto, tirei o meu pijama, peguei meu vestido preto justo e me vesti. Peguei meu perfume, passei por todo meu corpo, ajeitei meu cabelo, mas não fiz maquiagem, já que ficaria em casa. Respirei fundo, olhei no espelho, não queria falar a verdade, mas estava na hora de agir. Meu celular tocou, era uma mensagem de Matt dizendo que havia chegado.

            Andei normalmente, desci as escadas devagar, abri a porta dos fundos, saí correndo até a entrada e tinha uma van preta. Piscaram os faróis, me aproximei rapidamente, abriu a porta do passageiro, vi Matt e me sentei no banco do passageiro. Fechei a porta, Matt sorriu para mim, eu dei um beijo no canto da boca dele, meu coração disparou, mas me recompus.

 

- Eu queria falar para você esperar mais dois dias, deixar aquela mulher pensar um pouco. – Esfreguei as minhas mãos nas coxas, minhas mãos suaram muito. Matt tirou as mãos do volante.

- Vou fazer o que você quer, não vejo a hora de isso acabar. – Riu um pouco, eu toquei seu rosto. – O que você está fazendo, Gabe?

- Tem certeza que não lembra? – Perguntei ironicamente, me sentei no colo.

- O que eu deveria me lembrar? – Uni nossas testas, suas mãos passearam pelas minhas costas.

- Disto. – Colei meus lábios nos dele.


Notas Finais


Gabrielle tomou iniciativa.
Será que Matt vai resistir a Gabe?
Viola vai conseguir controlar a irmã?
A maldita herança de Gabe vai sair?
Beijos e até a proxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...