1. Spirit Fanfics >
  2. Melodia do coração (Boku no hero ) >
  3. Linguagem corporal (Episódio 48)

História Melodia do coração (Boku no hero ) - Capítulo 48


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem meus amores! ❤️❤️
Finalmente o tal momento de ambos!

Capítulo 48 - Linguagem corporal (Episódio 48)


Fanfic / Fanfiction Melodia do coração (Boku no hero ) - Capítulo 48 - Linguagem corporal (Episódio 48)

"Queríamos ser épicos, heroicos, românticos, descabelados, suicidas, porque era duro lá fora fingir que éramos pessoas como as outras."


A mesma tentava a todo o custo acompanhar o garoto que corria bastante rápido, ela se perguntava de onde ele sacou tanta energia do nada?. 

Talvez ela apenas estivesse destreinada, ela não queria perder esta corrida que parecia uma competição entre os dois que nem um nem outro iria deixar o outro passar na sua frente. 

Assim que começaram a correr lado a lado o garoto nada dizia apenas se escutava o barulho dos pés contra o chão duro e suas respirações afegante e o suor começava a escorrer pelo pescoço da garota que sentia seu corpo seder aos poucos necessitando não se descanso mas sim de algumas gotas de água. 

Seus lábios estavam secos pôr a mesma estar respirando pela boca e não pelo nariz como deveria, porém o cansaço da competição a deixava afegante incapaz de respirar de forma correta. 

Bakugou: Vai desistir garota?

O mesmo falou assim que notou que a mesma fazia uma leve careta de dor ou talvez cansaço, a mesma encarou o mesmo com uma expressão que indicava que a mesma estava necessitando alguma coisa.

Ela parou de correr baixando seu corpo para poder recuperar seu fôlego que não era fácil de recuperar já que os dois estava já correndo por uns 45 minutos sem nem um nem outro trocar qualquer palavras mesmo que ambos quisessem muito falar porem de momento ninhum teve essa iniciativa. 

Bakugou viu a mesma de cabeça baixa mãos nos seus joelhos respirando afegante, ele mesmo foi até algum lugar bem rápido que a garota não notou o mesmo indo até a máquina de bebidas, havia várias pela escola era fácil pegar uma água ou seja o que fosse.

Bakugou: Oi!! Pense rápido!

Ele mesmo jogou a garrafa de água na garota que teve reflexos rápidos para a pegar e olhar o mesmo que estava suado e com uma expressão um tanto sexy? 

Pensar nisso a deixou bem desconfuratvel nesse caso apenas abriu a garrafa enquanto o encarou que ele mesmo usava sua blusa negra para poder limpar partículas de suor da sua testa revelando um pouco de seus abdominais que a mesma já tinha visto algumas vezes porém mesmo coberto de suor o mesmo podia ser sexy?

Como alguém suado poderia ser atrativo dessa forma? Seria seus cabelos loiros colados em sua testa? Seus olhos carmesim que a olhavam ou seu rosto levemente corado pelo exforco físico? 

Ana: Quase bateu na minha cara!

Ela resmungou para o mesmo que apenas respondeu com um sorriso de canto ele a olhava e o mesmo a olhava agora bebendo de sua garrafa, ela estava de olhos fechados com seus lábios rosados tocando na garrafa entre seus lábios deixando o líquido molhar sua garganta seca. 

Uma gota solitária escorregou pelo queixo indo até o pescoço e se escondendo no peito da garota e o mesmo acompanhou esse movimento com olhos atentos meio que se amaldiçoado pôr fazer o que estava prestes a fazer.

"Eu queria ser invisível, para em seu quarto entrar e no silêncio da noite, teus lábios beijar."

O mesmo se aproxima lentamente da mesma vendo ela parar de beber a água e ele mesmo segurar na garrafa tocando nas mãos macias da mesma, ela meio que ficou confusa mas continuou o olhando vendo o que ele iria fazer. 

Com olhos presos nos dela o mesmo colocou a garrafa em sua boca bebendo o líquido fresco da mesma ainda com sua mãos sobre a da garota platinada que o olhava de olhos arregalados porém analisando a expressão que o mesmo fazia de relaxado pôr se hidratar. 

Assim que os lábios de bakugou se soltaram da garrafa ele olhou para a mesma retirando a garrafa da mão da mesma que tremia um pouco e ele tapou a mesma olhando a garota perigosamente perto dela que sentiu seu coração saltar não só pelo exercício mas pôr tê-lo tão perto daquele jeito. 

Bakugou: Foi nosso beijo indireto Nerdezinha! 

Com a maior confiança do mundo ele soltou aquelas palavras que pareceram como bombas caindo sob a mente da mesma que pôr momentos ficou completamente branca o escutando e repetindo a frase do mesmo várias vezes em sua mente. 

"Foi nosso beijo indireto Nerdezinha!" 

"Foi nosso beijo indireto Nerdezinha!" 

Ela engoliu em seco para poder falar de novo, apesar de ter bebido agua ela nunca sentiu sua garganta tão seca como naquele instante! 

Ana: Herm? Bakugou? 

De novo! DE NOVO? 

O mesmo a olhou com a raiva em seus olhos se aproximando de forma perigosa que a assustou, ela viu que algo o deixou agitado mas ela não fazia a mínima ideia do que pode-se ser. 

O mesmo faz a mesma bater contra a parede bruscamente a prendendo nela com seus braços fortes e seus olhos ferozes como um autêntico predador, se Bakugou não fosse um heori seus olhos poderiam pertencer ao mais poderoso vilão! 

Bakugou: De novo? Heeee? 

A confuso invadiu a garota que não intendeu aquela fala dele, as vezes parece que ele fala pôr códigos ou algo do género. 

Ana: De novo o que? Baku-HAAAAA

A mesma gritou sentindo um soco na parede atrás de si que o mesmo tinha dado se controlando para não ter explodido a mesma parede acizentada atrás dela. 

Bakugou: Você pode parar? Pode PARAR DE ME CHAMAR DE BAKUGOU? JÁ NÃO SOU TÃO PRÓXIMO DE VOCÊ É ISSO? 

O mesmo não dava tempo da mesma fazer qualquer questão para o mesmo suas palavras saiam com a mesma velocidade que sua raiva visível nos seus olhos carmesim. 

Bakugou: VOCÊ SIMPLESMENTE SE ESQUECEU? OU O BEIJO DAQUELE MEIO MEIO FEZ VOCÊ GANHAR AMENEZIA? 

Ele? Como? Ele sabia de alguma coisa, como ele podia ter visto aquele beijo entre ela e Shoto? Afinal aconteceu no quarto dela não tinha como ele ter visto! 

Ana: Co-como você? 

Ela falou tentando não irritar mais o Loiro que parecia prestes até a explodir ela em segundos caso ela falasse algo errado contra ele! Mas ele nunca a machucaria, apesar da sua raiva imensa e seu problemas com essa emoção ele não deixaria se levar por ela e machucar a garota. 

Bakugou: Como eu sei? PORQUE EU VI CARALHO!! 

Ana o olha agora nos olhos agora se irritando com o tom de voz contra ela que era totalmente injusto ele falar dessa forma! 

Ana: E como você viu? 

Bakugou parou pôr segundos antes de afastar seu olhar do dela olhando pôr segundos o outro lado antes de voltar a olhar para ela, ambos estavam no campo de treino sozinhos apenas os dois contra uma parede. 

Bakugou: Tsk! Eu ia convidar você para uma merda qualquer que eu já não lembro mais! 

Falou no meio de vergonha com raiva, baixando seu tom de voz talvez pôr se sentir embaraçado pôr fazer aquela confissão na frente dela, porém ele continuou a olhando nos olhos escorregando seus olhos para os lábios da mesma e Ana olhou os de Bakugou também. 

Ele mesmo se afastou da mesma revirando seus olhos desalinhando seu cabelo se sentando no chão não a olhando de novo enquanto ela parou pôr instantes mas seguiu o mesmos movimentos que ele se sentando do seu lado.

O que ela poderia dizer num momento como aquele? 

O que ele queria com tudo aquilo? 

Ana: Ba- digo... Katsuki onde quer che--

Bakugou: Têm alguém que você gosta? 

Ele falou sem a olhar ainda bem que sim pois a coloração vermelha da mesma estava presente em seu rosto já dês do ocorrido com a garrafa de água que podia ser valiosa para a mesma tentar se suicidar com ela de tanta vergonha que sentiu. 

Ana: Bom.... Eu não sei ao certo..., muita coisa se passou e eu não tive muito tempo pensando nisso.... 

A mesma falou se relembrando de Toya pôr momentos, se perguntando como ele estaria, se não fosse aquele barulho talvez ela tivesse perdido muito mais que seu primeiro beijo com ele, e talvez tivesse sido bom eles terem sido parados, e não terem se levado por desejo talvez. 

Bakugou: Pois.... Mas ainda bem que aquele merdas foi preso! 

Ele falou com raiva em sua voz falando de Sigurd que fora levando para uma prisão de alta segurança que nem o próprio All for one, tão cedo não ouviram falar dele ou talvez nunca mais, já a mãe adoptiva finalmente se livrou de um homem como aquele que nem chorou a morte da própria filha biológica! 

Ana nada disse apenas permaneceu calada perante o grande Bakugou Katsuki que se encontrava do seu lado calado e calmo pôr uma vez na vida, ele parecia estar pensativo em algo que ela nem podia imaginar. 

"Em cada momento, um instante, Em cada instante, uma afirmação. Em cada afirmação, uma certeza de que jamais tiraria você do meu coração."

O mesmo olhou para a mesma tocando em seu rosto aproximando deste ela nada fez ou recuou apenas o encarava da mesma forma que ele fazia. 

Bakugou começou a deitar a garota no chao ficando no topo da mesma com seu olhar carregado de um sentimento que ela não podia saber qual seria pois nem ela sabia o que estava havendo com ele ou com ela mesma. 

Um dedo tocou o rosto da mesma passando pelos lábios da mesma causando um arrepio pela espinha da garota que apenas o encarava de forma intensa, porém frágil para ele no chão. 

Bakugou: Se quiser que eu pare me bata! 

Ela não percebeu o porquê da fala do mesmo até sentir os lábios macios do loiro se tocarem com os dela se tornando um só naquele intande, uma mão do mesmo tocava o rosto desta junto com seus fios de cabelo entre seus dedos. 

O mesmo pediu passagem com a sua língua e a mesma mesmo com receio aceitou e aí começou um beijo muito mais desenvolvido causando a mesma agarrando os cabelos da nuca de Bakugou que arfou com a atitude da mesma que o fez sorrir de canto durante o beijo, ele segurou as pernas da mesma as colocando em sua cintura assim se levantando com ela a colocando contra a parede arrancando outros arfares deles mesmos sentindo seus corpos praticamente gritando um pelo outro. 

O beijo se tornou mais intenso enquanto as mãos do loiro iam até a bunda da garota apertando com força, a mesma soltou um leve gemido ao senti-lo fazendo isso e aí ele a olhou meio corado com o som vindo de sua boca porém o sorriso de canto dele fora visível. 

Bakugou: Aposto que o beijo do meio meio não te fez, fazer esse barulhinho não estou certo? Nerdezinha? 

Ele sussura o Nerdezinha no ouvido da mesma antes de atacar o pescoço da mesma e o morder é no lugar mais escondido possível ele colocou um forte chupao no osso do colar da garota. 

Ele estava perdido pôr ela, ela poderia dizer o mesmo. 

Mas é assim que a adrenalina deles terminasse? 

Como poderiam olhar um para o outro normalmente sem sentir aquele constrangimento imenso do que ocorreu neste treino nada planeado pôr ninhum dos dois!? 

Na realidade nada disso estava importando para os dois, eles estavam completamente perdidos em seus corpos, deixando eles mesmos falarem pôr eles mostrando o quanto eles sentiram falta um do outro d eu a forma completamente de todos esses romances clichés que se vê pôr aí! 

Juntos eles seriam capazes de criará uma explosão! 


"Se toda vez que eu fechar os os olhos, ganhasse um beijo seu, fecharia os olhos eternamente."


Continua.... 





Notas Finais


Bom~~~ o que será que vêm por aí? Hmmmmm? 🧐🤫


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...