História Meeting You - Capítulo 4


Escrita por:

Visualizações 48
Palavras 1.057
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Fantasia, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Beijo proibido


Fanfic / Fanfiction Meeting You - Capítulo 4 - Beijo proibido

 

‘’É ele?’’ ouço uma voz conhecida no meu ouvido, tava tão na cara assim que eu não consigo tirar os olhos daquele homem misterioso? A loira me leva pela mão ate a mesa atrás dele e senta-se em minha perna me olhando nos olhos, seus olhos verdes inconfundíveis ate mesmo no escuro.

‘’Tava te procurando...’’

Ela sorri.

‘’Eles são difíceis... ’’

Franzo a testa, mas depois entendo, é difícil achar uma bailarina no meio de tantas sem saber o nome.

‘’Eu nem sei seu nome.’’ Digo pegando o copo que uma mulher semi nua serve-nos.

‘’Me chame de Gata’’

‘’Ok gata’’

A gata me abraça e sinto seus lábios em meus ouvidos.

‘’Se quer um conselho, esquece ele’’

‘’Por quê?’’

‘’Alesso, não é gay’’

‘’Mas ele faz programas com homens’’

‘’Sim, mas ele não é gay eu tenho certeza.’’

Respiro fundo, mas começo a me sentir sufocado. Levanto-me com a desculpa de ir ao banheiro, mas vou para o meu carro. Encosto-me a porta ainda fechada, o céu esta sem nuvens e algumas estrelas brilham... abro um sorriso me sentindo meio bêbado e começo a imaginar aquele homem vindo em minha direção com cabelos soltos e bem lisos ate o ombro, mas atrás da orelha, ele ajeita alguns fios e se aproxima mais. Estreito os olhos para ter a certeza de que realmente estou vendo-o se aproximar.

O homem para ao meu lado e acende um cigarro dando um trago profundo soltando a fumaça pela boca segundo depois.

Ele realmente esta aqui ou estou vendo coisas? Nesse caso  é ainda pior por se tratar de uma pessoa que tem mexido demais com minha imaginação ultimamente.

‘’Marco Reus ne?’’

Levo alguns segundos ate me lembrar do que ele se refere, claro o documento que viu na casa do meu novo vizinho.

‘’Na verdade não, sou Robert’’

O Homem fica frente a mim, esta usando uma jaqueta jeans combinando com a calça apertada e rasgada nos joelhos. Ele leva mais uma vez o cigarro a boca e não ta com uma expressão muito amigável.

‘’Sei que não é o cara do documento, ele é loiro. Qual  é a sua? É da policia?’’

‘’Não. Eu não...’’

‘’Então por que fica me seguindo?’’

‘’Não estou te seguindo’’

‘’Como sabia que eu trabalho aqui?’’

O homem joga o cigarro fora e aperta meu pescoço me prensando contra o carro, posso sentir todo seu corpo viril contra o meu e quase solto um gemido, estou desesperado, preciso ser fodido por esse homem e ver se essa loucura acaba de uma vez por todas.

‘’Não é difícil saber...’’ digo sem folego, ele aperta seus dedos em minha garganta e eu mal consigo respirar, seus olhos castanhos me fitam desconfiados.

‘’Belos olhos, polaco. Mas te dou um recado: fique longe de mim!’’

Ele me solta sinto o ar voltar aos meus pulmões, mas ele some voltando para dentro da boate, penso em voltar também, mas entro no carro decidido a ir embora, mas não posso dirigir no estado em que estou, é loucura. Desço novamente do carro em busca de ar ainda sinto aquele toque bruto contra meu corpo, mas um som me chama a atenção, ouço gritos femininos vindos lá de dentro, por curiosidade vou ate lá novamente.

Quando entro vejo no palco o moreno que não é mais tão misterioso, já sei que se chama Alesso e além de fazer programas em sua casa, também atende em residência e faz show em um clube bissexual.

Não tiro meus olhos daquele corpo masculino usando apenas a calça agora, seu peitoral trincado me causa as mesmas sensações que sentia quando via meus amigos entrando na piscina. Mas sempre ignorei esses pensamentos, me casei, fui um fiasco como marido e por fim estou aqui sozinho e tentando me entender. Talvez agora esteja mais claro do que nunca.

O homem dança sensualmente e a mulherada grita, alguns marmanjos também, ainda mais quando duas bailarinas sobe com ele no palco e começam a toca-lo como eu desejaria toca-lo, sentir a maciez de sua pele, o vigor de seus lábios no meu e o meu no dele.

Gata faz parte do show e com uma morena, as duas exploram aquele corpo ainda mais bonito assim de perto do que pela lente da câmera.

O moreno encerra o espetáculo e manda beijos, apesar das duas mulheres terem se esfregado tanto nele não vejo volume nenhum entre suas pernas. Talvez isso nem queira dizer nada. Seus olhos me encontram no fundo da boate e ficam por segundos presos aos meus, não consigo desviar e sinto todo meu corpo arder. Acho que ir pra casa tomar um banho gelado dessa vez não vai resolver.

‘’Vamos rápido, quero uma dança particular com ele’’ uma moça passa e outra a segue, as duas parecem recém completado dezoito anos. A que a segue ri levando à mão a boca com vergonha.

Volto meu olhar para o palco, mas apenas a morena esta lá ainda dançando. 

‘’Me acompanhe, por favor’’ ouço um homem alto me pedindo para segui-lo, vou em direção ao palco. Atrás dele tem um corredor e me deparo com Alesso encostado na parede tomando uma cerveja.

‘’Pensei que não bebia em serviço’’

Ele me olha nos olhos.

‘’Gostou mesmo de mim ne?’’

‘’Você é interessante...’’

Ele sorri finalmente parecendo baixar a guarda.

‘’Você não é da policia, finge ser outra pessoa. O que mais eu deveria saber polaco?’’

‘’Como sabe que sou polonês?’’

Ele mantem-se perto da parede a alguns passos de mim, toma mais um gole da cerveja e me encara sorrindo.

‘’Não é tão difícil, moreno, olhos azuis, fala com sotaque...mas me diz uma coisa’’ ele se aproxima, sinto meu coração se agitar no peito.

O homem alto que me trouxe toca no ombro de Alesso e cochicha alguma coisa. Alesso faz que sim com a cabeça, mas continua perto de mim, posso sentir sua respiração em meu rosto e seu perfume talvez holandês.

Ele olha nos meus olhos e segura meus ombros ainda sem camisa, apenas de calça jeans. Gostoso pra carai.

‘’O que quer para parar de me perseguir?’’

Não o respondo estou tentado demais a beija-lo e sem me conter encosto minha boca a dele que por segundos sente meu toque, mas  o moreno me empurra contra a parede me olhando irritado. Isso não parece ser nada bom...

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...