História Memories of a Past - Capítulo 67


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nino, Personagens Originais, Sabine Cheng, Tom Dupain
Tags Bipolaridade, Drama, Família, Passado, Romance, Suspense
Visualizações 96
Palavras 1.869
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Hentai, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpa os erros..

Capítulo 67 - Capítulo LXVII


Marinette On

Acordo pela manhã com um carinho muito gostoso nos meus cabelos, realmente não queria acordar tão cedo.

Abro meus olhos lentamente e vejo Adrien sorrindo sem amostrar os dentes para mim, enquanto acariciava meus cabelos de leve e indo para meu rosto. Sorrir também, me espreguiçando melhor, eu me sentia bem com ele aqui, eu finalmente tive uma noite de sono merecida e sem nenhuma ressaca.

- Bom dia gatinho. - digo, tocando no seu rosto e me aproximando mais tocando nossos narizes

- Bom dia princesa. - ele deu um selinho nos meus lábios e eu sorri boba 

- Que horas são? 

- Ainda vai dar seis horas, está cedo. 

- E por quê me acordou? - finjo está irritada 

- Desculpa. - ele ri de leve e eu o acompanho, como posso amar uma pessoa tão bobinha e fofa como essa - Eu tenho que ir pra casa, tenho que pegar meu material. - ele diz e eu entendo que noite passada ele realmente não havia trazido roupas e muito menos seus livros pra ir pra escola hoje

- Posso ir junto? - pergunto manhosa

- Claro! - sorri largo, e me levanto da cama em um pulo, tiro minha blusa e jogo para Adrien e abro meu guarda roupa pegando um vestido um pouco velho e também pego um short pra mim, pois íamos na sua moto afinal

- Ainda tem roupa minha na sua casa, né? - pergunto, enquanto colocava meus livros de hoje na minha bolsa da escola 

- Sim, eu acho. - ele concorda, ele já estava vestido apenas me esperando

- Ok, vamos! - sorri para ele e abro a porta do meu quarto 

Estava vazio a casa, vou pra sala e já vejo meu pai grudado na TV

- Pai, eu vou pra casa do Adrien e de lá eu vou pra escola, ok? - digo, e ele olha para nós

-Tudo bem. - de pé, meu pai beija de minha bochecha - Cuidado. - ele conclui

- Até senhor Dupain. - Adrien diz e meu pai também se despede

Logo já estávamos na estrada a caminho da casa do Adrien. 

.

.

.

Quando chegamos, fomos direto para seu quarto, pois já era 6:20 e só podíamos entrar até às 7:30, agora não tinha mais esse negócio de segundo horário, ou entra no primeiro ou não entra mais. 

Adrien estava no banho, enquanto eu estava pegando minhas roupas pra tomar um banho também. Quando ele havia saido eu entrei no banheiro e fiz minhas higienes. 

Quando saio Adrien já estava vestido e seu perfume estava em todo o quarto, enquanto eu apenas apreciava o cheiro maravilhoso que vinha de seu perfume. 

- Pronta? - ele pergunta, e eu sinto minhas bochechas queimarem por ele está me encarando tão intesamente.

- S-sim.. - gaguejo e Adrien ri do meu jeito e logo formos para a escola.

.

.

.

Bom, hoje era terça o que significa que hoje ia ter aula de Ed. Física e Ciências. Oh sorte, duas matérias que eu simplesmente odeio. 

Já havia passado o primeiro período, e agora já estava no segundo, enquanto várias pessoas conversavam, gritavam eu apenas estava na minha cadeira com a cabeça baixa tentando pensar em algo que não seja minha mudança, minha cabeça doía só de pensar e essas pessoas também não colaboravam com seus gritos. 

- Puta que pariu, onde tá esse professor! - teclado baixinho, com a cabeça ainda escondida entre meus braços

- Desculpem o atraso. - diz uma voz, e eu já sabia que era o professor - Turma, por favor abram o caderno pois hoje vamos ter matéria nova. - ele fala e já começa a escrever no quadro

E eu fico indignada.

Pego meu caderno e começo a escrever, só que quando eu já estou na segunda ou terceira linha vejo uma pessoa passando por mim, mais rápida que o próprio flash.

Olho e vejo que era apenas Sabrina, uma menina que veio nas férias, ela me irrita tanto que eu sinto vontade de arrancar o cabelo dessa bruxa.

Vejo ela falar algo com o professor, só que eu ignoro isso é começo a escrever novamente.

- Muito bem turma, já chega dessas brincadeira de mal gosto de vocês! - o professor começa a falar quase que gritando chamando a atenção de toda a classe - Quem pegou a caneta da colega!? - ele diz e eu reviro os olhos

- Hey não fui eu não viu! - diz o menino que sentava no fundão e eu apenas reviro os olhos, voltando a copiar

Logo a sala começa a gritar e falar que não foi ele e não foi sei lá quem, e eu apenas tampo meus ouvidos com muita dor de cabeça. 

- Tem certeza que não deixou cair? - o professor fala, e eu escuto pois eu estava em uma das cadeiras da frente 

- Tenho, eu guardei minhas coisas dentro da mochila antes de sair. - diz ela, e eu já sinto vontade de voar no seu pescoço apenas em ouvir a sua voz.

Ela também não havia gostado de mim, do mesmo jeito que eu não havia gostado dela, mais poxa eu tenho meus motivos. 

Tirando o fato de ela ser uma vagabunda, ela fica se jogando para todos os meninos dessa escola, e pra piorar ela também havia se jogado pra cima do meu Adrien, o que mais queria que eu fizesse! 

Se ela quer tanto da o rabo dela que ela vá pra esquina e dê. Por quê essa vadia diz ter namorado e fica se jogando pra cima de todos os meninos! Até James já foi a vítima dela! 

Eu realmente estou puta.

- Muito bem, se essa caneta não aparecer até as onze horas não vai ser problema nenhum, vocês ficam aqui até essa caneta aparecer. - diz o professor e eu estava de boca aberta, sério isso!?

- Ela não vai aparecer professor. - outra voz no meio de todos nós disse

- Se não aparecer também não irá ser problema, eu vou pra secretária e vou resolver esse assunto rapidinho. - eu odeio esse professor pelo o fato de ele ser tão sarcástico 

- Eu vou é agora lá no Thomás! - Sabrina diz e pega duas coisas também saindo da sala, não sabia se eu ficava aliviada ou não. Thomás era o nome do diretor da escola, o professor também não havia perdido tempo e seguiu a vaca da Sabrina.

- PESSOAL ISSO É SÉRIO, POR CAUSA DE VOCÊS AGORA TAMO TUDO FERRADO! - Alya grita e eu a encaro, ela está atrás de mim 

- É mesmo pessoal. - diz Lucas o menino mais idiota da sala

- VOCÊ NÃO TÊM DIREITO DE DIZER NADA LUCAS, VOCÊ É UM DOS PRIMEIRO A ROUBAR AS COISAS DOS OUTROS! - Alya também grita

- Mais dessa vez não foi eu! - ele tenta se defender e eu sorrir do jeito que ele falava quase que desesperado

- MESMO ASSIM, POR CAUSA DE UM DE VOCÊS TODOS NÓS VAMOS SAIR PREJUDICADOS! - ela continua berrando

- Alya, desse daí. - falo, ela estava em cima da cadeira, ela bufa e se senta - Se acalma. 

- Como você quer que eu me acalmar Marinette!? Eu não posso ficar depois das aulas, eu tenho que ir pra casa. 

- Mesmo assim, não é só você que vai ficar depois das aulas, então se controla caralho! - digo irritada, ela apenas encolhe os ombros e fica quieta

Logo o professor, a Sabrina chegaram na sala e todo mundo ficou quieto sem falar mais nada.

- O que ele disse!? - Alya foi uma das primeiras a falar

- Ele disse que se não aparecer até as onze ele vai vim aqui revistar a bolça de todos vocês. - diz ela sorrindo, idiota. Que vontade de quebrar os dentes dela

Dito e feito, a maldita caneta não apareceu e tivemos que ficar depois da aula e eu já estava com minha cabeça quase explodindo.

- Porra.  - Alya se lamenta atrás de mim

- Droga viu Sabrina! - Lucas também fala - É sério gente quem pegou essa caneta! 

- Boa pergunta. - o diretor fala na porta da entrada da sala - Eu não tenho muito tempo, então todos façam uma fila aqui pra eu ver a bolça de vocês.

- É SÉRIO QUE ESSE DRAMA TODO É POR CAUSA DE UMA MALDITA CANETA!? - grito de cabeça cheia - SABRINA MEU AMOR, VOCÊ POR ACASO PASSA FOME!? ACHO QUE NÃO NÉ, SABIA QUE UMA CANETA CUSTA MENOS QUE ESSA SUA ROUPA BARATA!? - berro

- Por quê está tão incomodada Marinette!? Por acaso foi você que pegou minha caneta! Virou ladra agora!? 

- Me poupe, não estou no seu nível de ficar tentando roubar aquilo que não me pertence. 

- Do que você está falando!

- Você sabe muito bem do que eu estou falando sua vaca. Imunda. - digo semicerrados os olhos

- CHEGA! - o diretor fala e eu fico quieta - Marinette chega com isso agora! E você também Sabrina! - apenas suspiro me sentado novamente na minha cadeira - Venha aqui Marinette, você vai ser uma das primeiras. - apenas dou de ombros e pego minha mochila entrando para ele e ele entregou pra Sabrina enquanto eu apenas estava com os braços cruzados olhando tudo

- Achei.. - ela fala e eu arregalo os olhos - Viu, eu disse que você é uma ladra! - ela estava com uma caneta nas mãos

- Não fui eu que peguei. - digo séria, apesar de está com medo 

- Pare de mentir e confesse que você é uma ladra Marinette! 

- Ao menos não sou uma puta que tenta dar pro namorado das outras pessoas! - falo 

- Você vai deixar ela falar desse jeito comigo!? - Sabrina finge que está chorando e eu apenas reviro os olhos novamente

- Alya diga pro Adrien não me esperar, ok? - falo pra morena atrás de mim

Pego minha mochila que Sabrina havia jogado no chão e encaro ela com nojo, então apenas saio da sala e vou para a do diretor.

Ele disse várias coisas sobre mim, e disse que não era pra eu fazer mais isso e também disse que ia ligar para meus pais, e eu não falei nada pois sempre que eu tentava me defender ele não acreditava. 

Mais essa Sabrina ainda vai me pagar muito caro por está fazendo isso comigo. 

Sair da escola, era por volta das 12:38 e o tempo não estava um dos melhores. Desço os degraus da escola e quando já ia dobrar eu vejo Adrien escorado em uma das paredes.

- O que faz aqui?

- Alya me disse o que aconteceu, e só quero saber se está bem. 

- Sim eu estou não se preocupe. - digo e passo por ele - Tchau. - completo

- Por quê está me tratando assim? O que houve? 

- Você quer mesmo saber o que houve? Eu estou farta de todo mundo, eu só quero que eles morram no quinto dos infernos!

- Só por quê você está com raiva não significa que tem que ficar descontando nas pessoas.

- Eu sei, me desculpa mais é isso que eu sinto. - falo e ele suspira

- Quer que eu te leve pra casa?

- Não, eu estou bem.

- Mas..

- Por favor, eu quero ficar sozinha. - digo por sim, e saio do campo de vista do Adrien.


Notas Finais


Desculpa a minha demora, sabe sou uma pessoa bem ocupada. (mentira, eu apenas estou viciada em animes) hehe
Obs.. recomendo muito o anime chuunibyou demo koi ga shitai (sorry)
Bye, bye..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...