1. Spirit Fanfics >
  2. Mensagens do passado >
  3. Mensagens do passado

História Mensagens do passado - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Mensagens do passado


Fanfic / Fanfiction Mensagens do passado - Capítulo 1 - Mensagens do passado

Capítulo 1 - Você conhece a Hannah?

Uma coisa muito interessante estava acontecendo com NICKY naquele exato momento. Ela estava olhando o celular em suas mãos observada por seu chefe de redação, Harold e seu amigo Andrew.

- Nós devemos nos envolver nisso? - Questionou Harold. Mas o olhar triunfante de NICKY o fez ceder rapidamente, antes mesmo que ela pudesse falar.

- E se for uma pegadinha? - Perguntou Andrew mexendo no porta canetas da mesa.

- Não há nada que não possamos verificar, não acha?- Ela disse com os olhos esperançosos no chefe - Harold, só preciso do seu sim e da confirmação de que Hannah Danford realmente existe e então eu irei pessoalmente a Duskwood investigar isso. Será que tem ligação com o desaparecimento da Diana Harrys? Os pais disseram que ela foi para a cidade do namorado, que curiosamente é Duskwood.

- Mas uma coisa não entra na minha cabeça - Disse Andrew- O seu número foi escolhido aleatoriamente? Porque não eu ou outros da redação?

- Isso nem eu sei explicar Drew - Nicky o interrompeu de repente.

- Olha isso! - Ela virou a tela do smartphone para os dois homens- Eu estou lendo a conversa dessa tal de Jessy com o Dan! Como isso é possível!?

Drew se aproximou mais e olhou para a tela e depois para ela -

- Nicky, isso está parecendo coisa de um HACKER! Será que isso não vai acabar comprometendo você? É ilegal ler as mensagens de outras pessoas assim...

- Bom, já é tarde pra isso! - Ela rolava a tela do celular lendo a conversa entre os dois estranhos - Nossa isso está muito estranho e....- Uma notificação acaba quebrando a linha de raciocínio dela.

Subitamente um usuário nomeado apenas como "??? " a adiciona.

Nova mensagem de "???"

???: - E então? Está gostando?

Nicky estreitou os olhos quase exacerbada com a pergunta. Era o suposto Hacker que Drew havia mencionado. Mas se ele estava achando que iria intimida-la ele se enganou redondamente.

Nicky: 🤨 Não sei do que está falando.

???: A conversa entre eles. Eu fiz isso acontecer. O que tem a me dizer sobre isso?

Nicky: Bom isso foi de certa forma divertido- Ela o estava provocando.

Nicky: Você é um Hacker? - Ela perguntou com uma ironia que não poderia ser identificada apenas através de alguns caracteres em uma tela de smartphone. Ponto para ela.

???: Isso te incomoda?

Nicky: O que vc quer? Pode ir direto ao ponto?🙄

???: Tá certo então...vamos cortar essa baboseira toda!

O telefone vibrou e na tela estava o perfil do suposto hacker fazendo a ligação. Ela sentiu um frio na espinha, mas deslizou o dedo rapidamente e aceitou a ligação, fazendo sinal de silêncio para Drew e Harold.

" Hannah Danford foi sequestrada. Eu vi tudo. Minha identidade é irrelevante. Tudo o que você precisa eu irei fornecer. Tenho acesso a documentos, pastas, áudios, históricos de conversas e os enviarei para você. Lembre- se : Hannah está viva. Eu enviarei arquivos da nuvem do celular dela para você descriptografar. Tudo o que achar nessas nuvens, deve ser enviado diretamente á mim."

- Meu Jesus o que foi isso? - Perguntou Drew parando agora ao lado de Nicky e olhando atônito para o celular nas mãos da colega de profissão. Aquilo deu em Andrew um frio na espinha. Ele tinha muito medo de que algo acontecesse com ela, mas guardou a preocupação para si mesmo.

Harold estava carrancudo como sempre mas parecia interessado. Estava olhando pela décima vez as conversas no smartphone de Nicky. Ele lia baixinho os diálogos tentando entender. Por fim ele se cansou e colocou o telefone na mesa.

- O que acha Harold? - Perguntou Nicky já sabendo que o chefe iria ceder. Ele havia enxergado o tamanho do potencial que uma matéria como aquela poderia render para o "Carta a Democracia". Harold era tão curioso quanto ela é também seu mentor. Ele sabia que ela não iria desistir.

Ok senhorita...você venceu - Ele batia os dedos no tampo da mesa por alguns segundos - Mas antes de ir, você tem que me prometer que levará uma escuta com você e ao primeiro sinal de perigo você não vai se arriscar Nicole. Não informe aos amigos da Hannah Danford que você estará em duskwood.

- Desabilite a llocalização seu celular, quero que eles pensem que você está a quilômetros de distância. E tente ser DISCRETA. Afinal sabemos que você tem uma língua bem afiada. E isso realmente atrai mais atenção do que as vezes gostaríamos - Harold parecia um pai repreendendo uma filha.

- Sim chefe! Captei a mensagem: a maior lição que me ensinou é " não faça muitas perguntas, ouça mais". Baseada nas possíveis informações que eles me passarem eu posso investigar discretamente sem me expor, fique tranquilo ok?

NICKY estava a caminho de casa quando lembrou -se dela. Das buscas sem sentido, que nunca trouxeram Sam de volta para casa. Samantha era a irmã de NICKY, apenas um ano e seis meses mais nova. As duas estudavam na mesma faculdade. Sam estudava psicologia e NICKY jornalismo. Houve um dia, 23 de dezembro de 2008 em que NICKY adoeceu. Ela sempre dirigia o velho chevy dela até a faculdade,mas havia contraído uma amigdalite terrível e precisou ficar de molho. Sam não dirigia e disse que iria com as amigas. Ela perguntou para NICKY se ela precisava de algo, pois na volta ela passaria perto da farmácia.

- De farmácia quero distância. Mas se tiver aquelas balinhas de goma de colágeno, você pega para mim?

- EU SABIA. - Samantha deu risada da irmã - Claro. Nos vemos de noite, vê se não vai tomar nada gelado hein?

- Tá bom MÃE- Ela riu e se despediram.

Essa foi a última vez que ela viu sua irmã.

As horas foram se estendendo. A mãe delas, Norma, estava temendo o pior. Nicky pôde escutar a conversa dela com a polícia:

- Ela é maior de idade, mas o que isso tem a ver? 48 horas? Era para a minha filha estar em casa a cinco horas atrás e você me pede 48 horas? Você tem filhos? Não, eu não vou me acalmar! Se você não passar a minha ligação para o delegado agora eu vou pessoalmente até essa delegacia e não saio da porta dele até ser atendida e ter minha filha sã e salva comigo! Eu quero a minha filha!

Nicky levantou- se e desceu as escadas correndo, pois percebeu que sua mãe estava em prantos e batendo o telefone descontroladamente na parede, tamanha sua raiva e frustração.

- Mãe! Mãe se acalma por favor! - Ela pediu segurando Norma pelos ombros

- Mãe nós vamos achar a Sam tá bom? As vezes ela esqueceu de mandar mensagem e foi dormir em alguma amiga...

- Que amiga Nicole!? A Samantha não tem amigos, ela é introvertida, ela não agiria como você sendo irresponsável!

Nicole levantou se tentando manter a calma. As lágrimas queimavam nos olhos mas ela não iria piorar mais as coisas. Norma era muito tóxica algumas vezes, principalmente quando algo saía do controle.

Ela se lembrava ainda das cansativas buscas com sua mãe pelo bairro, perto da faculdade, de tudo.

- " Você viu a Samantha? " seguidos de inúmeros "sinto muito moça". Parecia que a Samantha nunca havia sido vista. Como se ela fosse invisivel. Bom, talvez para os outros a nossa dor seja mesmo invisivel...

Essa lembrança quase tirou a atenção de NICKY. Ela foi manobrar para entrar na garagem e não calculou bem a distância da coluna do estacionamento e acabou ralando toda a lateral esquerda do carro.

Ela havia chegado em seu apartamento e estava pronta para arrumar suas coisas e seguir para Duskwood.

- Ótimo! Ralei toda a lateral do carro! Vou ver se arrumo isso em DUSKWOOD mesmo,caso contrário terei de aguentar as piadinhas do Harold!

Ela olhou o telefone mais uma vez, repassando a conversa com o Hacker e com os amigos de Hannah - Garota sortuda - pensou ela com certa amargura. Nicky se perguntou como teria sido se Sam tivesse amigos engajados como os da tal Hannah Danford.

Parte 2: Conhecidos ou desconhecidos?

Já era final de tarde quando Nicky finalmente se aproximava da entrada de Duskwood. Foram três horas de estrada para finalmente chegar a famosa cidade.

Ela então avistou a placa " Bem vindo a Duskwood" e isso animou mais seu final de semana.

Nicky falava pelo viva voz enquanto dirigia rumo ao hotel. Do outro lado da linha, uma senhora simpática, a Sra. WATERS dona do hotel.

- Vou passar para a Lilly e ela terminará seu cadastro, tudo bem querida?

- Claro - Respondeu ela lembrando da "simpatia" da irmã de Hannah( Para efetuar ligações dentro de Duskwood NICKY estava usando outro aparelho, afinal, seria extremamente amador usar o mesmo smartphone para se infiltrar entre os amigos de Hannah e fazer ligações, reservas de hotel, ligar para o jornal da cidade e etc...).

- Olá aqui é Lilly Danford e continuarei o seu atendimento. Com quem falo?

- Nicky quase respondeu seu nome mas seu sexto sentido foi mais rápido!

-Samantha. Eu me chamo Samantha. Samantha Grimmes.

- Ok Samantha. Posso colocar esse número no seu cadastro ou você tem mais algum outro?

- É apenas esse, porque está me perguntando isso? - Nicole usava um tom de irritação bem perceptível que deixou Lilly surpresa.

- Desculpe me... mas é apenas uma pergunta padrão!

Nem parecia a mesma Lilly que não se apresentou mas já chegou vomitando acusações: " Quem é você e o que vc fez com a minha irmã!?"

- Ouça eu estou dirigindo... quando eu chegar aí terminamos meu cadastro! - Nicky desligou abruptamente deixando Lilly irritada com tamanha falta de educação.

- "Você tem mais algum número?" - Repetiu ela imitando Lilly com aquela voz irritante dela.

Já na entrada da cidade, Nicky pôde ver as placas do hotel, porém ela decidiu ir comer alguma coisa rápida no "Café Rainbown" antes de mergulhar no trabalho.

Ela estacionou seu jeep Renegade verde militar com cuidado e desligou os faróis

- Meu Deus, a batida foi feia hein? Você tem licença para dirigir ou para matar?

Nicky virou -se para ver se era realmente com ela que o estranho estava falando. Ao colocar os olhos nele, logo o reconheceu: cabelos longos presos num coque samurai, barba, traços fortes, musculoso, com uma cara de "bad boy" e um sorrisinho cínico nos lábios.

- Dan não seja idiota! Isso é jeito de falar com uma desconhecida? Moça nos desculpe ele não queria dizer isso!

- Ela apertou o braço dele olhando com repreensão. Era ela mesma: Jessy Hawkins!

- Eu não falei por mal só falei a verdade! Pode ser até uma cliente para a loja do Rogers! - Ele virou se agora para Nicky- Olha moça, tenho um amigo que pode arrumar esse estrago aí...

NICKY apenas olhou pra ele e virou -se para entrar no café, deixando ele falando sozinho. Ela apenas sentiu pela má impressão que passaria para Jessy. Nicky gostava da garota.

- Uau, ela é casca grossa!- Disse ele para Jessy que revirou os olhos contrariada.

- Ah gata, você tá com ciúmes? - Ele provocou esperando uma confissão de Jessy.

- Claro que não Dan!Não seja idiota! Estou cansada do seu comportamento inapropriado a todo momento! - Ela o olhou nos olhos - Você não tem o direito de falar com as pessoas assim...

NICKY saiu com seu café e um sanduíche para viagem, mas antes de entrar no carro disse um "valeu" para Dan, e estava bem sorridente, deixando ele sem entender nada. Ela então baixou o vidro e apenas disse: "Adiós amigo!"

Ela ligou o carro e rapidamente já estava a caminho do Hotel. Jessy percebeu que ela usou a famosa despedida do Richy. Curioso... já Dan não havia percebido.

Dan e Jessy pegaram uma mesa e tomaram um café e conversaram um pouco sobre toda a confusão sobre o desaparecimento de Hannah.

- Achei que tínhamos combinado de ficarmos fora dessa merda toda gata! - Dan parecia aborrecido - Daí aparece um tal de NICKY e você resolve que encontrar a doida da Hannah é uma prioridade. NiCky. Richy. Parece que esses "ichys " são minha pedra no sapato...

- Primeiramente Dan: é "A" Nicky e não "O" Nicky. Eu confesso que ela me animou mas e porque você sabe... Eu e a Cléo não somos tipo, melhores amigas. A Lilly é estranha... Eu acho que finalmente encontrei uma garota que talvez se torne uma amiga para eu chamar de minha.

- É sério isso? Achei que sua "amiga" fosse o Richy! - Ele falou em um tom um tanto quanto ressentido. Dan tinha ciúmes de Richy e Jessy.

- Para com isso! Você precisa confiar em mim e me respeitar Dan!

- Talvez devêssemos ir a um encontro nós quatro: Eu, você e a dupla Richy e Nicky - Ele estava começando a ficar irritante com todo aquele ciúmes vindo a tona novamente.

- Olha Dan por hoje já deu! Vou pedir a conta!

Ele se adiantou e fez o sinal para que a garçonete encerrasse a conta deles.

A garçonete saiu sorridente com a máquina de cartão nas mãos e a colocou na mesa deles.

- Boa noite!

- Oi Sophia - Disse Jessy com um sorriso simpático.

- E aí - Dan limitou-se a dizer enquanto retirava o cartão da carteira.

- Foi muito gentil da sua parte pagar o café e o sanduíche da sua amiga. O lanche dela ficou 16.90 mais o de vocês dois que ficou 32.60... fica...

Dan a interrompeu quase gritando.

- Eu o que!? Mas como... Ela nem... Eu disse meu nome...? Que filha da puta!

Ele disse irritado, batendo com raiva na mesa e chamando a atenção de outros clientes, além de deixar Jessy morta de vergonha com toda aquela cena.

- Você não quer ficar com fama de devedor aqui em Duskwood não é mesmo, Dan? - Jessy provocou . Foi muito merecido o "troco" que a forasteira deu em Dan. Jessy achou que aquela foi uma maneira muito inteligente de colocar Dan em seu lugar.

- Melhor pagar logo ou vou ter que contar ao Richy que você achou uma rival a altura e já foi sacaneado assim na cara dura!

- Ah que merda! Dá essa droga aqui que eu pago! - Ele praticamente arrancou a máquina das mãos de Sophia.

- Qual o nome dela? - Dan Perguntou rispidamente.

- Ela disse que era Sam

- Sam? Nenhum sobrenome? Só Sam!? - Ele perguntou irritado, vermelho de raiva.

- Apenas Sam. Ela não disse mais nada... Ah me lembrei: Ela disse que é para pagar o serviço de 10%, tudo bem?

Dan respirou fundo e prometeu a si mesmo que aquilo não ficaria assim. Ah mas não ficaria mesmo!

Jessy olhava o celular da conversa com Nicky. Será que era ela? Jessy sentia que sim.


Notas Finais


Espero que gostem!
Aceito sugestões!
Adiós!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...