1. Spirit Fanfics >
  2. Medo de Amar >
  3. Uma Noite Fora

História Medo de Amar - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi gente eu sou a Gabi, muito prazer :) Eu só queria deixar uns recadinhos antes de começarmos a mergulhar nessa história que é o meu xodozinho.

Bem, primeiro eu queria tratar sobre as questões de autoria. Essa história é uma fic bem antiga minha, eu comecei a escrever ela há uns anos atrás, com a minha amiga da escola, que na época era responsável por escrever os POVs masculinos.

E sim, vamos ter Povs masculinos, vários agora no início da história, e menos no desenrolar dela, e isso se deve justamente ao fato de que depois de um determinado período minha amiga Daniela Mayumi deixou de escrever comigo.

Bem, a questão é que muitos anos se passaram, e então resolvi reavivar essa história, reescrevi vários capítulos arrumei muita coisa no enredo e reescrevi até alguns Povs masculinos, o que tornou a questão da autoria nessas partes um dilema para mim. Então, eu conversei com Dani e ela disse que eu podia ficar com a autoria. Mas de qualquer forma, resolvi debitar os créditos, pelo menos aqui, na minha maravilhosa amiga Dani Mayumi pela grande ajuda que ela me deu na época.

Bem, créditos dados corretamente, eu espero hahah, podemos falar da história.

Como eu disse essa é uma história antiga que eu já tenho vários capítulos prontos e revisados, e que, embora, ainda não esteja terminada, me dá uma folga que vai facilitar nas postagens. Não sei se vou ter dia da semana para postar, isso quando eu decidir eu aviso, mas a meta é postar pelo menos um capítulo por semana.



Bem, é isso, chega de tanta falação, aproveitem!

Capítulo 1 - Uma Noite Fora


Fanfic / Fanfiction Medo de Amar - Capítulo 1 - Uma Noite Fora

PARTE 1 - Como Tudo Começa

 

 

A música alta ecoava pelos meus ouvidos. As pessoas tinham que gritar para conseguir falar uma com as outras, no bar várias pessoas bebiam. Não fazia muito o meu tipo beber, porém eu estava com um copo na mão.

Na pista, que estava mais para aglomerado de pessoas, todos dançavam e se agarravam sem nenhum pudor. Fazia tempo que não saia, já tinha até perdido o costume, mas de um jeito muito estranho sentia que pertencia àquilo.

-Vamos dançar baby! – Gritou Lana, e foi me puxando para a pista.

Lana era minha melhor amiga muito antes da faculdade começar. Ela possuía cabelos pretos liso, olhos cinza, não era muito mais alta que eu. Mas bem mais bonita, e com certeza tinha uma lista muito maior de garotos do que eu.

Nunca me arrependi disso, não queria ninguém no meu pé me dizendo o que eu devia ou não que fazer, que roupa vestir ou muito menos ataques de ciúmes. Eu e ela concordávamos nisso. Ela podia até pegar alguns, mas ficar sério já era outra história.

Eu possuía cabelos castanhos escuros e ondulado, porém grande parte das vezes frisado, era mais magra que Lana tinha olhos azuis claros, meu rosto era delicado, muitas vezes infantil para minha idade, embora quando maquiada, como agora ficava incrivelmente mais velha, tinha um metro e 60 de altura, sendo só um pouco mais baixa que Lana.

Começamos a dançar no meio da multidão, com a música tocando alto, logo me joguei, sempre adorei sair, ainda mais com Lana. Porém, enquanto dançava uma voz no fundo da minha mente me dizia que eu não deveria estar ali, dizia que se eu saísse dali ninguém iria descobrir isso. Obriguei aquela voz a se calar, já tinha passado muito tempo sendo cautelosa, e afinal de contas, esse lugar era muito longe da faculdade, ninguém que eu conhecesse estaria ali.

Um garoto alto e razoavelmente bonito foi até Lana, ela que andava se "comportando" por um longo tempo nem pensou duas vezes, logo os perdi de vista, rindo continuei dançando. Ainda não sabia se iria ficar com alguém, até que o vi.

Ele andava na minha direção, era alto com cabelos pretos e olhos verde acinzentados, seu corpo muito esculpido. Eu o conhecia, era nada menos que Scott Baker um dos garotos mais lindos e galinhas do campus todo.

Podia ter ficado ali admirando a paisagem, mas eu acordei do meu transe e me desesperei , tinha que sair da vista dele logo, não que eu achasse que ele soubesse quem eu era, para ser sincera tinha certeza que ele não me conhecia.

Não me leve a mal, mas Scott Baker era a última coisa que eu queria na minha vida, de longe qualquer um saberia que ele era problema.

Fui lutando contra a multidão em direção do bar, quando cheguei mais perto percebi que Scott não tinha vindo só, seu grupinho "problema" tinha vindo com ele, mas pior do que isso Richard estava ali, e ele eu conhecia infelizmente muito bem, e ele sim, não podia me ver.

Dei a meia volta e tomei o caminho de volta, mas no meio dele cruzei com Scott, ele abriu um sorriso para mim.

-Olá gata, - Ele falou e eu olhei para trás esperando que fosse outra garota – Está sozinha?

Assenti.

-Qual o seu nome? – Perguntou, se aproximando de mim.

-Beatriz- Menti, quase não acreditava que o Scott estava dando em cima de mim.

-O meu é S...

-Scott. – Completei.

-Nossa sabe meu nome, você me conhece? Não me lembro de você.

-Não, na verdade já ouvi falar a seu respeito – Improvisei.

-Então minha reputação me antecede? – Ele falou e eu ri. Paramos e olhamos um para o outro. Seus olhos eram claros e penetrantes, sabia que nunca rolaria algo sério entre a gente, não que eu esteja me diminuindo, claro que não, é só que já conhecia o tipo dele e não chegava nem perto do meu tipo de garoto. Mas claro, não ia me importar se fosse só essa noite, que mal haveria?

Scott se aproximou e percebendo que permiti me beijou. Não era meu primeiro beijo. Já tinha beijado muitos meninos em uma só noite como essa, mas o beijo dele era intenso, ele passou os braços me puxando para perto dele, passei meus braços envolta do seu pescoço o puxando para mim, seu toque era quente e me causava arrepios, seu beijo fez com que refizesse completamente a ideia de qualquer beijo, como se eu nunca tivesse beijado ninguém antes.

Quando acabou ele disse que me via por aí, ou qualquer coisa do tipo, não me lembro pois a música estava alta. Respirei fundo, quase não acreditava nisso, fui para o banheiro retocar a maquiagem, com medo da merda que eu tinha aprontado, eu tinha beijado o Scott se alguém soubesse disso eu estava ferrada, esperava que nenhum dos seus amigos sem graça ou até ele mesmo espalhassem isso. Respirei fundo algumas vezes e saí do banheiro.

Fui atrás de Lana, mas não a encontrei, então continuei curtindo a noite só mais um pouco, evitando Scott e seu grupo. Já era 3 da manhã e depois de ter dançado tanto, liguei para rlay, para que nos encontrássemos no carro dela. Andei até o estacionamento, e parei na frente do Peugeot preto dela. Para minha surpresa ela já estava lá encostada no carro.

-Perdi você de vista. – Falei enquanto entrava no carro com ela.

-Ainda bem... – Ela falou rindo, eu abri um sorriso.

Lana era gente muito boa, mas nunca me atreveria a dizer que ela era um anjo.

-Então como foi sua noite, aposto que bem melhor do que ficar estudando Neurociência do comportamento em casa.

-Obrigada por me lembrar que tenho que estudar.

-Ah dá um tempo Ca, você sempre estuda e vai bem, quem precisa estudar sou eu - Ela falou.

-Tenho que concordar...

-Ra ra ra, muito engraçada – Ela falou sarcástica enquanto dirigia e eu ria – Vai, como foi sua noite, conta logo!

-Você não vai acreditar quem eu peguei!

-Humm, aí sim uma coisa que eu realmente quero saber, conta, conta, conta!

-Nada menos que Scott Baker ! – Falei empolgada.

Lana deu uma freada brusca no carro, e me olhou.

-O que? Você tá brincando, né?

Fiz que não.

-Caralho... – Falou surpresa e retomou o curso.

-Eu sei...Quase não acreditei. Ai Lana você acha que ele pode se lembrar de mim e acabar saindo fofoca? – Falei preocupada.

-Falou seu nome?

-Não inventei, mas mesmo assim...

-Olha Ca não quero cortar seu barato, mas você sabe que nem de longe foi a única dele esta noite, acho difícil dele se lembrar especificamente de você .

Aquilo me deixou um pouco para baixo, mas eu sabia que ela estava certa, e no final de contas estava aliviada.

-Fica tranquila Ca, Sra. Barthes, nunca saberá dessa noite, ela vai para a cova com a gente.

A senhora Barthes é a professora de Psicologia do desenvolvimento infantil, a razão total da minha falta de vida social. Lembra do que eu disse no começo sobre namorados e garotos? Bem acho que é mais para um consolo, o real motivo de eu ser a garota mais comportada do campus, é que a Sra. Barthes é a professora mais bem conceituada sobre o assunto que eu quero seguir pelo resto da minha vida. A psicologia infantil.

E é agora que você conhece o lado chato da minha vida, onde sou uma estudante de 19 anos de psicologia, com o sonho de tirar um estágio em Harvard na facu. E agora estou no meio do segundo ano, é Junho, faltam 3 semanas para acabar o meu terceiro semestre, o que quer dizer que estou em época de provas. Já Lana está no terceiro semestre também, só que ela está no curso de Administração.

E o que isso tem a ver com a minha total falta de vida social, tirando essa noite? Bem, venho tentando manter meu currículo impecável para a Sra.Barthes, a professora que é, de longe, a mais rígida e chata da facul, embora ela goste muito de mim, por ir bem na matéria dela. Ela disse que se mantivesse essa postura e currículo impecável não faltaria uma vaga para mim no programa que me levaria para os EUA estudar, e assim conseguir depois uma formação com referência invejada por qualquer garota da minha idade, mas para isso...bem é preciso sacrifícios.

Lana abriu a porta do nosso Apê , ele era pequeno, na entrada tinha uma sala com uma mesa quadrada no canto onde comíamos, e o sofá com o lugar para 3 pessoas com uma Tv e uma poltrona. A esquerda tinha a tinha uma cozinha pequena, com o fogão, microondas, pia, bancada e a geladeira. A direita tinha a porta para um quarto, que era o quarto que dividia com Lana, lá tinha 2 camas, 2 armários e algumas decorações na parede.. No quarto tinha duas portas uma para a varanda onde estendíamos as roupas, e a do banheiro que também era simples.

Entrei e me joguei no sofá, ela sentou do meu lado.

-E então? – Perguntou ansiosa.

-Então o que?

-Como foi beijar o Scott?

-Bom, muito bom! – Falei sorrindo.

-Dava tudo para estar no seu lugar!

-Ah foi só um beijo Lana, aposto que você dava tudo para fazer outras coisas com ele...

-Com certeza! Adoraria experimentar um pouco dessa ovelha negra – Ela falou e eu ri.

-Pois é, mas ovelhas negras não fazem muito o meu estilo, só servem para uma noite como essa, que por sinal já acabou. – Falei indo para o nosso quarto.

-Isso é verdade, você prefere os mais certinhos, falando nisso o Rafael ligou.

Me voltei rapidamente para ela. Lana riu.

-Ele pediu para você ligar para ele ou falar pessoalmente na segunda.

Assenti, e fui para o banheiro tirar a make pesada. O Rafa é meio que uma paixonite minha, ele é muito meu amigo. Ele está no quarto ano de advocacia, e fica num prédio do campus do lado do de psicologia, então vivo dando uma fugidinha pra lá. Acho que ele seria uma das poucas pessoas que se eu namorasse o Sra. Barthes não iria se importar, na verdade acho que ela já pensa que a gente namora, bem que eu gostaria mas...

Me arrumei e fui dormir. Lana ainda ficou enrolando por mais meia hora, até em fim apagar as luzes e dormir.

***

-Alô? – Perguntei atendendo ao telefone.

-Oi Ca.

-Oi Amanda, tudo bem?

-Sim, é só que a gente tem que fazer o trabalho de sociologia.

-Humm – Falei desanimada – Pode ser amanhã?

-Prefiro hoje, já que a professora adiantou a data...

-O que? Quando foi isso? – Perguntei.

-Ontem de noite ela deixou lá no grupo, achei que tivesse visto.

-Não, ontem não estava em casa.

-É? Onde você tava? – Perguntou.

-Ah bem, fui comer fora...Acho melhor a gente se encontrar hoje na biblioteca às 15h, então. – Desconversei.

-Ah okay, vou chamar o resto.

-Te vejo lá , tchau! – Falei antes que ela pudesse perguntar mais alguma coisa.

Olhei no relógio,11h30, e Lana ainda estava dormindo, não a culpo afinal era sábado e tínhamos ido dormir tarde. Abri meu laptop e fui ver essa mensagem da prof., mas acabei me distraindo por que o Rafa estava online no face, começamos a conversar:

-Oi tudo bem? – Ele falou.

-Oii tudo e você?

-Também.

-A Lana falou que você queria falar comigo. – Falei.

-Sim, queria, podemos nos encontrar no jardim perto do prédio de direito do campus ás 13h amanhã?

-Ah, claro, então a gente se vê amanhã?

-Sim, até!

-Té ,bjs

-Bj

Fechei o laptop e comecei a pular, eu não acredito que ele tinha me chamado para sair, comecei a pular loucamente na cama da Lana que ainda dormia.

-Ah, o que é sua maluca? – Ela perguntou sonolenta e brava ao mesmo tempo.

-O Rafa me chamou para sair!!!!

Ela me olhou e sentou na cama.

-É só isso?- Perguntou esfregando os olhos.

-Como assim só isso?? – Perguntei indignada, ela sabia que eu tinha uma quedinha por ele.

-É sim, vocês são amigos – Ela levantou da cama enquanto tentava desembaraçar os cabelos com o dedo – E não sei se você sabe, mas amigos saem!

-Eu sei, eu sei, mas dessa vez é diferente, ele nunca me procurou assim para sair, sempre foi mais casual tipo no meio de uma conversa, para ir no shopping, e quase sempre não é só a gente.

-Pode até ser Ca, mas cuidado, não vai se encher de esperanças a toa.

Respirei fundo sei que ela estava certa e só queria meu bem.

-Tudo bem. – Falei e ela entrou no banheiro.

-O que você vai querer comer ? – Perguntei.

-Não sei, ainda tá cedo...

-Pode ser, mas eu tenho que estar no campus às 15h, e vou tentar chegar o mais cedo para dar tempo de estudar um pouco.

-Tá, tudo bem, pega o que você quiser. –Ela gritou através da porta.

-Ok vou comprar algo já volto, beijos!

Falei indo para a sala e pegando as chaves do apartamento.

-Ok. –Lana gritou para mim.

****

Era 2h40, já estava na biblioteca que estava vazia, eu estudava Neurociência do comportamento, logo a Amanda chegou.

-Ca – Ela cumprimentou.

-Oi, cadê o Richard?

Ela soltou um suspiro.

-Não sei provavelmente vai chegar atrasado... como sempre – Eu e ela falamos ao mesmo tempo a última parte.

Ele fazia parte do grupinho do Scott, e também do nosso grupo de sociologia, não foi nossa escolha, mas sim sorteio, no começo do ano nem conhecia direito a Amanda, no fim nos tornamos amigas quase inseparáveis, mas só nas aulas, por outro lado eu e Richard nos odiamos.

-Que droga... – Falei – Enquanto isso vou procurar uns livros para ajudar.

Me levantei e fui explorar o grande acervo da biblioteca. Depois de uns 10 minutos estava voltando com uns sete livros, mas eles eram tão grandes que mal conseguia enxergar na minha frente, estava torcendo para não derrubar os livros da biblioteca, quando...Bum!

Bati em alguém e deixei tudo cair no chão.

-Ai meu Deus me desculpa! – Falei sem nem ao menos ver quem era e já recolhendo os livros caídos.

-Tudo bem.

Me assustei com a voz, olhei para cima e me dei de cara com Scott, ele sorria debochadamente para mim, provavelmente me achando patética. Mas para minha surpresa ele se agachou e me ajudou a pegar alguns.

-Aqui. – Ele me entregou 3 – Quer que eu te ajude?

-Não, não, eu estou bem, valeu...

Eu ia sair dali o mais rápido possível, vai que dava do cérebro dele funcionar e ele lembrar de algo. Mas ele não deixou me segurando meu braço.

-Já te vi em algum lugar? – Ele falou confuso.

Puxei meu braço dele, um pouco irritada por ele estar me segurando:

-Não, claro que não – Respondi, tentando seguir o meu caminho.

-Tem certeza princesa? Pois você parece um pouco incomodada agora – Ele falou sugestivamente de uma maneira convencida, que só provocou uma pontada de raiva em mim.

Dei um sorriso sarcástico para ele.

-Tenho sim, me lembraria se já tivesse visto alguém como você... – Falei com tom de nojo.

Ele deu risada. Mas eu continuei meu caminho. Ele me seguiu.

-Provavelmente não devo ter feito algo muito legal para você da última vez, a julgar pela sua cara de nojo.

-Pela segunda vez eu não te conheço! – Falei ficando brava com a situação.

-Bom talvez tenha sido do clube...você era uma das garotas da piscina? – Ele perguntou, parecendo tentar lembrar.

-Não.

-Talvez, da academia? -Neguei - Do condomínio? – Ele perguntou e aquilo só me deixava mais constrangida e com raiva.

Coloquei meu melhor sorriso falso e falei:

-Vamos fazer o seguinte? Quando você se lembrar de onde você acha que se lembra de mim, então me procura, ok? Sim, então tá. – Falei e não esperei a resposta dele, virando na coluna da direita de livros e acelerando o passo.

Eu estava possessa, e morrendo de raiva. Respirei fundo.

Era triste admitir isso, mas queria que ele se lembrasse de mim, não queria ser só mais uma da sua looonga lista de mulheres, e o pior de tudo eu já fazia parte dessa lista. Eu fui mesmo muito ridícula em ficar com ele

Ok, estou meio dramática não é pra tanto, mas sei lá, eu não devia...quer dizer, algo nele me provocava de uma maneira que me deixava com uma raiva quase irracional. Peguei os livros e joguei todos na mesa num ato não muito gentil, fazendo com que Amanda me olhasse estranha. 

Respirei fundo, como meu dia podia ter passado de bom para péssimo em tão pouco em tão pouco tempo?

 


Notas Finais


E então o que acharam do primeiro cap? Ainda tem muita história para contar, mas por enquanto é isso, beijoss!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...