História Mente Diabólica - Imagine Min Yoongi (BTS) - Capítulo 16


Escrita por: e Lari_Andrade31

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, Got7, K.A.R.D
Personagens B.M, BamBam, J.Seph, Jackson, JB, Jennie, Jeon Jungkook (Jungkook), Jinyoung, Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lisa, Mark, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Rosé, Youngjae, Yugyeom
Tags Bangtan Boys, Bts, Drama, Imagine Suga, Min Yoongi, Romance, Suga, Tortura, Tragedia, Traição, Violencia
Visualizações 64
Palavras 3.982
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


8 meses 'o'

Capítulo 16 - Capítulo Quinze



"O mundo algumas vez nos insulta...

O mundo às vezes nós faz pequeno...

No final amaldiçoamos o mundo...

No final, ficamos solitários. "


S/N

Coloquei o revolver Taurus 5 no coldre em minha perna. Suspirei arrumando meu vestido vermelho vinho longo e com uma pequena abertura na perna oposta do coldre. Hoje seria o dia em que iríamos "arrancar" informações de um cara. O plano estava todo arquitetado e todos os meninos estavam ansiosos e eu... Bem eu estava nervosa. Seria a primeira vez minha em campo. Tomara que tudo ocorra bem se não tudo irá por água abaixo. Peguei minha pequena bolsa e me olhei no espelho mais última vez.  Será que é uma boa ideia fazer isso?  Lógico que é garota. Tentaram te matar nada mais justo saber quem foi. Sou tirada dos meus pensamentos quando ouço baterem na porta.

- Entre.

- Estão todos te esperando na sala. - Tae falou quando abriu a porta.

- Já estou indo. - Sorri concordando. Ele me analisou e deu seu sorriu quadrado depois saindo.

Olhei em volta do quarto pensando se não estava esquecendo nada. Tudo nos eixos, dei um longo suspiro tomando coragem para descer. É melhor acabar com isso de uma vez! Coragem. Nada vai dar errado. Yoongi planejou tudo. Yoon... Depois que aquilo aconteceu... quero dizer... depois que ele me beijou, saiu rapidamente do quarto e não vi ele mais, Jimin me disse que ele ficou trancado no escritório. Eu realmente não sei o que pensar sobre isso. Mas vou parar de pensar nisso e focar na missão. 
E com esses pensamentos sai do quarto.

Quando pisei no último degrau todos os olhares foram direcionados para mim. Isso é muito constrangedor. Tenho certeza que corei. Só Jimin, Namjoon e Jin estavam de terno já que eles que irão se camuflar na festa. Os outros estavam de roupas totalmente pretas.

- Está linda. - Hobi disse e os mais novos concordaram. Olhei para Yoongi. Mas ele estava impassível. Como eu queria saber o que se passa na cabeça dele.


- Vamos logo. - O Min disse quando percebeu que eu olhava muito para ele. Caminhamos para fora da casa e entramos na van. - Todos sabem o que fazer. - Ditou quando todos já estavam sentados e Hobi dirigindo calmamente. - E como sempre, não admito falhas. Se algo der errado sabem o que fazer.

- Como assim? - Perguntei e ele olhou para mim com um sorrisinho. Não gostei disso.

- Não se preocupe, nada vai dar errado. - E assim todos ficaram em silêncio só escutando os barulhos do teclado do notebook de TaeHyung.

- Chegamos. - Hoseok anunciou estacionando na esquina um pouco longe do salão.

- Jimin e S/N podem ir primeiro. - Yoon disse apontando para fora e concordamos. - Namjoon e Jin irão depois e daí é só seguir o plano. Todos prontos?

- Sim! - Todos disseram. Não, pensei mentalmente.

Jimin abriu a porta e saímos da van, ele estendeu a mão para mim e peguei me apoiando já que usar saltos não é bem a minha praia. Eu seria sua acompanhante para a festa. Entramos sem nenhum problema já que Tae conseguiu o convite. Olhamos para os lados verificando tudo, a planta que Jungkook mostrou ajudou bastante para reconhecer o lugar. Meu olhar  focou ao local onde havia os casinos, se Yoongi estivesse certo - e provavelmente está - o homem que estamos procurando estará lá jogando e é aí que eu e Jimin entramos. Olhei pro mesmo e ele estava olhando para o mesmo local que eu.

- É hora do show. - Lançou um sorriso pra mim.

Mesmo não tendo experiência nesse ramo eu já vi alguns filmes em que fazem isso e à qualquer momento se dermos algum passo errado tudo pode ir para o ralo.

 - Não se preocupe, estou aqui. Se acontecer algo com você Yoongi coloca isso aqui pra baixo. - O coreano me conduziu para o local. Não sei se isso me acalma ou me preocupa.

Um segurança estremamente grande e careca, nos barra. Eu fiquei tensa e minhas mãos começaram a suar. Jimin percebe e coloca na minha frente.

- Poderia nos dar licença? - Perguntou num tom falsamente amigável.

- Não podem entrar, esta área é restrita. - Ditou em um tom rouco. 

- Não vejo o porquê. - Bufou impaciente. - Eu e minha dama queremos fazer nossas apostas.


- Eu já disse...

- Hey, Michael. O que ouve? - Era ele. O informante.

- Senhor Chong. - Se curvou. - Eles estão querendo entrar.

- E qual o problema? - Olhou para nós demorando alguns segundos a mais em mim. Hum... - Deixe eles. Não é todo dia em que temos uma estrangeira. - Sorriu amarelo. Eca. - Vamos meus jovens.

O segurança nos deu passagem e seguimos o senhor. Era tudo muito iluminado. Várias pessoas jogando, outras rindo, provavelmente bêbadas ou até mesmo drogadas. Tudo exalava dinheiro, dinheiro podre que eles ganhavam. Tinham várias mulheres ali também, ao meu ver um cara havia no mínimo umas sete ao seu lado.

- Aqui! - Ele parou e apontou para uma enorme mesa. - Venham jogar conosco.

- Obrigado. - Jimin agradeceu por nós dois percebendo meu desconforto. Ele sentou e fiquei atrás dele como uma boa acompanhante.

-  A moça não irá jogar? - O senhor me perguntou.

- Ah! Não eu só irei observar, ChimChim é melhor que eu nisso. - Usei o nome falso de Jimin.

- Oh! Que pena. - Trocou o dinheiro pelas fichas. Com isso começaram a jogar. 

Com Jimin eram seis pessoas naquela mesa cada um com uma bolada de dinheiro para apostar. As cartas foram a mesa. Jimin estava perdendo parcialmente tudo, até agora. 

- Apostarei tudo nesta jogada. - Um homem de mais ou menos 50 anos disse e suas três acompanhantes riram o bajulando.

- Eu também irei. - Outro se pronunciou sendo seguido pelos outros dois.

Só faltava o Chong e Jimin.

- Bom se é assim. - Colocou suas fichas para frente.

Jimin deu os ombros também empurrando o resto das fichas para o meio da mesa.

- Rapazes sinto lhes dizer isso mas o dinheiro é todo meu. - Chong mostrou sua jogada; Carta alta: Um Rei de coração, Valete de espadas, um dez de paus, um seis de coração e um três de ouro .

- Não possível!!! - os outros participantes reclamaram.

Enquanto alguns se lastimavam, Jimin estava quieto esperando a hora do bote. E como uma naja que Park Jimin é, ele atacou.

- Não ainda cavalheiros. - Se pronunciou levantando. Eu pensei que ele sacaria sua arma porém ele jogou suas cartas na mesa; com cinco, seis, sete, oito e nove de de paus. Straight Flush!!! Jimin é mesmo fantástico.

Os homens espantados olharam para ele.

- Como??? - Tentou avançar em Jimin mas os outros pararam ele. O coreano mais novo mexeu se quer o músculo não vacilando se quer um segundo.

- Sem violência. - Chong pediu e eles se disiparam. - Ele venceu honestamente, nós que o subestimamos. - Andou até Jimin. - Parabéns meu jovem, - Olhou para mim. - creio que sua bela dama o deu sorte.

- Claro que sim. - Se pôs a minha frente. Logo Chong se afastou.

- Quer tomar uma bebida? - Perguntou a nós dois.

- Porque não? - Pegou em minha mão me conduzindo. Seguimos ele até uma mesa mais afastada.

-Jin, Namjoon. Agora. - a voz prepotente de Yoongi soou pela escuta em meu ouvido e obviamente no do Moreno ao meu lado já que me olhou.

- Então... - Chong começou. - Onde achou essa bela mulher? - Jimin respirou fundo.

- Em uma boate. - Mentiu.

- Oh! Queria ter a mesma sorte. - Meu estômago estava embrulhado com cada palavra que saia dele sua boca. - Me conte onde é, para que eu possa ir lá e ver se encontro mais alguma. - Pediu como se eu não estivesse ali ouvindo tudo.

- Não sei se você conhece o local. - Ficou com a postura ereta. - Mas o dono você deve conhecer

- Eu vou entrar nessa porra. - Avisou Yoon. E parece não estar nada paciente.

É agora. 

- Ele não é muito de aparecer, mas quando aparece é porque a coisa tá realmente feia e quer resolver com as suas próprias mãos. O temperamento dele, ah, não é nada legal quando ele está puto. E adivinha. Ele tá sempre puto. - Jimin soltava cada palavra com uma voz assustadora e se eu não estivesse do lado dele eu teria corrido.

- Onde quer chegar com isso?- Perguntou deconfiado.

- Ele quer dizer que sou eu, seu filho da puta. - Yoongi aparece com uma AK-47 apontada para Chong.

- Suga??? - Perguntou espantado.

- O próprio. - Sorriu de ladinho.

- Como entrou aqui? Onde está meus seguranças? - Aflito era pouco para descrever como ele estava. Era essa a reação que Yoongi dava nas pessoas? Ele era um policial tão bom, ou temido assim?

- Você quis dizer essas bixinhas ali? - Apontou para uns caras no chão pude reconhecer um deles, o segurança que nos barrou estava desacordado -ou morto no chão- e com o pé do Namjoon em sua cara. - Não duraram nem dois minutos. - Riu.

- Impossível.

- Ah! Cala essa boca. - Se aproximou de nós. Eu e Jimin nos levantamos e fomos para o lado dele. Yoongi me lançou um olhar daqueles que só Jesus pra decifrar. Desviou logo após se sentar na frente do mais velho. - Sabe eu percebi que deu encima dela. - Colocou a arma sob a mesa. - Isso não se faz velho. - Relaxou sentando na cadeira. - Cantar a mulher de outro cara é pedir pra morrer.

- Bom eu achei que ele iria se importar. - Deu os ombros e olhou para Jimin. Este deu uma risadinha.

- Importar... - Repetiu. - O Jimin? Hum... Ele não se importou porque ela não é dele, ela é minha. E VOCÊ deu em cima dela. - Pegou a arma e apontou para a cabeça de Chong que levantou as mãos em sinal de rendição. Yoongi estava insano e eu estava encabulada.

- Suga... não foi pra isso que viemos. - Jin alertou.

- Aé!- Soltou a arma e sorriu. - Essa minha cabeça. - Rodou a mesa e parou de frente para ele. - Eu estou com pressa então vamos direto ao assunto. Esses dias atrás teve um incêndio. E quem aqui em Seul é uma parabólica de informação? - Pegou ele pelo pescoço e disse perto de seu ouvido.

- Eu? - Respondeu incerto.

- Isso garotão. - Bateu em suas costas. - Eu queria saber se você ouviu algo por esses becos que eu possa tirar proveito, sabe? - Inocentemente, eles conversavam. Nem parece que segundos atrás estava apontando uma arma para a cabeça dele. 

- Bem eu... - Começou mas hesitou. Oh, pela cara de Yoongi vi que foi uma péssima péssima escolha.

- Fala logo e eu não irei te matar. - Sorriu doce. Min Yoongi sorrindo assim? Aí tem coisa.

- Se é assim. - Soltou um grunhido. - Eu fiquei sabendo de alguns gângsters que uma pessoa que tem muita influência aqui tinha mandado os bombas para lá fazer um serviço sujo.

Os bombas?

- É faz sentido. - Namjoon se pronunciou. 

- Quem é essa pessoa? - Yoongi perguntou raivoso.

- Eu não sei Suga. Se eu soubesse te diria eu juro.

- Suas juras pra mim são como merda. - Cuspiu no chão.

- Mas estou falando a verdade. Não seria louco de mentir pra você. - Se defendeu.

Yoongi o analisou e suspirou.

- É, você não séria mesmo. Mais alguma informação? - Levantou uma sombrancelha.

O cara negou. 

- Onde está saindo esse boato?- Jungkook perguntou.

- No norte. 

- Os bombas devem estar por lá então. - Jin falou olhando para Jimin que tinha um olhar perdido. O que está havendo?

- Sim. - Yoongi pegou sua arma. - Bom sua informação foi de suma importância velho. - Chong assentiu parecendo aliviado. - Já que não tem mais nada pra falar então não serve mais.

- Como assim? - Franziu a testa.

- Mate-o. - O Min mandou.

- O que??? Não!!! Você disse que não me mataria.

- Sim, disse que EU não te mataria. Não disse nada sobre os meninos. - Sorriu sádico.  Sabia que tinha algo nisso.

- Por favor não. - Chong desesperado suplicou. 

Yoongi se virou e me encarou, depois lançou um olhar para Jin que concordou. O mais velho veio até mim e me pegou pelo braço me tirando da sala, mas não antes de escutar um barulho de tiro.


BM

Com tudo que estava acontecendo eu não sei onde isso vai parar. Depois que me contrataram entendi porque da vaga ter sido fácil. Essa cidade é um caos. Além de cuidar de vândalos o tempo todo. Tinha um novo problema que não são sai da minha cabeça mesmo o delegado dizendo que deu as investigações como encerradas não posso parar eu tenho que fazer isso por ela. Como se não bastasse,  Choi também sumiu. Nada disso está me cheirando bem, e não é o bacalhau que comi. 

JSeph acha que eu estou paranóico porém ainda me ajuda em algumas coisas mesmo eu pensando que ele está se comportando de um modo estranho depois que viu Álice. E ela é mais um problema? Tomara que não, entretanto não posso abaixar a guarda. Já falei com o delegado sobre o jantar que ela dará no sábado ele esta pensando se vai, já eu pretendo ir para observar ela mais de perto.



Yoongi 


Álice está quieta. Pelo menos no que eu fiquei sabendo pelos meu olheiros, viram ela na antiga casa da S/N no que parecia estar investigando além do vira-lata policial. Então eles devem ter se conhecido. Interessante... Tomara que Álice não tenha aberto de mais aquela boquinha. Esse tira não é como os outros ele ainda vai me dar trabalho, mas nada que eu não resolva.

Me distanciei da S/N depois do beijo, na verdade foi só pra ela calar a boca e para ela parar de fazer perguntas. Porra isso já tava me enchendo. Se fosse outra eu já teria metido uma bala na testa, porém ela é minha Barbiezinha. E parece que deu certo já que TaeHyung me disse que ela não fez nenhum questionário sobre Álice, só estava pensativa. Bom pelo visto estou no caminho certo. Que cômico.

No dia em que fomos tirar informações do velho Chong eu quase estraguei tudo, fiquei possesso com ele quase se atirando pra cima dela, mas manti a calma. Ainda não era a hora. O velhote me deu uma informação valiosa sobre os bombas, o que eu não entendo é o porquê eles ainda estão vivos. Pensei que Jimin tinha se vingado deles pelo que fizeram com ele. Bom... isso é outro assunto. Quero pensar agora no encontro das minha duas meninas. Ah, Álice você só me dá dor de cabeça. O que está aprontando agora? Aposto que quer me ferrar. É o que te traz diversão não é?! Bom vamos ver se irá conseguir.

Batidas na porta do meu escritório fizeram-me questionar se eu matava ou triturava a pessoa que estava interrompendo meus pensamentos.

- Entra. - Quase saiu como um rosnado.

- Yoongi eu queria conversar sobre o encontro. - Acho que nenhuma das alternativas por enquanto já que era minha Barbiezinha. Sorri.

- Tudo bem. - Ela andou até minha mesa e sentou na cadeira a minha frente. - Bom, o que eu tenho pra te falar é. - Ela respirou fundo prestando atenção. - Primeiro: não acredite em nada do que ela disser. - Ela já iria perguntar mas a interrompi. - Segundo: nada de fazer perguntas á ela, mocinha. Álice não vai gostar. E por último; não contrarie ela. Pelo menos Jeon vai com você. - Bufei. Logo o Jeon. Não estava 100% seguro enquanto a isso já que ele não tem tanto controle e está  indo praticamente obrigado. Já  até sei o que essa criança fará e Álice não vai gostar nem um pouco. - Só obedeça desta vez tá bom?

-  Tudo bem. Eu prometo. - Sorriu. Ahhh, como eu quero desmanchar esse soriso. Espera Yoongi. Espera.

Depois de conversar com ela, a mesma subiu para se arrumar. Passando as horas eu finalmente sai do meu covil e fui para a sala. Me deparei com Jungkook sentado no sofá com uma cara de merda.

- Melhora essa cara antes que eu rale ela no asfalto até a China.

- Credo o meu rostinho não. - Arregalou os olhos. Ri com aquilo.

- Não me diga que vai fazer aquilo que estou pensando. - Encarei ele sério. Ele não sabe com quem está se mechendo. Eu até tive uma paciência enorme com ele apesar da personalidade infantil que ele faz quando algo não o agrada. Dupla personalidade. Um trauma de infância. Às vezes eu mandava ele contar carneirinhos depois de dar uma surra. Mas isso foi uma vez ou outra.

-  Você sabe que isso acontece normalmente. - Deu os ombros despreocupado. Meu querido Jeon se eu fosse você  não estaria assim.

- Tanto faz só não mete ela em encrenca se não eu mando você fazer uma visitinha ao tio Lúcifer mais cedo. -  escutei um carro parar na frente de casa. - Lembre-se maknae, um arranhão se quer. - Coloquei meus dedos em forma de arma na minha cabeça. - Pah!! Adeus miolos de Jeon Jungkook. - O mais novo engoliu o seco. E com aquelas palavras eu saí do cômodo escutando passos lá em cima. Atrasada.  Rolei os olhos. Alguém vai levar bronca.


●●●


Passaram meia hora que eles saíram, lá estava eu em reunião com os meninos.

- Me diga, Jimin. - Encarei o baixinho que estava muito pensativo desde que voltamos da última missão. - Você não tinha acabado com aqueles merdas? 

- Eu achei que tinha. - Disse em um fio de voz. Esse assunto dos bombas mexe com ele. Ninguém merece. 

- Achou??? - Não acredito. - VOCÊ ACHOU PARK JIMIN? - Elevei meu tom de voz. - Achismo pra mim não serve.

- Eu tinha explodido todos. Tae ficou de prova. - Olhei para o dois. 

- Mas pelo visto não deu certo e eles agora estão nos dando trabalho novamente. Que desgraça.

- Olha Yoongi... - Namjoon se aproximou. - Ficar remoendo o passado não vai adiantar. Eles estão vivos e teremos que acabar com eles.

- É claro que eu vou acabar com eles. Vou arrebentar cada um. - Quem eles pensam que são. - V me mostre o que você conseguiu.

- Entrei na rede da prefeitura e acessei cada câmera do Norte. - colocou umas fotos sobre a mesa. Analisei cada uma. - Eu e Hoseok já fomos dar uma olhada para reconhecer o lugar. É esse mesmo.

- Ótimo. - Concordei. - Como vocês sabem. Tem alguém atrás da S/N.

- Você suspeita de alguém? - Jin perguntou.

- Sim, mas é só uma suposição. - Que provavelmente está certa. - Venham comigo.

Saímos da sala de reuniões descemos as escadas para o porão em direção à Bastilha. Entramos e na cadeira estava nosso alvo.

- O que ele faz aqui? - Perguntou Jimin.

- Eu estou suspeitando de algo então me previne. - Respondi andando até a cadeira onde está o homem. - Como se sente? Ninguém te machucou não é? - Me olhou com um olhar mortal. Como afetava, que medo. Soltei um risinho.

- Não me diga que está suspeitando do Chefe? - Hoseok me olhou incrédulo.

- Talvez. - Disse dando os ombros.

- Talvez? - Namjoon repetiu. - Se ele está aqui você deve ter certeza já que ele é um dos informantes dele.

- Ainda bem que temos alguém inteligente aqui. - Sorri irônico. - Sim pessoal eu suspeito dele na verdade tenho 90% de suspeita. 

- Por quê? - Jin questionou.

- Pelo que Chong disse foi alguém de influência em Seul. E quem poderia ter mais influência que eu? Isso mesmo ele.

- Pegou ele para servir de aviso? - Tae apontou para o informante que olhou para nós e começou a falar.

 - Vocês são só mais uns moleques bastardos, irritantes e ingênuos . Logo, logo vão cansar de vocês e faram o mesmo que estão fazendo comigo. - Baekyo disse guspindo sangue.

 - Mas esse dia não é hoje. - Disse me aproximando dele com a minha arma mirada  em sua cabeça.- Quais são suas últimas palavras? - Perguntei irônico.
   

- VAI PRO IRNFERNO! - Ele gritou.
 

 - Te vejo lá. - Apertei o gatilho.

Virei para trás e vi os meninos todos me olhando sério. Me perguntava qual será que vai  falar algo.

  - Yoongi... - Começou Jin. - Você sabe que,  o que ele disse é verdade não é?!

  - Claro.

- Então... O que faremos?! - Perguntou Taehyung.

- Eu não sei... - Disse e eles abaixaram a cabeça.- Só sei que não deixarei machucar minha família. - Disse saindo mas pude ver um sorriso nos lábios de cada um. - Mas primeiro limpem isso.

Estava na hora dos dois chegarem então fui para a porta da frente espera-los. Não fiquei nem dez minutos esperando e vi uma limusine chegando. S/N desceu e veio até mim. Analisei ela da cabeça ao pés. Hum... Tudo em ordem.

- Entra e me espere no sofá. - Falei simples e ela concordou.

Fiquei alguns segundos olhando para o automóvel mais precisamente para dentro dele. Jeon não saiu ate agora. Álice está aprontando algo vamos ver o que desta vez. Sorrindo entrei.

Os meninos já estavam lá provavelmente já limparam minha pequena bagunça.

- Onde está o Kook? - Jin sempre preocupado.

- Está com Álice ainda no carro. Ela disse que queria conversar com ele. - A garota informou. Os meninos me lançaram um olhar temeroso. Ri comigo mesmo dando os ombros.

- Sentem e esperem. - Disse fazendo o que disse e os outros me seguiram.

Após cinco minutos a porta se abre revelando o mais novo com dois envelopes em sua mão. Franzi a testa. Lá vem mais dor de cabeça.

- Kookie! - V se levantou e foi até ele. - Pensei que estaria machucado você é tão irresponsável. - Abraçou ele. Ahhh que melação.

- Para de ser retardado Tae. - Se separou do abraço. - Até parece.

Os outros riram da cara emburrada do Jeon.

- O que é isso em sua mão? - Perguntei.

- Ah bem isso é da Álice. Ela mandou pra você ler com a gente. - Me deu o envelope branco.-  E esse é pra você ler sozinho.

Analisei os dois envelopes. Suspirei e abri o branco e comecei a ler alto.


"Queridos amigos, venho por meio deste, comunicar que neste sábado 24/7 às 20:30 da noite haverá um jantar em comemoração aos dez anos da nossa empressa. E venho lhes convidar para comparecer a este evento em minha residência. Aguardo por todos."

Atenciosamente: Álice Moore Reed



  Mas o que ela está planejando?!

- Jantar?? Ela nos convidou? - Hoseok perguntou sem entender nada.

- Ela deve estar querendo nos manipular. - Jimin se manifestou.

- Ou talvez até uma armadilha. - Namjoon se pronunciou.

- Talvez não pessoal. - A garota disse. - Quem sabe ela não quer fazer as pazes?

Os meninos e até eu a olhei com uma cara de deboche. 

- "Álice" e "fazer as pazes" na mesma frase não existe no vocabulário dela.- Ditei. - É óbvio que ela planeja algo. Mas também não nos impede de estar com um passo a frente.- Depois de ter dito isso fui até meu escritório pare ler o outro envelope em paz.

"Yoongi, irei nesse sábado fazer um 'pequeno' jantar em minha casa, quero que compareça. E não recuse, ou posso fazer algo que não vai gostar. Neste jantar de comemoração de dez anos de nossa 'empresa' terá muitos empresários importantes que 'convidei'  para minha festinha. Estará presente também o detetive Matthew Kim, vai ser bom para você assim ele não terá muitas suspeitas. Quanto a S/N leve-a sem questionamentos explicarei tudo no dia. Não tolerarei atrasos."

Atenciosamente: Álice Moore Reed


Mas o que ela quer com tudo isso?!




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...