História Meet me on the roof - Capítulo 28


Escrita por:

Postado
Categorias PRETTYMUCH
Personagens Personagens Originais
Tags Austin Porter, Brandon Arreaga, Edwin Honoret, Nick Mara, Prettymuch, Zion Kuwonu
Visualizações 138
Palavras 6.055
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 28 - Somebody that I used to know


I hate u, I love u tocava alto no rádio quando estacionei o carro em uma vaga afastada da entrada do colégio.

A ultima coisa que eu queria no momento era ir pra aquele lugar, mas eu fui obrigada por minha mãe, já que a mesma disse que eu teria de enfrentar isso uma hora ou outra. E, é, ela tinha razão.

Eu podia não ter o apoio dos meus "amigos", mas tive todo o apoio da minha família. Stella me pediu pra ligar se precisasse de qualquer coisa e Noah disse que eu podia ligar, mandar mensagem, chamar no facetime... O que eu quisesse se estivesse mal ou se apenas quisesse conversar com alguém.

Encarei meu reflexo pelo retrovisor, vendo meu kit tristeza: olheiras, cabelo oleoso preso em um rabo de cavalo e uma roupa confortável. Eu estava horrível e cada dia que passava parecia que minha cara ficava pior.

Continuei com as mãos no volante, mesmo já tendo desligado o carro. Estava distraída demais pensando em como faria aquilo, não fazia ideia de como enfrentaria aquela situação, mas eu tinha que pensar num plano rápido.

"Talvez se eu ficar no carro até dar o horario da aula... Ah, mas se eu entrar atrasada na aula só vai chamar mais atenção".

"E se eu entrar de capuz e óculos escuros igual todo personagem da Marvel disfarçado tentando fugir da policia?"

Enquanto eu criava mil planos, vi Chloe e suas duas amigas caminharem sorridentes pelo estacionamento. A morena usava uma calça preta apertada, um cropped branco escrito "heartbreaker" e saltos. Devia ser bem divertido voltar pro colégio depois de expor alguém que você odeia né?

Assisti Brandon cruzar o estacionamento usando uma calça jeans clara e uma jaqueta florida. Aquela roupa tinha o deixado tão bonito que eu soltei um suspiro involuntário, enquanto apoiava meu cotovelo no volante e minha cabeça em minha mão.

Eu me odiava por ainda o achar tão atraente e odiava meu coração por ainda acelerar sempre que o via. Sabia que sentia algo muito forte por ele ainda e isso me matava por dentro.

Alô Madison, ele foi um completo filho da puta com você e te usou, para de suspirar por esse idiota!

Prendi a respiração assim que Arreaga segurou Chloe pelo braço, fazendo a mesma parar de andar. Eles trocaram algumas palavras com expressões sérias, enquanto as duas cachorrinh... digo, amigas de Kudrow assistiam tudo.

O "casal" entrou junto no colégio, ainda conversando sobre algo que eu queria muito saber o que era, enquanto as duas garotas apenas seguiam eles. Eu esperava muito que Brandon tivesse visto a merda que aquela retardada postou e estivesse tirando satisfação. Não que isso fosse mudar alguma coisa, mas...

You don't care you never did, you don't give a damn about me

Yeah all alone I watch you watch her, she's the only thing you've ever seen

Olhei para o radio por um momento e notei o quanto aquela musica fazia total sentido pra mim agora. Olivia O'brien tinha feito a minha trilha sonora.

Bom, pelo menos ninguém sabia que eu tinha sido usada e feito de trouxa por Brandon não é? Pra eles eu era só uma louca obcecada, mentirosa e invejosa... Mas trouxa não.

Desliguei o radio, peguei minha mochila no banco do carona e abri a porta do carro. Desci do mesmo, olhando de um lado pro outro com medo de ser vista por alguém. Fechei a porta com certa força e suspirei.

É, chegou a hora de enfrentar tudo isso e eu farei de cabeça erguida.

Coloquei uma das alças da mochila em meu ombro e fechei o zíper do meu moletom cinza. Peguei meu celular dentro do bolso do jeans escuro e puxei meus fones do bolsinho da frente da minha mochila. Pluguei o mesmo no celular e fechei o zíper do bolso, logo colocando uma musica aleatória pra tocar.

Se eu estivesse de fones não escutaria ninguém falando merda pra mim, certo?

Make Me (Cry) começou a tocar, me fazendo fechar os olhos com força. Ótima musica pra tocar agora não é spotify?

Comecei a caminhar pelo estacionamento, com as mãos nos bolsos da jaqueta e sem olhar pros lados. Quanto menos pessoas eu visse, melhor.

Percebi algumas pessoas me encarando e algumas cochichando coisas que eu preferia nem saber o que era. Subi as escadas correndo e logo coloquei os pés dentro do colégio, sentindo ainda mais olhares sobre mim.

Continuei andando pelos corredores e fazendo a egípcia. Minha vontade de abaixar a cabeça e olhar apenas para meus pés era enorme, mas sempre me lembrava de Stella me mandando ir de cabeça erguida, sem deixar que nada me afetasse.

Eu não podia parar de pensar que se Brandon estivesse ali do meu lado, tudo seria 100x mais fácil, mas ele não estava e eu tinha de lidar com isso também.

I never needed you like I do right now

I never hated you like I do right now'

Cause all you ever do is make me...

Olhei para o lado vendo um grupinho de garotas cochichando enquanto me encaravam rindo. Revirei os olhos e desviei meu olhar, vendo um outro grupinho de garotas me julgando em silencio, enquanto algumas pessoas passavam por mim com cara de nojo.

Ok, galera o que eu fiz foi muito errado, mas não é como se eu tivesse envenenado alguém ou o algo do tipo – talvez eu quisesse envenenar umas pessoas, mas isso não vem ao caso.

Era engraçado o fato de que Chloe praticava bullying com aquela escola inteira e ninguém a olhava daquele jeito pelos corredores, bem engraçado mesmo...

Eu podia ver que algumas pessoas me zoavam ou falavam coisas como "Mentirosa", "Invejosa", "Louca", "Obcecada" e derivados, mas eu apenas ignorava, por mais que lutasse com um nó em minha garganta, eu não iria chorar no meio daquele bando de filhos da puta.

Aposto que Brandon não estava sendo julgado dessa maneira e isso mostrava o quão machista as pessoas eram. Arreaga tentando separar a ex do atual namorado é fofo, romântico, "ai ele fez de tudo pelo amor da vida dele, aw". Agora eu fazendo a mesma coisa era a falsa, escrota, invejosa e obcecada.

Peguei meu livro de Espanhol dentro do armário sem muito animo e fechei a porta do mesmo com força, quando vi Drew passar atrás de mim sorrindo. Eu achava bom que ele não viesse com gracinhas pra cima de mim ou então eu seria obrigada a socar aquela cara de Ken humano dele.

Passei por Jason que conversava com seu grupinho de jogadores de basquete. Vi o moreno me dar um sorriso quando passei e franzi o cenho.

Alguém avisa esse acéfalo que eu caguei pra ele? Eu não entrei em plano nenhum por causa desse lixo em forma de gente.

Balancei minha cabeça negativamente enquanto continuava andando em direção a minha sala, ignorando totalmente alguém que gritava meu nome – provavelmente Jason.

Logo que virei o corredor, vi Brandon encostado em seu armário de braços cruzados, ainda falando com aquele nojo em forma de gente, mais conhecido como Chloe Kudrow. Senti meus olhos ameaçarem lacrimejar e desviei o olhar deles.

Eu me perguntava se Brandon sentia minha falta o tanto que eu sentia a dele, mas sabia que a resposta provavelmente era não...Alias por que eu estou me importando tanto com isso? Ele nem era de fato aquela pessoa a qual eu sentia falta.

Espiei Arreaga pelo canto do olho e vi que o mesmo ameaçava ir atrás de mim e entrei em pânico. O que eu deveria fazer? Minhas opções eram: 1) correr bem rápido – o que provavelmente daria errado já que ele era bem mais rápido. 2) dar um chute nele ou 3) dar uns beijo nele... não, espera, o que?

Franzi o cenho estranhando o meu próprio pensamento me traindo e continuei andando rápido. O espiei de novo discretamente, fingindo olhar meu próprio ombro e percebi que o mesmo ainda me encarava, enquanto sua ex falava sem parar, parecendo uma matraca.

Eu nunca agradeceria Chloe por nada, mas eu estava a agradecendo mentalmente por "segura-lo" ali, impedindo que o mesmo fosse atrás de mim. Não estava com cabeça pra falar com ele sem meter um socão em sua cara. Na real, não tinha nada pra falar com ele, então...

x

Era hora do intervalo e eu caminhava calmamente em direção a refeitório, quase que contando meus passos. Eu estava tentando adiar a merda que seria me sentar sozinha enquanto todos me encaravam? Sim.

Entrei na fila para pegar comida e fiquei ali de braços cruzados, enquanto as garotas que estavam na minha frente cochichavam coisas enquanto me encaravam da maneira mais descarada possível. Revirei os olhos e desviei meu olhar para a parte onde ficavam as mesas e pude ver meus "amigos" rindo juntos.

Eu tinha fodido tudo por culpa de Brandon e agora ele estava lá sentado na mesa de Chloe, rindo junto com os garotos do time de basquete.

Fechei minhas mãos em punho e desviei meu olhar da mesa dos populares, voltando a olhar o grupinho em minha frente. Senti alguém me cutucar e respirei fundo, esperando que não fosse ninguém fazendo alguma gracinha.

Me virei com a cara fechada e dei de cara com um Jason sorridente.

Ah, não...

– O que você quer? – perguntei de maneira monótona.

– A gente pode conversar...Em particular? – ele sussurrou a ultima parte e sorriu de maneira maliciosa.

Não, ele não fez isso.

Jason achava mesmo que eu ia ficar com ele depois de tudo que ele me fez? Ele acreditava mesmo que eu seria sua segunda opção de novo?

Coitado, alguém avisa ele.

– Escuta Jason – me virei completamente de frente pra ele, enquanto o mesmo me encarava curioso – Eu não entrei nisso por sua causa, logo, eu não quero saber de você – dei um sorrisinho cínico e a expressão dele se desmanchou.

Me virei de volta e peguei uma bandeja vermelha, seguida de um prato da pilha que estava em cima de uma mesinha de madeira.

– Mas, se você não me queria de volta, então porque fingiu isso com o Arreaga? – o garoto perguntou soando confuso e eu suspirei.

Será que teria que falar sobre isso o dia todo?

– Por que eu achava que ele era meu amigo, mas eu estava enganada – dei de ombros sem olha-lo, fingindo prestar atenção na comida que eu estava pegando.

– Então vocês tinham mesmo alguma ligação... – Jason pareceu dizer para si mesmo, raciocinando sobre o que eu tinha dito.

Eu não sabia nem o porquê tinha lhe explicado aquilo, afinal, não devia nenhuma satisfação, muito menos pra ele que era o start pra toda a merda que foi acontecendo na minha vida.

Terminei de pegar comida e sai andado rápido em direção as mesas. Logo parei e passei os olhos por todo o refeitório, enquanto respirava fundo. Não fazia ideia de onde me sentaria, então comecei a andar devagar entre as mesas, olhando de um lado para o outro.

Passei pela mesa dos nerds e todos eles pararam de falar e me encararam com a típica cara de nojo que todos faziam pra mim. Olhei para a mesa dos descoladões que ficava bem ao lado e eles me mediram da cabeça aos pés. Desviei o olhar deles e continuei andando vendo o grupo das patricinhas riquinhas me olharem com sorrisos maldosos e cochicharem algo umas pras outras, rindo logo em seguida. Revirei os olhos e continuei andando com minha bandeja, fingindo não escutar quando o grupinho de rockeiros descolados me chamaram de "vadia louca", assim como as garotas da torcida me chamando de "vagabunda invejosa".

Tudo bem, era compreensível que elas me xingassem mesmo, afinal, eu tentei prejudicar a abelha rainha delas.

Senti alguém segurar meu braço e me virei com o cenho franzido.

– Quer sentar comigo? – Jason perguntou sorridente, apontando para a mesa onde estava Drew, Ryan e outros puxa-sacos dele.

Drew abanou a mão pra mim, fazendo com que eu fechasse a cara. Até parece que eu ia me sentar com aquele bando de idiotas que me odiavam.

Todos naquele refeitório pareciam nos encarar, esperando que eu desse minha resposta.

– Não – respondi ríspida, puxando meu braço de maneira brusca.

Me virei de costas e escutei um coral de "uh" para Jason, continuei andando, deixando o garoto parado ao lado de sua mesa com cara de tacho.

Logo que virei meu rosto para a direita vi Brandon me encarando com uma expressão mista de preocupação e pena.

Soltei uma risada anasalada, enquanto balançava minha cabeça de um lado pro outro. Ele estava mesmo com pena de mim? Acho que deveria ter pena de si mesmo por ser tão idiota.

Era cômico o fato de que ele fingia que ligava pra mim quando eu sabia que ele não dava à mínima. Brandon só pensava em si mesmo e em sua popularidade.

Vi que o garoto fez menção a se levantar da mesa, enquanto Charlie – um dos jogadores de basquete – o encarava, fazendo com que Chloe e Mia fizessem o mesmo.

Sibilei um "Nem vem" pra ele, vendo todos da mesa me encararem com cara de repulsa – o que era engraçado, já que Chloe tratava todos ali como lixo, mas ninguém fazia essa cara pra ela.

Eu não queria falar com Brandon, alias, não tinha nada pra falar com ele. O que ele fez comigo não tinha explicação e eu não estava disposta a escutar suas desculpinhas esfarrapadas de sempre.

Passei ao lado da mesa onde Austin, Cassie, Zion, Nick e Edwin conversavam animadamente sobre alguma coisa que eu não conseguia ouvir. Quando notaram minha presença, Austin e Cassie me fuzilaram com os olhos, Edwin me mediu da cabeça aos pés com cara de tédio, Zion apenas me deu uma breve olhada e voltou sua atenção a seu hambúrguer e Nick comprimiu os lábios, parecendo ter dó de mim.

Senti meu nariz arder e meus olhos começarem a lacrimejar. Eu me odiava por ter mentido pra eles, devia ter contado toda a verdade antes que Chloe o fizesse por mim. Talvez tudo seria melhor se eu mesma tivesse contado isso.

Desviei meu olhar deles e continuei andando antes que começasse a chorar ali mesmo.

Escutei Nick dizer "Vocês estão pegando pesado demais com ela" logo que me virei de costas pra eles e Austin responder de maneira irritada "Ela mentiu pra gente, esqueceu? Amigos não mentem".

Respirei fundo e agradeci aos céus quando encontrei uma mesa vazia no final do refeitório. Andei rapidamente até lá e me sentei na mesma, enquanto todos me encaravam.

Era estranho o quanto todos me encaravam como se eu fosse uma aberração. Eu tinha feito algo errado? Tinha, mas nem tinha dado em nada, Chloe e Jason não se separaram por minha causa e eu não interferi diretamente no relacionamento deles.

Limpei minha latinha de refrigerante com um guardanapo e abri o lacre do mesmo. Peguei meu celular dentro do bolso da jaqueta, desbloqueei a tela e abri o aplicativo do twitter. Passei pela timeline – que não tinha nada de interessante – enquanto bebia meu refrigerante. Era uma merda ter que ficar no celular fingindo que tinha algo de interessante pra fazer ali, só pra fingir que não estava se sentindo sozinha.

– Com licença senhora, será que posso me sentar aqui? – escutei uma voz grossa dizer e levantei minha cabeça com uma cara nada amigável.

Logo minha expressão fechada se desmanchou, deixando um sorriso surgir em meu rosto.

– Desculpe, meus amigos imaginários já estão sentados aqui – brinquei enquanto apontava para o banco em minha frente.

– Você não sabe mesmo a hora de parar de fazer piada né? – Trevor Harding semicerrou os olhos e eu sorri.

– Não – neguei com a cabeça, rindo sem animo – E nem você – apontei para o mesmo.

Ele realmente nunca sabia a hora de parar, já que sempre tirava sarro dos assuntos que Oliver contava na sala do jornal, fazendo com que o mesmo fechasse a cara pra ele e até jogasse o tênis em sua direção.

– Ah, Madison, você me conhece tão bem – o garoto brincou enquanto colocava as pernas pra dentro do banco e se sentava no mesmo.

Trevor abriu seu lanche calmamente, enquanto eu o observava. Me perguntava se ele não estava com raiva de mim após descobrir sobre meu namoro falso com Arreaga.

– O que foi? – o garoto perguntou de boca cheia, enquanto limpava a mesma com o guardanapo.

– Você não está bravo comigo? – perguntei confusa.

– Eu? – ele apontou para si mesmo confuso – Por que estaria?

– Bom, eu menti sobre namorar o Brandon e...

– Ah, você está falando sobre isso – Trevor me cortou – Eu não tenho o porquê estar bravo, afinal, isso não me afetou em nada, mas estou decepcionado. Não acredito que você fez todo esse sacrifício de aguentar o Arreaga só por causa do Jason – o garoto disse franzindo o nariz, fingindo estar enojado, enquanto eu ria de sua expressão.

Eu sabia que ele estava tirando uma com a minha cara.

– Eu não fiz isso por causa do Jason tá bom? E sim pra defender o bocó do Arreaga – expliquei calma, desembalando meu lanche do papel filme.

– Como assim?

– Eu não aguentava mais ver a Chloe pisando nele, então eu boca aberta que sou falei que estava com ele – suspirei ao meu lembrar exatamente da cena – Ele tinha me proposto isso de namoro falso, mas eu tinha recusado.

– Então você aceitou isso pra proteger o Arreaga? – perguntou franzindo a testa, parecendo tentar entender o assunto.

– Mais ou menos isso – dei de ombros – Eu achei que deveria defendê-lo da ex-namorada louca, porque achei que ele era uma boa pessoa, mas eu estava enganada – levantei uma de minhas sobrancelhas e ri sem animo. Como eu era ingênua...

– Entendi – o garoto de óculos concluiu por fim – Você não me devia nenhuma satisfação sobre isso, mas fico feliz em saber que pelo menos você desencanou do merda do Jason.

– É, pelos menos otária por ele eu não sou mais – brinquei.

– Eu nunca entendi qual era o seu lance com o Jason – Trevor confessou, se debruçando na mesa.

– Bom... Já tá tudo fodido mesmo, então eu vou contar a verdade – me ajeitei no banco e me debrucei na mesa, tentando ficar mais perto dele – Eu estava saindo com o Jason e daí do nada ele começou a se afastar e logo surgiu com os "Você merece alguém melhor", "Vamos ser amigos" e bla bla bla – revirei os olhos enquanto fazia sinais com a mão – Um dia eu abri o facebook e estava lá ele em relacionamento sério com a Chloe – dei um sorrisinho cínico e Trevor abriu a boca, parecendo chocado.

– Então ele deixou você pra ficar com a Chloe? – perguntou ainda visivelmente chocado.

– Sim.

– Eu não sei quem é mais burro, ele ou o Brandon – o moreno riu enquanto balançava a cabeça de um lado pro outro, logo voltando sua atenção a sua comida.

Ficamos em silencio e eu comecei a observar que o pessoal da mesa ao lado e os da mesa da frente estavam nos encarando.

– O que foi? – Trevor perguntou curioso, agora me olhando.

– Nada demais, só todo mundo me olhando como se eu fosse uma serial killer prestes a fazer minha próxima vitima – dei de ombros, dando um gole em minha coca-cola.

O moreno riu, deixando seu lanche em cima da bandeja e apoiando os cotovelos na mesa.

– Eu acho engraçado o quão hipócrita o pessoal desse colégio é – o garoto começou, ajeitando os óculos de grau em seu rosto – Todo mundo tá ai apontando o dedo pra você e esquecendo de olhar para si mesmo.

Parei de beber o refrigerante e o encarei pensativa.

Ele tinha toda a razão, o pessoal ali adorava julgar o outro, mas não olhavam as coisas que eles mesmos faziam de errado.

– É, eles são bem hipócritas mesmo – concordei dando uma risadinha sem animo – Eu errei, mas eu não acho que seja pra tanto.

– Madie, você errou, mas eles não tem nada com isso – Trevor se curvou na mesa, ficando mais próximo – Você não prejudicou ninguém com esse namoro falso, os únicos prejudicado foram vocês mesmos – explicou calmo – A Chloe e o Jason se separaram por outro motivos e além do mais, vocês não interferiram diretamente no namoro deles...Na real, nem indiretamente, alias, esse plano era bem ruim – o moreno concluiu pensativo.

– Cara, você tem toda razão – respondi pensativa – A única prejudicada fui eu na real, porque o Brandon está ótimo – sorri ironicamente apontando com a cabeça na direção da mesa onde ele estava.

Trevor virou um pouco o corpo e observou a mesa onde o mesmo se encontrava rindo com os colegas.

– Ele teve o que ele queria com esse plano – comentei olhando fixamente para Chloe que segurava a mão de Arreaga em cima da mesa, enquanto todos ali riam.

Respirei fundo e fechei meus olhos, tentando acalmar meus nervos. Às vezes eu só queria ir lá e encher a cara dos dois de porrada e depois chorar feito uma idiota porque fui trocada pela minha pior inimiga, de novo.

– Posso te falar uma coisa? – o moreno perguntou assim que se virou para me olhar. Assenti com a cabeça – Esse plano me cheira mais a uma desculpinha do Brandon pra te dar uns amassos – o garoto semicerrou os olhos e eu gargalhei.

Aquilo era a coisa mais hilária que eu já tinha escutado. Arreaga arrumando desculpinha pra ficar comigo? Ah tá bom, conta outra. Se ele quisesse tanto isso teria me dito que não queria "terminar", mas ele não o fez.

– Você é hilário – disse ainda rindo, enquanto o garoto de óculos me encarava confuso.

– Porque você tá achando engraçado? Eu to falando serio.

– Trevor, isso não faz o menos sentido. Se ele quisesse mesmo isso não estaria com a Chloe agora mesmo – respondi, levantando um pouco o meu tom de voz – Ele só me usou pra chegar nela, só isso...

– Tudo bem, pode até ser isso, mas você não acha que ele se aproveitou disso pra tirar proveito de você? – questionou desconfiado e eu pensei um pouco sobre.

– Talvez – dei de ombros – Eu sempre soube que estava sendo apenas uma distração e que ele estava me usando pra ficar com a Chloe, mas – fiz uma pausa assim que meus olhos marejaram – Eu meio que tinha esperança que ele também gostasse de mim e que desistisse dela – ri nasalado – Sou muito trouxa mesmo – completei, sentindo um nó se formar em minha garganta.

– Ei, você não é trouxa por gostar e acredita nele – Trevor segurou meu queixo, me obrigando a olha-lo nos olhos – Você não é a errada e sim ele por ser um completo idiota com você! Para de se culpar por algo que nem é sua culpa.

Suspirei enquanto fechava os olhos. Me culpar por algo que nem era minha culpa era minha especialidade!

– Eu acho engraçado o quanto o mundo é machista sabe? – o moreno começou a dizer, parecendo pensativo – Ninguém tá julgando o Brandon, agora você...

– É, eu sei – ri sem animo – Ele é o fofo que fez de tudo pra ter a ex de volta e eu sou a vagabunda invejosa e louca.

– A Chloe fala merda pra todo mundo e todos continuam tratando ela como uma celebridade, ninguém nunca chegou nela e disse que ela não passa de uma garota superficial, chata e prepotente que só sabe por medo nos outros para que idolatrem ela...Quer dizer, você enfrentou ela e é isso que você recebe...

– É, eu sei! Ela pratica bullying com todo mundo e mesmo assim todos aqui continuam lambendo o chão por onde ela passa – sorri de maneira irônica e cruzei os braços.

– Sabe, é muito louco que todos aqui fazem de tudo pra serem populares e etc, mas não pensam que faltam poucos meses pra isso acabar e na faculdade ou na vida isso não vai importar, ninguém liga se você foi popular no ensino médio ou sei lá o que...Daqui vinte anos ninguém nem vai lembrar quem foi Chloe Kudrow.

É, Trevor tinha toda razão. Daqui alguns anos ninguém se lembraria de Chloe, Jason ou até mesmo da merda que eu tinha feito junto com Brandon, então eu não tinha o porquê ficar tão pra baixo e sem graça por todo esse assunto.

– Seus amigos estão brigados com você? – o moreno peguntou me fazendo sair de meus pensamentos.

– Aham – resmunguei sem animo.

– Só por causa do namoro? Quer dizer, ok você mentiu pra eles, mas isso afetou eles em algo? – perguntou confuso, franzindo o cenho.

– Eu menti pra eles e isso já basta – dei de ombros, fingindo não me importar muito.

– Entendi...

x

Eu andava ao lado de Trevor enquanto conversávamos sobre o projeto de Inglês, ignorando totalmente os olhares sobre mim.

Ele estava sendo um amigo e tanto pra mim no momento e eu só tinha a agradecê-lo por estar ao meu lado quando todos estavam contra mim.

– Trevor – chamei quando paramos de conversar e ele virou o pescoço para me olhar – Obrigada.

– Por quê? – perguntou confuso

– Por estar ao meu lado quando ninguém está...

– É isso que amigos fazem, não é? – perguntou com um sorrisinho no rosto e eu sorri verdadeiramente.

– É, eu acho que sim – concordei ainda sorrindo – Ou pelo menos deveriam...Sei lá – dei de ombros sentindo as lagrimas se formarem em meus olhos, deixando minha visão embaçada.

– Você vai se resolver com eles ainda – o garoto assegurou, enquanto passava seu braço livre por meus ombros.

Me despedi de Trevor, já que ele ia para a direção oposta e me virei de costas pra ele, porém acabei trombando em algo...ou alguém. Olhei pra frente com a cara fechada, já esperando a merda que a pessoa falaria pra mim, mas minha expressão logo se desmanchou quando eu vi quem era...

– Parece que você está fugindo de mim – Arreaga disse com uma de suas sobrancelhas arqueada.

– Não só parece, como eu estou realmente fugindo de você – dei um sorrisinho irônico e empurrei seu peito de leve, para que o mesmo me desse passagem.

Brandon me segurou pelos ombros e eu o olhei nos olhos – pior coisa que eu fiz na minha vida, já que eu quase chorei só de olha-lo tão de perto. Passei meu olhar por todo seu rosto, parando em sua boca. Entreabri a boca para pedir que ele me soltasse, mas eu não consegui dizer nada assim que olhei em seus olhos tão castanhos e intensos.

Respirei fundo e desviei o olhar de seus rosto, encarando o armário que estava bem atrás dele. Eu precisava ter foco, precisava me lembrar de toda a merda que ele me fez passar, mas eu só conseguia me lembrar de seu toque e de todos os momentos bons que tivemos. Argh, eu me odiava por ser tão idiota.

– A gente precisa conversar – ele sussurrou, ainda muito próximo de mim.

– Não, nós não precisamos – neguei com a cabeça – Eu não tenho nada pra falar com você – disse ríspida.

– Madison, por favor... – ele implorou com os olhos cheios de lagrimas – Eu te amo.

Soltei uma risada anasalada e desviei meu olhar de seu rosto.

Ele só podia estar de zoeira com a minha cara. Brandon ia mesmo dizer que me amava depois de ter beijado aquela escrota na minha frente? Depois de passar a porra do intervalo todo com ela?

– Não, você não ama e nunca amou – respondi seca – Para de atuar, a sua mascara já caiu, Brandon. Eu sei que só fez tudo isso pra ficar com a Chloe e olha só...Você conseguiu, parabéns! – bati palmas pra ele, enquanto sorria de maneira cínica.

Todos no corredor nos encaravam atentos, provavelmente esperando a treta real chegar.

– Madison, ela que me beijou, não fui eu! – Arreaga tentou se defender.

Revirei os olhos. Ele achava mesmo que ia cair na velha desculpa do garoto inocente e indefeso que foi beijado pela garota?

– Aí jura? Coitadinho de você – fiz um biquinho, fingindo pena – Me poupe Brandon, você acha mesmo que eu vou cair nessa? Se liga! – empurrei seu ombro de leve, enquanto o mesmo me encarava com aquela cara de choro.

Me virei de costas, pronta pra sair dali – por mais que minha aula fosse na direção oposta, eu só queria me livrar de Brandon e toda a sua ceninha.

– Mas é a verdade...Madison – Arreaga segurou meu braço, me obrigando a olha-lo – Eu não sinto mais nada por ela, eu juro!

– E você acha que eu ainda acredito no que você fala? – ri de maneira irônica e ele suspirou.

– É, você provavelmente não acredita em mim, mas acredita no que o Trevor fala né? – o moreno riu sem animo e eu fechei a cara. Como era? – Ele só está se aproveitando disso pra ficar com você! – Arreaga alterou seu tom de voz e eu quis dar um soco em seu rosto.

– Você não tem o direito de falar porra nenhuma dele! – andei até ele com os pulsos cerrados – Quem se aproveitou de mim foi você, quem me usou como consolo e pra ter a ex de volta foi você! – disse alto e o empurrei com força. Eu estava furiosa com ele, podia sentir o sangue subindo e deixando meu rosto corado. Meu coração estava a mil naquele momento.

– E você não me usou também não né? – Brandon cruzou os braços e levantou uma sobrancelha. Fiquei em silencio sem saber o que falar e apenas observei o garoto se aproximar de mim – Você por acaso se esqueceu do que aconteceu em Malibu? – ele murmurou para que só eu escutasse e eu desviei o olhar dele, respirando fundo.

Como eu poderia esquecer daquilo se meu cérebro me mandava flashes daquela noite o tempo todo, se eu sentia falta de sentir aquilo de novo, se eu me lembrava de cada detalhe dele.

– Eu não te devo nenhuma satisfação, Brandon – exclamei sem olha-lo.

– Tudo bem, se é assim eu também não te devo nenhuma satisfação, afinal, você terminou comigo, lembra? – o moreno sorriu ironicamente e eu o fuzilei com o olhar.

– Terminei o que? – ri sem animo e percebi que seus olhos estavam marejados.

– É, você tem razão...Isso nunca existiu...Nós nunca existiu, então não tem o que ter terminado – Arreaga concordou com a cabeça e eu senti uma maldita lágrima escapar dos meus olhos.

– É, foi tudo uma mentira, você tem toda razão... – concordei com a cabeça, me virando de costas pra ele, pronta para correr para o banheiro mais próximo e chorar feito um bebê.

– Madison, eu... – ele segurou meu braço, mas eu o puxei com certa brutalidade.

– Não me toca – pedi entredentes.

– Eu não quis dizer isso...O que tivemos foi real pra mim! – escutei a voz de Brandon cada vez mais longe.

– Vai pro inferno, Arreaga! – gritei ainda de costas pra ele.

x

Corri para o banheiro mais próximo, já sentindo as lagrimas caindo por meu rosto. Entrei no banheiro feminino às pressas e me tranquei em uma das cabines.

Me encostei na porta de madeira pintada de branco e comecei a chorar copiosamente, sem ao menos me importar se tinha alguém ali dentro.

Eu odiava o quanto eu sentia que precisava de Brandon o tempo todo, mas eu simplesmente não podia tê-lo porque ele era um idiota do caralho que só sabia me magoar. Tudo bem, eu provavelmente pisei nele há minutos atrás, mas porra, ele beijou a Chloe na minha frente e acha que eu tenho que acreditar nele ainda? Arreaga não tentou em nenhum momento me provar o contrario, apenas ficou falando sem parar, tentando se desculpar pelas merdas que fez.

Tapei minha boca com as duas mãos, tentando fazer menos barulho enquanto tentava controlar o meu choro que parecia nunca ter fim.

Toda aquela discussão com Arreaga só me fez ficar pior, talvez fosse por isso que eu estava fugindo tanto dele, porque não queria revirar todos esses sentimentos que tinha por ele, pois eu sabia de alguma forma que isso ia acabar me machucando ainda mais.

Eu queria tanto não ligar nem um pouco pra ele, mas eu ainda o amava, ainda queria tê-lo de volta e isso só me matava ainda mais por dentro. Só queria conseguir odiá-lo a ponto de me obrigar a esquecê-lo.

Tentei pensar em outras coisas que não fossem Brandon e suas palavras que me atingiram como uma bala, a fim de me acalmar.

Quando finalmente consegui parar de chorar, peguei um pouco de papel e limpei meu rosto molhado e assoei meu nariz logo em seguida. Joguei o papel na lixeira e destranquei a porta do banheiro, abrindo a mesma com cautela.

Observei que não tinha ninguém ali e sai da cabine, correndo até a pia onde observei minha cara de choro no espelho e suspirei. Eu só precisava jogar uma água no meu rosto e voltar pra sala.

Enquanto eu lavava o meu rosto na pia, escutei a porta se abrir e as vozes escandalosas de Chloe e suas amigas entrarem no local, fazendo um certo eco. Logo as três mean girls entraram no local e me encaram com certo nojo, mas quando viram que eu provavelmente estive chorando feito uma idiota, a expressão delas mudou para um sorrisinho maldoso – menos Tiffany que me encarava preocupada.

– Olha só quem está aqui – Mia disse sorridente e eu a ignorei totalmente.

– O que foi? Você está tristinha porque eu mostrei o lixo de pessoa que você é? – Chloe perguntou de braços cruzados e eu apenas a olhei pelo canto do olho.

Se ela achava que eu ia cair no joguinho dela, ela estava bem enganada...

– O Brandon nunca será seu, nem o Jason. Me desculpa, Madison – a morena disse com uma voz fina – É só eu chamar que os dois vem correndo.

– Quem bom pra você né? – dei um sorrisinho cínico e andei até  a outra parede, onde tinha o suporte que tinha papel para enxugar a mão.

– A gente te avisou que o Brandon estava te usando... – Mia disse enquanto olhava as próprias cutículas e eu revirei os olhos, ainda de costas pra elas.

– Você esqueceu que eu sabia né? – perguntei irônica, enquanto jogava o papel no lixo.

– É, e agora está sem nenhum dos dois, parece que o plano deu errado pra você, que pena – Chloe fez um biquinho ridículo e eu a encarei com tédio – Eu te disse que nenhum dos dois ficaria com alguém como você...

– Chloe, cala a boca um pouquinho vai – pedi já sem saco para as baboseiras que ela dizia.

– Por quê? Eu estou te incomodando? – perguntou cínica.

– Não, mas parabéns pela tentativa – respondi calma, indo até a porta do banheiro.

– É, eu sei que você pensou que o Brandon estava gostando mesmo de você, coitadinha – as sobrancelhas bem desenhadas da garota se uniram em uma falsa expressão de dó e eu quis vomitar na cara dela – Mas o que você pode fazer se ele é obcecado por mim não é?

Ai, meu deus, agora ela acha que é Mariah Carey e que tem alguém obcecado por ela. Alguém avisa essa louca...

– Assim como Jason era né? Ops, esqueci que ele te traiu – coloquei a mão na boca como se tivesse deixado algo escapar e sorri de maneira maldosa.

Chloe fechou a cara e cruzou os braços, mostrando que estava brava.

– Você nunca será eu Madison, N-U-N-C-A – o garota extremamente magra soletrou e eu ri na cara dela.

– Graças a Deus né? Longe de mim ser superficial, egocêntrica e prepotente – respondi calma, vendo Chloe me fuzilar com os olhos.

– Você só me odeia porque tem inveja de mim, eu sou tudo que você queria ser, magra, bonita, popular...

– Ai, Chloe, me poupe vai – franzi o cenho enquanto fazia um sinal para que ela parasse de falar – Eu não to nem ai pra você... Tchau – foi a ultima coisa que eu disse antes de sair pela porta e fecha-la com força bem atras de mim.

Ela acreditava mesmo que eu queria ser ela? Nunca na minha vida que eu queria ser a pessoa horrível que ela era. Eu até podia não ser um exemplo de pessoa, mas pelo menos nunca precisei pisar e humilhar ninguém pra me sentir bem e muito menos precisei expor alguém ao ridículo, só porque não aceito perder um pedaço de plástico pra essa pessoa. 

Depois de tudo que eu estava passando, parecia que as palavras maldosas de Chloe não me atingiam mais como antes, eu sabia que ela só queria me magoar e não deixaria que ela tivesse o que queria. 


Notas Finais


Oi galera, eu sei que atrasei o capitulo, mas eu tive que reformar o meu quarto e minha aulas começaram também, então...

Espero que você estejam gostando :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...