1. Spirit Fanfics >
  2. Mensagens do passado >
  3. Capítulo 4 - Thomas e Phil

História Mensagens do passado - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Capítulo 4 - Thomas e Phil


Fanfic / Fanfiction Mensagens do passado - Capítulo 4 - Capítulo 4 - Thomas e Phil

Thomas estava com as mãos apoiadas nos quadris e a cabeça baixa. Ele tentava entender como haviam chegado aquele ponto.
- Você se escutou Thomas? - Hannah perguntou num fio de voz . Ela se afastou dele ainda mais do que o pequeno apartamento permitia.
- Eu digo e repito: Eu queria que você estivesse morta agora! - Ele disse as palavras com tanta raiva que Hannah sentiu medo - Você está tendo um caso e está jogando fora tudo o que construímos! Se você estivesse morta eu não teria que me torturar por seu comportamento idiota! Eu preferia estar em luto agora ao invés de estar aqui com você! -
Então em ato de fúria Thomas deu um chute na porta de entrada de Hannah.
Ele saiu do apartamento e foi diretamente para o bar Aurora. Dan foi buscá-lo e seguiram para o bar do irmão de Jessy.
(Início do desaparecimento da Hannah, antes do acidente do Dan)
- Eu não acredito que ela teve a coragem de me trair Dan. Eu realmente queria que ela estivesse morta agora.
- Que é isso cara. Você não quer isso. Você apenas está com raiva. E vai ver Thommy, ela realmente é uma vadia mesmo. Só de estar agindo assim.
- E eu não consigo tirar a culpa de cima dos meus ombros. Eu fiz o possível, fui paciente, dei espaço a ela... e agora isso.
- Vou te falar o que meu pai sempre diz: SEJA HOMEM!
- Eu sou homem! Mas eu estou chateado!
- Não seu idiota. SEJA HOMEM. Beba todas, pegue todas. Não atenda as ligações dela. Suma. A mulherada pira nisso do cara se comportar como um macho alpha! - Ele disse sorridente pensando em Jessy.
- Eu não sei. Mas acho que você tem razão. Foda - se a Hannah. - Ele disse por fim se rendendo a filosofia de Dan.
- É assim que se fala!- Dan deu um tapinha nos ombros de Thomas.
Dan estacionou seu carro e eles seguiram para dentro do bar.
- O que acha de chamarmos o Richy?
- Você sabe que ele é casado com o trabalho. Tenta aí. Vou lá pegar cervejas para nós!
Do outro lado do bar, debruçado sobre o balcão, Phil observava Dan e Thomas, seguindo eles com os seus olhos. Então o celular dele vibrou: Era Hannah.
Phil ignorou a notificação e se dirigiu a Dan, que estava pedindo sua bebida a outro barman.
- Você tem muita coragem de vir aqui depois do papelão que fez a minha irmã passar - Dan levantou o olhar para Phil que o encarava com cara de pouco amigos.
- Eu já pedi desculpas pra Jessy, não precisa ficar nervosinho Phil- Ele respondeu com ar debochado, o que deixou Phil furioso.
- Cuzão - Disse Phil apoiando a não no balcão e inclinado em direção a Dan.
- O que foi que você disse seu...
- Cuidado com o que vai falar otário - Phil ameaçou- Não sou seus amiguinhos retardados que te aturam. Thomas então apareceu e puxou Dan pelos ombros.
- Vamos embora Dan! - Ele puxava o amigo-  Isso não vai ser bom!
- Esse cuzão me chamou de cuzão!
- Ele é irmão da Jessy, pensa nela e vamos embora!
- Foda-se! - Dan olhou para Phil- Você acha que eu sou igual a Jessy que atura seus showzinhos? Eu no tenho medo de você.
Phil então apagou seu cigarro dentro do corpo de whisky de Dan.
- Vaza daqui seu vagabundo - Ele disse olhando Dan nos olhos.
Dan ficou vermelho de raiva, mas Thomas conseguiu afasta-lo do balcão para saírem de lá.

Hannah acordou no meio da noite com flashes daquele fatídico dia na floresta.
Olhou da janela de seu quarto desconfiada, mas não havia ninguém, apesar da sensação de que estava sendo vigiada.
Ela ficou tentada a abrir seu email e iniciar uma conversa com Jake. Mas e se ele simplesmente... a ignorasse? Um frio na barriga a fez desistir disso.
Olhou o celular e não havia resposta alguma. Mas Phil havia recebido sua mensagem.
Hannah sentia -se anestesiada com a proximidade do aniversário do incidente que acabou por tirar a vida de Jennifer. E de certa forma, flertar com Phil, se aventurar por terrenos desconhecidos e misteriosos, isso fazia com que ela pudesse se sentir... viva.
Estar ao lado de Thomas não lhe causava essa sensação, mas não por culpa dele, mas sim da sede dela em sentir -se bem. Ela por vezes fechava os olhos e relembrava suas conversas com Jake, que ainda estavam muito bem arquivadas em seu email. O que ela teria feito de errado? Será que ela foi com muita sede ao pote?
Havia algo em Phil que fazia com que ela se lembrasse de Jake. Apesar de saber que ele (Phil) tinha um temperamento explosivo, havia um ar de mistério no olhar dele, como se ele estivesse sempre muito distante, que fazia ela se lembrar de Jake. Ela as vezes até se perguntava se seriam parecidos fisicamente.
O que intrigava Hannah era o fato de Phil tê-la notado. A bebida chegou para ela, quando estava com suas amigas no aurora. Não para o grupo, mas para ela especificamente. Aquilo despertou em Hannah uma sensação muito parecida com o que havia sentido por Jake, tempos atrás.


M


AIS TARDE NAQUELE SÁBADO
Ela de decidiu dar uma volta pela cidade naquele final de sábado para relaxar. Desligou o celular e ao passar em frente ao Aurora, olhou para ver se talvez, Phil estivesse lá. Foi quando ouviu uma buzina estrondosa. Ela quase bateu de frente com um outro carro. Ela olhou assustada pra então sentir uma eletrecidade percorrer seu corpo: Era Phil, que estava manobrando para entrar no bar. Ele desceu do carro, os cabelos estavam soltos dessa vez.
- Mas que porra! Você não tá prestando atenção?  Hannah? - Ele parou de esbravejar e abriu um sorriso que tirou o fôlego dela. Quando ele sorria, covinhas se formavam ao redor dos seus lábios.
- Mas que surpresa você por aqui - Ele a encarava apoiado na janela dela ainda com seu sorrisinho. - Estava  procurando alguma coisa ou alguém aqui pertinho do meu bar? - Ele a provocou deixando -a vermelho como um pimentão!
- Não... Eu só estava dando uma volta pela cidade...
- Deixe- me adivinhar: estava entediada certo?
Ela sorriu e concordou  com a cabeça
- Você estava com o Thomas?- Ele perguntou deixando -a surpresa.
- Não, eu estava sozinha...
- Entediada sem o Thomas perto? - Ele ergueu a sobrancelha de maneira maliciosa e sorriu, aqueles olhos lindos fixados nos dela.
- Não fale assim dele Phil...por favor.
- Só falei a verdade. Encosta o carro aqui, estamos no meio da rua.
Nesse momento passou um carro que buzinou para eles
- Arrumem um quarto de motel seus imbecis! - Gritou o rapaz.
- Fala para sua mãe aparecer que eu dou um jeito nela!- Gritou Phil e o rapaz parou bruscamente.
- É Junior...sua mãe mandou lembranças.
O Rapaz abriu o carro e desceu. Hannah congelou de medo
- Phil para com isso!
- Eu não tô acreditando nisso - Phil foi até seu carro e pegou alguma coisa no banco de trás.  Hannah tapou os olhos de medo. E se fosse uma arma?
Mas para seu alívio, Phil voltou com um taco de baseball e andou decidido até o rapaz que ao ver que ele se aproximava, correu de volta para dentro do carro. Então Phil correu e acertou a lanterna traseira do carro a tempo, antes que ele conseguisse arrancar. O rapaz  assustado, saiu cantando pneu. Phil riu e voltou-se para Hannah.
- Melhor encostar ou teremos problemas - Ele disse, voltando para seu carro. Hannah o seguiu. 
De longe, Cléo observava sua amiga seguindo Phil em direção ao Aurora, que não estava aberto para o público ainda.
- Mas o que a Hannah está fazendo... com o Phil?
Phil abriu a porta dos fundos do bar e fez sinal para que Hannah entrasse.
- Você não vai falar onque realmente estava fazendo por aqui?- Phil perguntou, acendendo algumas luzes do Aurora.
- Eu não estou traindo o Thomas- Ela disse já se defendendo.
- Eu não disse que você está traindo ele. Mas ele sabe que você está aqui?- Phil olhou- a por cima dos ombros enquanto acendia seu cigarro.
- Não...- Ela parou para pensar por um breve momento e continuou- Mas eu sou uma mulher adulta, posso ir onde bem entender sem precisar dar satisfação ao Thomas, não acha?
- Não sei, eu não sou a namorada dele sentada sozinha em um bar vazio com um cara que claramente... - Ele ergueu uma das sobrancelhas e balançou a cabeça tentando encontrar as palavras certas- Não vai dizer não para uma garota bonita. - Os olhos dele passaram de encarar os dela para a boca dela, e isso a deixou sem ar. Mas ele não avançou nem um passo.
- Ok. Entendi. Você está me julgando- Ela parecia aborrecida- Bom, o Thomas não sabe, eu estou aqui porque quero, pense você o que quiser! Mas eu queria mesmo agradecer você por ter me ajudado quando eu achei que estava sendo seguida e nervosa. Ninguém, pelo menos o Thomas, nunca cuidou de mim daquela forma. Isso...
- Isso eu teria feito por qualquer pessoa Hannah - Ele respondeu de maneira ríspida - Você saiu mais que desorientada daquela farmácia e não estava em condições de dirigir.
- Sabe Phil, ninguém dos meus amigos teria feito algo por mim assim, não sem acharem que eu estava "viajando " ou vendo coisas.
- Seus amigos são todos idiotas.
- Incluindo a sua irmã? - Hannah pareceu surpresa.
- Sim, ela é uma idiota por andar com idiotas como vocês - Ele sorriu, parecendo mais relaxado agora - Não ela não é idiota e nem você.
Alguém batia na porta dos fundos do Aurora e Phil fez para Hannah um sinal para que ela não fizesse barulho. Ele abriu a porta e logo fechou a cara.
- O que você quer? - Disse ele, dando um longo suspiro e olhando para Jessy.
- Eu pensei em passar aqui para dizer oi Phil e também trouxe um livro para você de presente, para compensar o bolo que o Dan deu. Me desculpe - Ela notou o carro de Hannah estacionado e estava olhando curiosa para dentro do bar.
- Valeu - Phil pegou o livro e começou a fechar a porta
- Phil! A Hannah está aí dentro? O que ela tá fazendo aí? - Ela perguntou inocentemente, mas o rosto do seu irmão ganhou rapidamente uma feição de raiva.
- Não é da sua conta. Você está muito atrevida vindo aqui me perguntando o que estou fazendo. Me ajudar nos dias mais agitados quando estou com quadro de funcionários reduzidos, nem pensar não é mesmo Jessica?
- Phil eu só fiz uma pergunta eu não vim arrumar briga! Por que você me trata assim!? - Ela estava muito chateada e quase chorando, e ao perceber isso Phil suavizou seu tom.
- Jessica, não é uma boa hora. Conversamos mais tarde. Ok? - Ele virou os olhos. ODIAVA aquele drama todo. Isso deixava Jessica mais parecida com a mãe deles.
- Tá bom Philipe.  Tchau - Ela virou -se furiosa e saiu batendo o pé. Philipe não fechou a porta enquanto não viu Jessy desaparecer da sua vista.
- Você vai ficar puto, mas não deveria tratar a sua irmã assim Phil - Disse Hannah, agora atrás dele.
- Ela as vezes me dá nos nervos, é só isso. - Ele respondeu virando-se para ela. Sim, Jessica dava nos nervos por sempre ter sido a privilegiada de casa. As brigas que ele tinha em sua adolescência com o padrasto dele, pai dela, eram horríveis, enquanto isso Jessy saiu ilesa de tudo. Ninguém dava bronca nela pois ela era muito frágil, segundo sua mãe, sua avó e o padrasto. Tudo caia nos ombros de Phil e Ângela. E isso gerava dentro dele muita mágoa. Ele sabia que Jessy não era culpada, mas ele não conseguia não se sentir daquela maneira.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...