História Memórias - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Hentai, Naruto, Sasusaku
Visualizações 334
Palavras 4.127
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente, essa one foi escrita a muito tempo, mais precisamente no dia 09/07/2015. Eu a postei em minha conta primaria, na época, Nora eram duas pessoas, por isso eu tinha minha conta pessoal que apenas usava para ler, um dia decidi escrever uma coisa sozinha, na época estávamos escrevendo SQR, ultima fic que nos tornava duas pessoas, desde essa fic, eu passei a escrever sozinha, Daniela Nicacio começou a ser mais ativa nessa conta, e deixou a principal de lado. Claro, isso no nyah! porque aqui, eu já usava essa conta, uma vez que a outra pessoa tem conta aqui.

Por isso a capa está como Daniela Nicacio. Mas deixo claro ser de minha autoria, tenho o documento do word com a data original de escrita, que é de 02/07/2015. Por isso aproveitem a leitura, decidi postá-la aqui, para deixar tudo num perfil só.

—Naruto não me pertence, mas sim a Masashi Kishimoto, somente os peguei emprestado. O enredo esse sim me pertence.
—Contém Hentai.
—Capa desenvolvida pela Srta Pezzino ♥
—Plagio é crime! Sujeito a punição...
—Fanfic sem fins lucrativos, escrita somente por diversão e para o entretenimento de outros fãs da série.

Capítulo 1 - Capítulo Único - Memórias


Capítulo único.

A paisagem continuava a mesma. Exatamente a mesma. Uma brisa leve soprava em Konoha, meus cabelos estavam balançando com essa brisa, mas eu não me importava. O Sol estava alto, poderia ser por volta das duas da tarde, não sei ao certo. As pessoas pareciam mais tranqüilas agora, depois que tudo teve o seu fim, mesmo com as terríveis mortes, o mundo shinobi finalmente encontrou sua paz. E eu... Depois de todos os problemas que causei, de todas as vezes que afastei aqueles que realmente se importavam comigo, eu percebi que nada daquilo fez sentido.

Acreditei numa mentira a maior parte de minha infância, afastei meus amigos para obter minha vingança, segui por um caminho tortuoso que me levou a beira da loucura, matei a única família que me restou e no final descobri que Itachi nunca teve culpa de nada, que aquilo foi somente uma forma de me proteger e que ele nunca deixou de me amar, assim como eu nunca deixei de amá-lo.

Tanta coisa aconteceu desde então, não sei ao certo o que pensar sobre tudo, somente que eu finalmente percebi que tudo, no final das contas, não foi em vão. Eu percebi que se eu não tivesse feito metade das coisas que eu fiz, eu não teria descoberto a verdade que envolvia Itachi, nem perceber aqueles que realmente se importavam comigo. Iria estar pensando em como todos eles queriam receber a minha atenção e todos seriam irritantes... Não que isso tenha mudado, de fato.

Kakashi, o homem que sempre tentou abrir meus olhos para o mundo, o homem que me treinou e me ensinou o Chidori, aquele que muitas das vezes eu disse palavras duras e joguei na cara que não me significava nada... Claro que tudo não passava de uma mentira. Kakashi é uma das pessoas que eu mais admiro e respeito, mesmo que não pareça. Ele sempre me aconselhou nos momentos em que eu precisei, mesmo sem nunca pedir nada, sempre me apoiou.

Naruto, meu melhor amigo e quase irmão. Que nunca desistiu de mim, sempre lutou por mim, mesmo quando eu mesmo já achava que não tinha mais salvação. Não me abandonou e lutou comigo para me impedir, todas às vezes... Mesmo se nesse processo tenhamos perdido algo, pessoas e até mesmo parte de nossos corpos, mais precisamente um braço. Naruto sempre esteve comigo nos momentos mais difíceis de minha vida, e mesmo que eu nunca o tenha agradecido, ele sabe o quão grato eu sou por sua amizade.

E finalmente, ela... Sakura. A garota irritante que ficava atrás de mim, tentando atrair minha atenção sendo irritantemente prestativa, chegando às vezes a ser inconveniente. Tentou me impedir de ir embora, mesmo quando eu precisava de minha vingança. Mesmo quando eu a afastava e dizia palavras duras, ela me amou verdadeiramente. Sakura que sempre quis me alcançar se esforçou para se tornar uma ótima médica ninja, e se tornou uma mulher forte. Mas nunca desistiu de mim, mesmo quando ela queria que eu entendesse isso. Ambos seguimos por um caminho tortuoso e doloroso, mas mesmo assim ela não desistiu de mim, mesmo quando todos o fizeram. Ela acreditou em mim, e mesmo depois de tudo me perdoou. E foi ali, que eu desisti de tentar afastá-la de vez, e deixei meus sentimentos fluírem.

Mas mesmo depois de tudo isso eu tinha que sair em minha jornada de redenção. Eu precisava conhecer o mundo, ou simplesmente reconhecê-lo, perceber como as pequenas coisas são importantes, como cada coisa tem seu lugar no mundo e mesmo que pudesse parecer estranho eu vi, e alcancei aquilo que eu queria. Vi pessoas em suas vidas pacatas, conheci lugares novos e voltei a locais antigos, os vendo com outros olhos dessa vez. Procurei ajudar aqueles que eu encontrava, e mesmo que não parecesse eu me sentia feliz por estar fazendo aquilo. E depois de algum tempo eu retornei para aqueles que sempre me receberiam de braços abertos.

Flashback on.

— Seja bem vindo de volta Sasuke — Kakashi disse me dirigindo um sorriso, escondido pela mascara. Ele estava assinando alguns papeis e ele havia comentado sobre serem os últimos que assinaria, não prestei muita atenção no motivo, afinal eu estava com a atenção na sala do Hokage — Como foi à viagem?

— Bem — eu disse o olhando sério. Ele não esperava que eu contasse tudo o que eu fiz nesse tempo fora, certo? A sala do Hokage estava estranhamente arrumada, o que para mim era muito estranho – se tratando de Kakashi -, mas ao mesmo familiar. Lembrava-me da época do terceiro, época em que tudo era mais fácil.

— Continua o mesmo... — ele disse balançando a cabeça para os lados, dando um leve suspiro desapontado. Afinal o que ele esperava? — Bem, você veio para saber onde irá ficar, certo? — ele perguntou me olhando, parecia levemente ansioso, mas eu ignorei isso, somente assentindo para sua pergunta — Tem um apartamento próximo daqui, acho que vai gostar. Fica próximo do centro, e não é longe dos locais mais freqüentados pelos jovens... — eu somente revirei os olhos, não ligava para nada daquilo, somente queria uma casa para chamar de lar.

Do lado de fora, o som de passos se fez presente, alguém parecia correr para onde estávamos. E logo a porta da sala do Hokage fora escancarada por ninguém mais que Uzumaki Naruto — Sabia que você estava aqui, teme! — Naruto disse entrando e fechando a porta com um estrondo. Seu sorriso mostrava todos os dentes e ele me olhava feliz, assim como sempre fora. Eu revirei os olhos, nunca cresce esse garoto, mas estava feliz em revê-lo depois de tanto tempo.

— Não haja como se eu não houvesse mandado chamá-lo, Naruto — Kakashi disse revirando os olhos, e Naruto o olhou emburrado. Eu achei a cena um tanto quanto engraçada, será que nada mudaria naquele local? — Onde está Sakura? — ele o olhou de forma curiosa, em vista que não havia um corpo feminino ali, o que eu também estranhei. Pensei que Sakura seria a primeira a me receber... Parece que isso mudou.

— Sakura-chan estava muito ocupada no hospital — Naruto começou a falar se dirigindo para a cadeira ao lado da minha — Ela iria participar de uma cirurgia muito importante e disse que depois desejaria as boas vindas ao Sasuke — ele me olhou e deu de ombros.

— Compreendo — Kakashi entrelaçou os dedos à frente do rosto — Bem, acho que vocês não têm mais nada a tratar comigo, preciso terminar com esses papeis o quanto antes — Kakashi novamente mexeu nas folhas que assinava anteriormente — Podem ir — e me estendeu a chave do apartamento.

— O endereço — eu disse o olhando.

— Naruto sabe onde é — e apontou para o loiro que já me aguardava na porta. Somente assenti e me retirei da sala do Hokage.

Seguimos em silêncio até a saída do prédio do Hokage, porém meus pensamentos estavam em uma garota de cabelos rosados... Eu entendo que ela tenha suas funções no hospital, mas ela não poderia ter deixado outra pessoa fazer aquilo e vir me ver? Sei que pode parecer besteira minha, mas eu me acostumei a ser o centro do universo de Sakura, e perceber que eu não o era mais, me assustava.

— Teme, essas suas roupas são engraçadas, — Naruto disse apontando para o poncho que eu usava e para a faixa em minha cabeça — precisa trocar isso urgentemente! — ele estava segurando o riso, mas nem ligo... No fundo eu sentia falta da implicância de Naruto.

— Calado — eu disse o olhando sério. Ele somente me mostrou um sorriso e seguiu por uma rua. Eu conhecia aquele lugar, era um conjunto de apartamentos que alguns ninjas alugavam... Aquilo me trazia recordações.

— Sakura-chan e eu arrumamos o lugar, por isso está tudo certinho — Naruto disse quando subíamos as escadas — Só colocar suas coisas e pronto, lar doce lar — ele disse abrindo uma porta e me dando passagem. O apartamento era simples, nada demais para ser sincero. Porém só aquilo me fazia sentir-me em casa — Nós não mudamos nada, Sakura-chan disse que você iria gostar assim.

Eu somente assenti e coloquei minha bolsa sobre a mesinha de centro. Andei pelo apartamento, ele estava bem limpo e arrumado, tinha um quarto grande, uma sala, uma cozinha e um banheiro. Simples, mas aconchegante. Naruto foi embora para me dar privacidade, alegando ir encontrar com Hinata para almoçarem. Fiquei feliz que as coisas estavam se encaminhando para ele.

Tomei um banho e coloquei roupas limpas, sem o poncho e a faixa dessa vez, eu precisava de roupas novas. Com esse pensamento segui para a costureira de Konoha e encomendei várias roupas com o símbolo de meu clã; Após isso eu decidi dar uma volta por Konoha, relembrar do lugar que foi meu lar durante a infância.

Fui a vários lugares, e alguns me pareceram diferentes, outros extremamente iguais, o que me trouxe muitas recordações. Andei praticamente por Konoha inteira e no final da tarde, já para o inicio da noite eu me sentei em um dos vários bancos naquela rua, mas ele me parecia extremamente familiar. Flashes passaram em minha mente e eu me lembrei daquele fatídico dia, o dia em que eu saí de Konoha. Aquele banco tinha tanto significado em minha vida, que era algo estranho. Pelo menos para mim...

— Não esperava te encontrar aqui — a voz feminina se fez presente e atraiu minha atenção para ela. Sakura estava com os cabelos presos e usava suas roupas comuns, de seu clã. Ela me deu um leve sorriso e se sentou ao meu lado há uma distância segura, ela não me olhou a principio o que eu estranhei, mas não disse nada — Passei em seu apartamento e você não estava — ela começou a falar, me olhando de canto de olho — Naruto disse que te viu vir por aqui... — ela ficou quieta por um tempo e depois me olhou — Eu duvidei, sério...

Revirei os olhos. Ela parecia tão nervosa, parecia querer sair correndo de minha presença, mas ao mesmo tempo ela parecia tão à vontade que eu não entendia isso nela. Seu rosto continuava a mesma coisa, a única mudança era aquele losango em sua testa, que devo admitir deu um charme a mais a ela, mas disso ela não precisa saber. — O que achou do apartamento, Sasuke-kun? — ela perguntou depois que ficamos um tempo em silêncio.

— Eu gostei — eu disse dando de ombros. Era verdade, eu havia gostado dele. Sakura assentiu ao o que eu disse e olhou para frente, focando o olhar em um ponto qualquer — Como foi no hospital? — eu a perguntei baixo, e ela me olhou surpresa, talvez porque achou que eu fosse ignorá-la.

— Um pouco estressante — ela disse dando um suspiro — Mas deu tudo certo no final — e deu um leve sorriso. Ela parecia estar cansada, estava visível em seu semblante. Porém eu queria ficar mais um momento conversando com ela, de todos, Sakura foi à única que me aceitava como eu era, assim como Naruto e Kakashi. Eu me levantei e ela me olhou em dúvida — O que foi?

— Estás cansada — eu disse a olhando sério. Estava mais do que claro para mim que ela queria dormir, não sei se me sentia feliz por ela estar fazendo um esforço para estar comigo, ou se me sentia um lixo por forçá-la a isso – mesmo que eu não tivesse culpa de nada.

— Um pouco — ela disse se levantando e dando um leve espreguiçar — Mas é melhor eu descansar, amanhã eu trabalho novamente — ela me deu um leve sorriso e me olhou nos olhos — Podemos marcar de comer todos juntos no Ichiraku como nos velhos tempos...

— Hm.

— Ora, você poderia pelo menos responder um “sim, Sakura” — ela disse emburrada e revirando os olhos. Eu achei graça quando ela engrossou a voz simulando a minha, mas ela não saberia disso — Mas tudo bem, não irei insistir — ela disse dando de ombros.

Eu a olhei levemente irritado, ela deveria ter entendido a resposta, ela só pode estar me testando... — Ok, Sakura — eu disse revirando os olhos e ela sorriu, mostrando todos os dentes.

— Amanhã eu falo com o Naruto — ela disse alegre, parecia realmente feliz — Já vou... — ela disse olhando pro caminho que se estendia atrás de mim, seria o mesmo que eu iria, por isso me virei e passei a andar, ela passou a caminhar ao meu lado, entendendo que eu a acompanharia.

Eu percebi que por onde passávamos Sakura chamava muita atenção, mas ela não parecia se dar conta, ou se importar com isso. Mesmo que eu não quisesse a minha mente passou a se perguntar como seria se eu não tivesse voltado... Sakura já estaria casada?

— Sasuke-kun — a voz dela me despertou de meus devaneios. Eu a olhei de forma curiosa e ela me dirigiu um sorriso — Nos separamos aqui, até amanhã — ela disse seguindo por outro caminho e me deu um tchau com a mão.

Realmente, Sakura mudou muito e tudo isso me parecia muito estranho... Eu havia me acostumado com Sakura querendo minha atenção todo o tempo que estávamos juntos, tentando estar comigo... Mas agora, está tudo diferente, Sakura não parece querer mais estar comigo o tempo todo e nem querer mais minha atenção... Tudo isso me deixa frustrado. O ponto cor de rosa já estava longe na rua e eu continuava ali a olhando, me virei e passei a seguir em direção a meu apartamento.

— Irritante.

Flashback off.

Porém depois de tudo isso eu e Sakura passamos a nos aproximar e pouco tempo depois estávamos em um relacionamento. Era estranho para as pessoas ao nosso redor nos ver andando juntos, sem estar como os outros casais – de mãos dadas, ou abraçados -, mas Sakura não se importava com nada disso. Eu nunca precisei dizer a ela o tempo todo que a amo e nem mostrar para todos os meus sentimentos, Sakura sabia disso e isso para mim era o importava.

Sakura sempre entendeu que eu não gostava de demonstrações públicas de afeto, mas não quer dizer que eu não seja carinhoso com ela. Quando estamos sozinhos, em nossa privacidade, eu me permito ser aberto com Sakura... Mostrar a ela, um lado que somente Sakura desperta em mim. Mas não foi tão fácil assim no começo de nosso relacionamento.

Flashback on.

As coisas mais importantes não estão escritas num livro, é preciso aprendê-las vivenciando-as sozinho, Sasuke-kun — Sakura disse sentada em minha cama, ela havia chegado há pouco mais de quinze minutos, enquanto eu estava lendo algumas coisas sobre meu clã. Eu a olhei curioso, afinal, porque ela disse aquilo do nada?

Eu estava apoiado na cabeceira da cama e Sakura estava sentada apoiada na parede, no final da cama. Ela estava próxima da porta do quarto que ela tinha fechado. O quarto era bem simples, mas tinha tudo o que eu precisava. Uma estante com livros e pergaminhos, uma cômoda, um guarda-roupa e minha cama.

— Porque diz isso, Sakura? — eu perguntei olhando para o rosto dela, ela parecia contrariada com alguma coisa, mas talvez ela não quisesse dizer.

— De uns tempos para cá, você vive lendo as coisas de seu clã — ela disse apontando para os rolos de pergaminho e alguns livros que estavam jogados pela cama — Mas, tudo o que tem aí você já vivenciou de alguma maneira. Seja agora em Konoha, em sua viagem de redenção ou quando você estava com Orochimaru — ela deu um leve suspiro — Eu somente acho que ler tudo isso não vai mudar muita coisa — e deu de ombros.

Eu a olhei e balancei a cabeça de forma negativa, colocando o livro ao meu lado. Porém talvez Sakura tivesse razão, até onde eu havia lido, eu já estava familiarizado com aquilo de alguma forma. Eu a olhei e ela estava com um dos pergaminhos em mãos, mas logo o largou. Nós já estávamos namorando há algum tempo, quase um ano. Mesmo com nossos tempos corridos – ela com o hospital e missões e eu com as missões – dávamos um jeito de estarmos juntos.

— Certo você está ocupado agora, por isso vou para casa, — ela disse se levantando, atraindo minha atenção para ela. Sakura se aproximou e me deu um selinho rápido. Sério mesmo que ela vai embora? — tchau, Sasuke-kun — ela disse se virando para seguir até a porta quando segurei seu pulso.

— Aonde vai, Sakura? — eu perguntei quando ela me olhou confusa. Eu a puxei a fazendo se sentar em meu colo. Sakura ficou vermelha no mesmo instante e eu queria rir da cara dela, mas não o fiz.

— Você está ocupado Sasuke-kun, — ela disse ainda envergonhada — eu volto outra hora, quando não estiver ocupado — ela disse olhando para as mãos dela, porém não se levantou.

— Não estou mais — eu disse a obrigando a me olhar nos olhos, Sakura estava muito envergonhada e eu a achei muito fofa nesse momento, mas não diria a ela, é algo que eu quero guardar para mim. Na verdade eu queria muito beijá-la e por isso eu fiz o que queria.

Sakura me retribuiu, como sempre. Eu gosto da sensação que o beijo de Sakura causa em mim, sempre carinhosa, mas ao mesmo tempo um pouco mais ousada. A forma como ela bagunça meu cabelo e como me olha depois quando nos separamos; pequenas coisas que para mim tinha muito significado.

Ela me olhou de forma envergonhada, mas ela parecia decidida em alguma coisa. Sakura se levantou e se ajeitou melhor sobre meu colo, posicionando suas pernas uma de cada lado de minha cintura. Seu rosto tão vermelho quanto um tomate e eu gosto de associá-la a tomate, com as mãos um pouco tremulas, Sakura envolveu meu rosto e me beijou novamente. 

Eu a envolvi com o único braço que tinha a puxando mais próxima de meu corpo, eu havia entendido o que Sakura queria me passar, mas será que ela já estava pronta? Por ter sido ela a tomar a iniciativa, ela deseja tanto quanto eu. Sakura soltou um leve gemido de surpresa durante o beijo, e eu acabei dando um sorriso.

— Você tem certeza disso, Sakura? — eu perguntei quando nos afastamos. Ela me olhou com as bochechas muito coradas, mas assentiu. Eu joguei tudo que estava sobre a cama no chão, depois recolheria tudo. Levantei-me com Sakura em meu colo a apoiando com meu braço e a deitei na cama.

A forma como Sakura estava, com certeza guardaria aquela imagem para sempre em minha mente. As bochechas coradas, os olhos verdes pareciam brilhar e ela me olhava em expectativa, os fios cor-de-rosa espalhados pelo travesseiro. Uma imagem linda. Uma imagem que somente eu poderia ver, sem dúvidas.

Eu me posicionei sobre ela e a beijei novamente, para deixá-la mais tranqüila. Eu sentia Sakura um pouco nervosa, mas nada que ela não se acalmasse com o passar dos minutos. Ela logo me envolvia novamente, suas mãos no meio do meu cabelo, acariciando os fios da forma que só ela sabia fazer. Eu me afastei e passei a tirar a camiseta dela, claro que ela me ajudou, afinal eu sabia fazer as coisas em mim com um braço só, não em outras pessoas, mas iria aprender.

Eu me senti levemente envergonhado ao vê-la só de sutiã, mas em algum momento iríamos dar esse passo, ela retirou o sutiã de forma muito envergonhada e eu a achava cada vez mais encantadora. Ela cobriu o rosto quando terminou de retirar o sutiã e eu sorri — Estou com vergonha Sasuke-kun — ela disse sem me olhar.

— Não precisa — quando eu falei Sakura me olhou e eu mostrei um sorriso de canto para ela, lhe passando segurança. Ela pareceu mais confiante e retirou os braços da frente, eu retirei o short dela e ela ficou somente com a calcinha. Retirei também minha camiseta, ficando somente com a calça. Eu a olhei e ela assentiu, me aproximei de seu seio e o envolvi com a boca, a respiração de Sakura mudou um pouco, ficando mais forte.

Eu sugava e lambia o bico do seio dela, alternava entre os dois. Novamente Sakura enfiou as mãos entre meu cabelo e os puxou levemente, devo admitir que gostei da sensação. Eu apoiei o peso de meu corpo no meu quadril e no que sobrou de meu braço esquerdo, descendo minha mão direita em direção a sua intimidade, sem me afastar do seio dela. Enfiei minha mão naquele pedaço de pano e passei a estimular o clitóris dela com os dedos.

O gemido que recebi em resposta me estimulava a continuar, por isso coloquei um dedo na intimidade dela a estimulando, depois um segundo e um terceiro dedo. Eu sentia a intimidade dela me repelir e sabia que Sakura era virgem, aquilo me deixou muito feliz, afinal os Uchihas quando amam, amam mesmo e odeiam dividir. Eu me afastei do seio de Sakura e a olhei. Ela me olhava de forma desejosa, mas o rubor de suas bochechas não sumia dali; eu a beijei novamente. Eu sentia minha ereção ficar incomoda e eu sabia que se continuasse assim, Sakura iria gozar e eu queria que ela o fizesse, por isso intensifiquei o movimento de meus dedos e poucos instantes depois eu sentia meus dedos mais molhados.  

Afastei-me dela e retirei minha calça e minha cueca. Sakura me olhou muito envergonhada e eu me senti assim também, mas não deixaria a timidez me dominar. Eu me posicionei entre as pernas dela e esperei — Está tudo bem, Sasuke-kun — ela me dirigiu um sorriso e colocou as mãos em meus ombros. Eu me forcei sobre ela, sentindo o corpo de Sakura me repelir, ela apertou meus ombros com certa força, mas não me importei. Logo eu havia conseguido “vencer” aquela barreira e esperei um pouco.

Logo o aperto diminuiu em meu ombro e eu me movimentei. Era um pouco ruim ter que me apoiar em um único braço, mas eu sabia que com o tempo eu conseguiria melhor. Sakura estava de olhos fechados, mas sua expressão não era de dor, o que eu achei bom. Sakura me empurrou pelos ombros me fazendo parar e olhá-la confuso. Ela se sentou e fez eu me sentar, sem dizer nada. Quer dizer, até ela se posicionar sobre mim.

— Eu percebi que estava incomodo Sasuke-kun — ela disse me olhando nos olhos. Ela desceu sobre mim e passou a cavalgar, a apoiei com meu braço direito. Sakura envolveu-me pelos ombros e me deu um beijo no pescoço. Eu a puxei para trás e a beijei, Sakura parecia estar cansando por isso a deitei novamente. Distribui beijos pelo pescoço dela e eu sabia que logo eu iria gozar. Sakura me abraçou apertado, e me beijou novamente, não me segurei mais e acabei gozando. Soltei meu peso sobre Sakura e ela me acariciou nos cabelos.

Nossas respirações estavam aceleradas, e nossos corpos levemente suados. Mas eu estava feliz, porque finalmente havíamos fortificado nossos laços. Sakura continuava me acariciando nos cabelos e já estava tarde — Você vai dormir aqui — eu disse a olhando, ela somente me dirigiu um sorriso e assentiu. Aconcheguei-me a ela novamente, e logo dormi.

Flashback off.

Ali, naquele dia, foi a primeira vez que nos amamos e foi à primeira noite que dormimos juntos, dividindo uma cama. Pouco tempo depois eu a pedi em casamento. Apesar de não demonstrar com muita freqüência e não dizer com todas as letras, eu amo Sakura e ela sabe disso. Por isso não me importo que os outros digam que eu não a amo, desde que ela não duvide eu não me importo. O Sol estava agora mais baixo, já perto da hora de se pôr. Quanto tempo passei sentado nesse banco?

Todas as vezes que eu queria pensar, eu me dirigia até aquele banco. O banco que eu deixei Sakura adormecida quando eu parti da vila, o lugar que ela se declarou para mim de forma clara e que presenciou a minha despedida para ela. Algo que aconteceu há tanto tempo, mas ainda continua vivo em minha mente. Acho que já está na hora de voltar para casa, Sakura e Sarada devem estar preocupadas.

— Querido? — a voz dela se fez presente e eu olhei na direção que vinha. Sakura me dirigiu um sorriso e se aproximou, se sentando ao meu lado direito — Naruto estava te procurando — ela disse se apoiando em mim de forma leve.

— Ele continua um idiota — eu disse passando meu braço pelos ombros dela. Sakura me olhou de forma carinhosa, forma como só ela sabe me olhar — Depois eu falo com ele, não deve ser nada de muito importante, já que ele não mandou um ANBU — e dei de ombros.

Sakura apoiou a cabeça em meu ombro e assentiu — Você realmente gosta de ficar aqui — ela disse dando um sorriso.

Eu realmente gosto desse lugar, afinal foi aqui que as memórias mais preciosas que guardo começaram, cada uma mais importante e preciosa que a outra, e todas elas envolvem você, Sakura.


Notas Finais


Espero que tenham gostado ♥
O link, caso queiram averiguar: https://fanfiction.com.br/historia/630118/Memorias/
Bjos bjos *3*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...