História Meet Me Halfway - Capítulo 8


Escrita por:

Visualizações 148
Palavras 3.656
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Outro capítulo muito fofo pra vocês.

Capítulo 8 - Capítulo 8


"Então", Ruby começou a alongar a palavra. "Você me evitou ontem à noite, como foi o encontro?"

Emma fez uma careta, inclinando a cabeça para Henry, que empilava seu cachorro-quente com uma montanha de ketchup, enquanto Emma esperava pelo vendedor. Eles decidiram dar um passeio e se viram no centro da cidade e famintos, achando que carne de rua era a solução mais lógica.

"O que?" Ruby colocou a mão em seu quadril. "O garoto sabe o que é um encontro, certo Henry?"

"Mamãe estava tonta ontem de manhã", o menino a delatou ganhando um olhar da mãe.

"Tonta?" Ruby repetiu com um sorriso de conhecimento. "Então, a que horas você estava tropeçando de volta para casa? Ou era a Caminhada da Vergonha?"

"Qual é a caminhada da vergonha?"

"Nada." Emma pegou seu cachorro-quente e se distraiu derramando condimentos sobre ele antes de voltar para a amiga e sussurrar. "Você sabe que eu não faço isso no primeiro encontro."

"Mas foi bom?" Ruby pressionou.

Emma não pôde conter o sorriso se formando em seu rosto enquanto se lembrava da noite que passara na companhia de Regina. "Sim. Foi muito bom."

***

"Isso é bom?" Kathryn disse assim que Regina entrou na cafeteria onde eles concordaram em se encontrar.

Regina era uma visão para os olhos doloridos, isso era óbvio, mas nada podia negar o modo como ela sorria e como brilhava naquela manhã de domingo.

"Perdão?" Regina perguntou com uma rulga na sua testa, embora seu sorriso permanecesse em seu rosto.

"Seu encontro."

Houve um brilho nos olhos de Regina quando ela ofereceu um encolher casual antes de esperar na fila para pedir seu café gourmet.

"Você vê o que acontece quando se dar uma chance?" Kathryn perguntou ao lado de Regina. "Então, como foi? Me conte tudo."

Regina virou a cabeça para olhar para a amiga, embora seus olhos estivessem um pouquinho distantes quando se lembraram da noite de sexta-feira. "Ela me beijou."

A loira gritou agarrando o braço da mulher mais velha. "Deve ter sido um ótimo encontro."

"Foi quando estávamos saindo para o restaurante."

***
"Você a beijou no começo do encontro?" Ruby ficou boquiaberto.

Henry franziu o nariz para a imagem. Claro, ele amava sua mãe e estava feliz que ela estava em um encontro com Regina, mas havia algumas coisas que ele não precisava saber. Ele tomou a decisão de comer seu cachorro-quente em um banco diferente e fez questão de avisar sua mãe.

"Eu não queria no final, e imaginei que poderíamos ter um encontro ruim", Emma defendeu.

"Você não poderia resistir, poderia?"

"Ela é diferente", disse Emma depois de devorar a última mordida de seu cachorro-quente e jogar o guardanapo no lixo de onde estavam no banco. "Ela é mais do que apenas uma princesa."

***

"Ela passou por muita coisa e está indo bem com seu filho", disse Regina enquanto caminhavam pela rua com seus cafés na mão, passando por um grupo de artistas de rua de jazz. "Eu a subestimei."

"Bem, quando você me conheceu, você pensou que eu era uma herdeira," Kathryn apontou.

Regina deu de ombros, desculpando-se enquanto tomava seu gole. "Ela tem uma maneira de obter informações de mim."

"Era um encontro, Regina. Não é um interrogatório. As pessoas retribuem quando compartilham histórias pessoais."

"Você troca detalhes sobre sua família e educação nos primeiros encontros?"

O silêncio da loira respondeu sua pergunta.

"Ela é surpreendentemente fácil de falar, mas há algo nela que é tão desafiador."

"Como você."

Regina hesitou em seu passo e olhou curiosa para a amiga antes de sacudir a cabeça e virar a esquina.

***

"Então, quando você vai vê-la novamente?" Henry começou quando eles começaram a andar pela rua. Ele olhou para Ruby. "Qual é a regra? Três dias?"

Ruby abriu a boca para responder, mas foi imediatamente interrompida por Emma. "Ah, não dê conselhos ao meu filho. Ele tem oito anos."

A morena apenas piscou para o menino e subitamente mostrou-lhe um sinal de tudo bem.

"Eu não sei", Emma respondeu colocando as mãos nos bolsos. "Em breve."

Ela virou a esquina e colidiu em outro corpo, líquido quente espirrando em sua camisa, mas nada comparado ao grito vindo da outra pessoa.

"Oh merda, eu sinto muito." Ela tropeçou na pressa de limpar a pessoa, mas parou quando viu quem ela havia encontrado. "Droga."

"Adorável ver você também, Srta. Swan," Regina respondeu secamente quando uma mão segurou sua camisa longe de seu peito. A seda estava claramente arruinada, o azul escuro agora um preto escuro.

"Não, eu quero dizer, não droga de ver você, droga sua camisa." A loira se atrapalhou procurando qualquer coisa para oferecer como um tecido quando ela e Regina foram conduzidas para o lado da rua, longe do tráfego da multidão.

"Aqui." Henry ofereceu seu guardanapo, manchado de ketchup e mostarda.

"Você certamente fica bem calmo sob pressão", Regina disse gentilmente pegando o guardanapo e enxugando a blusa com a parte mais limpa. "Sua mãe, no entanto ..."

"Ela entra em pânico", Henry deu de ombros enquanto estufava o peito feliz em ajudar.

"Oh, querida", Kathryn suspirou absorvendo o estado de Regina.

O agravamento no rosto de Regina estava claramente gravado, e com o café derramando sua camisa encharcada, ninguém podia culpá-la.

"Venha para o meu apartamento", Emma deixou escapar. "Eu moro a apenas quinze minutos de distância. Vou pegar uma camisa para você ou algo assim."

"Ou alguma coisa?" Ruby balançou as sobrancelhas antes de se virar para a loira mais velha. "Kathryn, certo? Quer andar comigo e Henry enquanto Regina fica limpa?"

Kathryn olhou para Regina, que suspirou e deu um aceno de mão para que sua amiga fosse embora. Assim que saíram pela rua e se perderam na multidão, ela olhou para Emma.

"Desculpe", ela disse timidamente.

Regina deu uma olhada final em sua camisa antes de jogar sua xícara de café vazia em uma lata de lixo.

Emma observou seus movimentos antes de tirar a jaqueta de couro e estendê-la para a mulher mais velha como uma oferta de paz. Regina olhou para ele por um longo momento, em seguida, olhou para a camisa encharcada. Por um breve momento, Emma pensou que a morena iria desfilar pelas ruas com uma camisa manchada de café, mas assim que sentiu o casaco deixar seus dedos, sorriu suavemente quando Regina encolheu os ombros e fechou o zíper, encolhendo-se. A maneira como o café, agora frio, permanecia úmido contra sua pele.

Mesmo que a peça se destacasse chocantemente contra a calça prensada de Regina, Emma não pôde deixar de notar o jeito que Regina parecia bem em sua jaqueta. Ela ficou com o visual fodão.

"Por aqui", Emma disse enquanto inclinava a cabeça e ficava perto de Regina, as mãos deles não segurando, mas seus dedos roçando a cada passo. "O que você está fazendo no meu pescoço da cidade?"

"Kathryn e eu pretendíamos tomar um café, mas você claramente tinha outros planos para isso." A voz de Regina era alegre e leve, embora sua sobrancelha pontuda fosse tão séria quanto.

"Isso provavelmente será engraçado em duas semanas."

"Provavelmente." Regina olhou em volta enquanto elas andavam. Surpresa ao ver que o bairro em que estavam não era nada como ela imaginara. Não era a mais limpa ou a mais segura, tanto que ela podia ver pelos sinais grafitados e construção, mas não era o lixão infestado que ela originalmente pensava que a loira vivia. "Eu não sabia que você morava aqui."

"Essa é outra coisa que você não conhece junto com a minha cor favorita." Emma respondeu quando eles se aproximaram de um pequeno prédio de tijolos com alguns adolescentes pendurados do lado de fora. "É verde, a propósito."

"Eu vou tomar nota disso."

Emma sorriu quando ela puxou a porta da frente da barra de ferro e permitiu que Regina entrasse antes de entrar e destrancar a porta do saguão. Emma geralmente ignorava o cheiro do apartamento que permanecia no ar, mas estar com Regina fazia com que ela percebesse bem e todas as manchas de água no teto ou móveis incompatíveis no saguão. Quando Regina se dirigiu ao elevador, Emma a afastou, explicando que estava em manutenção nos últimos dois anos, mas assegurou que seria consertado a qualquer momento. Enquanto subiam as escadas, Emma cumprimentou a jovem vizinha que tinha a porta do apartamento aberta e brincava com a filha. Ashley e Alexandra devolveram o sorriso antes que Emma levasse Regina mais um lance de escadas para seu próprio apartamento.

Emma abriu a porta para um apartamento de dois quartos. Toda a sala principal era um conceito aberto de sala de estar e cozinha que podia ser facilmente percorrido em dez passos ou menos. Apesar de seu tamanho e mobiliário mínimo, a sala de estar contendo um sofá e TV com uma prateleira de filmes e apenas cinco passos de distância da cozinha, era claramente um espaço que a loira fazia o melhor que podia para manter. Um aparelho de ar-condicionado estava em uma janela, mas a julgar pela umidade do apartamento, estava quebrado ou nunca usado.

"Desculpe", Emma murmurou correndo descontroladamente pelo apartamento para pegar algumas roupas descartadas penduradas nas costas de cadeiras ou sofás. Ficou irritada ao ver que a maioria deles era dela. "Não estava esperando companhia."

Regina fechou a porta atrás de si e examinou o quarto enquanto Emma limpava freneticamente. Ela caminhou até a geladeira e sorriu para si mesma enquanto os testes de Henry e vários projetos de arte eram exibidos com orgulho. Fotos de escola dele ao longo dos anos estavam seguradas por ímãs, e para a surpresa de Regina, as fotos que ela havia dado à loira também foram feitas. Regina não pôde deixar de sentir uma pontada de orgulho por ela ter sido incluída, mas ela rapidamente se bateu na cabeça por pensar nisso. Eles eram fotos de Henry. Claro que eles seriam pendurados para todos verem.

"Esse é o muro da fama dele", disse Emma chegando a ficar atrás de Regina com algumas camisas na mão. "Depois de um tempo eu tive que começar a colocá-los em caixas."

"Ele é muito brilhante."

Emma assentiu orgulhosamente apontando para seu teste de ciências. "103%. Quem faz isso?"

"Seu filho." Regina se virou da geladeira para encontrar Emma a menos de um centímetro de distância dela.

Ela moveu a mão entre eles para tirar o paletó de Emma dos ombros e encolher os ombros para fora do couro. Ela sorriu ao ver os olhos verdes seguindo a trajetória de sua mão enquanto viajava pelo comprimento de seu torso. "As camisas?"

Emma balançou a cabeça e finalmente olhou para encarar Regina. "Certo." Ela murmurou entregando à morena suas melhores camisas. "Você pode se trocar no meu quarto."

"Atrevida," Regina sorriu abrindo caminho para o quarto de Emma.

"Não é assim", Emma bufou quando a porta do quarto se fechou.

***

Regina estava em seu quarto há quase quinze minutos. Quanto tempo demorou para mudar uma camisa? Talvez ela não gostasse deles e estivesse vasculhando o armário de Emma. Isso foi provável. Emma, no entanto, resolveu encontrar algo mais adequado e imediatamente entrou no armário do corredor para vasculhar a pilha de roupas limpas que ainda tinha que dobrar. Puxando alguns artigos que pareciam apropriados, ela os segurou na frente dela, inspecionando-os cuidadosamente antes de fazer seu caminho para seu quarto.

Ela abriu a porta sem pensar muito. "Eu encontrei mais roupas para você."

Ela inalou agudamente quando as costas nuas de Regina foram apresentadas a ela. "Uh desculpe, eu-"

Regina virou a cabeça, os braços sobre o peito e uma sobrancelha arqueada, mas o tênue tom rosado nas bochechas dava seu embaraço. "Ele manchou." A morena apontou a cabeça para a cama onde, de fato, o sutiã de renda branca agora estava manchado de um marrom profundo.

Emma deu um passo à frente, a mão estendida com as blusas que encontrara. "Estes podem ser melhores."

"Obrigado." Regina não fez nenhum movimento para se virar ou pegar a roupa.

Emma finalmente pegou a dica antes de largá-los na cama ao lado do sutiã de Regina. Ela saiu do quarto e fechou a porta atrás dela, encostando-se nela e rindo para si mesma sobre o que havia acontecido.

***

Emma olhou para cima quando Regina finalmente saiu do quarto vestindo uma blusa azul-bebê que Emma tinha encontrado e há muito esquecido que ela tinha possuído as algemas dobradas até os cotovelos e as pontas enfiadas em sua calça de cintura alta. Em Emma, a camisa teria ficado frouxa, mas em Regina parecia que ela mesma havia comprado e tinha feito sob medida para caber em seu corpo magro. O que fez Emma engolir em seco foi o fato de que ela sabia que Regina estava ficando sem sutiã sob aquela camisa, e ela poderia ter jurado sob seu olhar que ela podia ver um mamilo endurecido, ou talvez fosse devido ao calafrio em seu apartamento.

"Como você faz isso?"

"Faço o que, querida?"

"Faça tudo parecer bem. É como se tudo que você tocasse se transformasse em ouro."

Regina riu para si mesma. "Esse seria o pai de Kathryn."

"Bem, você parece bem,", Emma disse de seu lugar no balcão.

"Talvez você não tenha um gosto horrível depois de tudo", brincou Regina.

Emma se afastou do balcão e foi lentamente até a morena. "Vindo da mulher que me despiu mentalmente em nosso encontro."

"Eu não fiz isso." Regina cruzou os braços sobre o peito desafiadoramente, e Emma ficou triste ao ver aquele pequeno mamilo desaparecer.

Emma riu e, lentamente, estendeu a mão para desvendar os braços cruzados em torno do peito de Regina e segurou as duas mãos de Regina. "Então você está ocupada hoje?" Ela perguntou.

"Eu tenho planos com Kathryn." Regina sorriu desculpando-se.

"Amanhã?"

"Eu tenho uma sessão no meu estúdio." Regina franziu a testa. "Eu terminarei pelas 9."

"Eu trabalho", Emma disse tentando esconder sua carranca.

"Bem, parece que estamos em um impasse." Regina apertou os lábios em seus horários conflitantes.

"Não", Emma decidiu sorrindo maliciosamente para a sobrancelha curiosa de Regina enquanto apertava as mãos da mulher mais velha. "Prepare-se para um segundo encontro."

"E quando será isso?"

"É uma surpresa." Ela os conduziu até a porta e a abriu para Regina. Quando a morena passou por Emma, Emma se inclinou e depositou um beijo na bochecha de Regina.

"Desculpe pelo café", Emma explicou com uma mão atrás da cabeça.

Regina sorriu maliciosamente. "Um beijo por uma camisa arruinada? Você já está perdendo o ritmo."

Emma revirou os olhos enquanto trancava a porta atrás deles.

***

"Então Regina é sua namorada?" Henry perguntou quando ele e sua mãe voltaram para o apartamento depois da escola.

"Eu não tenho certeza", Emma respondeu com sinceridade, colocando o polegar no bolso de trás da calça jeans e usando a mão livre para segurar a mão de Henry quando eles se voltaram para a vizinhança.

"Por que não?"

"Porque nós só estamos em um encontro."

"Quantos você precisa?" O garoto continuou seu curioso interrogatório.

"Bem", Emma se atrapalhou se sentindo desconfortável discutindo as formas de namorar com seu filho de oito anos de idade, quando ela mesma era uma amadora sobre o assunto. "Realmente não importa, desde que vocês dois queiram estar um com o outro."

"Você quer que ela esteja?"

Emma deu-lhe um olhar de lado antes de assentir minimamente afirmativamente.

"Você vai falar com ela?"

"Henry", choramingou Emma agravada.

"O que?" Ele deu de ombros inocentemente. "Eu gosto dela."

Emma sorriu suavemente quando eles se transformaram em seu prédio e ela segurou a porta aberta para seu filho. "Eu também."

Ele se dirigiu para as escadas e segurou o corrimão, esticando o pescoço para falar com sua mãe. "Então você vai pedir para ela ser sua namorada? Ela vai morar com a gente?"

"Woah, garoto. Um passo de cada vez," Emma disse quando eles chegaram ao seu andar e ela os deixou entrar no apartamento. Ela se agachou ao seu nível, certificando-se de que ele entendesse. "Eu vou vê-la antes do trabalho, e você sabe, eu realmente gosto dela também." Ela riu antes de sorrir para Henry.

Henry fez uma demonstração de cruzar os dedos antes de imitar o sorriso de sua mãe. Ele correu para a mesa da cozinha, jogando sua bolsa no balcão e tirando o dever de casa. "Talvez ela possa vir ao meu aniversário!"

***

Assim que Henry foi alimentado e levado para a casa de Ashley, Emma elogiou-se mentalmente por seu senso de oportunidade. Ela tinha tempo suficiente para ir para a cidade e pegar Regina em seu estúdio. Ela dirigiu rapidamente, tomando as ruas e se encontrando no estúdio em tempo recorde. Foi alguns minutos antes das sete quando Emma bateu na porta.

Regina abriu a porta um momento depois, vestida inteiramente de negócios em sua calça preta e blusa com sua câmera pendurada em seu pescoço. "Emma?" Ela perguntou agradavelmente surpresa. "Eu pensei que você estivesse trabalhando."

"Em uma hora", Emma assentiu. "Quer que eu fique? Nem vai saber que eu estou lá."

"Qual é o propósito disso então?" Regina inclinou a cabeça e encostou-se ao batente da porta.

"Você vai me convidar? Porque você já perdeu..." Emma olhou para o relógio de pulso. "Dois e meio minutos do nosso encontro."

Regina sorriu, mas não se mexeu por um minuto inteiro. Quando Emma levantou uma sobrancelha, Regina soltou uma risada ofegante antes de abrir caminho para Emma passar.

A mudança no estúdio fez Emma vacilar. Ela já tinha visto o amplo espaço aberto do sótão antes, decorado magistralmente com tons de branco e preto, mas agora exibia um gigantesco pano de fundo branco contra a parede ocidental, completa com as gigantescas lâmpadas de flash que Emma sempre imaginara serem parte de uma foto. Flashs. O que a tirou dos pensamentos foi o homem muito nu deitado no meio dela, um cobertor de peles cobrindo sua região pélvica.

"Uh ..." Emma não pôde deixar de olhar fixamente para seus músculos definidos e abdômen esculpido. Estava tudo menos em seu rosto. Ela bateu a cabeça de repente para Regina. "Há um homem nu."

"Graham", Regina disse ao modelo. "Esta é Emma. Minha ..." Regina olhou ao redor do loft como se seu estúdio tivesse a resposta que ela estava procurando. "Emma"

"Olá Emma." Seu sotaque irlandês era grosso quando ele deu uma onda de seu lugar pelo cenário.

"Eu pensei que você só fizesse paisagens", Emma sussurrou não muito calmamente para Regina.

"As pessoas pareciam gostar das fotos do centro comunitário, então decidi assumir várias tarefas diferentes", Regina respondeu casualmente.

"Com um homem nu?"

"É para uma revista."

"Para quê? Playgirl?"

Regina riu levemente. "Eles não pagam o suficiente, querida."

"Ele é gay?" Emma tentou.

Regina gesticulou para Graham que estava assistindo a troca deles com uma expressão divertida, o cabelo desgrenhado caindo em seus olhos e sua nuca aumentando o queixo definido. "Ele parece?"

"Você não parece", argumentou Emma.

Regina parou seu eyeroll no meio do caminho para inclinar a cabeça curiosamente para a loira. "Você está com ciúmes?"

"Não." A resposta de Emma foi rápida demais para ela, e ela não pôde deixar de se sentir envergonhada sob o olhar divertido de Regina.

"Ele é apenas um modelo", disse Regina insistentemente tentando segurar a mão de Emma. "Além disso, você já perdeu três minutos e meio do nosso encontro."

Emma soltou uma risada para Regina jogando suas palavras para ela antes de apertar sua mão em troca. Ela se virou para encarar Graham, que sorriu finalmente sendo reconhecido. "Ei, Emma."

Ele deu um sorriso de lobo e se virou para Regina. "Estamos prontos?"

"Eu não sei. Querida, estamos prontos?" Ela provocou Emma.

"Apenas faça o seu trabalho." Emma deu a Regina um leve empurrão em direção ao pano de fundo antes de se sentar em uma poltrona de uma cadeira ao lado.

***

Quaisquer que fossem as noções que Emma tinha sobre sessões de fotos, a idéia de que o fotógrafo constantemente dizia a seus modelos para trabalhar ou ser feroz era jogada para fora da janela quando Emma observava Regina comandar a sala dizendo a Graham exatamente como posar ou posicionando-se apropriadamente sempre que ele deveria agir naturalmente. Apesar de assumir o controle, ela tinha um jeito de consertar o mais minúsculo dos detalhes - uma simples virada no queixo ou um ajuste de luz - então ela sorria para sua tela em um trabalho bem feito.

De vez em quando, ao longo de uma hora, Regina mostrava a Emma as fotos, descrevendo em detalhes como tudo aquilo era necessário para isso ou para projetar a sombra perfeita ou para definir uma determinada área. Emma sorriu, assistindo Regina falar animadamente antes que a morena fosse tirar outra foto.

Emma estremeceu quando percebeu o tempo e sabia com certeza que se atrasaria. Ela se levantou e esperou que Regina olhasse antes de apontá-la para o lado.

"Eu tenho que ir", Emma disse desculpando-se. "Eu vou ver você para o encontro número três?"

"Já planejou?" Regina deixou seus dedos emaranharem naturalmente enquanto caminhavam até a porta.

"O aniversário de Henry está chegando", disse Emma sem rodeios. "Nós íamos fazer alguma coisa no fim de semana se você quisesse vir."

Regina sorriu levemente antes de concordar. "Eu adoraria."

"Ótimo", Emma imitou seu sorriso antes de se inclinar e pressionar um leve beijo contra os lábios de Regina. Ela recuou apenas quando Regina estava começando a beijar de volta e sorriu para a careta da morena. Ela se virou para olhar severamente para Graham que estava ajustando as abotoaduras no terno de três peças que ele tinha mudado. Sua voz não tinha nenhum absurdo enquanto falava com o homem. "Nada engraçado."

Ele riu antes de concordar compreensivamente.

Regina revirou os olhos novamente antes de empurrar Emma para fora da porta e fechá-la com um sorriso.

"Determinada ela, não é?" Graham perguntou.

"Sim", Regina sorriu para si mesma. "Eu acredito que ela é."


Notas Finais


Não sei se vou conseguir postar outro capítulo amanhã. Talvez sim, talvez não pq essa semana está sendo corrida. Mas, tentarei postar amanhã. Espero que estejam gostando do andamento da história e também o quanto ela está fofa hahah


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...