História Melannie. {VKook Mpreg.♡} - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Taehyung (V)
Tags Vkook Bts Bangtanboys
Visualizações 755
Palavras 2.399
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oieee!
Turubom?
Comigo tá tudo ótimo.
Eu estive dodói esses dias... Foi bem tenso, mas agora Estou bem!!!
Esse capítulo vai ser P.OV. do Jungkook e eu coloquei algumas coisasinhas, espero que vocês gostem!

Eu editei mas ainda pode ter algum erro por que eu sou meio cega.

Capítulo 14 - Capítulo 12 - Lembranças do Jungkook.


Ao contrário do dia anterior, hoje o dia permanecia em clima agradável, não estava frio nem calor.


Acordei um pouco mais tarde que o normal e fitei o teto durante alguns minutos antes de levantar. Estava sozinho em casa.
Sentei na cama e toquei o chão com a sola dos meus pés, esfreguei os olhos e bocejei antes de, enfim, levantar e caminhar até a suíte do quarto.


Me observo um pouco no espelho e alcanço minha escova de dentes, escovo os dentes e vou até a banheira. Será que Suny já chegou em Nova York?
Suspiro lembrando da discussão que tivemos no dia anterior e morto levemente os lábios, apoiando as mãos na borda da banheira, pelo visto o meu dia será mais longo que o normal.


Saio da banheira e volto ao quarto, visto uma calça moletom preta e permaneço sem camisa. Me jogo na cama e observo a mobília antiga do meu criado mudo e não demoro muito a notar algo escrito em caneta permanente ali, forço um pouco a visão para então conseguir ler.


Te amarei por mais mil anos, e quando estes acabarem, te amarei por mais mil.”


Suspirei e mordi o lábio sem conseguir tirar os olhos da frase. Não lembro nitidamente do dia em que escrevi isso... Ou lembro? Busco em minha memória aquele momento se deixar de reler a frase.


É isso!


Não fui eu quem escrevi, foi Taehyung!


Lembro-me daquele dia claramente, como se fosse ontem!


Era nosso aniversário de dois meses de namoro e chovia muito,  eu havia trabalhado todo o dia anterior para então comprar aquele presente que ele tanto desejava: um par de alianças de compromisso.


Eu corria loucamente pelas ruas de Seoul até minha casa onde havia o deixado. Bati delicadamente na porta com um sorriso imenso em meu rosto, estava ansioso e curioso para saber a reação dele.


Logo a porta foi aberta revelando um belo garoto ruivo que me olhou assustado por me ver ensopado pela chuva.


– Está todo molhado! – Ele me repreendeu com as mãos repousadas na cintura. – Desse jeito você vai adoecer, Jeon! Entre! – Soltei um riso baixo o fazendo me olhar incrédulo e bravo.


– Não se preocupe, tenho uma saúde de ferro. – Brinquei retirando a caixinha preta e quadrada do bolso e a abri esticando-a e a mostrando para ele. – Feliz dois meses do nosso amor, TaeTae.


Vi um sorriso largo e verdadeiro brotar em seus lábios e então pude sorrir tambem. Taehyung pulou em meu colo sem se importar com minhas roupas molhadas e então me beijou apaixonadamente naquela chuva gostosa.


– Feliz dois meses, meu coelhinho.


Naquele dia eu adoeci por passar tanto tempo na chuva e Taehyung cuidou de mim, aproveitando para me dar muitos sermões de que eu não devia sair na chuva.


– Minha cabeça dói é minha garganta arde. – Reclamei sentindo uma terrível ardência em minha garganta e um frio fora do normal.


– E também está queimando em febre. – Disse Taehyung me analisando e "medindo" minha temperatura com a mão direita. – É nisso o que dá não me ouvir e sair na chuva sem se agasalhar corretamente.


– Eu estava com pressa para comprar o seu presente, amor. – Fiz um bico triste enquanto fitava as minhas mãos que estavam apoiadas encima do edredom claro que cobria todo o meu corpo. – Queria comprar logo.


Ele riu e corou um pouco me olhando sem saber muito como reagir a aquilo.


Estava um pouco nervoso, e eu tinha certeza disso. Ele mexia com os dedos o tempo todo e mordia levemente lábio, sem contar que, estava desviando o olhar a cada cinco minutos.


Manias.


– Porque está tão nervoso? – Indaguei alcançando sua mão esquerda e a beijei entrelaçando nossos dedos.


– Porque estaria? – Ele riu baixo e me observou.


Dei de ombros ainda o fitando.


– Seu nariz está vermelho e seus olhos um pouco inchados. – Ele riu baixo, acho que da minha aparência atual e aquilo me constrangeu um pouco.


– Eu sei que estou feio... E você não gosta de quando eu estou feio.


Taehyung arregalou os olhos incrédulo e encostou a mão ao peito demonstrando ofensa enquanto me fitava.


– Nunca mais repita algo assim, está me ouvindo??? Eu te amo de todas as maneiras e formas possíveis! – Ouvi sua voz em um tom repreensivo e então assenti. – Tem caneta permanente?


Fiquei um tanto confuso com sua mudança de assunto e tom repentinas mas logo assenti e lhe dei o objeto enquanto o fitava cheio de curiosidades.
Ele se inclinou até o criado mudo, escreveu algo lá, afastando-se logo em seguida.


– O que é isso? – Perguntei me aproximando do criado mudo e então li a frase sem conter o sorriso apaixonado.


– É para você se lembrar disso, todos os dias, desde quando acordar até quando for dormir.


Desvio o olhar do criado mudo e me levanto indo até a sacada do meu quarto.
Aquela lembrança havia deixado saudades e me fez ficar pensativoo.
Foram tempos bons. Maravilhosos, na verdade.


Suspiro observando a paisagem de Seoul atentamente. As árvores, os prédios, os carros e as pessoas.
Tudo parece tão minúsculo daqui de cima. Fito tudo buscando enxergar cada detalhe, por mais mínimo que seja. Estava tentando afastar qualquer outra lembrança que quisesse invadir minha mente.

Em vão.

Era uma noite calma e fria, eu e Taehyung estávamos sentados no chão da sacada. Diviadimos um edredom e fitavamos o céu observando as estrelas enquanto conversávamos sobre elas.

– Aquelas são as três Marias. – Ele apontou e eu olhei naquela direção. – São tão iluminadas. – O olhei e pude ver seu lindo sorriso quadrado, ele estava entusiasmado.

– Sim! É tão bonito. – Respondi com tanto entusiasmo quanto o demonstrado em seu sorriso.

Ele me olhou e assentiu alargando ainda mais o sorriso.

– Além de bonito, carrega uma história bem interessante na mitologia grega. – Ele me disse e voltou a fitar a constelação.

Franzi o cenho um tanto curioso sem deixar de fita-lo.

– Pode me contar? – Pedi cutucando levemente o seu ombro e sorrindo fofo.

Taehyung voltou a me olhar e riu baixo se virando apenas para mim, era uma mania dele.

– Bom... Eu não sei muito sobre a história mas posso tentar te contar.

– Por favor. – Pedi também me virando para ele dando-lhe total atenção.

– Bom... É uma história um tanto peculiar e envolve amor no meio. – Ele me olhou e sinalizei para que continuasse. – Órion era um gigante que ganhou de seu pai, Poseidon, o poder de andar pelas profundezas do mar ou mesmo pela sua superfície. Órion, que havia conhecido e se apaixonado por Mérope, filha de Eunápio, rei de Quios, pediu ela em casamento, mas o pai impôs uma condição para que o pedido fosse aceito...

– Que condição? – Penguntei me interessando pela história.

– Que ele gigante livrasse a ilha de feras. – Ele me disse e eu franzi o cenho sem entender fazendo-o rir baixo. – Órionum era um excelente caçador.

– Ah... Agora tudo faz sentido. – Ri baixo. – Continue.

– Está gostando mesmo da história, não é? – Me perguntou entre risos e eu assenti.

– É algo bem interessante de se ouvir. – Dei de ombros e acariciei seu rosto. – Continue, amor.

– Ok... – Ele sorriu sem jeito pelo carinho mas continuou. – Órionum conseguiu realizar o pedido feito, entregando aos pés de Mérope suas caças todos os dias. Mas... porém é  entretanto, Eunápio não cumpriu com a promessa e negou sua Mérope a Órion.

– Eita Caraí! E o que aconteceu??? – Perguntei já prevendo tretas no meio daquela história e Taehyung riu alto do meu entusiasmo.

– Órion se embebedou, entrou no quarto de Mérope e violentou a coitada. – Ele falou em um falso tom de pena mas logo riu da minha expressão escandalizada.

– Mas que filho da puta! A menina não tinha culpa de nada! – Reclamei me sentando rapidamente.

– Vai me deixar continuar a história ou não? – Ele Perguntou rindo alto e me puxando.

– Tudo bem, continue. – Me deitei novamente atento a história.

– Eunápio, furioso, pediu auxílio a Dionísio, que embebedou Órion novamente, e Eunápio aproveitou para furar seus olhos. Cego, foi guiado pelos ruídos da forja de Hefesto, conseguindo encontrar o deus, que o orientou a ir até a morada do Sol. – Ele parou um pouco e me fitou  por alguns minutos e riu alto me deixando confuso. –  As suas expressões são as melhores!

– Aigoo! Eu estou com pena do pobre Órion, mas também quero matar ele! Não sei o que fazer, isso parece até fanfic. – Taehyung gargalhou jogando-se contra o travesseiro. Sua risada gostosa era contagiante e então comecei a rir junto. – Vai continuar ou não? – perguntei me acalmando aos poucos.

– Ta, tá, tudo bem, calma. – Ele respirou um pouco e prendeu o riso mordendo o lábio para então continuar. – Quando Órion chegou à morada, ele restabeleceu a visão ao entrar em contato com os raios solares e então passou a viver como caçador, em companhia de Ártemis, a deusa da caça que passou a ter ele como o favorito dela.

– Isso vai dar uma merda... – Cobri a boca com as mãos e continuei o fitando e Taehyung prendeu o riso para continuar a falar.

– Eles viviam juntos, o que causou o ciúme de Apolo que ordenou que um escorpião atacasse Órion para matar ele, mas, Órion percebeu que não conseguiria derrotar o animal e fugiu pelo mar.

– O que o ciúmes não faz, hein? – Neguei dramaticamente com a cabeça.

Taehyung me tacou o travesseiro na cara enquanto ria.

– Dá pra calar a boca e me deixar continuar? – Ele indagou fingindo seriedade.

– Ain... Ta bom... Magoou. – Dramatizei fazendo-o revirar os olhos e continuar.

– Apolo, soube da fuga e criou uma armadilha: chamou Ártemis, que, no caso era irmã dele, e a desafiou a acertar o ponto negro que se deslocava pelas águas. Ártemis não sabia que se tratava de Órion e acertou a cabeça dele com um dardo e isso causou a morte dele. Quando ela percebeu que era se tratava de Órion, colocou ele entre as estrelas, junto a Sirius, o cãozinho dela.

– Wow, que história... Mas o que isso tem a ver com a constelação?

– Calma que eu ainda vou chegar lá. – O observei revirar os olhos. – Órion se tornou uma constelação, aparecendo com seu cinto, uma espada, a pele de um leão e uma clava. Sirius, seu cão, também o acompanha no céu. Podemos ver Órion através das Três Marias, que são o centro da constelação e fazem parte do cinturão de Órion. Já Sirius faz parte da constelação de Cão Maior. – Ele explicou e eu ergui as sobrancelhas desviando o olhar em sinal de entendimento.

– Que interessante! E como você ficou sabendo disso? – Perguntei curioso enquanto apertava levemente o queixo do ruivo. Ele deu de ombros e apoiou-se no cotovelo.

– Quando eu não tenho nada pra fazer, costumo pesquisar sobre astrologia. – Ri baixinho e mordi levemente o lábio recebendo um olhar curioso do mesmo. – O quê?

– Você fica ainda mais lindo contando histórias.


Suspirei fechando os olhos enquanto sentia a brisa suave acariciar meu rosto e então joguei o cabelo para trás adentrando novamente o quarto. Revirei meu antigo guarda-roupas e vi o colar com cujo pingente tinha forma de coração e possuía a nossa foto. Ah... Aquela foto... Mais uma lembrança...


Era fim de semana e o dia estava quente, busquei Taehyung em casa para irmos para a praia curtir um pouco este dia tão quente ensolarado.


– Acho melhor você passar protetor solar. – Avisei enquanto tirava a minha camisa e me sentei ao lado dele e em cima do tecido estendido no chão.


– Não gosto de protetor solar, me faz suar ainda mais e isso me deixa agoniado. – Ele me olhou com os seus óculos escuros e eu dei de ombros.


– Ainda acho melhor você passar o protetor pra não prejudicar a sua pele depois. – Avisei e ele revirou os olhos negando com a cabeça. – Tudo bem, senhor teimosia... Vamos dar um mergulho? – Sorri levantando e estendendo a mão para ele.


– Um mergulho? – Ele ergueu as sobrancelhas e me encarou como se conseguisse ver tudo o que eu estava pensando e então sorrio fofo.


– Você me entendeu... Namorar na água deve ser uma ótima experiência nova. – observei ele levanta e corar levemente com minhas palavras. Tão fofo!


Segurei sua cintura e o puxei para perto, aproximando nossos lábios, beijei-o com carinho.


Aquele dia foi um dia maravilhoso, lembro-me que houveram algumas briguinhas por ciúmes como sempre mas nada que não terminasse em beijos e muito mimo.
Tiramos muitas fotos. Muitas fotos mesmo. E uma delas foi a desse pingente.


Me lembro também de que, no dia seguinte Taehyung acordou com a pele vermelha e ardida, bom... Eu avisei.


Ri baixo com aquela lembrança enquanto fitava o pingente em minhas mãos.


Ah... Tantas memórias! Tantas saudades!


Guardo o pingente dentro da minha caixa de recordações e procuro o meu celular na cama.
Ao encontrar o aparelho, desbloqueio a tela e me deparo com algumas mensagens, uma da Suny e quatro de Jackson, um amigo que irei encontrar hoje à noite.


Abro a mensagem da Suny e reviro os olhos.


HyoSuny:


Bom dia, meu amor! Cheguei em NY há alguns instantes... Eu gostaria de pedir desculpas pela discussão de ontem. Eu sei que às vezes sou puxa saco mas, as verdade é que eu amo você e tenho muito medo de te perder... Bjs! Até daqui há um mês. ❤


Reviro nos olhos novamente sem a mínima vontade de responder. Como pode ser tão interesseira à ponto de mentir amor por status, fama e dinheiro?


Me:


Espero que tenha feito uma boa viagem. Aproveite bem.


Encerro a conversa ali mesmo e abro as mensagens de Jackson curioso pelo fato dele ter me mandado tantas mensagens.


Droguinha da esquina:


E aí, cuzão.

Zé Droguinha da esquina:

Lembra daquele diretor e daquele roteirista que eu te falei outro dia? Bom, eles querem te ver e conversar contigo, creio que queiram te fazer uma oferta.

Zé Droguinha da esquina:

Ah, e antes que eu esqueça, eles fizeram reservas naquele restaurante 5 estrelas próximo à praça, sabe? Nós somos seus convidados de honra e eles querem discutir sobre o assunto nesse jantar.

Zé Droguinha da esquina:

Esteja pronto às 19:00hrs. Eu vou buscar a vossa alteza.

Ri com as mensagens e neguei com a cabeça. Uma proposta com um diretor é um roteirista Coreano? Nada mal...

Me:

Lembro sim, vou estar pronto, só toma cuidado pra não se empolgar com a princesinha aí e acabar esquecendo de mim.

Solto o celular no criado mudo e me jogo na cama fitando o teto. Tédio novamente...


Notas Finais


Bom... Esse foi o capítulo!
Espero ter alcançado as expectativas de vocês, amores! Logo logo eu vou postar o próximo capítulo.
Obs.: Que os "jogos" comecem.
🌚🌚🌚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...