1. Spirit Fanfics >
  2. Megalomaníaco >
  3. Capítulo 6

História Megalomaníaco - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Olá pessoal! Desculpa a demora, como eu disse, ainda estou me recuperando da Covid e nem sempre estou bem todos os dias. Mas enfim, trouxe um capítulo novinho pra vocês. Espero que gostem!

Capítulo 6 - Capítulo 6


Bella mexeu-se na cama sentindo o vento frio entrar pela janela. Virou de barriga para cima encarando o teto. Os 3 melhores segundos de sua vida foram longos, não conseguia lembrar seu nome, nem onde estava e muito menos o que havia acontecido na noite anterior. Sua boca estava amarga e um zumbido ecoou em sua cabeça.

–Devo ter bebido demais.- Disse consigo enquanto tentava se levantar, mas uma forte tontura a impediu. A dor em sua cabeça era quase insuportável. Esticou o braço até o criado mudo para pegar seu celular, porém não o encontrou e quando se apalpou o sentiu no bolso de sua calça. Ao ver que roupa usava estranhou, já que só a usava para sair.

Desbloqueou seu celular e viu que já era tarde de sábado. Precisava se levantar, mas cada parte do seu corpo doía, sentou na cama e aos poucos foi criando coragem para ir tomar banho. Entrou no banheiro e se assustou ao se olhar no espelho.

Seu corpo estava cheio de hematomas. Bella ficou desesperada tentando descobrir o que havia acontecido para estar naquele estado. Retirou sua blusa e sua calça entrando em pânico ao ver que estava sem calcinha. Seu sutiã estava deplorável, havia rasgados na renda e o elástico estava frouxo. Porém nada se comparava as marcas em seu corpo. Havia manchas roxas desde seu pescoço até suas coxas, marcas de mordidas em seus ombros e ao virar se deparou com marcas avermelhadas em seu traseiro.

Isabella não sabia se ria ou se chorava, sentia-se imunda, mas ao mesmo tempo a curiosidade lhe invadia. Queria poder se lembrar do que havia acontecido. Entrou no box e ligou o chuveiro, a água quente lhe relaxava e aos poucos a dor diminuiu. Ao ensaboar suas partes íntimas, sentiu uma dor aguda.

–Porra, a noite deve ter sido boa. - Comentou com uma risada sarcástica. Voltou a ficar debaixo do chuveiro tentando se lembrar, mas nada adiantava. Pensou em Edward e na possibilidade de ter sido ele o autor daquelas marcas, mas logo descartou essa possibilidade. Edward era um cavalheiro, diferente de seu irmão. Mas havia essa possibilidade.

Terminou seu banho, se secou observando cada mancha e foi para seu quarto. Após se vestir, decidiu ligar para Edward. Discou o número e logo foi atendida.

–Isabella? Nossa, estou surpreso com sua ligação. A que devo a honra? - A voz dele soou charmosa e Bella sorriu.

–Só queria saber como você está.

–Estou bem, tive uma boa noite de sono porque cheguei cedo da festa, que por sinal você deu sorte de ter recusado meu convite pois estava um porre! – Edward lhe respondeu e imediatamente Bella descartou a possibilidade de ter transado com ele na noite passada. Seus olhos estavam marejados, ela não podia ter se deixado levar por um desconhecido, já que, fora Edward, ela não tinha nenhum amigo ou pretendente. Pensou na possibilidade de ter sido abusada e entrou em pânico.

–Bella, você está ai? - A voz de Edward a trouxe de volta.

–Estou bem sim, eu vou desligar e mais tarde te ligo. - Ela desligou o celular antes que ele tentasse lhe perguntar mais alguma coisa. Saiu do seu quarto e foi até a sala para averiguar se algo faltava. Quando viu a chave na fechadura sentiu um arrepio. A porta estava aberta e Bella confirmou: Havia sido dopada e abusada.

Após fechar a porta, sentou-se no sofá e chorou amargamente. Estapeou sua cabeça com a ilusão de que suas lembranças voltassem. Sentia vontade de morrer e lutava contra a vontade de se matar. Ficou ali até anoitecer, não comeu nada e seu corpo estava fraco. Deu graças à Deus pelo fato do dia seguinte ser domingo, pois ela não tinha coragem de enfrentar Carlisle naquele estado.

Lamentou-se com o azar que tinha, não tinha um bom emprego, era explorada diariamente, não tinha um namorado, não tinha tempo para ver seus pais e para piorar havia sido abusada. Pensou em se demitir, devolver seu apartamento e voltar a morar com seus pais. Não queria viver mais naquele lugar, queria fugir de seu destino cruel.

O telefone começou a tocar, porém Bella não se incomodou. Permaneceu deitada no sofá até ouvir a mensagem de Edward em sua caixa de mensagem.

"Isabella, eu não sei o que está acontecendo com você, só sei que você não está bem. Por favor, não tente me enganar e nem me afastar de você, quero estar ao seu lado em todos os momentos. Então, se quiser, eu vou ai te ajudar. Beijos e fique bem."

Bella chorou mais ainda com as palavras dele. Não podia aceitar ajuda e confessar tudo o que tinha acontecido. Ela teria que guardar aquele maldito segredo pro resto de sua vida.

Após horas sentada no sofá, se levantou e foi para seu quarto. Deitou em sua cama, fechou os olhos, que já estavam doloridos, e aos poucos a calmaria lhe invadiu fazendo-a adormecer.

O domingo se passou lento, para o desespero dela. Não tinha com quem conversar e nem queria conversar sobre aquilo. Edward lhe mandava diversas mensagens, mas ela ignorava. Ele era um bom homem e não merecia uma mulher imunda ao seu lado. Ela estava decidida, na manhã seguinte pediria demissão.

(...)

As portas do elevador se abriram e diferente de antes, Bella entrou no escritório cabisbaixa sem falar com nenhum funcionário. Olhou a sua pequena sala e relembrou tudo o que havia passado ali, mais momentos ruins do que bons. Caminhou até sua mesa pegando o porta retrato com a foto de seus pais e a vontade de chorar veio com toda força, porém ela precisava engolir o choro e seguir com sua decisão.

O estranho era que não havia escutado a voz de Carlisle desde a hora que chegou. O carro dele estava no estacionamento, mas não tinha nenhum sinal dele. Sentou-se em frente ao computador e escreveu sua carta de demissão. Imprimiu e com o coração doendo, leu cada palavra escrita ali e por fim assinou.

Olhando mais uma vez para cada canto de sua sala, respirou fundo e caminhou em rumo a sua liberdade. Bateu na porta da ala principal do inferno e abriu encontrando o diabo sentado em sua poltrona. Ele tinha uma expressão indecifrável. Seus braços apoiados na poltrona e suas mãos a frente de seu rosto lhe deixavam mais demoníaco ainda.

O clima na sala era sombrio, ele permanecia em silêncio aguardando ouvir o que ela queria dizer. Bella respirou e se aproximou da mesa.

–Bom dia, senhor Carlisle. - A voz dela saiu baixa e trêmula. Carlisle a observou ainda em silêncio se perguntando se ela era uma esfinge ou se fingia não se lembrar do que havia acontecido naquela madrugada. Porém ele não pagaria para ver no que daria aquela encenação, ele estava decidido a pôr um fim naquilo antes que alguém mais descobrisse sobre aquele maldito momento.

–Bom dia Isabella, que bom que chegou. Eu estava lhe aguardando. - Carlisle disse abrindo sua gaveta e retirou alguns papéis.

Bella estava surpresa com o que havia escutado. Desde quando Carlisle estava satisfeito com sua chegada?

Ele a olhou com um sorriso lupino, seus olhos azuis faiscavam de maldade. Se levantou ficando frente a frente com ela lembrando de todas as acusações que ela havia lhe dito. Carlisle era um megalomaníaco e nada, nem ninguém poderia lhe desafiar.

–Isabella, você está demitida.


Notas Finais


Gostaram? Comentem e favoritem. Até o próximo sábado, beijinhos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...