História Melody - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Denki Kaminari, Eijirou Kirishima, Hanta Sero, Izuku Midoriya (Deku), Katsuki Bakugou, Mina Ashido, Ochako Uraraka (Uravity), Personagens Originais, Tsuyu Asui
Tags Boku No Hero, Dekuraka, Izuocha, Kiribaku, Midoraka, Midoriya Izuku, My Hero Academia, Ochako Uraraka
Visualizações 28
Palavras 1.433
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Eles precisam de mim


Três semanas haviam se passado desde que Izuku havia se unido a banda, o nome havia sido alterado para Four Seasons e, convenientemente, Izuku estava se dando muito bem com Ochako. Desde então, a morena passava mais tempo na garagem de Katsuki e os ensaios se tornavam cada vez mais recorrentes. 

– Eu estou oficialmente morta – Mina comenta se jogando em um pufe presente no local – Quem diria que depois de achar um vocalista os ensaios ficariam tão cansativos... 

– É, cansativos, mas você ainda não ‘tá em sincronia com a gente. Até o Deku de merda já ‘tá nos acompanhando! – Katsuki diz raivoso, jogando uma garrafa plástica com água para a amiga de cabelos rosados. 

– Vou considerar isso um elogio. 

– Ung... – Ochako espreguiça os braços, deixando sua guitarra em um canto, e bocejando em seguida. 

– ‘Tá cansada Ocha? – Mina questiona encarando a amiga. 

– Você nem imagina, foi uma confusão naquele café hoje, o que, sinceramente, nem é mais novidade. O Hideki se estressou e derrubou o milkshake do cliente na cabeça dele, a Sakura caiu junto com os pedidos, o Sero ‘tava a ponto de ter uma crise com a quantidade de pedido acumulando e garçonete nova só fica mexendo no celular. 

– Não gosto daquele Hideki, ele é nervosinho demais ‘pro meu gosto – Os outros três encaram Katsuki, mas acabam escolhendo nem comentar nada pelo bem das suas vidas. 

– Eu não sabia que você trabalhava em um café Ochako. 

– Pois é, mas não sei por mais quanto tempo. A vontade de me demitir fica cada vez maior. 

– Então por que não se demite?  

– Tem um bom salário e meus pais precisam dele. Eles precisam de mim. 

– Eles... precisam de você? – O garoto de cabelos verdes diz em um tom em que apenas ele poderia escutar. 

– Shi!!! – Mina faz um barulho semelhante à de uma chaleira com o dedo indicador a frente da boca, interrompendo os outros dois. 

– O que foi?  

– Olha ali – A garota de cabelos rosas aponta para Katsuki que, estranhamente, sorria para o telefone enquanto conversava no mesmo andando de um lado para o outro em um canto mais afastado da garagem. 

– Isso é perturbador – Ochako comenta a respeito do sorriso do loiro. 

– Com quem será que ele ‘tá falando? Será uma namorada? 

– Isso eu não sei, mas com a tia Mitsuki ou com o tio Masuru com certeza não é – Izuku diz se lembrando das diversas brigas de família que havia presenciado. A famigerada noite da sopa assombrava seus pesadelos até os dias atuais. 

– Não idiota, eu- Eijiro!! Você o que?! Eu te disse ‘pra não vir hoje por que- não fode comigo, se você desligar na minha cara eu vou- filho da puta!!!  

– Quem era? Sua namorada?  

– Mina, desde quando Eijiro é nome de garota? 

– Vai saber, as vezes ela pode ter os pais muito sacanas. 

– É algum amigo seu Kacchan? – Izuku questiona ingenuamente, sem pensar em outras opções. 

– Não é da conta de vocês, agora vão ‘pra casa do caralho e se mandem!  

– Mas nós queremos conhecer a Eijiro-chan! – Imitando, e consequentemente irritando Katsuki, personagens de anime, Mina diz enquanto é emburrada até o portão da garagem. Mas, para a surpresa dos outros três e ódio de Katsuki, o portão se abre sozinho, revelando um belo garoto de cabelos ruivos presos em um rabo de cavalo. 

– Ah, não sabia que tinha visitas Ka. 

– “Ka?” – Ochako questiona achando estranho alguém ter tanta intimidade com Katsuki. 

– Me desculpe eu não me apresentei, eu me chamo Eijiro Kirishima! Eu sou- 

– Meu namorado – Katsuki diz com um tom nervoso em sua voz, que combinava bem com a expressão em seu rosto. Todos no local ficaram em completo silêncio, enquanto Mina, Izuku e Ochako permaneciam com um sorriso neutro em seus rostos. 

– Seu o que???!! 

– Puxa, quem diria que o Katsuki tinha um namorado – Ochako comenta enquanto andava pela rua ao lado de Izuku. Após a surpreendente revelação, o grupo foi basicamente expulso da casa de Katsuki, menos Mina, que se fixou na garagem e jurava não sair dali até ouvir tudo desde o início do relacionamento dos dois rapazes. 

– E um tão gentil ainda por cima. 

– Não é? A parte que me surpreendeu nem foi ser um garoto, mas sim alguém tão calmo.  

– Eu sinto pena do Eijiro, ele vai sofrer com as perguntas da Mina. 

– Sim, eu me lembro quando contei a ela que estava saindo com um colega do trabalho fiquei uma noite inteira detalhando como nosso relacionamento tinha começado. 

– A-Ah, é mesmo? E você ainda sai com esse colega? 

– Nah, ele acabou sendo demitido e quando eu falei que não iria me demitir junto, ele acabou fazendo birra e a gente terminou. 

– Que pena – Izuku diz com um grande sorriso em rosto, o que não condizia com suas palavras, mas Ochako resolveu não julgar. 

– É, então depois disso eu resolvi não me envolver mais com colegas ou amigos de longa data. 

– Sério? 

– Anham, imagina só: você namora com alguém que você conhece a algum tempo, é alguém que você se dá bem e tudo mais e que não quer perder a amizade, mas, por alguma razão, vocês terminam de uma forma que não seja saudável ‘pra nenhum dos dois. Seu relacionamento, não só o amoroso, desmorona. Você nunca mais vai poder se relacionar com aquela pessoa da mesma forma.  

– É... faz sentido – O olhar de Ochako se direciona para Izuku, que parecia estar estranhamente decepcionado. 

– Mas e você Izuku?  

– Eu? 

– É, a gente já se conhece a 3 semanas, e eu acho que a Mina está me infectando, tem alguém que você esteja saindo? Uma namoradinha, uma crush ou nas palavras do Kacchan, uma “foda fixa”? – Izuku começa a ficar vermelho ao ouvir aquelas palavras saindo de alguém de aparência tão adorável, ainda mais enquanto a morena sorria como se tivesse dito a coisa mais fofa do mundo. 

– U-U-Uma f-fo... e-eu- 

– Me desculpa, eu me esqueci que você era tímido – Ochako diz sorrindo para o garoto – Ung! Que frio... bom, já ‘tá anoitecendo então é compreensível. 

– Quer ir comer alguma coisa? Ia chamar o pessoal também, mas acho que eles ‘tão muito ocupados com o Eijiro agora haha. 

– Eu ia adorar, mas eu ‘tô mesmo muito cansada. Mas quando eu terminar de arrumar a minha casa eu chamo você e o pessoal lá em casa ‘pra gente assistir um filme e comer alguma coisa. O que acha? 

– ‘Pra mim ‘tá bom. 

– Ótimo, a gente se vê! – Ochako sai correndo, logo após dar um largo sorriso para o esverdeado, em direção a sua casa. 

– Tão fofa. 

– Estou em casa – O esverdeado diz ao adentrar sua casa e, após relembrar do quão movimentada a garagem de Katsuki estava, ver aquele lugar calmo o trouxe uma enorme sensação de vazio. 

– Zuzu! – Uma garota de longos cabelos loiros aparece pulando nas costas de Izuku. Já acostumado com essa atitude, o esverdeado se solta dos braços da loira e se vira para olha-la nos olhos. 

– Oi Melissa. 

– Como foi seu dia? Se divertiu com sua banda?  

– Anham. 

– Eu senti sua falta sabia? Você tem passado menos tempo comigo desde que entrou na... como é o nome mesmo? 

– Four Seasons. 

– É, isso. Sabe, eu estava pensando, o que acha de a gente sair em um encontro amanhã? 

– Não posso, você sabe que tenho ensaio as 17:00. 

– Eu sei, por isso teríamos nosso encontro à tarde, o que acha de 15:00? 

– Eu vou procurar um emprego amanhã, então não vou poder – Izuku diz retirando seu casaco, o jogando em cima do enorme sofá vermelho no centro da sala. 

– Poxa... você está tão seco ultimamente, nem parece que gosta de mim. 

– Eu-! 

– Izuku! Faça isso, por nós! Eu estou mandando! 

– Eu... 

– Zuzu?  

– Eu... gosto de você Melissa.  

– Eu sabia! Sabe... eu estou me sentindo muito carente ultimamente – A loira diz abraçando as costas de Izuku – Você podia me dar um pouco de amor e carinho as vezes, já que gosta tanto de mim. 

– ... Eu só vou tomar um banho... 

– Te espero no quarto! – Izuku vê Melissa sair correndo animada em direção ao quarto que ambos compartilhavam, soltando um longo suspiro depois. 

O quarto estava escuro, sendo iluminado apenas pelas luzes da lua e da cidade que vinham pela grande janela de vidro. Izuku olha de relance para a garota enrolada pelos edredons na cama e se lembra do que Ochako havia dito mais cedo naquele dia. 

– Tem um bom salário e meus pais precisam dele. Eles precisam de mim. 

– Eles precisam de você.... pelo jeito temos outra coisa em comum – O garoto de cabelos verdes diz encarando a cidade uma última vez, antes de voltar a se deitar. 


Notas Finais


Avisinho show: Bakugo e Melissa vão ser um pouco ooc(Bakugo menos que a Melissa pq eu estranhamente amo a personalidade nervosinha dele).


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...