1. Spirit Fanfics >
  2. Melodia da Paixão >
  3. E as coisas lindas são mais lindas

História Melodia da Paixão - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


e vamos de sofrer por banners 😗✌🏼 HAHHAHAHHAHAHAH Eu nao to sabendo >lidar< com o que vai acontecer

Capítulo 12 - E as coisas lindas são mais lindas


Fanfic / Fanfiction Melodia da Paixão - Capítulo 12 - E as coisas lindas são mais lindas

LEMBRAR QUE ELES NÃO ESTAVAM NUM CENÁRIO PROPENSO para o momento quente o qual estava tendo os fizeram desacelerar e sair daquela pista de dança completamente eufórica depois de mais um tempo ali. Resolveram se sentar novamente no open bar e, minutos depois, Taehyung surgiu de algum canto, alegando que eles poderiam esperar na área vip a qual estava mais calma em relação a movimento, porém acabava ficando mais afastada da pista, situando-se numa área livre fechada para clientes desse tipo e que possuía até uma piscina, que não funcionava. 

Cecília ficou surpresa ao se deparar com essa outra parte do local, pensando que não era apenas uma boate como as outras. Talvez por isso tenha ficado tão famosa dias antes da própria inauguração e muitas pessoas comentavam sobre o quão estavam com expectativas para o lugar. Era maior do que a maioria poderia pensar. 

Como sempre, a espanhola não curtiu muito o clima das pessoas nessa área. Sentiu-se como se estivesse primeira sala vip do festival de música na Holanda; não que o público presente fosse semelhante àquele, porém, por alguma razão lembrou o cenário e permaneceu pouco tempo ali, na presença de Jungkook e seu empresário, os quais jogavam conversa fora com, aparentemente, outros DJs que iriam tocar na noite e Cecília não conhecia. Pietra, sim. 

Após uns minutos caminhando pelo ambiente, a fim de conhecê-lo o máximo possível, voltou ao encontro do Jeon e avisou que voltaria para a pista de dança. Ele, por sua vez, respeitou a decisão da espanhola e, pouco antes dela definitivamente sair, controlou o copo de bebida que segurava e gentilmente envolveu sua cintura, no intuito de trazê-la para perto e lhe roubar um selinho. Como resposta, Cecília apenas sorriu, por incrível que pareça sem se importar com os olhares alheios os quais acabou recebendo. 

Na verdade, ela também precisava se distrair pois o beijo quente que teve com o coreano lhe deixou excitada e ela sabia que não podia se satisfazer meio a uma balada. Não com seu parceiro. Portanto, direcionou-se com pressa à outra parte do lugar e mergulhou novamente nas constantes melodias animadas tocadas pelo atual DJ, preocupando-se apenas em beber água e tomar cuidado para não acabar esbarrando no ex-namorado, que inclusive desde que entrou com Jungkook não viu mais. O que era bom.

Quando viu, já havia tirado os sapatos e os deixados num canto discreto próximo do bar. Passou horas no meio de toda aquela gente suada e animada, ora umas beijando uma às outras ou “sarrando”, como diria Francisca.

Ficou receosa, sim, de alguma cara tentar algo, e infelizmente não pôde sair imune de olhares maliciosos ou sussurros repentinos e pervertidos no pé de um de seus ouvidos. Um, especificamente, ousou envolver sua cintura e encostar-se nela por trás, levando-a a um baita susto e estado de alerta.

Quando se virou bruscamente após afundar as unhas pontudas na pele do antebraço do suspeito e afastá-lo, decepcionou-se ao ver Juarez.

— Eu já disse pra não encostar em mim. - respondeu convicta, porém hesitante por dentro. — Respeite a sua namorada - insistiu, sem esperar por uma resposta do rapaz, a qual com certeza seria a mais babaca possível uma vez que se encontrava bêbado. Sendo assim, saiu do local o mais depressa possível e voltou a se sentar num dos tamboretes do bar, após checar se suas sandálias estavam no mesmo canto. Felizmente, sim.

Ela só queria dançar em paz! No entanto, precisou esperar uns minutos até sentisse disposição o suficiente para voltar.

As horas foram passando, e a vez de Jungkook se apresentar acabou chegando, pegando Cecília de surpresa. A música que havia mergulhado a espanhola numa vibe única de repente parou e foi anunciado ao público a posse do novo DJ. Ao ouvir o codinome conhecido e o início da melodia uma outra música sua a qual também fez sucesso, Don’t let me down, que não era cantada por Khadija, levou um susto com os gritos mais altos do público e a constância de suas vozes cantando as letras.

Achou engraçado. Já tinha ouvido a melodia outras vezes, porém não lhe foi uma música viciante. Entretanto, de qualquer forma ela também se permitiu entrar na vibe do novo DJ a cada música tocada. Como esperado, nenhuma envolvendo a falecida cantora foi reproduzido por motivos claros.

Ao final das uma hora e meia de apresentação, o pessoal aplaudiu. E Cecília fez questão de estar entre essas pessoas, olhando diretamente para sua paixonite enquanto emitia gritos de comemoração e erguia seus braços ao aplaudir. 

— Gostoso! - algumas anônimas gritavam, mas a espanhola não se importava.

Afinal de contas, ele de fato estava e sempre foi. 

— E aí? O que achou? - o coreano perguntou à companheira quando terminou os trabalhos e ambos se redirecionaram àquela área de clientes VIPs. Encontrava-se mais cheia do que antes e a maioria dos presentes parabenizava o coreano por sua apresentação bem-feita. Enquanto todo esse processo, Cecília permanecia quieta, apenas o acompanhando.

— Meus pés estão queimando de dor - anuncia quando finalmente se sentam numa poltrona confortável. — Mas acredite, isso é bom. Aproveitei o máximo que pude e olha que nem paguei por estar aqui - brincou, pegando de uma bandeja ambulante uma taça de vinho branco. 

— Consigo imaginar. Ainda está ofegante e seu cabelo não parecia estar molhado antes - esbraveja, passando as mãos sobre suas mechas e sentindo o suor de horas dançando loucamente entrarem em contato com seus dedos. — Mas daqui a pouco te levo para casa. Taehyung deve ficar até o amanhecer e eu não posso depender dele. 

Cecília se lembrou do que estava pensando há um tempo. Portanto, depois de tomar um longo gole do vinho e respirar fundo, ousou se aproximar do ouvido do rapaz e dizer: 

— Eu não quero ir para a minha casa. Não nessa noite. 

A intenção era beber mais um pouco, para ficar mais animada e empolgada. Não queria nem um pouco se sentir envergonhada depois de jogar essa carta na mesa. 

Jungkook, por sua vez, não foi bobo. Agilizou o quanto pôde todo o processo de despedida e, finalmente, direcionou-se à saída do local, prontos para irem para hotel. 

* * *

Antes mesmo de chegarem até a porta do hotel, eles estavam sedentos um pelo outro. Começaram um beijo quente no próprio elevador, com direito a saírem desnorteados em direção à porta pertencente ao quarto de Jungkook. Na verdade, o único momento o qual eles precisaram parar um pouco foi para a maçaneta ser destrancada. Fora isso, o Jeon nem fez questão de guardar a chave. Só a jogou para longe e se preocupou mais em jogar o corpo da menina contra a parede e voltar a distribuir beijos na extensão de seu pescoço. 

Enquanto isso, Cecília tentava conter os gemidos por estar num hotel, mas cada vez mais se tornava uma tarefa árdua, visto que não estava muito sóbria, mas estava com a plena consciência do que queria. 

Quando viu, já haviam empurrado a porta do quarto e se encontravam há metros de distância da cama, tão bem arrumada pela camareira minutos depois do DJ ter saído.

— Se você não quiser nós não precisamos fazer nada - diz Jungkook, sem pensar direito e meio a suspiros ofegantes. Sua camisa já estava mais desabotoadas do que antes e nem havia reparado em quando isso aconteceu. 

— Nem que me pagassem - exclama Cecília. — Eu quero você. Inteiramente você. 

Sua feição séria foi substituída por uma travessa, fazendo o Jeon delirar por dentro, querendo estar logo dentro dela. As ágeis mãos de Cecília puxaram o coreano pelos ombros, causando sua total queda sobre o colchão macio. Seus pensamentos de como poderia agir depois foram interrompidos assim que ela montou em cima do moreno e deu leves investidas enquanto mordia seus lábios de prazer.

— Continue com esses movimentos — arfou pondo a mão em sua cintura e fazendo mais pressão, sem deixá-la parar com o gesto. Não muito tempo depois, ele se encontrava praticamente nú. 

Jungkook virou o corpo da mulher, prendendo seus braços no topo de sua cabeça e retirou as peças de roupa que cobriam seu esbelto corpo, sem ter muitas dificuldades. Em seguida, desceu seu indicador pela abrasadora pele de sua barriga e sentiu a mesma arrepiar-se com seus toques. Posteriormente, abaixou sua cabeça sem quebrar o contato visual com Cecília enquanto lambia a pele de sua barriga até chegar na barra da calcinha branca.

Suas bochechas ganharam um tom avermelhado assim que retirou com cuidado seu sutiã de mesma cor, rendado.

— Posso? - Cecília assentiu sem saber identificar o que sentia senão tesão e ele não esperou nem um minuto para atacar seus seios durinhos e rosados.

Passou o indicador pela auréola rosada, vendo a espanhola fechar os olhos, e colocou sua boca no seio direito, dando uma mordida de leve, sem pressa alguma, querendo que ela curtisse bastante os prazeres que seu corpo e ele poderiam proporcionar. Jungkook se satisfez mentalmente assim que um gemido arrastado saiu de sua boca, fazendo-o aumentar os movimentos de minha língua em seu seio.

Ao retirar a boca de seu mamilo, recebeu um gemido frustrado, porém não apressado foi descendo suas mãos até a barra de sua calcinha, percebendo sua respiração aumentar excessivamente por medo ou nervosismo. Arriou o tecido por suas pernas e percebeu a vontade daquilo acontecer que no semblante de Cecília, deixando-o ainda mais excitado. 

Abriu um pouco de suas pernas e olhou a intimidade, sentindo a sua pulsar fortemente dentro da calça. Pôs, então, suas duas mãos na cintura da moça, puxando seu corpo para baixo e ficou cara a cara com sua vagina rosada. Sem delongas, passou a língua por toda a extensão, sentindo o gosto que Cecília tinha. Chupou seu clitoris, vendo por cima a mulher abrir a boca e fechar milhares de vezes, girou a língua por seus lábios maiores e sentiu seu corpo, por instinto, dançar sua cintura por sua língua em busca de mais prazer. Levou um de meus dedos até a boca de Cecília, vendo-a me olhar confusa. Riu baixo. 

— Chupa meu dedo - pediu, ela assentiu sedenta, e abriu sua boca, molhando o dedo do coreano com a sua saliva, que agora estava lubrificado para entrar nela. Poderia gozar diversas vezes só vendo essa cena.

Passou meu indicador por sua entrada e molhou aquela parte, penetrando o dedo logo em seguida, observando a espanhola gritar alto por ter algo sendo introduzido dentro de sua entrada estreita. Lambia sua região freneticamente enquanto fazia um movimento calmo de vai e vem.

— Caralho, Jungkook! - pela primeira vez, Cecília gemeu seu nome, fazendo-o arfar por seu pau estar completamente sensível.

Assoprou sua vagina, vendo-a se contrair e logo soltar seu líquido em meu dedo. Sequei completamente sua intimidade.

Levantou-se e puxou Cecília pela nuca, tomando seus lábios para si e fazendo-a sentir o seu delicioso gosto. Assim que o ar os interrompeu, colocou uma mão de cada lado de seu rosto fazendo-a o encarar.

O prazer fala mais alto que a razão.

Cecília foi a primeira a tomar a iniciativa de afastar sua cueca, e seu membro saltou duro que nem pedra. Ela olhava tudo atenta enquanto mordia os lábios, quase arrancando sangue. Ele se apoiou em meus calcanhares e Cecília passou uma perna de cada lado no corpo do rapaz, se sentando quase em cima da intimidade do coreano enquanto apoiava seu peso em meus ombros.

O Jeon puxou seu membro ávido por sua quentura interna e colocou em sua entrada, depois de vestir o preservativo, assistindo Cecília jogar sua cabeça para trás de puro prazer. Assim como ele, ela estava quente como uma chama de fogo.

Olhei para a espanhola novamente e sua cabeça assentiu como se ela tivesse um momento de coragem. Então, penetrou sua cabeça e foi pondo devagar toda a extensão, sentindo as unhas afiadas de Cecília o punirem de forma aguda. Gemeu assim que se sente todo dentro dela. 

— Mais forte - ela pede, impulsionando seu corpo para baixo, fazendo-o gemer.

Jungkook se movimentava embaixo de Cecília, calmamente por não querer machucar-lá, e então direcionou sua mão até seus lábios maiores, no intuito de estimulá-la, vendo a expressão de prazer aparecer em sua face. Sorriu assim que escutou seu gemido próximo ao ouvido ouvido.

— Continua… arfou baixo, porém audível. O coreano sentiu seus estímulos querendo gozar, mas gostaria que ela fosse a primeira. 

Bombeou ainda devagar, entretanto ele estava sentindo um prazer inigualável. Talvez seja porque ela é apertada, e seu pênis fica mais aconchegado dentro dela. O orgasmo de Cecília, portanto, não demorou a chegar, e ela se desfez sobre ele, gozando depois de algumas estocadas.

Cansado e satisfeito, caiu ofegante ao seu lado. Logo, sentiu seus braços envolvendo sua cintura, e sua cabeça encostar-se sobre meu peitoral. Depositou, por fim, um beijo em sua testa e fecho os meus olhos, feliz por ter finalmente tido esse momento com Cecília. 

—  Deus do céu - ela sussurrou,’ainda um pouco desnorteada. 

* * *

Cecília não podia negar que acordou no dia seguinte ainda extasiada pelo o que tinha vivido e, principalmente, não estaria sendo sincera consigo mesma caso dissesse que não se sentia mais apaixonada do que provavelmente antes. Foi a primeira coisa que veio em sua cabeça assim que acordou, por sinal, primeiro que o companheiro. Como se arriscou a ultrapassar o limite de bebida, à princípio demorou para perceber onde estava. Suas retinas focaram no teto branco do local, destacado pelos raios solares devido ao esquecimento de não fechar as cortinas, e se mexer sobre o colchão, sentindo sua maciez, estranhou. 

Até que ligou os pontos ao se deparar com o seu corpo fresco e o coreano deitado logo ao seu lado, com a cabeça afundada no travesseiro e os cabelos espalhados por estes. Colocando as duas mãos da boca, surpresa, conteve uma risada e arregalou os olhos, querendo levantar com calma a fim de não despertá-lo. 

― Onde pensa que vai? - Jungkook de repente questionou com a voz tremendamente rouca, abrindo aos poucos as pálpebras. Sentiu um movimento inesperado do colchão, quando Cecília se levantou, e isso lhe foi o suficiente. Portanto, quando suas retinas focaram a imagem da espanhola abotoando a blusa usada pelo Jeon na noite anterior, ele ergueu sua coluna, passando as mãos nos cabelos enquanto explorava o corpo da menina com o olhar. ― Wow - esbanjou sua admiração. Ela havia ficado sobretudo sexy naquela peça de roupa.

Cecília riu pelo nariz, aproximando-se da cama para o cumprimentar com um selinho, mas sem muita cerimônia porque nem tinha escovado os dentes.  

― Vou ao banheiro - anunciou, observando nesse momento as horas no relógio digital na mesa delicada e pequena ao lado da cama de casal. Eram onze e meia da manhã.

Entretanto, surpreendeu-se quando o moreno a envolveu com os braços e a jogou deitada na cama, posicionando-se em cima de Cecília de uma forma que não a deixasse tão desconfortável. Meio à risadas presas na garganta, começou a distribuir beijos no pescoço da parceira. 

Ela tentou pensar em outras coisas para não cair novamente naquela absurda tentação, porém, acabou se rendendo novamente ao prazer que há meses não tinha, mesmo ainda junto de Juarez. A relação se esfriou tanto que até os momentos de intimidade eles permitiram deixar para trás.

Quando deu duas horas da tarde, então, Cecília juntou seus pertences e um gole de coragem para ir embora, visto que gostaria de passar mais tempo na companhia de Jungkook, mas sabia que não podia simplesmente sumir com o coreano devido à paixão aflorada. Tinha certeza, inclusive, de que Francisca já estava roendo as unhas para ter a chance de conversar com a amiga e ser atualizada de tudo que aconteceu, pois as primeiras notificações as quais a espanhola recebeu foram dela.

[29/01/20, 09:47AM] Francisca (coração amarelo): pintou e bordou o sete com esse asiático, né, sua danada? 

[29/01/20, 09:50AM] Francisca (coração amarelo): se ainda não está recebendo minhas mensagens e ontem não avisou que tinha fechado em casa, é porque alguma coisa aconteceu.

[29/01/20, 09:51AM] Francisca (coração amarelo): CECÍLIA, VOCÊ TRANSOU NESMO? 

[29/01/20, 09:51AM] Francisca (coração amarelo): AAAAAAAAAAAAA

Rir foi inevitável. Após se deparar com sua reação, logo cogitou a possibilidade dela estar em seu apartamento. 

Entretanto, pegou-se desprevenida quando, assim que atravessou a entrada simples de seu condomínio, viu primeiro, sentada no pequeno sofá cinza e vintage da recepção, a namorada de Juarez, parecendo ansiosa por sua chegada. 

― Oi! - ela foi a primeira a cumprimentar, estendendo as mãos na direção de Cecília, que não agiu indiferente e foi educada, até simpática, com a moça. Seu nome era Priscila. ― Eu… Quer dizer, nós poderíamos conversar? À sós. 


Notas Finais


ai que vontade de gritar UAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAi

gente eu to zero sabendo lidar zERO. Terminamos num suspense porém sabemos bEm o que mais chamou atenção de vocês nesse capítulokkjjj nem fui eu quem escreveu as cenas +18 porque simplesmente não consigo, e sim, uma amiga que não é cadastrada no site, me salvando como sempre. Ana, dedico a você!!!! HAHAHAHAHA >vontade de me enfiar num buraco<

mas vcs gostaram??? pf falem que sim, shuhsuahsusua ❤️❤️❤️❤️❤️❤️ Cecília e Jungkook mais vivos que o normal, minha nossa. Safadeza não é comigo porém aplausos pra esse casal 20.

beijão suas lindas
boas corona férias pra vcs e muitíssima obrigada por todo incentivo ❤️❤️❤️❤️❤️❤️❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...