História Mecy - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias RWBY
Personagens Personagens Originais
Tags Rwby, Universo Alternativo
Visualizações 14
Palavras 3.190
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - First Class


Fanfic / Fanfiction Mecy - Capítulo 7 - First Class

(Mahina - Autora)

- Edwarda... Já está na hora - quem disse foi Mahina, que estava na sua segunda tentativa de acordar Edwarda, que parecia não acordar mesmo com ela tendo a chamado duas vezes já.

Ali estavam todos os membros do Time Mecy, que se encontravam agora nos aposentos da Beacon, local onde todos os demais grupos se hospedavam até o último dia de aula. O quarto no qual elas foram encaminhadas era de um tamanho normal, com duas beliches, uma de cada lado do quarto, tendo entre elas uma grande janela, onde dava uma bela vista do lado de fora da Beacon. Fora isso, as únicas coisas encontradas no quarto eram objetos das garotas.

- Ela realmente não quer acordar.... - sussurrou Chloe, que estava com uma pequena gota em sua cabeça, com ambos olhos fechados. Impressionada ela estava por causa desse sono pesado da garota.

- A gente vai se atrasar por causa dela - comentou a loira, que no momento, era a única que estava sentada, ficando na cama inferior do lado esquerdo - não seria melhor deixar ela aí para irmos na frente? Ela nos alcança depois.

- Yuri! Ela é nossa companheira! A gente não pode simplesmente fazer isso! - exclamou a pequena morena, que esboçou um falso semblante de raiva, com um pequeno bico se formando em seus lábios - por que você não cutuca a bochecha dela? - indagou fitando seu olhar na morena Fauno.

- Achei que ela não ia precisar fazer isso... - murmurou, suspirando em seguida. Mahina após alguns segundos esperando ver se a garota iria acordar, coloca seu dedo indicador na bochecha da albina, que soltou um baixo resmungo - parece que funcionou... Edwarda, já está na hora....

- Só me dê mais cinco minutos... - resmungou baixo, virando-se para o lado contrário das garotas, ficando assim de costas para ela.

- Você vai atrasar ainda mais a gente com seus cinco minutos.... - com uma gota na cabeça sussurrou Yuri. Vendo logo em seguida a garota se sentar na cama, com um semblante sonolento e irritada ao mesmo tempo - foi difícil levantar cedo?

- Na minha casa eu dormia até às duas da tarde..... - resmungou, passando suavemente seu indicador sobre um de seus olhos - eu não devia ter aceitado vir para Beacon... 

- Você está mesmo resmungando só por acordar cedo para a primeira aula? - questionou Chloe, que soltou uma baixa risada divertida com o comentário de Edwarda - você vai ter que se acostumar com isso alguma hora.

- Na Signal eu não acordava tão cedo... - novamente resmungou, levantando ao máximo seu braços para cima, se alongando e em seguida bocejando - eu vou ir tomar banho... Vocês podem ir na frente se seguirem.

- Eu não confio muito que você vá tomar banho.... Acho que você irá voltar a dormir... - desconfiada, Mahina disse, logo virando-se para as outras duas garotas - vocês podem ir na frente, eu vou ficar com ela para ter certeza que ela não vai voltar a dormir.

- É horrível ter uma pessoa que sempre está certa por perto... - suspirando disse Edwarda, que logo virou suas pernas para fora da cama, pulando dela em seguida - tenho medo de saber o quanto de mim o Ozpin te disse....

- Ok então. Vamos esperar vocês duas na sala - comentou Yuri, com Chloe atrás dela concordando - até daqui a pouco.

- Até - sorrindo disso Chloe, saindo do quarto após a abrir a porta junto de Yuri. Após a saída delas Mahina caminha até a porta, e a fecha em seguida, se pronunciando após.

- Você já pode ir tomar banho, e não demore, não temos muito tempo - com os olhos virados para a Fauno loba disse, caminhando até a cama da loira, se sentando lá - eu vou ficar esperando você.

- Você é muito sem-graça.... - suspirou, dando em seguida pequenos e lentos passos, caminhando até a porta do banheiro, que ficava ao lado da beliche de Yuri e Mahina. Antes que ela tivesse entrado, ela para, e logo se vira para trás. dizendo - quase que eu esqueci! Eu tenho que pegar o uniforme! - sorrindo de boca aberta, e com uma gota na cabeça ela acrescentou, arrancando um suspiro da Mahina.

(...)

- Monstros. Demônios... Predadores da noite. Sim, as criaturas de Grimm tem muitos nomes, mas eu apenas me refiro à eles como presas - dizia com uma voz animada, e logo soltando uma forte risada, um homem de 1,73. Seus cabelos eram grisalhos, e possuía um bigode, aparentemente ela se encontrava acima do peso.

- Chegamos atrasadas só por cinco minutos... Nossa sorte foi que o professor foi legal em nos deixar entrar... - sussurrou Mahina, que acusadoramente encarava a albina. A Fauno de lobo no entanto não ligava para o encarar da morena, isso é claro, por ela já estar dormindo novamente, com a cabeça baixa na mesa - hei..... Não volte a dormir... - sussurrou novamente, cutucando levemente a barriga da albina, que logo deixando seu corpo reto.

- Estou acordada - disse em um tom um pouco alto, chamando assim a atenção do homem, que estranhamente perguntou.

- Alguma coisa a dizer, Senhorita Edwarda? - questionou o grisalho homem.

- N-Não, Professor Peter - com um sorriso constrangido no rosto a garota responde, pondo sua mão na nuca, e coçando o legal. Ainda desconfiado e estranhando aquilo, o homem soltou um "ok..."

- Ahn... - Peter somente escutando agora um barulho de grilo, volta a dizer, com total atenção em toda sua turma -  e vocês também, devem se formar nessa prestigiosa academia. Agora, como eu estava dizendo: Vale, bem como os outros três reinos, são lugares seguros em um mundo traiçoeiro! Nosso planeta está absolutamente repleto de criaturas que não amam nada mais do que nos rasgar e, pedaços! E é aí que nós entramos. Huntsmen! Huntresses...  As pessoas que juraram proteger aqueles que não podem se proteger!  Pelo quê, você pergunta? Pelo próprio mundo! É por isso que vocês estão treinando. Mas primeiro: uma história. O conto de um jovem, destemido homem.... Eu!

- Lá vem... - resmungou Edwarda, que estava com um semblante tedioso, já tendo em mente o que viria após aquilo. Conhecendo diversas pessoas daquela idade, apostou com todas as suas forças que aquilo que viria, com certeza seria uma história onde ele estaria se auto vangloriando.

- Quando eu era menor... - começou a falar, e já nesse momento, aparentava que quase nenhum aluno prestara atenção nele, alguns estavam a dormir, outros a se distrair com alguma coisa aleatória na sala. No caso de Edwarda, estava distraída com os desenhos de Grimm's encontrados atrás do professor, e já no caso de Chloe, ela prestava atenção no homem, adorando a história que ele vinha a contar - apesar do cheiro de couve, meu avô era um homem sábio. "Peter", ele me disse... - Apesar de não estar prestando atenção na história, tanto Yuri quanto Edwarda fizeram uma cara estranha ao ouvirem aquela parte, tentando entender dele ter dito aquilo.

- Eu acho que ninguém tá prestando atenção nis.... - Edwarda não termina sua frase, isso por virar seu rosto pro lado, fitando Mahina que parece sim estar prestando atenção - não sei como você está conseguindo.... A aula está uma chatice...

- As histórias dos mais velhos são importantes - retrucou em um sussurro, sem tirar sua atenção do homem, que estava ainda ao contar da história - você pode aprender algo ouvindo ele.

- Sei... - no mesmo tom, ela disse, revirando os olhos em seguida. Edwarda virou seu olhar para o lado contrário da Mahina, assim vendo a outra arquibancada onde se encontravam outros alunos. E assim ela logo começou a escutar o que dois deles diziam.

- Hei, Kenny.... Duvida eu arremessar uma das bolas no professor? - perguntou em um sussurro, e se não fosse graças as orelhas caninas da albina, ela não teria escutado. Quem disse isso foi Dillinger, que estava olhando diretamente para o colega que estava ao seu lado, Kennedy.

- O que? Por que você faria isso? - perguntou o olhando como se fosse um louco, assim vendo ele soltar uma baixa risada - você nem tenta... Eu te conheço, se eu disser "duvido" as coisas vão ficar feias.

- Qual é.... Essa aula tá chata... Só diz duvido! Por favor... - pediu quase como se estivesse choramingando, e logo teve sua atenção chamada pelo professor ao ouvir ele tossir em alto som três vezes - desculpa, Professor... - disse em um baixo som, como se não quisesse pedir desculpas, assim logo se virando para frente.

- Hei... Eu duvido - com um sorriso desafiador, sussurrou Edwarda, que recebeu dois pares de olhares. O primeiro de Dillinger, que tinha um olhar alegre e um sorriso animado, tendo o olhar de Kennedy como segundo, o olhar do loiro era algo que variava entre surpresa, assustado , e algo que julgava Edwarda como uma pessoa louca.

- Pelo menos alguém divertido por aqui - Dillinger comentou ainda mostrando o largo sorriso divertido no rosto, elevando sua mão em seguida até o cinto de seu uniforme, tirando de lá uma de suas bolas de aço - quer que eu mire na cabeça?

- Se ele desmaiar, vai estar ótimo - divertidamente a garota o respondeu, seguindo a esfera de aço com o olhar, o parando em cima da mesa que estava em frente a ele.

- Vamos ver se eu acerto bem no meio daquela testa dele... - sussurrou fechando um de seus olhos, assim encarando a testa do homem, que parecia distraído, aparentemente quase concluindo a história. A bola estava na mesa sem a mão de Dillinger sobre ela, e assim, logo ela começa a girar, com ele pondo seu dedo indicador dobrado atrás dela.

- Então, quantos de vocês acreditam na personificação des... - o homem é interrompido em sua frase ao sentir algo vindo fortemente e rapidamente em sua direção, quando a bola estava prestes a acertar seu rosto, ele levantou sua arma, assim fazendo ela bater diretamente na lâmina dela e assim parar. Peter segura sua diferencial arma pelo o cano dourado da arma. A arma era peculiar, possuindo o cano dourado com a parte de trás sendo feita de madeira. Como parte de dano físico, a arma tinha em seus lados, duas lâminas de um machado de batalha.

 - Vejo que está bem animado hoje. Senhor Dillinger. Eu já iria dizer sobre um teste para um de vocês. Mas já que está tão animado, que tal um desafio? - questionou vendo o rapaz o olhar confuso, e assim Peter vira seu olhar em direção a uma cela, onde não era possível ver uma criatura graças a uma densa sombra, mas era possível dentre tudo, enxergar os avermelhados olhos dela - dê um passo à frente, e enfrente seu adversário!

- Eu aceito o desafio - confiante era o sorriso que havia em seu rosto quando se levantou de seu lugar, logo caminhando para a frente da sala - que tipo de criatura tem aí? Um Beowolf? Nah.... a cela é pequena demais...

- Boa sorte, Jey! - o loiro que estava em seu lugar disse, um pequeno semblante animado estava em seu rosto, ao mesmo tempo que estava pensando que sabia que algo de ruim iria ocorrer graças aquela brincadeira

- Preparado.... Começar! - o homem disse após ir até ao lado da jaula, e com a lâmina de machado, rompeu o cadeado que fechava a jaula, assim fazendo com que a criatura dali saísse.

- Wow... Um Boarbatusk! - o moreno comentou vendo a criatura que o encarava, bufando fortemente - é a primeira vez que vejo um tão de perto - confiante, sorriu tirando uma arma da Coldre que ficava do lado direito do seu cinto - é tipo um cowboy contra um javali...

A criatura na frente do rapaz, é um quadrúpede com muitos recursos associados a um javali, incluindo pés fendidos, uma linha de pêlos brotando de sua espinha, focinho desprezível e presas. A criatura possui quatro olhos e uma máscara óssea que parece estar presa ao rosto por uma corda orgânica preta, semelhante a uma veia. Possui uma série de placas nas costas e nas coxas e dois conjuntos extras de presas, incluindo duas presas curvas grandes. No entanto, sua parte inferior é comparativamente desprotegida e vulnerável, com pouca ou nenhuma armadura ou blindagem.

- Você é um porco morto - Dillinger falou após tirar uma de suas esferas do lado esquerdo de seus cinto, e logo depois, colocando ela como munição - o que é mais rápido, ou bola de aço ou...

- Para de falar e faz de uma vez! - gritou Edwarda, que sorriu vendo o moreno suspirar de forma triste, por não ter conseguido completar sua pergunta. Antes que o rapaz pudesse retrucar algo, a criatura correu em sua direção. A besta vinha com brutalidade em seu olhar, bufando durante a sua corrida.

Dillinger permaneceu parada vendo a criatura se aproximar, era impossível determinar para onde ele olhava, graças ao seu largo chapéu que causava uma sombra sobre seu olhar. Quanto mais a criatura se aproximava, mais parecia que ele seria acertado, já que não se mexia. Mas para a surpresa de alguns, quando a criatura chegou perto o bastante, Dillinger deu um salto sobre a criatura, dando então uma cambalhota, fazendo também seu chapéu cair sobre os olhos da criatura.

- Bang! - após sua queda no chão, Dillinger virou para a criatura, atirando rapidamente com sua pistola em direção às costas da besta. Boarbatusk com a cegueira do chapéu, assim bate na parede, e logo é acertado em suas costelas com a bola de aço, sendo assim possível escutar um grito altíssimo de dor vindo dele.

- Ele é sempre assim mesmo? - perguntou a albina, olhando para o loiro que virou seu olhar para ela.

- Sim... Ele sempre foi assim.... - respondeu-a com uma gota aparecendo no topo de sua cabeça, sorrindo de uma forma tanto quanto idiota - esse é o jeito dele... Só não sei como ele ainda não morreu por querer fazer essas coisas...

- Fazer o que? Eu tenho habilidade - disse o moreno, chamando a atenção de ambos, que soltaram uma leve risada ao ver a situação em que o rapaz se encontrava. No momento Dillinger estava sobre a criatura, como se plantasse uma bananeira, apoiando-se com cada uma de suas mãos sobre as presas da besta.

A surpresa veio quando Dillinger foi arremessado contra a parede por uma rotação. A criatura que o moreno segurava havia se transformado em uma espécie de roda com seu corpo, assim o mandando diretamente para a parede. Logo em seguida, a criatura começou a ter um efeito parecido ao da Semblance do moreno, começando assim a girar. Nesse tempo de giração, a criatura foi rolando em direção ao rapaz, que no momento já havia saído da parede, estando com a mão em uma de suas costelas.

- Eu acho que ele me quebrou... - com um fraco sorriso ele disse, e ao ver a aproximação da criatura, ele desvia seu olhar diversas vezes, para todos os lados, e foram exatos dez segundos para avistar o que ele desejava, uma de suas duas esféricas bolas de aço, e assim, ele se joga no chão, dando uma pequena rodada para a aproximação da bola. Após a pegar, o moreno automaticamente a jogou novamente, dessa vez jogando próximo onde a criatura iria passar , e assim ela começa a rodar.

A criatura logo se deu de frente com a bola, mas não notando continuou, e assim, empacou ali. O motivo foi a força que se encontrava em ambos, a bola de aço impedia da criatura passar, e assim, a força da esfera de aço enviou a criatura para cima, graças ao impulso da rotação da criatura, que havia batido com a parte de baixo nela.
Ao se encontrar no alto, a criatura se desfaz, voltando ao normal, e nesse momento Dillinger correu até a esfera, e a agarrou rapidamente dando um salto em seguida. A última coisa que a criatura devia ter visto foi o par de esverdeados olhos do rapaz, que também retribuía o olhar para os vermelhos olhos da criatura. Por fim, ele finalmente arremessa a esfera, ainda enquanto ela estava no estado de rotação, e assim, acertou em cheia a parte mais exposta da criatura, a sua barriga. O impulso da rotação aumentou ao colidir com os pelos do monstro, assim o mandando mais fortemente para o chão de madeira, que fez um alto estalo com a queda, e assim, a criatura grita, e durante o grito, ela já se dissolvia.

- Bravo. Bravo, Senhor Dillinger - Peter disse vendo o moreno cair para o chão, causando um pequeno estalo no piso de madeira clara - isso foi um grande exemplo de uma batalha real entre um Huntsmen e um Grimm!

- Obrigado, Professor Peter - sem olhar para o senhor, Dillinger disse. Ele estava olhando ao redor, a procura da outra esfera de aço que havia atacado a criatura, uma delas ele havia pego após cair no chão. Mas a outra ele não sabia onde estava, então ele fitava diversos locais a procura, até que finalmente a acha perto do lado esquerdo da sala, correndo até ela e a agarrando - achei você, sua pestinha!

- Por favor, não fale com elas, isso mê dá nos nervos, Jey! - pronunciou-se o loiro, que tinha uma face estranha, com parte de seu rosto roxa, mas logo voltando ao normal - foi uma boa luta.

- Que bom que aceita isso, loirinho - se aproximando dele o moreno retrucou, e logo se sentou ao seu lado. Mas mal pode se sentar, já que logo após isso, um alto barulho ecoou pelos corredores da grande escola - eu mal sentei e já tenho que levantar?

-- Você parece ter um pequeno azar contigo, Senhor Dillinger - comentou Edwarda, que já havia se levantando, e estava agora ao lado dele.

- Me chame de Jesse. Edwarda certo? - questionou estendendo a mão até ela, e logo assim fechando a mão.

- Correto. Mas pode me chamar de Duda - fazendo a mesma ação do moreno, e assim completando o "soquinho" a garota diz, com ambos mostrando um largo sorriso um para o outro.

- Duda! Temos logo que ir para a outra sala! - alertou Chloe, que junto das outras duas participantes do time Mecy, ja saia.

- Tenho que ir. A gente conversa mais durante a próxima aula, Jesse - foi a última coisa que a albina disse ao Dillinger antes de desaparecer da vista dele, correndo atrás de seu grupo que já havia saído da sala - me esperem vocês três! - pode se escutar do corredor o grito dela.

- Ela é até que divertida... - sussurrou olhando para a porta, e logo se levantando com os demais membros do grupo KDNS.


Notas Finais


Na Capa:

Peter Port (RWBY)

Olá! Você quer ficar informado de quando os capítulos serão lançados? Qual será a capa do próximo capítulo? E até ficar ligado das sinopses dos próximos capítulos? Então siga o Instagram unicamente criado para a fanfic Mecy.
https://www.instagram.com/katherineribeiromc/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...