1. Spirit Fanfics >
  2. Mensagens do passado >
  3. Capítulo 2 - Cléo e Richy

História Mensagens do passado - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Capítulo 2 - Cléo e Richy


Fanfic / Fanfiction Mensagens do passado - Capítulo 2 - Capítulo 2 - Cléo e Richy

Nicky chegou ao hotel e foi diretamente até a recepção fazer seu check-in. Ela encostou no balcão mas não havia ninguém. Decidiu então olhar o celular discretamente pois as mensagens não paravam de chegar. Mas por segurança ela iria fazer isso somente em seu quarto. Nicky estava distraída olhando o panfleto com o roteiro da cidade quando alguém cutucou sem ombro.

- Moça o homem estranho está lá fora, olha lá- Era um menino, adolescente, com um carrinho em suas mãos. Logo atrás dele surgiu um senhor de meia idade chamando o pelo nome: Alvin. Nicky seguiu o dedo do menino e pousou os olhos no vidro da porta. Ela deu alguns passos até a entrada e um calafrio percorreu sua espinha: havia um vulto parado do outro lado da calçada e estava encarando ela. Pelo menos era o que parecia. Alvin se juntou a ela ainda apontando.

- Ele levou a moça lá para o meio do mato. Levou. Levou sim.

- Alvin o que está fazendo, filho? - O senhor simpático pousou as mãos nos ombros pequenos do garoto - O que nós conversamos? Não podemos assustar nossos clientes. - Ele levantou os olhos simpáticos para Nicky e se apresentou - Eu sou o GREY. Esse como você já deve ter percebido é o Alvin. Seja bem vinda a Duskwood.

Nicky sorriu e estendeu a mão para GREY e para Alvin se apresentando também. Nesse momento Lilly havia voltado ao balcão e então Nicky decidiu fazer de uma vez o CHECK in, tomar um bom banho e descansar.

- Oi boa noite. Eu sou a Samantha e nos falamos agora a  pouco - Nicky percebeu que Lilly estava com o nariz vermelho e que havia chorado não fazia tanto tempo. Ela se arrependeu por ter sido grosseira mais cedo.

- Oh sim, boa noite Samantha eu sou a Lilly e peço desculpas se eu...

- Ah não se preocupe. Na realidade eu peço desculpas pelo meu mau humor de antes. Eu estava dirigindo, cansada, não era nada com você. 

- Tudo bem - Lilly disse calmamente e entregou as chaves do quarto de NICKY junto com um folheto de pontos turísticos de Duskwood - O café é servido das 8 da manhã até as 10. Os lençóis são trocados todos os dias antes do almoço. Seu quarto é o número sete logo após subir as escadas. Tem uma boa vista para a rua.

- Muito obrigada Lilly. Ahn...está tudo bem? - Nicky perguntou ao perceber a expressão de choro no rosto dela.

- Sim sim, está tudo bem. Obrigada por perguntar. Posso te ajudar em mais alguma coisa? 

- Não, eu estou bem. Boa noite. 

O quarto era pequeno e aconchegante e Nicky se acomodou rapidamente. Logo após o banho sentou se e ligou seu notebook, colocou seu telefone extra para gravar alguns  fatos curiosos que percebeu em sua chegada a Duskwood. E então ela recebeu uma mensagem de Jessy

Jessy: Ei vc está aí? 🙂 

Nicky: Oi Jessy! Estou sim!

Jessy:  Estou sem nada para fazer 🤪

Nicky: O que posso fazer por você?

Jessy: Vamos bater papo. O que vc está fazendo agora?

Nicky: Absolutamente nada. E você? 

Jessy: Nada também. Acabei de chegar do trabalho 🤭 na realidade eu saí mais cedo. E você? Foi a algum lugar legal hoje?

Nicky arqueou a sobrancelha desconfiada do mini interrogatório de Jessy. Qualquer deslize poderia denuncia- la.

Nicky:  Minha vida e bem sem graça viu.

Jessy: Ah bem vinda ao time! Vou te dar um beneficio...

Nicky: Beneficio? Como assim?

Jessy :  Você escolhe o assunto!

Nicky:  Hum... me fale mais sobre o Richy 

Jessy:  Richy? Sério? Pq quer falar justamente do Richy? 

Nicky: Ah...ele me pareceu legal.

Jessy: Legal, LEGAL? Ou só Legal?🤭

Nicky: Eu achei ele "LEGAL LEGAL "🤭😳

Elas começaram a discorrer sobre o assunto e realmente havia algo em Richy que chamou a atenção de Nicky. Antes ela havia pensado que ele e Jessy tinham alguma coisa, mas através da conversa hackeada e o encontro do final daquela tarde no café ela teve certeza de que por alguma razão que ela desconhecia, Jessy estava com Dan. 

Mensagem de Cléo 

Cléo: Oi

Nicky: Oi Cléo. Alguma novidade?

Cleo: Eu estou pensando em fazer algumas perguntas amanhã pela cidade. Para saber se alguém viu a Hannah. Eu não sei se eu começo pela senhora Walters que é a dona do hotel e uma das mais fofoqueiras da cidade  ou se pergunto ao velho GREY que trabalha com ela se ele viu algo...

Nicky: Eu definitivamente começaria pela fofoqueira.

Cleo:  Boa ideia. Nos falamos depois.

Nicky: 👋 até mais.

Nicky começou então a traçar os perfis dos amigos de Hannah. Quando viu passava das duas da madrugada. As horas renderam. Ela se preparou para dormir pois pela manhã iria arrumar seu carro e finalmente conhecer o famoso Richy. Ela também deixou anotado o comentário de Alvin. Quando do nada Nicky lembrou de um grande vacilo: ao provocar Dan dizendo sem perceber o "Adios" de Richy ela pode ter colocado sua identidade em risco! Como pode ser tão distraída? E se ela estava certa esse vacilo foi a razão do mini interrogatório de Jessy. 

- Ah Nicole porque você simplesmente não saiu e boca fechada? Eu sou uma idiota e preciso arrumar isso? Mas como? 

Nicky acabara de tomar o café da manhã  e se preparava para sair rumo a loja do Richy, cujo endereço foi passado prontamente pela senhora Walters.  Que além do endereço forneceu mais alguns detalhes.

-  O menino do Rogers sempre foi um garoto muito bonzinho, não arranjava briga com ninguém. Ah ele também é muito cuidadoso com meu Alvin. Sempre que vamos a loja para arrumar o carro do GREY ele faz questão de dar algum brinde para o meu menino. O Alvin adora ele! Ele é solteiro sabia? - A senhora Walters deu uma piscadinha para NICKY que imediatamente corou envergonhada com a sugestão dela. 

- Sra. Walters bom dia. Eu poderia falar com a senhora? 

Nicky levantou os olhos e pode ver Cléo parada na entrada do buffet do Hotel. Ela estava com alguns panfletos nas mãos e olhou para NICKY.

- Deixe eu apresentar vocês duas. Cléo essa é a Samantha minha mais nova hóspede. Ela chegou ontem a DUSKWOOD. Samantha, essa é a Cleo. Não sei se você sabe mas houve um sequestro na cidade. A iirmã da Lilly, minha funcionária que fez seu CHECK in sabe? Pois bem, a irmã dela desapareceu. A Cléo e os outros amigos de Hannah estão distribuindo alguns panfletos para ver se conseguem alguma informação. Você se importa? - A Sra. Walters fez um gesto para que Cléo se aproximasse e desse a Nicky um dos panfletos.

- Desculpe atrapalhar seu café. Embora você tenha acabado de chegar acho que não custa tentar: Você viu essa moça? É a minha melhor amiga.

- Oh, não é incômodo algum! Eu acho muito legal que estejam procurando por ela. - Ela olhou o panfleto - Eu em seu lugar teria feito o mesmo - O pensamento de NICKY voltou para sua irmã que havia desaparecido sem deixar rastros.- Infelizmente eu não a vi me desculpe. Mas vou ficar com o panfleto e me atentar. Boa sorte na sua busca. Foi um prazer.

-  Eu agradeço. O prazer foi meu. 

Cléo virou-se para então iniciar as perguntas para a Sra. Walters como ela havia prometido. E Nicky foi rumo a oficina Rogers.

Nicky desceu do carro e logo viu por uma pequena janela de vidro do escritório Jessy. Ela entrou no espaço onde os carros ficavam.

-  Olá ?

De repente uma pessoa sai debaixo de um dos carros, deitado de costas sobre uma espécie de carrinho que deslizava com facilidade. Ele limpou as mãos no paninho em seu bolso.

- Olá você! - Disse o rapaz se levantando e se dirigindo até Nicky -  Em que posso ajudar?

Ele estava usando um boné virado para trás, uma camisa de flanela verde escura que combinava com os olhos e uma calça jeans bem surrada. Nos pés um par de converse cinza bem encardido. Ele deu uma discreta analisada em Nicky, e aquilo fez ela sentir um delicioso frio na barriga como não sentia a anos. Ele  não era apenas " Legal legal" . Ele era BEM LEGAL LEGAL.

-  Eu cheguei ontem na cidade e me informaram que você poderia dar um jeito no meu carro? - Ela deu alguns passos até ele. Você pode dar uma olhada?

- Claro que posso. Eu sou o Richy Rogers. 

- Ah sim. Eu sou a Ni...Samantha.

- Nisamantha? Que nome exótico. - Ele sorriu para ela de maneira que quebrou o gelo.

- Olha me dá um desconto. Eu tô bem atrapalhada de ontem pra hoje. A Senhora Walters me indicou seu trabalho.

- Ah então você provavelmente sabe agora meu peso, meu CPF...vejamos...- Ele fingiu estar em um raciocínio muito complexo e isso fez Nicky dar uma risada mais descontraída - Ah meu histórico médico, meu tipo de sangue...- Ela percebeu que quando ele ria algumas linhas se formavam discretamente ao redor dos olhos dele.

-  Pensando bem - Ela o imitou ao fingir que estava em uma linha de raciocínio muito difícil  e ele riu com isso -  Não foi a senhora Walters que me indicou você, pelo menos não primeiramente.

Richy pareceu curioso.

-   Quem foi então? Oh meu Deus você é do governo? Veio me prender? 

Nicky riu da criatividade dele. Procurado pelo governo por ser gato? Então ele estava condenado!

- Não eu não trabalho para o governo. Nao diretamente. Eles roubam 28% do meu salário.  Não gosto deles.

-  Nem eu! - Ele disse de maneira simpática

- Mas quem me indicou você foi Jesus.

Richy pareceu confuso. Ele estava com uma expressão muito engraçada.

- Sim. JESUS. Um Jesus meio troglodita que usava coque samurai.

Richy não aguentou e rompeu em risadas ao perceber que era de Dan que Samantha estava falando. Ela começou a rir também.

- Ah meu Deus. DESCULPA. Mas Jesus troglodita foi a melhor definição que já ouvi sobre o Dan! Foi ele quem indicou você?

Nicky ia responder quando Jessy surgiu simpática com uma prancheta em mãos. NiCky gelou.

Jessy perguntou a Richy o que houve e ele rapidamente começou a explicar a história, mas não conseguiu parar de rir quando a própria Jessy confirmou a história e ainda contou sobre o pequeno ataque de fúria de Dan.

- Muito prazer eu sou Jessy - Ela estendeu a mão e elas se cumprimentaram - Sou secretária do Richy e sua mais nova fã, porque o que você fez ontem foi simplesmente FANTASTICO!

- Eu sou a Samantha, muito prazer Jessy! Hora aquilo não foi nada.

- Seu nome não é Nisamantha? - Richy a provocou com ar brincalhão e todos tiram.

- Se você quiser me chamar assim eu deixo. Você gosta de "Nisamantha"? - Nicky o provocou de volta e ele ficou vermelho como um pimentão. 

Jessy observou o flerte e fez uma bota mental: NiCky perguntou sobre Richy. E agora essa tal de Samantha estava flertando com ele e curiosamente o motivo da piada era o nome " Nisamantha". Seria isso uma piada interna e uma incrível coincidência?

Richy olhava a lateral do carro com Nicky e Jessy paradas cada uma ao seu lado. NiCky estava nervosa pela presença de Jessy. Temia ser descoberta. Ele colocou a mão na parte arranhada do veículo.

- Isso vai ser fácil de arrumar. Quanto tempo você vai ficar por aqui em DUSKWOOD?

- Entre uma a duas semanas. Depende - Nicky disse distraída. Foi então que ela se ligou: ela não havia pensado em uma razão para estar em DUSKWOOD. 

- Você veio a trabalho? - Perguntou Jessy é Richy a olhou curioso.

-  Não. Eu vim conhecer a cidade pois estou pensando em sair da cidade grande e ficar em um lugar mais afastado.

- Você vai ficar no hotel esse tempo todo? RICHY perguntou a ela.

- Por essas primeiras semanas sim. Mas pretendo encontrar um apartamento para alugar. Aliás, vocês conhecem algum lugar?

- Eu posso te ajudar com isso se você quiser! - Jessy disse animada - A menos que você prefira que o Richy te ajude...

Richy e Nicky ficaram vermelhos simultaneamente e isso divertiu Jessy.

- MAS O QUÊ!? - Richy virou se para Jessy num sussurro.

- Eu vou adorar sua ajuda Jessy. Acho que será legal ter uma guia como você - Nicky sorriu e Jessy sorriu de volta animada.

- Jessy você não tem que...

- Já entendi chefe! Mas antes, Sam me empresta seu celular? Vou anotar meu número nele!

- Claro, por favor - Nicky tirou o celular "álibi" da bolsa , desbloqueou e deu para Jessy.

Jessy deu uma rápida passada de olhos antes de ir para o teclado digitar seu número.

Parecia um celular bem normal até. Havia uma foto dela de perfil ao por do sol. Muitas notificações de mensagens. Ok, por hora Jessy iria se contentar com isso.

-  Prontinho Sam - Ela devolveu o aparelho - mais tarde eu te mando uma mensagem!

- Ok Jessy! Muito obrigada! - Disse Sam guardando o celular e se voltando para Richy.

- Como eu estava dizendo antes da Jessy começar a causar... - Ele disse isso de forma educada. Jessy e ela ficaram tagarelando e jogaram Richy para escanteio. Automaticamente ela estendeu a mão e tocou o antebraço dele.

- Nossa Richy me perdoe! - Mas com a velocidade que ela colocou as mãos nele, ela retirou. Ele pareceu tímido por alguns segundos mas logo assumiu novamente aquele ar brincalhão de sempre.

- Não se preocupe. Bom como eu estava dizendo, acho que em uma semana ou menos te entrego ele prontinho. Você vai ficar a pé esse tempo todo?

- Sim. Mas Duskwood é pequena pelo visto...

- Não para quem está de salto. - Ele disse referindo-se à bota que ela usava. - E o hotel é BEM longe daqui.

- Ah droga... pior que você tem razão. Eu vou ter que chamar um uber então. O sinal está fraco. Eu... - E antes que ela pudesse perceber virou o pé e escorregou em uma pequena rampa entre a calçada onde estava seu carro e o interior da ofícicina. Seu celular deslizou para debaixo de um outro carro, sua calça rasgou no joelho e suas mãos ficaram arranhadas.

- Ai que porra! - Ela esbravejou ao tentar se levantar e não percebeu Richy se aproximando para ajuda- lá. Ela sentiu a mão dele em seu  cotovelo e a outra ele estendeu para  que ela pudesse levantar. Ela automaticamente colocou a mão sobre a dele, que fechou e a puxou para que ficasse em pé novamente. Richy não falou nada mas nunca havia visto uma garota brava e falando palavrões parecer tão...interessante.

- O que foi que eu te disse mocinha? - Ele brincou - Vamos fazer o seguinte. Você vai se sentar naquela cadeira ali enquanto eu pego um band aid para você lá no escritório. Certo? 

- Certo. Você tem cola? Meu salto quebrou...

- Não tenho, desculpe.  Mas eu te deixo  no hotel da Sra. WALTERS ok? Assim. Aproveito e já levo um brinde para o Alvin.  

Richy voltou com a caixa de primeiros socorros e ajudou Nicky. Ela borrifou um antisséptico na ferida e colocou um band-aid. 

- Nova em folha - Ele disse - Como você foi corajosa vai ganhar um brinde - Ele estava com um chocolate com o logotipo da oficina em suas mãos e estendeu para ela.

- Obrigada Richy - Ela sorriu para ele - Você é...

- Legal? - Ele disse num tom brincalhão  e Nicky paralisou por um momento. Será que ele desconfiava dela também?

- Um pouco mais que legal - Ela disse sem rodeios e isso o deixou vermelho novamente. Ele riu timidamente.

- Vamos eu vou te deixar no hotel - Ele a ajudou a se levantar e eles ficaram realmente MUITO PRÓXIMOS. Eles se olharam por um breve minuto mas ele desviou o olhar conduzindo Nicky gentilmente até o carro dele.

- Você consegue andar Sam? - Ele perguntou antes de darem mais passos até o veículo.

- Acho que sim. Muito obrigada mesmo Richy.

Eles foram para o carro de Richy, um fusca que ele mesmo remontou. No caminho para o hotel eles foram conversando de maneira trivial mas a tensão entre eles, já estava estabelecida. NiCky se perguntou pelo menos dez vezes se seria muito estranho desejar que ele desse um beijo nela ou você versa. Fazia muito tempo que ela não tinha essa vontade de "pegar" alguém. 

Richy estacionou e ajudou Nicky a descer. Ela agradeceu pela carona novamente e entrou. Ela seguiu trabalhando, falou com o grupo mais uma vez, até que então o misterioso  Hacker resolveu entrar em contato.

 ??? : Recebi o arquivo que você me mandou. É uma foto da Hannah, mas acho que não ajuda em muita coisa.

Nicky:  Sério? Que droga. 

??? : Mas tenha calma. Essa é só a primeira pista. Outras virão. Essa só não parece tão importante. E como anda sua evolução com os outros?

Nicky:  Está indo bem. Mas sempre com algumas ressalvas.  Você me disse para não confiar em ninguem lembra?

??? : Claro que me  lembro. Até agora você está fazendo um ótimo trabalho.

Nicky: Isso foi um elogio?😏

??? :  Sim ;) 

???:  Muito bem. Continue procurando e se encontrar mais alguma coisa me mande.

Nicky:  Espere.

???:  Sim?

Nicky:  Você conhece a Hannah? Tipo, convive no meio dela...

??? :  No momento certo eu prometo que irei falar tudo, ok? Só preciso que você confie em mim.

Nicky:  Eu confio. 

???:  Além de mim, tem alguém em que você confie no grupo?

Nicky:  Sim. Mas no momento certo eu te digo...

??? :  Você está tirando uma comigo?

Nicky:  Sim 🤭

??? : Ok. Confesso que eu ri aqui. Até depois Nicky

Nicky: Até  🙂

Jake retirou o fone de ouvido e recostou - se na cadeira. Em meio aquela confusão toda ele havia tido um momento divertido.  Ele estava intrigado. Nicky Grimmes não fora escolhida aleatoriamente. Mas se saiu melhor que a encomenda. Ele riu ao lembrar dela perguntando se ele tambem enviaria tudo para ela. Ou então da vez em que ela o surpreendeu perguntando qual era o programa que ele usava para hackear. Direta ao ponto. Mas ao olhar agora a conversa dela com Jessy uma leve irritação o tomou. Que investigação mais produtiva a dela. Ele só queria entender como que gastar tempo perguntando sobre o Richy iria ajudá-los a solucionar o caso da Hannah. Ele iria confronta- lá no dia seguinte sobre a falta de foco. Ela estava tendo o acesso às nuvens e informações sigilosas para ganhar tempo, não para arrumar um namorado!  Ele levantou - se e foi até o barman pagar sua comanda. Colocou seu notebook e celulares na mochila e passou incógnito pela multidão. Ele chamou um uber e pediu para ficar em frente ao hotel. Ele desceu do carro e seguiu andando em passos lentos. Parou em um canto escuro mas de onde podia ver a janela dela acesa. Ele demorou dois dias para descobrir que Nicky estava em Duskwood sem que ele soubesse.

Então no meio da madrugada ela acorda em um solavanco ao lembrar que seu celular "álibi" estava esquecido debaixo do carro da oficina do Richy.

-  Pura merda eu não dou UMA dentro! - Ela esbravejou na cama. Teria que esperar até o outro dia para pegar o seu telefone. Ela deitou-se na escuridão e cobriu a cabeça. 

No dia seguinte Nicky estava de pé as sete. Estava ansiosa.  A oficina abriria as 9 horas. Ela tinha duas horas livres. Ela começou seu relatório para mandar para a redação.

" Até agora sabemos que:

Cléo é a melhor amiga de Hannah. Ela esteve ontem aqui no hotel e me entregou o panfleto que estou mandando em anexo.

A recepcionista do hotel onde estou é imã da Hannah e eu a vi chorando.

Conheci mais três pessoas do grupo de  amigos: Jessy, Dan e Richy. 

Ah Harold, não me mate. Mas eu vou precisar alugar um apartamento para reforçar meu álibi. Fui pega de surpresa em um momento de distração e acabei inventando uma história de que vim morar aqui em Duskwood. Talvez seja até melhor sabia? Pois como moradora daqui posso me envolver mais com a comunidade e descobrir novas pistas. Por hoje é isso. Ah tem mais: falta eu conhecer o namorado da Hannah.  Foi ele quem me chamou no bate papo e começou tudo isso.

Nicky

Como havia muito tempo até que ela pudesse ir até a Loja/ Oficina de Richy buscar seu celular, Nicky decidiu ligar a TV e passar por canais. Ela ouviu um barulho de helicóptero  e achou muito estranho. Ouviu carros e uma sirene. Ele correu para a janela e viu que haviam dois carros de polícia e uma van do canal 4 parados bem próximos a entrada da floresta.  Ela ligou a TV no cala 4 e pode ver a notícia: CORPO DE UMA MULHER É ENCONTRADO NA FLORESTA DE DUSKWOOD.

Nicky gelou com o anúncio. Tão logo seu celular estava vibrando. Provavelmente era o grupo de buscas da Hannah. Ela precisava ver aquilo de perto. 

Nicky juntou -se a GREY, Alvin e a Sra. GREY em frente ao Hotel. O movimento e o número de curiosos era bem grande. 

- Meu Deus que tragédia - Disse a Sra. Walters - Venha Alvin, vamos tomar café e assistir um desenho ok?

- Foi o homem sem rosto mamãe.

- Alvin! Não diga uma coisa dessas! 

Nicky passou a prestar atenção na conversa deles.

- Mas eu vi mamãe. Tava lá o homem sem o rosto.

O velho Greg interveio  e num gesto solidário tocou o ombro da Sra. Walters. Ele então distraiu Alvin e o levou para o Buffet. 

De novo essa história de " homem sem rosto"?  

Nicky foi até o mercado Central de Duskwood para conhecer um pouco mais a cidade e aproveitaria para passar no Rogers para pegar seu celular com Richy. Ela comprou entrou em um mercadinho pequeno e comprou algumas "iguarias" e guloseimas de Duskwood para comer quando chegasse ao Hotel. Estava distraída empurrando seu carrinho, pois resolveu abastecer o seu kit de sobrevivência em Duskwood. Hoje ela estava de tênis, então as chances de tomar um tombo seriam menores. Ela estava empurrando o carrinho distraída quando bateu sem querer na pessoa da frente.

- Mas que droga você não enxerga!? - Dan virou - se mal humorado mas logo sua fisionomia mudou ao reconhecer Nicky - Olha só se não é a espertinha do café Rainbown ... - Ele se virou ficando de frente com o carrinho dela, as mãos apoiadas nas laterais.

- Palavras suas, não minhas. - Disse ela com os braços cruzados olhando com desdém para ele. A propósito estava tudo muito gostoso. muito obrigada amigo desconhecido - Ela zombou dele e pode notar que Dan  estava vermelho de raiva.

- Escuta aqui sua espertinha se você acha que vai ficar por isso mesmo você está muito enganada!

- Deixa eu ver se eu entendi: Você está me ameaçando? - Ela perguntou em tom debochado

-   Entenda como quiser sua barraqueira de quinta categoria!

-  Claro Jesus Troglodita. Diferente de você eu tenho um QI acima da média.

- Você me chamou de que?- Ele perguntou forçando o carrinho contra ela levemente. 

- JE- SUS- TRO - GLO- DI- TA! - Ela disse empurrando o carrinho de volta contra ele.

- Mas você é muito folgada pro pouco tamanho que você tem não acha?

- Ela pessoal mas que surpresa encontrar vocês aqui! - A voz de Richy logo chamou a atenção da dupla briguenta que estava se enfrentando em algo que pode ser classificado como OFENSAS DIGNAS DE QUINTA SÉRIE.

- Você conhece essa doida varrida?- Dan apontava o dedo pra ela que estava com as mãos na cintura olhando com os olhos cerrados para ele.

-  Não fale assim com ela Dan. Acho que o que aconteceu foi um tremendo mau entendido, certo?

 -  NÃO! - Nicky e Dan responderam ao mesmo tempo o que fez Richy rir. 

- Dan, é sério. Deixa disso - Ele aproximou -se do amigo e se colocou entre ele e o carrinho. - A Jessy me contou o que houve e a Sam levou o carro dela para a minha oficina.

- É claro que a Jessy te contou TUDO.

Richy pensou em responder mas se absteve. Ele apenas se colocou entre os dois  evitando um possível embate.

-  A Jessy te contou que essa forasteiros roubou meu dinheiro?

- Na realidade ela me contou uma versão diferente mas tudo bem. O que quero dizer é que podemos ser mais adultos e resolvermos isso numa boa? 

- Olha, eu nunca bati em uma mulher. Mas não respondo por hoje!

-  Então sinto dizer que hoje será também a primeira vez que eu dê um soco na cara de um amigo, cara. - O tom de Richy passou de apaziguador para ameaçador surpreendendo Dan e Nicky - Você não vai encostar um dedo nela Dan. - Richy agora estava sério e tenso. Dan ficou tão surpreso quanto Nicky.

- Richy... - ELA tocou de leve seu braço - Ele não estava falando sério. Eu vou devolver o valor do café a ele está tudo certo.

- Não precisa devolver nada. Vamos esquecer isso. Eu peço desculpas pelo que falei sobre você dirigir mal.

- Tudo bem, tá desculpado.

Vendo isso parece que Richy voltou ao seu estado normal e relaxou um pouco mais.

-  Estamos todos bem então? - Ele perguntou com ar tranquilo.

- SIM! - Nicky e Dan responderam ao mesmo tempo. 

- Ah Sam eu quase esqueci. Eu estava indo ao hotel para te devolver isso - Ele tirou o celular dela do bolso.

- Ah Richy  muito obrigada! Eu ia passar lá para pegar assim que saísse daqui!

- Parece que eu li seus pensamentos então.

- Sim... - Ela respondeu encabulada e por um instante seus olhos se cruzaram mais uma vez.

- Já vi que tô sobrando aqui- Dan resmungo. Vou indo nessa.

- Nos vemos depois Dan! 

- Falou... - Disse Nicky sem saber ao certo o que aquilo queria dizer.

Richy se desculpou com Nicky por não poder lhe dar uma carona. Mas um cliente estava para chegar e ele precisava realmente ir. Ela disse que tudo bem, mas no fundo estava desapontada. 

O uber chegou rapidamente e ela mais uma vez estava indo para o hotel. Mas decidiu que daria mais atenção ao caso e iria contar a Thomas o que houve. 



















Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...