História Meias de Um Baby Boy - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Chen, Xiumin
Tags Chenmin, Daddy Kink, Dd/lb, Exo, Fluffy, Xiuchen, Yaoi
Visualizações 257
Palavras 960
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


espero que saibam oq é ddlb, basicamente é um age play onde o passivo ou até mesmo o ativo (sla ne) age como criança;; fetiche dentro do daddy kink onde o daddy mais cuida do baby do que age como 1 desejo carnal, okay n sei explicar direito.
essa fanfic nasceu por culpa da Maria vulgo @stayslut que me mandou fotinhas lindíssimas do Minseok de meia longa, as pernas dele mano, tão baby, eu fiquei--
link nas notas finais, boa leitura~

Capítulo 1 - Capítulo Único; Calente


Xiumin só queria que seu papai voltasse logo do trabalho. Estava tão carente, todo encolhidinho nas cobertas, mexendo no celular e vestido com meias 3/4 em suas pernas finas e delicadas.

Já tinha caído no little space fazia um tempinho, e tudo que conseguia fazer era olhar no relógio, mexer no próprio cabelo loirinho e sedoso, e agora com sua chupeta na boca, querendo apenas o Kim um pouco mais alto para lhe mimar. Já tinha enviado várias mensagens pra ele, e mesmo através de uma tela, Jongdae percebeu imediatamente que o namorado havia regredido sua idade. E mesmo querendo ir embora imediatamente, com certeza seu chefe não permitiria, então tudo que pôde fazer foi mandar uma mensagem de volta dizendo:

"Não posso voltar ainda, mas logo logo estou aí, se comporta, tá neném? Te amo."

E aquela mensagem deixou o pobre Min ainda mais carente, com um bico nos lábios que estaria amostra se não fosse pela sua chupeta rosa pastel na boca. Queria uma mamadeira com leite quentinho também, mas estava tão amuadinho que nem conseguia ter ânimo pra fazer. E como havia regredido a idade, meio que tinha "esquecido" como o fazer também, e sabia que Jongdae não gostava que ele mexesse com fogo quando estava no little space.

Ficou apenas escutando nightcore enquanto isso, aguardando que seu papai chegasse, se remexendo um pouco no sofá, nunca conseguindo achar uma posição muito agradável. E estava quase pegando no sono quando... Ouviu a tranca da porta se remexer.

Se animou imediatamente, mas como não conseguia ficar sem se fazer de difícil por muito tempo, pôs a coberta sobre o rosto, escondendo-se completamente.

— Minnie... Ei, eu cheguei. — ouviu a voz dele dizer, rindo um pouco por Minseok estar se escondendo, acariciando sua cintura por cima da coberta. Xiumin resmungou baixo, estava com um pouco de raiva do namorado por ele ter demorado.

— Idiota... — murmurou abafado por ainda estar "escondido", e o mais novo arqueou as sobrancelhas.

— Por que sou idiota, Umin? — perguntou, e viu ele se descobrir, deixando apenas a cabeça de fora, todo encolhido e pequeno. Sentiu seu coração vacilar quando viu que o loiro estava muito fofo e de aparência infantil com aquela chupeta na boca, porém com lágrimas no canto dos olhos.

— Você demorou, babaca. Idiota. — tirou a chupeta pra falar melhor, com um biquinho adorável nos lábios. Jongdae apenas queria o proteger. E por isso o pediu para se sentar — este que relutantemente o fizera, estava um tanto molinho e com frio —, então o mais novo sentou-se ao seu lado e o puxou para seu colo, acariciando suas costas enquanto ele grudava em si como um coala.

— Mas agora o papai tá aqui, o Dae tá aqui, quer mamadeira, meu amor? — ele murmurava calmo e amoroso, fazendo Minseok lacrimejar mais por amar tanto aquele ser.

— Eu quero sim, Dae... — então com muito custo o acastanhado conseguiu tirar Xiumin de seu colo, indo fazer o leite morninho e pondo numa mamadeira para seu neném, e só quando voltou vira como o loiro estava fofo com aquelas meias. Lhe deixava com a aparência ainda mais delicada, ficou até atordoado por alguns segundos, para finalmente se aproximar, colocá-lo no colo novamente e lhe entregar a mamadeira.

E ficou acariciando suas pernas cobertas pela meia cinza enquanto ele tomava de seu leite, gostando muito de saber que aquele corpinho tão bonito e delicado era todo seu.

Logo ele terminou de beber, deixando o objeto em qualquer canto, logo sentindo Jongdae segurar firme em suas nádegas. Gemeu arrastado, rebolando contra as mãos grandes, e Jongdae estranhou toda aquela sensibilidade. Desconfiou de algo.

— Você não...? — deixou a frase no ar, enfiando uma das mãos dentro da cueca do loirinho, sentindo algo enfiado entre suas bandas. Exatamente como imaginou.

E ao tocar ali, Minseok deitou a cabeça no ombro do maior, arfando baixo.

— D-desculpa papai, é que eu tava tão calente... — sua ortografia parecia estar ficando ainda mais simples e um pouco errada, ele estava regredindo ainda mais, e Jongdae reconheceu isso de imediato, como sempre. O acastanhado deixou aquele local quieto, tentaria dar atenção ao menor apenas da forma infantil que ele precisava, por enquanto. Mesmo que já estivesse duro apenas de imaginar aquela raba enorme com um plug enfiado fundo dentro do loiro.

— Por que não me disse antes, hum? Vou te ajudar com isso depois. Agora vem. — chamou, e não esperou resposta, já foi segurando firme o corpo do menor e lhe levando até o quarto, o que foi bem fácil já que ele estava todo grudadinho em si, aquelas meias bonitas sempre sendo o que mais chamavam atenção em si, depois de seu rostinho. Jongdae lhe colocou na cama, e após fitar novamente aquelas perninhas encolhidas, beijou o local devagar e de forma terna — adorou a ideia de ter comprado aquelas meias, de fato —, para então lhe cobrir na cama e deitar-se ao seu lado.

Logo Minseok pusera a chupeta rosada na boca novamente e rolou seu corpo pra cima do de Jongdae, ficando todo jogado nele.

— Te amo, Dae. — murmurou infantil e enrolado por estar com a chupeta na boca, de olhinhos fechados e as mãozinhas segurando na blusa social do maior fracamente. Ele sorriu grande, Minseok era o seu maior presente. Chegava cansado em casa, e ainda conseguia se sentir amado e querido pela pessoa mais importante do mundo para si. Acariciou os fios loiros alheios, também murmurando de volta que lhe amava, apagando a luz do abajur.

Ajeitou o corpo contra o seu, e dormiu, tão feliz como em todos os outros dias, sentia que nunca poderia se cansar daquela rotina.


Notas Finais


realmente espero que tenham gostado pq eu nunca escrevi algo do tipo aqui, socorro que vergonha...............
https://twitter.com/sehunstarry/status/1026244384537407491 aqui as pernas fofíssimas desse fofíssimo /snif


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...