História Melodia-Camren - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren
Visualizações 882
Palavras 4.493
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Delicia

Capítulo 19 - Capitulo 19


Fanfic / Fanfiction Melodia-Camren - Capítulo 19 - Capitulo 19

Capítulo 19

Beijou com paixão e lambeu seu corpo todo, mordeu, passeou suas mãos por todos os cantos. Camila gemia e se entregava as carícias de Lauren, que a pegou pela cintura e fez ajoelhar na cama ficando de quatro, chegou por trás levando a mão em seu sexo e massageou devagar, sentindo o líquido escorrer entre os dedos.

- Está molhada… delícia… – a voz de Lauren saiu rouca. Mordeu os ombros da mais nova e apertou o bico do seio. Camila sentia as pernas bambearem, quando gozou deixou seu corpo cair na cama, com Lauren caindo em cima dela. Virou rapidamente e puxou a morena fazendo-a se ajoelhar em frente ao seu rosto, levou a língua direto em seu sexo, segurando Lauren pela cintura e apertando contra sua boca.

Camila sentia aquele gosto indescritível que a promotora tinha e não se importou em demorar, queria curtir aquele momento. Passava a língua com vontade para depois deixar só a pontinha em cima do clitóris. Quando viu que a morena ia gozar, levou a mão até sua abertura e introduziu dois dedos com estocadas fortes. Lauren caiu sobre ela com a respiração entrecortada e ofegante. Olharam-se com carinho e Camila a abraçou. 

 

Lauren levantou a cabeça e ficou a olhando diretamente nos olhos. 

- Que foi? 

- Estou pensando em como fazer você acreditar que te amo e que não penso em mais ninguém. 

 

Camila ficou calada somente olhando naqueles olhos verdes. Respirou fundo e falou tentando ser o mais sincera possível. 

- Eu confio, mas às vezes acho que sou pouco para você. Que uma hora ou outra vai se cansar de mim. 

- E me diz como vou me cansar? 

- Não sei, eu sou nova, tenho que correr atrás da minha independência ainda, sou uma estudante pobre e há muitas diferenças nesse aspecto entre você e eu. Sua vida social é totalmente diferente da minha, seus hábitos. 

- Vida social se muda e hábito não é uma necessidade. Posso mudá-los também. 

- Pra que? Por quê? Por mim? 

- Sim. 

- Isso não é justo. 

- Não é questão de justiça, é de vontade. Se eu achar que devo, eu mudo. 

- Mas se você é assim hoje é porque gosta e vai mudar pra que? 

- Já parou para pensar que sou assim por falta de opção? 

 

Lauren se endireitou e sentou na cama puxando Camila para se sentar frente a ela. 

- Minha linda, certas coisas que faço na vida são pela mais pura falta de opção. Se saio para festas, bares e boates é porque não tenho companhia em casa. Mamãe sabe o quanto me custa ficar sozinha. Ela só não mora aqui comigo, porque não tenho coragem de tirá-la da tranquilidade de Mauá. Às vezes acho que você não me conhece direito. 

- Acho que não conheço mesmo. – Camila baixou a cabeça. – Faz poucos meses que estou aqui no Rio. 

- Então, com o passar do tempo, vamos nos conhecendo e verá que sou diferente do que pensa. Mas isso é fruto do que Tyler falou de mim, tenho certeza. 

- Não é isso… 

- Tudo bem, entendo a postura dele. Agora me dá um abraço, bonitinha. – Lauren apertou a pianista contra seu corpo e deitaram na cama. Adormeceram pouco depois. 

 

No dia seguinte Camila acordou cedo para ver a hora, Lauren ainda dormia. Viu que tinha tempo para a aula. Ligou a TV bem baixinho e ficou assistindo. Não demorou muito para que a morena acordasse. 

- Bom dia meu amor! – Camila a beijou. 

- Bom dia. Já acordou? 

- Faz pouco tempo. Achei que tinha perdido hora. 

- Você tem aula? Não pode faltar? 

- Tenho. Não gosto de faltar, podem passar alguma coisa importante. 

- Não pode pegar com Normani? 

- Ela não faz essa matéria. Por que de tantas perguntas? 

- É que tirei a manhã pra ficar com você, já que vai viajar queria curtir mais sua companhia. – falou em tom sério. 

- Ô meu bem, então eu fico com você. – acariciou seu rosto. – Achei que ia trabalhar, você não falou nada ontem.

– a abraçou deitando a cabeça em seu colo. – Convite mais que aceito, eu tava com preguiça de ir à aula mesmo. 

- Você disse que não gosta de faltar. 

- Gostar não gosto, mas por um motivo desses, eu falto uma semana se precisar. 

 

Lauren gostava do jeito de Camila falar, era espontânea. Passaram a manhã na cama namorando e fazendo amor. Nem tomaram café, só almoçaram. Lauren levou Camila na rodoviária e se despediram dentro do carro com beijos apaixonados. 

 

- Juízo aqui hein mocinha. 

- Juízo lá bonitinha. 

- Pode deixar, te mando mensagem quando chegar. 

- Quando volta? 

- No domingo à noite eu saio de lá e chego aqui na segunda cedinho. 

- Te pego aqui na rodoviária. Quando estiver entrando no Rio me avise. 

- Não amor, é muito cedo. 

- Eu venho, fique tranquila. 

 

Beijaram-se de novo e saíram do carro. Lauren a levou até a roleta de embarque e lá lhe deu um abraço. Esperou que Camila entrasse no ônibus e ele saísse. 

 

Assim que se sentou e se acomodou a pianista mandou uma mensagem para Normani dizendo que estava saindo e desejou bom final de semana. Mais no meio do caminho mandou uma mensagem toda carinhosa para a namorada. Quando chegou na capital, trocou de rodoviária e foi para o terminal da barra funda, pegou o outro ônibus para Jaú e chegou em casa quase a noitinha. Foi recebida pela família quando desceu do ônibus. 

 

- Mãe! Que saudade! – abraçou a mãe e se dirigiu a seu pai. – Tudo bem pai? 

- Tudo ótimo. Como foi de viagem? 

- Tranquila, dormi quase o trajeto todo. 

- Que novidade! – a mãe brincou, pois sabia que a filha sempre dormia em qualquer viagem. 

 

Foram para casa e lá Camila contou as novidades do Rio, claro omitindo o namoro. Mas não escondeu que conheceu Lauren, falou sobre todo mundo. Mostrou algumas fotos, inclusive as de Mauá. 

 

- Que lugar lindo! – falou Sinuhe. 

- Lá é muito legal, tem cada cachoeira mais bonita que a outra. 

- E você foi com esse pessoal? – perguntou apontando para Drew, Tyler e Lauren. 

- Sim. Esse aqui é o Drew, o que toca comigo. Esse o Tyler o… – parou para pensar. …amigo dele e Lauren que é prima de Tyler. A mãe de Tyler e a de Lauren moram em Mauá. São irmãs. 

- Bonita essa moça! –Sinuhe ficou reparando na foto das duas.Camila apenas sorrio concordando e continuou falando sobre os amigos. 

- Drew estuda violão, está no quarto período. Lauren e Tyler são advogados, ela na verdade é promotora e os dois trabalham juntos. A mãe dela é muito legal, muito simpática. 

- E Normani, não foi nessa viagem? 

- Ih, a senhora nem sabe. Normani agora só tem olhos para o Liam, o baixista da banda. Os dois tão que tão num chamego. 

- Começou a namorar muito rápido, daqui a pouco desanda nos estudos. 

- Que isso! Ela tem juízo, é meio avoada, mas sabe dos seus compromissos. 

 

Camila contou todas as novidades, falou do concerto que tinha participado e das aulas na faculdade, jantou com a família e no sábado de manhã foi para o sítio. Passou o final de semana lá. 

 

Lauren saiu com Troy e Allyson para a tal inauguração da casa de show, mas não se divertiu, pensava o tempo todo em Camila e contando as horas para ela voltar. Assustou-se com tal pensamento, pois nunca havia tido essa atitude. 

 

- Mãe, queria mudar um pouco as minhas roupas. – Camila falou se olhando no espelho. 

- Que tem de errado com elas? 

- Acho que me deixam muito menininha. Normani fica dizendo que eu pareço ter menos idade do que tenho. 

- Quando tiver com quarenta anos e alguém lhe disser isso você vai adorar. 

Camila achou graça da mãe. 

- Vou deixar esses vestidos aqui. 

- Se quiser, podemos ir à rua para comprar alguma coisa. Se você acha que está fora da moda, mas eu não acho. 

- Não é fora de moda. É mudar um pouco só. Mas não vou comprar nada agora, preciso economizar. 

- Seu pai não está mandando dinheiro para você. Posso te ajudar se quiser. 

- Não precisa, guarde para alguma eventualidade. Eu vou me virando lá no Rio. 

 

Camila só retornou à cidade depois do almoço no domingo, pois queria preparar suas coisas para voltar. Aproveitou bem a companhia de todos e matou a saudade da sobrinha, não desgrudou dela. Antes de ir embora sua mãe lhe deu uma roupa nova atendendo ao pedido da garota por querer mudar de estilo. Quando chegaram do sítio, ela foi correndo na cidade e comprou uma calça e uma blusa. 

- É mais ou menos assim que você quer? – mostrava a calça com a blusa em cima da cama. 

- Mãe, não precisava, eu disse que ia ver isso depois. 

- Que nada, é um presente. 

- Obrigada. 

 

Camila aproveitou também para levar o biquíni, caso precisasse no Rio. A pianista se despediu de todos com os olhos cheios de lágrimas. Saindo da cidade ligou para Lauren. 

 

- Oi. – a voz ainda estava chorosa. 

- Que foi lindinha? 

- Estou saindo daqui ta. 

- E essa voz, o que é? 

- Ah… nada, só saudade do pessoal. Minha sobrinha ta linda, estou levando fotos para você conhecê-la. 

- Vou adorar. Não fique triste que logo você vai vê-los de novo. 

- Agora só nas minhas férias. 

- Vai passar rápido amor. 

- É, vai sim. 

- Te espero amanhã cedo viu. Faz boa viagem. 

- Obrigada. Amo você. 

- Também te amo. 

 

Despediram-se e Camila virou de lado, ajeitou o travesseiro e dormiu. Chegando em São Paulo, fez o caminho inverso, saiu da Barra Funda indo direto para o terminal do Tietê para pegar o ônibus para o Rio.

Eram seis horas da manhã quando chegou na entrada da cidade e ligou para Lauren como ela havia pedido. Assim que desceu do ônibus a namorada já a esperava com uma caixa nas mãos. Camila veio sorrindo e a abraçou. 

 

- Saudade desse abraço! – Lauren falou apertando-a. 

- Eu também. Fiz você acordar cedo amor. 

- Acordaria até de madrugada para vir te buscar. Isso aqui é pra você. – Entregou a caixinha e pegou Camila pela mão e foram para o carro. 

 

Dentro do veículo a mais nova, com a caixa no colo, olhou curiosa. 

- O que é? 

- Abra. 

 

Camila abriu e viu um bichinho de pelúcia tocando um piano. 

- Que lindo! – abraçou-o. – E tem o seu cheirinho. 

- Sim, como diz Tyler, tive a ideia mais original de todas, passar meu perfume no bichinho. – Lauren se referia à cena que Tyler tinha visto dela passando seu perfume no presente. – Não sabia que todo mundo fazia isso. 

- Geralmente é para a pessoa se lembrar de quem deu o presente, mas eu nunca me esqueço de você. – inclinou-se para beijá-la. – Obrigada. 

- Como foi lá? Matou a saudade? – ligou o carro e saiu. 

- Foi ótimo, aproveitei para descansar, comer a comidinha da mamãe e curtir a sobrinha. Ela ta linda amor, tem que ver que fofura. Já manda beijinho pra gente. Tirei umas fotos pelo celular. – Camila mostrou as fotos e Lauren ficou encantada. 

- Que linda. Ela se parece com você. Tem os olhos parecidos. 

- Minha cunhada falava que ia olhar para meus olhos, para que Sofi nascesse com os meus, da mesma cor. Deve ter funcionado. 

- É verdade. 

- E seu final de semana? 

- Fiquei em casa o sábado todo e à noite fui naquela inauguração, mas voltei cedo, não teve nada demais lá. Domingo eu fui a Mauá e voltei, cheguei de noite. 

- Minha mãe achou você muito bonita. Ela te viu nas fotos de Mauá. Eu tive que me controlar para não ficar só falando de você o tempo todo, mas a minha vontade era dizer que eu tinha a namorada mais linda do mundo e que ela tomou conta do meu coração. 

 

Aquelas palavras foram o presente para Lauren por acordar tão cedo. 

- Quer ir lá para casa meu bem? Assim você descansa. 

- Ta bom. Preciso mesmo esticar a coluna, o ônibus não é ruim, mas o bom mesmo é uma cama. 

 

As duas chegaram ao apartamento e Camila tomou um banho para relaxar. Quando saiu do banheiro estava somente de calcinha e sutiã. Lauren não estava no quarto. Deitou na cama e esticou os braços para trás fechando os olhos. Respirou fundo e somente relaxou. Minutos depois sentiu o perfume de Lauren e um peso sobre seu corpo. Sorriu para ela ainda com os olhos fechados. 

- Está sorrindo. Como sabe que sou eu? 

- Senti seu perfume e ouvi seus passos. – Camila abriu os olhos e a abraçou. 

- Eu entrei descalça no quarto. 

- Mas eu ouvi. 

- Está com sono? 

- Não. Só com o corpo meio dolorido. 

- Então deixa sair de cima de você. 

 

Lauren fez menção de sair, mas Camila a segurou. 

- Não. Fique. Eu gosto. – fechou os olhos e puxou a morena. 

 

Lauren não conseguiu ficar quieta por muito tempo, sentir aquele corpo só de calcinha e sutiã embaixo dela era demais para seus instintos.

Começou a se esfregar e em poucos minutos já tinha tirado as roupas íntimas da pianista e as suas roupas. Não tinha pressa em fazer amor, só queria sentir o cheiro e o gosto da namorada. Depois de muitas carícias chegaram ao clímax e se abraçaram. Camila se sentia nas nuvens, uma sensação de prazer e aconchego. Era sempre o que sentia quando estava com Lauren. 

 

- Te amo. – Falou baixinho em seu ouvido. 

- Você é o amor da minha vida. – Lauren disse num sussurro quase inaudível. 

 

Adormeceram abraçadas. 

 

Normani estava na faculdade quando encontrou com Drew saindo de uma aula. 

- E aí Drew. Como foi o ensaio? 

 

Drew imediatamente lembrou-se do combinado com Camila. 

- Rendeu bem. Passamos umas músicas, excluímos algumas do repertório. 

- Vão voltar esse final de semana não é? 

- Pois é. Estou ansioso, passei pelo bar outro dia e já estavam nos acabamentos.

 

- E eu não estarei aqui, vou pra casa nesse fim de semana. 

- Ah que pena. Camila foi esse final de semana não é? Eu a levei na rodoviária. 

- É, ela chega agora de manhã. Nem sei se vem direto, deve estar moída da viagem. 

- Imagino, depois ligo pra ela pra saber das novidades. 

 

Camila se remexeu na cama e acabou acordando Lauren. Virou de bruços e continuou dormindo. Lauren a acordou com um beijo na nuca. 

 

- Ei mocinha, vamos acordar? 

- Hum, tirei um sono bom. – se espreguiçou. 

 

Lauren a puxou pela cintura para beijá-la. 

- Você não está com fome? 

- Um pouco. 

- Vem almoçar então. Depois te levo para a faculdade. 

 

Almoçaram juntas e Lauren levou Camila, dessa vez a deixou perto da faculdade, pois Normani podia estar por perto e desconfiar. Marcaram de se falar a noite quando chegassem em casa. 

 

À noite, assim que Camila entrou no apartamento Normani a encheu de perguntas. 

- E a viagem? Foi boa? Como ta o pessoal? Deu recado a minha mãe? Que urso é esse? 

- Calma! Foi tudo bem e não dei o recado, mas pedi a minha mãe que falasse com ela. Esse urso eu ganhei da… minha mãe.  – Camila despistou. 

- Lindinho ele. Eu vou nesse final de semana. Devo sair daqui na quinta a noite. Porque nesta sexta tenho uma aula que não é importante. 

- Que bom, vai poder aproveitar mais um dia. E aqui, tudo correndo bem? 

- Sim, esse final de semana fiquei na casa de Liam. 

- Achei que ele viria pra cá. 

- Não, achamos melhor ficar por lá. Só no domingo que apareci para ajeitar algumas coisinhas. 

 

As duas conversaram por um tempo e depois foram dormir. 

- Você até que não ta com cara de cansada. – Normani observou. – Deve ter dormido a viagem toda. 

- Dormi bastante. Mas quero uma cama agora. Dormir uma noite no ônibus não é nada bom. 

- Verdade. Durma bem então. 

- Até amanhã. 

 

Assim que entrou no quarto, Camila mandou mensagem para Lauren desejando boa noite. 

 

 

A semana correu tranquila, Camila entregou o trabalho e teve aulas dobradas de piano. Normani estava na expectativa da viagem e para compensar o namorado dormiu na casa dele todos os dias da semana. O que possibilitou Camila de falar mais à vontade com Lauren. Ao telefone as duas marcavam de se encontrar. 

 

- Amor, Normani viaja amanhã à noite. Então eu queria te fazer um convite.

 

- Que convite? 

- Quer jantar comigo? Aqui em casa mesmo, uma coisinha simples. 

- Hum… jantar. Deixa ver na minha agenda… – Lauren fez de difícil. 

- Olha direitinho, se você não puder, eu chamo a outra. 

- Engraçadinha. Claro que eu aceito. Preciso levar o que? 

- Traga você. Só isso. 

 

Despediram-se combinando o horário do jantar. Na quinta de manhã, depois que saiu da aula, Camila foi ao mercado comprar os ingredientes para o jantar. Chegou em casa, preparou os ingredientes, deixando tudo quase pronto.

Iria fazer um escondidinho de camarão. Cozinhou as batatas e preparou o recheio. Depois foi tomar um banho. Quando saiu, acendeu um incenso e ligou o pequeno som que Normani havia trazido de casa. Lauren tocou o interfone e em seguida já batia na porta. 

 

- É aqui que mora a pianista mais linda e talentosa do Rio de Janeiro? 

- Ih, acho que a senhorita se enganou de casa. Aqui mora uma pianista iniciante e feinha. 

- Acho que ela não tem espelho em casa. – Lauren entrou e a beijou com paixão. – Está cheirosa. 

- Acabei de sair do banho. 

 

Camila estava com um vestido preto mais soltinho e sandálias baixas. 

- Esse vestido é novo? 

- Não, eu trouxe de casa, ele é fresquinho e nesse calor que faz no Rio, tem que ser uma coisa assim. 

- Adoro quando usa vestido. 

- Eu fico meio menininha. – Camila fez uma careta. – Falei com minha mãe que quero mudar um pouco meu visual. Normani vive dizendo que me visto que nem uma garotinha. 

- Eu prefiro sem roupa, mas você insiste nesse negócio de se vestir. – brincou. 

- Safada. – Camila lhe deu um tapa no braço. – Vem, estou preparando nosso jantar. 

- Está cozinhando? – Lauren perguntou surpresa. 

- Estou ué. 

- Tirando minha mãe, ninguém nunca cozinhou pra mim. – a morena falou meio sem jeito. 

- Então sou a primeira? Espero que esteja com fome, assim a comida desce melhor. 

- Falo sério. Ou é a comida da minha mãe ou pago para cozinharem pra mim. 

- Pois então vou te cobrar um preço alto. – Camila se aproximou dela toda insinuante. 

- Diga seu preço que eu pago. – falou num sorriso safado e levantando uma sobrancelha. 

- Vai sair caro. – Camila parou se encostando ao marco da porta da cozinha. 

- Vale a pena. – olhou-a de cima a baixo. 

 

A pianista voltou para a cozinha e continuou preparando o jantar. Lauren chegou por trás dela e beijou seu pescoço. 

 

- Já disse que te amo hoje? 

- Ainda não. 

- Eu te amo. – falou baixinho em seu ouvido. 

 

Camila se virou e enlaçou o pescoço de Lauren com os braços. 

 

- Também te amo. – beijou sua boca. – Agora deixa eu terminar esse escondidinho. 

- E ta escondendo o que? – brincou. 

- Camarão. 

 

Lauren sentou-se em uma cadeira e ficou observando Camila na cozinha. Tinha um jeito todo delicado. 

 

- Como foi essa semana na faculdade? – puxou assunto. 

- Fiz aula dobrada de piano. Simon me passou uma lista de músicas novas, ta me dando trabalho. 

- Você dá conta. Vai ter outro concerto? 

- Acho que não, pelo menos não tem nada programado. – Camila colocou o escondidinho no forno e se voltou para Lauren. – Pronto, agora só assar. 

- Estou com fome. 

- Eu também, vim da faculdade direto, nem comi nada, tomei banho e fui preparar o jantar. 

- Minha fome é você. – Lauren a puxou pela mão, fazendo Camila sentar em seu colo de frente com as pernas aberta. 

- Ei, quer deixar de ser assanhada? Estou de vestido e você me puxando assim? 

- Não tem nada aqui que eu já não tenha visto. – beijava seu pescoço e percorria seu corpo com as mãos. 

- Sim, mas isso fica pra depois. – Camila segurou as mãos da namorada. – O jantar primeiro. 

- Não posso ir direto para a sobremesa? – voltou a acariciá-la. 

- Sou sua sobremesa? – sorriu. 

- A mais deliciosa de todas. – Lauren a beijou, dessa vez sendo correspondida. Ficaram num amasso gostoso até que o cheirinho do escondidinho tomou conta da cozinha. 

- Está pronto. – Camila falou sentindo as mãos de Lauren passearem por debaixo do vestido. 

- Depois a gente come. 

- Mas tenho que tirar do forno amor, senão vai queimar. 

 

Lauren parou com as carícias e respirou fundo. 

 

- Calma! – Camila sorria. 

Levantou e tirou a travessa do forno, colocou na mesa. 

 

- Que cara ótima! – Lauren olhou a travessa com cobiça. 

- Vamos ver o gosto. - Pegou os pratos e os talheres. – Amor, quer tomar suco ou refrigerante? Eu não comprei vinho, não sabia qual era bom. No mercado tinha uns que julguei serem bons, mas eram caros. – disse arregalando os olhos.

 

- Vamos tomar suco, mais leve. 

- Ta bom. 

Camila serviu Lauren e depois se serviu. 

- Nossa! Está uma delícia. 

- Muitas vezes minha mãe estava na roça e eu tinha que me virar. Acabei tomando gosto pela cozinha. 

- Muito bom, agora eu caso. – Lauren sorriu. 

- Mas eu não sou muito boa pra passar roupa, lavar até que me viro também. 

- Arrumei uma mulher completa, pianista, cozinheira, inteligente, linda e gostosa. 

 

Camila sorriu timidamente. Às vezes ficava desconsertada com os elogios de Lauren. 

 

Terminaram o jantar e foram para a sala. A mais nova ficou um pouco sem jeito, pois estava óbvio que seu apartamento era bem mais simples que o de Lauren e não tinha muitas coisas para fazer. 

 

- Amor, aqui não tem TV por assinatura, mas se quiser podemos assistir um filme, tem uma locadora aqui perto. 

- Não vim aqui pra ver TV. Vim pra namorar. – disse abraçando Camila e a beijando na testa. – Adorei o jantar. 

- Gostou mesmo? – A pianista envolveu seu pescoço com os braços. 

- Gostei, você cozinha muito bem e como disse, nunca ninguém cozinhou pra mim. 

- Então daqui pra frente você será minha cobaia. Porque eu adoro inventar pratos e testar receitas novas. 

- Eu vou adorar. – Lauren sentou no sofá junto com Camila. – Normani fica até segunda em São Paulo? 

- É, essa semana mal a vi, ficou na casa de Liam. Ele só não vai com ela porque tem show amanhã. 

- Ah é mesmo! Vou lá te ver. 

- Estou curiosa para ver como ficou a decoração nova. Ensaiamos essa semana, refrescamos a memória para algumas músicas e tiramos algumas novas. 

 

Camila queria fazer um convite a Lauren, mas ficou meio sem jeito, arriscou assim mesmo. 

 

- Você quer dormir aqui comigo hoje? O apartamento é simples, não tem vista para o mar e nem a minha cama é de casal, mas a de Normani é, podemos ficar lá e… 

- Vou adorar! – Lauren respondeu antes que ela terminasse de falar. – Mas eu prefiro a sua cama mesmo. A gente se ajeita lá. 

- Vai ficar apertado. 

- Dou um jeito nisso. 

 

Deitadas no sofá, namoraram e conversaram até o sono chegar. Depois foram para o quarto. Camila bem que tentou ajeitar a cama para que ficasse mais confortável, mas não deu muito certo. Lauren, que já tinha tirado sua roupa, estava só de calcinha e sutiã. 

 

- Não trouxe roupa de dormir e acho muito difícil uma sua caber em mim. 

- Vai ficar só um pouco pequena. 

- Ahan. – segurou o riso. Deitou na cama e chamou Camila. – Deita, eu te abraço e assim dá pra dormir. 

- Vou ficar praticamente em cima de você. 

- Quer coisa melhor? Eu to adorando. 

- Boba. 

- Melhor ainda se tirar a roupa e ficar que nem eu. 

- Mas é muito safada, não é Lauren? 

- E você adora. 

 

Camila riu, tirou a parte debaixo do pijama ficando só de calcinha e a blusa que usava. 

 

- Se eu tirar a blusa fico sem nada, não estou usando sutiã. 

- Também não ligo se tirar. 

 

A pianista deitou e se aproximou de Lauren encostando o rosto em seu peito e abraçando sua cintura. 

 

- Amor? – Lauren chamou. 

- Oi. 

- Você vai dormir? – perguntou um tanto curiosa. 

 

Camila achou graça da pergunta. Se remexeu, levantando-se da cama e sentando em cima do púbis da morena. Aquela posição já acendera os instintos da morena. Camila passou as unhas pela barriga de Lauren e arranhou de leve, causando um arrepio. Lauren enfiou as mãos por baixo da blusa de pijama e segurou a cintura da namorada, fez menção de puxá-la para baixo, mas Camila não deixou, num movimento rápido tirou sua calcinha e a de Lauren, começou a se esfregar nela, ainda sentada em seu púbis. Lauren fechou os olhos e sentiu o contato, estava molhada. Camila tocou o clitóris dela fazendo leve pressão. 

 

- Vem aqui Camila, está me deixando louca. 

- Shhi… não estamos com pressa, estamos? 

 

Lauren não teve como impor, quando via aquele sorriso se derretia toda. Camila continuou a esfregar os dedos enquanto rebolava sensualmente, até que Lauren gozou e quando pensou que teria uma trégua a mais nova desceu da cama e se ajoelhou no chão puxando as pernas da morena e se enfiou entre elas sugando seu sexo, agora com mais voracidade. Lauren se sentou na cama e acariciou aqueles cabelos castanhos. Era incrível como podia se abandonar completamente para Camila. 

- Ai… amor… assim… 

 

Camila usava a língua com maestria e em pouco tempo Lauren gozou novamente. Ainda teve forças para puxar a garota e abraçá-la. 

- Te amo, te amo, te amo. – A cada declaração, Camila a beijava. – Não sabe como te amo e agradeço a Deus todos os dias por você ter aparecido na minha vida. 

 

Lauren se surpreendeu com a declaração repentina. 

- Também te amo minha linda. Você é o meu juízo, a minha tranquilidade, é o meu caminho certo. 

- Não sabe o bem que me faz… 

 

Falaram ao mesmo tempo e sorriram. 

 

Os lábios se tocaram e novamente se amaram. Dessa vez foi Lauren quem fez Camila delirar e dizer palavras desconexas. Tocava aquele corpo como se fosse a primeira vez. Mordia, lambia, beijava cada pedacinho e quando sentiu seu corpo tremer a abraçou forte. Camila se aconchegou em seu colo, respirando ofegante. Seus corpos se encaixaram para dormirem abraçadas.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...