1. Spirit Fanfics >
  2. Melhores amigos (Inohima) >
  3. Laços.

História Melhores amigos (Inohima) - Capítulo 27


Escrita por: Malu_47

Notas do Autor


Oi meus amores primeiramente eu gostaria de me desculpar com vocês por todos esses dias sem postar.
E antes que perguntem não eu não pretendo abandonar A história só tem acontecido coisas de mais na minha vida ultimamente que tem mexido muito com meu emocional e isso simplesmente se reflete na hora de escrever a história ou na incapacidade de escrever.
Majs em fim consegui finalizar mais um capitulo pra vocês, desde na pesso desculpa pelosnpossiveis erros.
Bjos e boa leitura.

Capítulo 27 - Laços.


Fanfic / Fanfiction Melhores amigos (Inohima) - Capítulo 27 - Laços.

Sinto meu sangue congelar minhas veias por uns segundos, não que eu já me preparava para aquela conversa mais no momento o meu único pensamento era em fugir mais de que adiantaria por mais estranho que fosse era algo inevitável

– Por que você está no meu quarto e mexendo nas minhas coisas?-Pergunto na defensiva porem hesitante, ainda tentando resolver como levar essa conversa

–Essa não é a questão aqui, pra que você precisa disso.

– Você acreditaria ser eu disse que são vitaminas? – faço uma falha tentativa de parecer inocente, recebendo um olhar de reprovação do meu pai.

– Hima senta aqui. – Ele pede me indicando o lugar ao seu lado, me sento na cama ficando de frente pro mesmo os olhos azuis me analisando a todo o tempo. – A quanto tempo você e o Palmitão estão tendo relações?

– Pai! – O repreendo, sem deixar de dar um leve sorriso pro apelido que meu pai secretamente dera ao meu namorado.

– Ta bom o Inojin. – Ele faz uma careta, como o simples nome do loiro fosse algo difícil de proferir.

– Tem certeza que você quer mesmo saber? – Meu pai se ajeita em seu lugar como se ao i invés do colchão macio se sentada sobre pregos, percebo que ele está tão desconfortável quanto eu com aquela situação.

– Sinceramente? NÃo, mas vocês estão juntos ao que?... uns 3 meses?

– Quatro, quase cinco.

– Mesmo assim você não acha que estão indo um pouco rápido de mais? E se amanhã vocês dois acabarem como foi com o Shinki?

– Isso não vai acontecer.

– Como você pode ter tanta certeza meu anjo? em breve ele vai estudar em outro país muita coisa vai mudar na vida de vocês e entre vocês. – A verdade nas palavras do meu pai me pegam em cheio tanto quanto uma bolada na cara fazendo meus olhos automaticamente encherem de lagrimas.

– Eu sei o que você está pensando mais isso não vai acontecer, nós doiis nos amamos alguma milhas de distancia não vão mudar isso. – Falo com a mesma convicção que repetirá essas palavras por tantas vezes nas ultimas semanas como se repetirá em voz alta varias vezes as tornassem mais verdadeiras.

– Eu não estou dizendo que isso não seja verdade. – Ele faz uma pequena pausa como que medindo suas palavras. – É só que o sentimento das pessoas mudam.

– Não os meus, o amor de um Hyuga e pra sempre, você já devia ter aprendido isso. – Falo decidida fazendo meu pai me olhar surpreso (se a própria história que ele viverá com a minha mãe não era a prova disso eu não sabia o que era), não avia raiva refletida no azul dos seus olhos e sim ternura e quem sabe até um pouco de admiração .

– Você cada vez se parece mais com a sua mãe. – O loiro respira fundo se levantando da cama. – Por mais que seja difícil acho que tenho que aceitar que minha garotinha está crescendo.

– Isso que dizer que me livrei da bronca pelo anticoncepcionais?

– Vai adiantar alguma coisa se eu te proibir de ver o Palmitão de novo? – faço a negativa com a cabeça. – Foi o que eu pensei, embora ainda esteja pensando em mandar prender aquele rascunho do sai por se aproveitar de você.

– Teria que mandar prender os dois pq aproveitei dele tanto quanto. – Não consigo segurar sarcasmo, perdendo a chance de ficar calada.

– Como é Himawari?

– Nada não. – Finjo inocência.

– Vou fingir que não ouvi isso. – Ele fala cético. – E outra coisa eu agradeceria se mesmo com as pílulas vocês não dispensassem os preservativos, proteção nunca é de mais. – concordo silenciosamente.

–Eu não acho que ele seja bom o bastante pra você.

– É alguém um dia vai ser? – Também me levanto ficando de frente pro loiro, sempre gostei de falar co. As pessoas assim olho no olho.

– Pouco provável. Mas por hora eu vou respeitar a sua escolha. – Ele me observa por alguns instantes como se refletida sobre algo balançando a cabeça pra ambos os lados. – Você tem as mesma visão romântica que a sua mãe.

Sorrio com o comentário recebendo um pequeno sorriso ladino que tão rapidamente quanto apareceu toma uma expressão mais seria.

– Se esse garoto partir seu coração não me importo de ir ao outro lado do mundo acabar com ele eu mesmo.

– Pode deixar que eu dou o recado. – Sorrio com seu jeitão protetor.

– Será que a minha princesa já esta grande de mais pra um abraço? – Ele ergue uma sobrancelha em interrogação

– Nunca. – Me jogo em seus braços o abraçando com força.

– Te amo minha princesa, só me faz um favor não cresce rápido de mais.

~☆~☆~☆~

Na manhã seguinte acordei cedo para meu primeiro dia de aula, eu sentia borboletas no estômago como a tempos não sentia pela primeira vez em anos eu estaria sozinha sem meu irmão ou os meus amigos.

Após separar minhas vestimentas peguei minha toalha indo em direção ao banheiro a casa parecia ainda mais vazia de manhã nunca pensei que sentiria falta das brigas matinais pelo monopólio do chuveiro, após tomar meu banho e me trocar o que milagrosamente fiz com tempo de folga desci para tomar café junto com os meus pais.

– Precisa de carona hoje? – Meu pai perguntava prestativo.

– Obrigada pai mais o Inojin ficou de em dar carona.

– Sempre o Palmitão.

– Naruto-kun já disse pra não o chamar assim. – Minha mãe o recrimina deixando o loiro como uma criança emburrada. – Eles só querem passar o máximo de tempo juntos antes da viagem.

– É justamente isso que me preocupa.

– Eu não precisaria de carona se me emprestassem o carro. –Dou o meu melhor sorriso em direção ao loiro.

– Você teria um carro se.. como foi mesmo que você disse “ Eu não preciso de um presente caso e superdicial" – Meu pai faz uma imitação cômica da minha voz me fazendo rir. – Como você queria o dinheiro foi colocado em uma conta pra você viajar ou sei lá oque pretende fazer com ele.

– Conta essa que eu só posso mexer com 21 anos.

– É assim que funcionam os investimentos querida.

–Mas um adiantamento pra comprar um carro mais simples não seria nada mal.

– Do jeito que você entende de mecânica o tipo d e carro que você compraria com um “adiantamento", seria o mesmo que deixar você andar em uma bomba.

– Quanto exagero pai tem muitos carros com donos prévio em perfeito estado.

–Eu vou pensar no caso –Uma buzina do lado de fora, me levantando em um pulo.

– Deve ser o Jin, tchau mãezinha. – Dou um beijo na bochecha da perolada que me olha confusa

– Ele não vai entrar hoje?

–Não hoje ele está com um pouco de praça. – Minto não querendo falar que pedi isso já que ainda não sabia se estaria totalmente seguro perto do meu pai. – Até mais tarde meu ciumentinho, pensa com carinho na minha proposta tá.– Dou um beijo na bochecha do loiro antes de pegar minha mochila no sofá e correr para a saída.

A escola foi estranhamente normal, tudo permanecia tão igual ao ano anterior missão mesmo tempo tudo avia mudado a hora do almoço foi a o de eu esperava me sentir mais confusa mais por sorte tinha a Yuina e meus outros colegas de sala pra me distrairem eles eram uma turma tão divertida e animada que mal me davam tempo de sentir tanta falta dos meus amigos * Não sei como não me aproximará mais deles antes.

Assim que o sinal tocou indicando o término da última aula, juntei meus materiais apressada para chegar logo ao estacionamento qual foi a minha surpresa ao sair da sala e me deparar com ass orbes esverdeadas do loiro me encarando ou melhor me secando, ele estava tão linddo encostado na parede com uma pose badboy que por uns momentos senti o ar me faltar.

– O que você faz aqui? Pensei que me esperaria lá fora.

– Eu não consegui ficar tanto tempo longe de você.

– É bom você já ir se acostumando. – Falo cética o fazendo estalar em desagrado.

Ele me segura pela cintura me trazendo pra junto de si.

– Eu nunca vou me acostumar, vou sofrer a cada segundo longe de você. – Sua voz macia me provoca arrepio assim tão perto da minha pele ainda mais quando ele mordisca meu lóbulo distribuindo beijos no meu pescoço

– kahram! – Nos separamos assustados diante um Sanssei que nós encara sério. – Que visita inesperada senhor Yamanaka.

– Sabe como é Shino sansei já estava com saudades do meu professor favorito. – Ele desconversa cínico, mordo meu lábio para não rir sem deixar de sentir minha face arder.

– Que bom, está dispensada senhorita Uzumaki e nós vamos tomar um café na salada professores já que aqui e proibido pra não alunos, quem sabe o Yruka não se junte a nós .

– Infelizmente não vai dar, já que por “conhecidência” eu encontrei a Hima justamente quando estava indo pra sua sala me sinto na obrigação de levar ela pra casa, você não ia querer que um ex aluno seu não fosse cavalheiro.

– Boa tentativa Inojin vou deixar passar dessa vez, mais na próxima espere a senhorita lá fora. – Eu quase puder jurar que o vi piscar para o loirinhos baixo daqueles seus óculos escuros, antes de seguir seu caminho pelo corredor.

– Eu sempre quis saber o por que ele usa esses óculos.

– Eu também não faço ideia eu e os meninos uma vez até tentamos tirar os óculos dele mais não deu muito certo.

– Agora você vai ter que me contar direito essa história. – nos formos conversando até o estacionamento.

– Então pra sua casa ou pra minha?

– Depende seus pais estão em casa? – Ele acena em negativa com um sorrisinho travesso finjo pensar por uns segundos. – Eu acho que pra sua então.

– Garota esperta. – Se inclina selando nossos lábios em um beijo doce, aproveito o beijo para deslisar minha mão pelo seu corpo pegando suas chaves no sei bolso.

– Minha vez de dirigir.

– Agora que você tem carta não vai me dá sossego?

– Não mesmo agora entra logo no carro. – Falo já dando a volta no carro para o ladodo motorista destravando as portas, meu tom autoritário o faz revirar os olhos, mas acaba dando de ombros e entrando no carro.

~☆~☆~☆~

– Está com fome? Nós podemos pedir alguma coisa pra comermos. – Inojin fala assim que entramos na sua casa.

– Eu tenho uma ideia melhor, porque não cozinhamos algo?

– Porque cozinhar demanda tempo e eu tenho ótimos planos pros quarenta minutos que levam pra entregar. – Ele me olha pervertido.

– Céus Inojin você não perde uma.

– O que posso fazer se além de fofa, meiga, inteligente, divertida e todas as suas mil qualidades tenho a namorar mais linda e gostosa e todas. – Ele fala já me tomando em seus braços fazendo meu coração disparar com a sua aproximação repentina, as esferas turmalina tão vidradas em mim que chega a ser ipnotizante levo minha mão ao seu rosto o acariciando seu naris rosa gentilmente em meu pulso inalado meu perfume fechando os olhos em contemplação como se procura se o guardar na memória. – Eu já disse o quanto eu gosto do seu cheiro? É como uma brisa de primavera.

Pisco surpresa. –Eu posso te dar um frasco se você quiser. – Ele sorri me puxando mais para si se inclinando deslizando seu nariz agora pelo meu dorso inspirando profundo na curvinha bem abaixo da orelha fazendo um arrepio percorrer o meu corpo. – Não é algo que se possa achar em loja, é como se sua pele emana esse perfume só pra me provocar.

–Funciona? – Minha pergunta sai quase que em um sussurro.

– Muito. – tomo seus lábios com os meus em um beijo intenso provando o sabor dos seus lábios como se fosse o ar que preciso pra respirar desliza minha mão pelo seu rosto abraçando seu pescoço. Suas mãos deslizam pela minha coluna me faxendo estremecer com seu toque, agarrando minha cintura me puxando para ele.

Sua lingua abre passagem lentamente saboreando meus labios arrancando-me gemidos.Em seguida me afasto com a boca ainda colada na sua, nos olhamos com desejo, me sinto totalmente rendida aquelas orbes esverdeadas quem me observam prontas a me devorar.

Meu corpo pede por proximidade, preciso sentir sua pele contra a minha.

–Quarto? Sugiro em um sussurro vendo o sorriso charmoso se formar em seus lábios antes de me erguer em seu colo travo minhas pernas envolta da sua cintura, sorrio com o ato, passando meus braços envolta do seu pescoço brincando com os fios dourados do seu cabelo entre meus dedos enquanto o loiro deposita seus beijos pelo meu pescoço enquanto me carrega até o seu quarto fechando a porta com o pé assim que passamos pela mesma.

Se senta na cama comigo ainda em seu colo, seus lábios encontram os meus em um beijo necessitado como se cada musculo dos nossos corpos fossem atraídos para o outro, sinto sua ereção ontra a minha intimidade movimento meu quadril em busca de mais contato sentindo seu membro cada vez mais rígida contra a minha intimidade, que se contrai dolorosamente o desejando cada vez mais.

Um gemido rouco escapa dos seus lábios me fazendo sorrir maliciosamente mordo seu lábio inferior o puxando lentamente antes de soltar o dando um selinho, ergo sua camiseta com um pouco de ajuda a tirando por sobre sua cabeça, me afasto um pouco o admirando enquanto os olhos parecem fazer o mesmo, suas mãos percorrem a carreira da botão da minha camisa os abrindo com facilidade.

– Você é tão linda hime. –Ele gira nossos corpos em um movimento perfeito deitando-me na cama voltando a me beijar. Suas mãos percorrem por minha cintura e minhas coxas por baixo da minha saia me fazendo arquear meu corpo contra o seu em busca de mais contato, sua boca em. minha garganta me provocando quando suas mãos se tornam mais urgentes apertando minhas me fazendo prende-las em sua cintura. Sinto seu membro se forçar contra meu sexo coberto o fazendo se contrair ficando ainda mais molhado.

– Jin... – Reclamo em um suspiro xingando todas aquelas camadas de roupa que me impedem de senti-lo. – Por favor.

– Por favor o que hime. – Sua voz maliciosa sussurra em minha orelha, mordiscando meu lóbulo. – Eu quero que você me diga exatamente o que você quer.

Abro levemente minha boca para responder mais antes de omitir qualquer som me distraio com suas chupadas em meu pescoço me fazendo gemer mordo meus lábios abafando o som.

– Não precisa se conter hime, eu quero te ouvir. – Beija meus lábios gentilmente antes de se afastar se livrando do restante da sua roupa habilmente. As orbes verdes não se desprendem das minhas um só momento, aproveito para também me livrar das minhas mas sou interrompida assim que determino de tirar minha blusa. – Fica com a saia você fica tão sexy com ela.

– Você acha? – O olho provocativa ele concorda com a cabeça.

– Você andar por aí com esse uniforme é quase um crime. – Ele da um sorriso ladino que quase me faz derreter, se não fosse seu olhar predatório sobre mim. – Você não faz noção quantas vezes eu fantasiei com essa visão.

– Você é muito pervertido Yamanaka.

– Só quando diz respeito à você meu girassol. – Sorrio com a sua afirmação, o loiro torna a se aproximar de mim deslizando suas mãos pelas minhas coxas subindo minha saia no processo apertando minhas coxas com força, – Eu ainda estou esperando.

– Você implorar pra mim te fuder com força. –Quase me engasgo com sua expressão já ele sorri quase inocente (fdm), sinto o tecido da minha calcinha deslizar delicadamente pelas minhas pernas –Quem sabe se eu te der mais um incentivo.

Ele se curva depositando beijos pela minha coxa, me fazendo arfar em antecipação, soltando um gemido alto ao senti-lo mordiscar minha pele sensível a chupando logo sem seguida, tento fechar minhas pernas para aliciar sensação torturante mais suas mãos firmes me impedem, como se não fosse o bastante logo sinto sua língua me invadir em um É ótimo lento quase torturante enquanto ele se delícias com meu sabor, fecho meus olhos aproveitando a sensação de cada toque da sua língua enquabto ele continua com aquela tortura gostosa, levando minha mão aos seu cabelo o acariciando.

Sinto a tenção dentro de mim aumentando cada vez mais.

– Inojin. – O chamo com desejo.

–Sim minha hime. – Ele sussurra em um tom firme me fazendo arfar fechando meus olhos em deleite quando seu dedo tomam o lugar da sua língua massageando meu clitóris.

– Eu te quero dentro de mim.

– Assim. – Ele penetra seu dedo em minha intimidade me provocando, reviro meus olhos pro loiro mais o ato perde o efeito quando não consigo segurar um gemido quando ele massageia meu ponto g. – Ou quem sabe agora. – O sinto penetrar mais um dedo sem conseguir esconder o divertimento em me torturar, enquanto a alisa cada uma das minhas expressões.

– Inojin! – solto em aviso quase que em um rosnado. – Eu Juro que se eu não tiver seu pau dentro de mim agora mesmo eu faço greve até o dia da sua viagem.

Ele ri da minha ameaça o que só me deixa mais brava. Ele se ajoelha na cama se cursando sobre mim me dando um beijo, movimenta seu corpo contra .e era de do sentir toda a proporção da sua ereção contra meu sexo esfregando-se lentamente me fazendo quere-lo ainda mais.

– Eu disse que você precisava pedir não ordenar. – Aquilo com certeza ainda ia ter volta mais agora tudo no que eu precisava era senti-lo por completo para em fim aliviar aquela tenção crescente no meu corpo.

– Por favor jin, eu preciso que você me foda. – Sua língua contorna meus lábios provocativa deslizando para dentro da minha boca me fazendo gemer em um beijo intenso, sua ereção esfregasse cada vez mais forte me fazendo agarra-lo quando ele me penetra em uma estocada forte me surpreendendo pela profundidade me fazendo soltar um grito prazer entre o beijo

Suas mãos seguram meu corpo com mais força assim como sei se movimentos. Sinto sua ereção entrar e sair com força me fazendo arquear meu corpo contra o seu, gemendo de prazer, ele afasta nossas bocas deixando meus gemidos sair em livremente.

– Você fica ainda mais gostosa gemendo. – O puxo pra mais um beijo nossas línguas de encontram saboreando uma a outra, suas mãos percorrem minha cintura pensando no meu quadril me erguendo pra cima, prendo minhas pernas envolta da sua cintura me apoiando em seu ombro, sua boca escapa da minha descendo pelo meu pescoço.

Deslisar sua mão pela minha barriga abrindo meu sutiã, descendo seus beijos até cobrir um dos meus mamilos com a boca sugando com vontade me fazendo gemer ainda amais movendo meus quadris de encontro ao seus o fazendo gemer

– Você é minha Hima. – sentencia junto a minha pele percorrendo a língua junto ao meu mamilo sensível beijando a minha pé até chegar a minha boca.

– Eu sempre e vou ser sua. – Murmuro junto a sua boca selando a distância entre as mesma em um beijo. Ele me.deita novamente na cama juntando meus joelhos segurando minhas pernas enquanto se inclina sobre me penetrando com força minha intimidade ai d amais apertada em seu sexo pulsante que sai e volta e me penetrar sem dó me fazendo gemer alto a cada estocada.

Anúncio meu ápice quando sinto que estou chegando ao alge, ele acelera seus movimentos e logo gatinho meu clímax me desmanchando em um orgasmo intenso sentindo meu corpo se contrair com força o fazendo vagar logo em se derrubando quente em meu interior.

O loiro se deita ao meu lado me abraçando. – Te amo Hima.

– Também te amo loirinho. O dou um selinho me aconchegando em seus braços, sentindo o cansaço começar a me atingir.


Notas Finais


Eae pessoas então amores pelos comentarios eu vi que muitos de voces amaram o apelido queno naru usa pro Inojin vonfesso que também quase morri de rir a primeira vez que vi esse apelido.
Por isso decidi dar o devido credito para a autora, a primeira vez que vi esse apelido foi em uma one incrível da @mihlua chamada first man uma história muito fofa que conta a relação da hima e do jin narrada não por eles e sim pelo Naruto, e todo o choque e conflitos dele ao ver que sua princesinha está crescendo (tudo a ver inclusive com a primeira parte desse capitulo não acham ?), essa one me tocou muito é aquele tipo de história que nós faz passar do riso para o choro em questão de segundo e no final ficamos com o coração super aquecido.
Embora eu tenha achado i crível uma das melhores onde do tipo que já li (se não a melhor) ainda tem pouca visibilidade então caso vocês se interessem vou deixar aqui a baixo o link da história ok
Bem era só isso mesmo
Obrigado mais uma vez por virem acompanhando a história até aqui fantasminha de plantão não se intimidam em participar dos comentários não precisa ser com um super comentário apenas me deixem saber o que tem achado da história até aqui ok.


https://www.spiritfanfiction.com/historia/first-man-21001559


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...