História Mental Breakdown - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Exo, Kpop, Ot12, Sobrenatural, Terror
Visualizações 17
Palavras 1.993
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Esporte, Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Mistério, Misticismo, Orange, Romance e Novela, Saga, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Slash, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Estou de volta!
Era pra eu ter publicado esse capítulo antes, mas estava sem internet pq meu irmão não pagou... Pois é.........
Espero que gostem, e comentem! ♥ (vocês vão ler bastante isso ao longo da fanfic hahaha)
Qualquer dúvida é só comentar também!
Boa leitura!

Capítulo 2 - Best Luck


Fanfic / Fanfiction Mental Breakdown - Capítulo 2 - Best Luck

- E então? Como foi lá? – Continuava colocando os pedaços de carne e cebola na frigideira.

- Você sabe... Não é um lugar tão comum, mas é normal, eu acho. – Apoiou o braço na mesa e em seguida colocou o queixo na mão.

- Você não me respondeu nada! – Revirou os olhos mesmo o outro não podendo ver.

- Ah Baek... Conheci os pacientes mais famosos e complicados, conheci algumas pessoas que trabalham lá e conheci o espaço. O enfermeiro chefe que me guiou por lá. Ele é sério, mas parece ser uma boa pessoa!

 

Baek desligou o fogo enquanto cantarolava algo que fez com que Luhan sentisse uma sensação familiar, mas tudo aquilo foi ignorado quando Baek colocou o prato com a comida em sua frente, fazendo sua boca salivar e seu estômago roncar pedindo por comida.

 

- E quais são os pacientes mais famosos? – Pegou uma jarra na geladeira e a colocou em cima da mesa.

- Kai, Lay, Chanyeol, Kyungsoo e Xiumin. – Suspirou. – Kai tem esquizofrenia, Lay é um psicopata em depressão profunda, Chanyeol tem borderline, Kyungsoo é bipolar e Xiumin tem depressão profunda.

 

Baek deixou um dos copos cair no chão, fazendo-o se espatifar em muitos pedaços pequenos e fazer um barulho muito alto. O mesmo sacudiu a cabeça colocou a jarra e o copo restante na mesa e nervosamente se abaixou e começou a catar os cacos.

Luhan se levantou rapidamente e foi em direção aos cacos, e se abaixou catando os que encontrava.

 

- Baek, você está bem? – Tentava alternar o olhar preocupado entre Baek e os cacos no chão. – Baek, o que foi? – Novamente não obteve resposta. – BAEKHYUN! – Aumentou o tom de voz.

- Desculpa! O que disse? – Sacudiu a cabeça e olhou para Luhan.

- O que houve? Por que parece nervoso? – Parou de catar os cacos.

- Nada, Han! Nada! Apenas me ajude a catar isso para podermos comer, por favor!

 

                                          ~//~//~//~//~//~//~//~//~//~//~//~//~//~//~//~//~//~//~//~//~//~//~

 

 

- Apesar de tudo isso acredito que irei me dar bem lá! De certa forma me familiarizei com os pacientes como se eu já os conhecesse! – Falava animadamente.

- Realmente se sente confortável nisso? Sabe... – Hesitou durante alguns segundos. – Trabalhar com pessoas malucas.

- Eles não são malucos, Baek! – Na sua voz havia certa indignação. – São apenas pessoas que infelizmente tiveram o azar de ter uma vida conturbada demais para aguentar, ou nasceram assim. Não é questão de ser maluco!

- Desculpe! Mas é só que eu não entendo... – Sacudiu a cabeça. – Algumas pessoas estão lá porque escolheram isso! Elas podiam ter feito diferente! Podiam ter tentado mudar! Mas preferiram continuar no fundo do poço até chegar no ponto de estar internado!

- Chega Baek! – Luhan o encarou. – Ninguém escolhe ficar em uma situação ruim a ponto de precisar ser internado. Alguns conseguem ter ajuda, mas outros não! Você está sendo arrogante e horrível desprezando a dor dos outros dessa forma!

- O.K, Luhan... – Respirou fundo e colocou o garfo no prato novamente. – Está tarde! Tenho que ir embora!

- Você disse que dormiria aqui, e de qualquer forma, ainda nem terminou sua janta! – Apontou para o prato que ainda tinha mais da metade da comida.

- Acabei de lembrar que tenho uma papelada lá em casa para resolver, e já estou satisfeito! – Se levantou e pegou as coisas da mesa colocando-as na pia em seguida.

- Eu te levo na porta! – Luhan começou a se levantar.

- Não precisa! – Pegou sua bolsa. – Termine de comer sossegado, amanhã nos falamos! Boa noite!

- Boa noite! – Se sentou novamente.

 

Assim que Baekhyun fechou a porta, Luhan colocou o garfo no prato e ficou tentando entender o que exatamente tinha sido tudo aquilo, e porque Baek ficara tão estranho de uma segundo para o outro.

 

- Algumas pessoas realmente precisam de uma terapia! – Falou para si mesmo enquanto jogava o resto de comida fora. – E aparentemente eu também, já que estou falando comigo mesmo enquanto limpo pratos.

 

 

Luhan estava se preparando para deitar depois de lavar a louça e tomar banho, quando ouviu alguém bater na porta. Rapidamente vestiu seu roupão e desceu as escadas até a sala. Assim que abriu a porta, não havia ninguém. Olhou de um lado para o outro, chamou por alguém, mas ninguém apareceu.

 

 - Eu realmente preciso voltar a dormir cedo para dormir mais! – Falou para si mesmo enquanto voltava para dentro.

 

Fez o mesmo percurso de volta para o quarto e logo se jogou na cama. Pegou seu celular e não havia nenhuma mensagem de Baekhyun.

Nesses momentos ele nunca sabia se devia se preocupar ou não, pois Baek era o tipo de pessoa que ao chegar a qualquer lugar se esquecia completamente que devia ligar ou mandar alguma mensagem. Luhan resolveu deixar para lá, já que o mesmo disse que tinha muitas coisas para fazer. Então colocou seus fones, deu play na playlist de música relaxantes e se ajeitou na cama, pronto para dormir.

 

                                                    ~//~//~//~//~//~//~//~//~//~//~//~//~//~//~//~//~

 

                                                                   ~Manhã seguinte~

 

 

Luhan acordou assustado com o som do despertador e levantou da cama em um pulo, atrasado para seu primeiro dia de trabalho no hospital psiquiátrico.

 

- Merda, merda, merda! – Falava para si mesmo enquanto corria de um lado para outro para se arrumar.

 

Depois de correr metade de casa, Luhan correu em direção a cozinha para pegar um suco e uma fruta para comer no caminho. Mas parou de repente ao chegar à cozinha. Olhou para o relógio e ele não estava atrasado, estava ainda duas horas adiantado.

 

- Me esqueci completamente o horário que coloquei o despertador para tocar... – Falou para si mesmo e sacudiu a cabeça em negação. – Eu podia ter pelo menos olhado o relógio!

 

Mesmo adiantado, Luhan terminou de se arrumar rápido – sem correr pela casa dessa vez – e foi direto para o hospital psiquiátrico. Quando entrou a agitação do dia já começara.

Na recepção algumas enfermeiras conversavam, e na sala de espera os familiares já começavam a chegar e se acomodar para esperar o horário da reunião de apoio.

Luhan continuou caminhando até chegar a sala onde os funcionários descansavam e almoçavam, e lá encontrou com Tao, que conversava no canto da sala com um rapaz alto, bem arrumado e de cabelos castanhos claro. Assim que Tao notou a presença de Luhan, o chamou até lá.

 

- Chegou bem cedo! – Tao deu um sorriso de lado. – Este é o Kris, nosso enfermeiro e psiquiatra chefe. Ele não estava aqui ontem quando você chegou!

- Prazer me conhecê-lo, me chamo Luhan! – Estendeu a mão, mas Kris apenas assentiu com a cabeça.

- Sei seu nome! Sei o nome de cada enfermeiro, psiquiatra e paciente desse lugar!

- Entendo... – Luhan se sentia um pouco constrangido com o tom quase grosseiro.

- Tao riu. – Não se preocupe Luhan! Logo, logo você acostuma com esse aqui! Ele é assim mesmo. Frio, grosso e nunca sorri, mas é um excelente profissional e amigo!

- Senhor Luhan? – Uma enfermeira chamou ao entrar na sala.

 

Luhan ficou maravilhado quando se virou e seus olhos se encontraram com os da enfermeira que o chamara.

Era uma mulher jovem, tinha pele bem clara, cabelos escuros e seus olhos pareciam brilhar mais que o de qualquer outra pessoa. De fato aquela era a mulher mais linda e fofa que Luhan já havia visto em toda sua vida.

 

- Senhor Luhan? – Chamou novamente.

- Sim? Perdão! – Tossiu uma vez para disfarçar o constrangimento.

- A sua presença está sendo solicitada na reunião para que eles conheçam o novo enfermeiro responsável por seus familiares internados aqui! – Olhava para Luhan com uma expressão séria e quase desconfortável.

- Claro! – Se virou para Tao e Kris novamente. – Com licença, preciso ir!

 

Em seguida seguiu a enfermeira até uma sala. Ao entrar nela Luhan engoliu em seco, ao ver a imensidão de parentes ali sentados e observando-o, aguardando ele se apresentar e começar a explicar seu trabalho, e quais eram suas metas e objetivos no hospital.

 

- Bom dia! – Tentou sorrir da forma mais confiante que podia. – Me chamo Luhan e sou o novo enfermeiro responsável pelos seus familiares. Pediram-me para falar e falar, mas eu prefiro que cada um me pergunte o que quer saber e eu vou respondendo, assim não fica chato para nós! – Riu.

- Bom dia! – Uma moça levantou a mão. – Qual sua idade, por favor?

- 22 anos! – Sorriu.

- Então sua idade está de acordo com seu trabalho! – Um homem de aparência grosseira falou quase gritando e começou a rir sozinho.

- Senhor, peço que respeite não só o lugar e os funcionários, como também os pacientes e familiares! Esse tipo de piada não tem graça, é desrespeitosa e não será tolerada enquanto eu estiver aqui!

- Então saia e mande outro vir! – O homem encarava Luhan, que o encarava também.

- Senhor, se veio até aqui para tumultuar, peço que se retire! – Respirou fundo.

- Ô garota! – Referiu-se sem educação e informalmente à enfermeira no canto da sala. – Tira esse moleque daqui e trás alguém com o mínimo de senso de humor, por favor!

- Senso de humor é uma coisa, falta de respeito é outra! – Luhan já começara a se estressar, mas tentava manter a pose calma.

 

A enfermeira que aguardava com Luhan saiu da sala, deixando-o sozinho junto com o homem e todos os outros familiares, que cochichavam e reclamavam da falta de educação do homem ali presente.

Ninguém sabia quem ele era, ninguém sabia por que ele estava ali. A única coisa que todos sabiam era que ele precisava ir embora.

 

- Olha só... – O homem se levantou da cadeira. – Todo mundo aqui sabe, você sabe que esse lugar foi feito para gente louca, retardada!

- Senhor sente-se! – O tom de voz de Luhan começara a mudar.

- Qual o problema de admitir que todos aqui são surtados? – Caminhava em direção a Luhan.

- Senhor, já falei pra se sentar!

- Todos nós aqui sabemos... – Fez gesto apontando para todos na sala. – Que aqui é feito um zoológico de retardados mentais! – Parou na frente de Luhan e o olhava com uma expressão debochada. – Vocês cuidam e mantém um circo dos horrores!

- Agora já chega! – Luhan gritou e em seguida acertou um soco no rosto do homem, que caiu sentado. – Eu quero que você se retire daqui agora!

 

De repente a enfermeira entrou na sala correndo, e logo atrás entraram Tao, Kris e dois seguranças do hospital.

A enfermeira e Tao entraram na frente de Luhan e o impediram de ir em direção ao homem novamente, enquanto os seguranças o agarraram pelo braço e iam levando-o para fora dali. Kris apenas observava calado toda àquela confusão.

Quando o homem foi retirado de lá e Luhan acalmado, Kris tomou a frente da sala.

 

- Peço perdão aos familiares por toda essa confusão! Ainda não sei o motivo pela qual ela começou, mas podem ficar cientes de que tomarei todas as medidas necessárias para que isso não aconteça mais, e ambos os envolvidos na briga serão punidos! – Respirou fundo. – Infelizmente hoje o tempo de nossa reunião acabou sendo desperdiçado por essa briga, então peço perdão também por isso, e que voltem novamente na semana que vem no mesmo dia e horário de costume! Obrigado pela compreensão, qualquer reclamação só chegar ao balcão e pedir que uma das recepcionistas me chame!

 

Kris fez uma longa reverência como forma de expressar ainda mais intensamente seu pedido de desculpas pelo erro, mesmo que não tenha sido dele.

Só após ver aquilo é que Luhan foi se dar conta de que Kris era o chefe ali, e ele que teria que dar conta de todos os problemas e comentários que viriam depois de toda aquela confusão. Então Luhan se deu conta da besteira que havia feito ao se deixar levar por aquele homem. Ele provavelmente seria demitido e impedido de pisar em qualquer outro hospital psiquiátrico.

 

- Luhan? Você vem comigo! – Em seguida saiu da sala andando apressado e com uma expressão ainda mais séria.


Notas Finais


Não se esqueçam de comentar e até o próximo capítulo!
Beijos~♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...