História Mentiras do amor - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alix Kubdel, Alya, Chloé Bourgeois, Félix, Gabriel Agreste, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mylène Haprèle, Nathalie Sancoeur, Nathanaël, Nino, Personagens Originais, Plagg, Sabine Cheng, Sabrina, Tikki, Tom Dupain
Visualizações 288
Palavras 3.102
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Fluffy, Harem, Hentai, Lírica, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente voltei!
Desculpa a demora
Desculpa mesmo
Mas eu tive um bloqueio criativo quando eu não deveria ter!
E eu estava em uma pequena crise existencial por ter que fazer ENEM e vestibular

Mas to de volta!
E agradeço a todos os comentários do capítulo anterior
Adoro vocês😊💙💙

quase 100 favoritos meus amores!!!



Aaaaahhhhhh!!
Boa leitura📖

Capítulo 6 - Foda-se! Se estou toda ardida


   -Adrien, posso entrar? –arregalei os olhos ao perceber que a voz vinha de Amélia

   -NÃO! –ele gritou enquanto eu corria para recolher as minhas roupas espalhadas por todo o chão, e entregava as dele a ele

Rapidamente me vesti, e me enfiei de baixo da cama. O ouvi respirar bem fundo antes de ir abrir a porta, provavelmente estava tentando acalmar sua ereção

Quando ele estava mais calmo, imagino, foi até a porta abrindo-a lentamente, dando espaço para Amélia entrar

   -Como você está filho?

   -Só cansado... –ele fingiu um bocejo para parecer mais convincente

   -Tem certeza? Você parece meio...

   -Meio? –ele parecia um tanto desesperado agora

   -Eu não sei... Só não é o seu normal

Eu ri baixo tentando não chamar a atenção

   -Eu estou bem mãe, sério, não se preocupe, só preciso descansar e amanhã estarei normal, prometo –ela bufou

   -Eu gosto que você fique um pouco emocional filho, mesmo que isso seja estranho

   -Emocional?

   -Bem sim. Você sabe, as vezes você parece um velho amargo com a vida de tão sério

   -Poxa mãe, obrigado pela sua sinceridade –ela riu

   -Eu amo meu filho de espirito velho, mas se lembre que ainda é jovem, tem muito oque viver e aproveitar, a vida é curta demais para ser desperdiçada

   -Claro mãe... –ouvi mais alguns barulhos, e a porta sendo trancada logo em seguida

Logo Adrien me estendeu a mão, me ajudando a sair de debaixo da cama. Logo eu estava de frente para ele, o encarando esperando que dissesse algo

   -Eu... Sinto muito por te atacar

   -Eu gosto de ser atacada –pisquei – E na verdade... Se quiser continuando atacar... –me aproximei, e ele recuou com um passo para trás

   -Não posso! Você é noiva do meu irmão

   -Hum... OK, se é assim que vai ser... Boa noite Adrien –já me dirigia ate a porta quando ele agarrou meu pulso

   -Você faz muito isso?

   -Isso oque?

   -Trair Plagg...

   -Não...

   -Então... Porque?

   -Você foi especial Adrien... Não pude evitar te agarrar –ele me encarava assustado, aproveitei sua reação para lhe dar um selinho rápido, e logo saí do quarto

Quando voltei ao quarto do Plagg, ele já estava lá, aparentemente não esperava que eu aparecesse

   -Você estava com Adrien?

   -Exatamente

   -Contou a ele?

   -Não... –fui até a cama me sentando ao seu lado – Eu queria, mas e se ele fosse contra o nosso plano? Eu prometi te ajudar Plagg

   -Não acho que Adrien contaria –ele pareceu pensativo

   -Bom, não temos certeza... Então por hora esse é apenas nosso segredo, não vou contar

   -Não? Mas... Você huum... Não gosta dele?

   -Eu gosto, ele é gostoso pra caramba –ele riu e eu me joguei para trás – Acredite, seu irmão é um tesão ambulante

    -Eca!! –rimos

Olhei ao redor de seu quarto, não vendo nenhum sofá ou poltrona

   -Onde você vai dormir? –perguntei e ele me olhou confuso

   -Na minha cama óbvio

   -E eu? –indaguei. Ele sorriu malicioso

   -Também

   -Mas eu gosto de dormir pelada –murmurei, seus olhos se arregalaram

   -Hum... Não acho que seja uma boa ideia...

   -Nem eu. Eu poderia ir dormir com Adrien... –cogitei pensando em me esgueirar cuidadosamente ate o quarto dele. Plagg revirou os olhos

   -Meu irmão é um sortudo

   -Até o final da viagem você será também –pisquei e ele sorriu confuso

   -Oque quer dizer?

   -Tikki te quer –movi as sobrancelhas com um sorriso nada inocente. Ele riu

   -Disso eu sei, mas ela quer do jeito dela. E desse jeito EU não quero –ele disse enfaticamente

   -Acredite, em breve ela vai implorar por mais uma chance

   -Oque te faz pensar isso Cheng? –rindo contei a ele a breve conversa que eu e a vadia ruiva tivemos na escada, e a cada palavra o sorriso dele parecia ganhar mais vida

   -Então acha que ela mudou de ideia sobre nós?

   -Ela com certeza ainda te ama. E na cabeça dela, te dando um ultimato, você ia desistir de tudo e você sairia correndo para escolhe-la

   -Acha que eu deveria ter feito isso?

   -Deus! Não. Tomo no amor não tem ultimato, vocês são parceiros, deviam decidir isso juntos. Ela decidir sozinha e quebrou a cara, esperemos que ela tenha aprendido a lição, e comece a dar valor ao cara incrível que tem

   -Obrigada Mari –ele sorriu. Dei um leve soco em seu ombro

    -Para isso servem os amigos. Agora me diga Pierre? –indaguei rindo

   -Minha mãe gostava do nome, nunca gostei, por isso adotei meu apelido –ele deu de ombros

   -É um nome bonito, Amélia tem bom gosto. Onde fica o banheiro? Preciso de um banho e cama

   -Minha cama? –ele sorriu

   -Veremos –pisquei me levantando. Ele indicou a porta ao lado da cama. Peguei uma blusa grande, que era quase um vestido em mim, uma calcinha daquelas estilo cueca (grande e confortável), e fui para o banheiro

Prendi meu cabelo em um rabo de cavalo, tomando um banho rápido. Ao terminar pude ouvir vozes vindas do quarto, duas vozes masculinas, cujo uma sabia ser do Plagg

Abri uma fresta da porta do banheiro e reconheci Adrien ali. Ele estava muito gostoso, com uma calça de flanela e sem camisa. Queria agarra-lo ali mesmo, e lambe-lo começando pelo peito

   -Preciso te contar algo sobre a Marinette –as palavras dele cortaram meus pensamentos impuros

Oh, ele vai confessar. Isso vai ser divertido

   -Mari? Oque tem ela?

  -Ela... Hum... Nós, bem... –ele gaguejava. Não querendo que ele estragasse nossa brincadeira, sai do banheiro

   -Hey gatinho, quem esta ai? –ambos me encararam. Plagg parecia preocupado, e Adrien abaixou a cabeça, e parecia pensativo

   -É o Adrien Mari, ele está querendo falar algo

   -E oque é? –voltamos nossa atenção para Adrien. Ele abriu a boca e a fechou inúmeras vezes, e parecia não saber oque fazer ou falar. Mordi o lábio vendo o pobrezinho lutando para decidir se contava ou não. Por fim ele suspirou

   -Só queria dizer que gostei muito dela

   -Gostou é? –falei roucamente, ele grunhiu assentindo freneticamente com a cabeça antes de sair

Assim que ele estava fora do alcance da nossa visão, Plagg me encarou. Ele parecia dividido entre rir, e me dar um sermão

   -Eu me sinto mau por ele –suspirou

   -Eu vou aliviar a preocupação dele

   -Vai? –ele arqueou a sobrancelha. Andei ate minha mala, tirando uma cartela de camisinhas de lá

   -Claro. Não me espere acordado Pierre –ri da cara de um certo Plagg que estava boquiaberto. Fui direto para o quarto de Adrien, entrando no mesmo e trancando a porta atrás de mim

Ele estava sentado na cama, com a cabeça entre as mãos, mas levantou o olhar assim que ouviu o barulho da porta. Sorri indo até ele. Atirei a cartela de camisinhas em cima de sua cama, tirando minha camiseta de forma sensual, quase como um Streep. Sentei em seu colo vendo-o engolindo em seco enquanto encarava meus seios

   -Marin...

   -Shiu baby... Quero ouvir sua voz apenas para gemer meu nome. Quero seu pau dentro de mim –ele grunhiu do jeito que só ele fazia, e logo me beijava com fervor

Retribui o beijo mordendo seu lábio inferior, sua língua invadiu minha boca com urgência, enquanto suas mãos passeavam descaradamente pelas laterais do meu corpo, parando nos meus seios onde ele deu um aperto por cima do sutiã. Arranhei suas costas me esfregando nele, já podia sentir seu pai ganhar vida, e eu o queria novamente

Na boca... Em mim, eu simplesmente o queria

Ansiosamente sai de seu colo, ficando entre suas pernas. Ele gemeu quando sentiu eu empurrar suas calças para fora de seu corpo, consequentemente levando sua box junto, deixando sua enorme ereção exposta. Adrien ofegou quando minhas mãos tocaram seu pau, fazendo movimentos para cima e para baixo lentamente. Ele arqueou o quadril querendo mais

Sorrindo sapeca, abaixai minha cabeça sem deixar de olha-lo. Depositei um beijo na cabecinha de seu pau, e imediatamente uma gota de pré-gozo saiu, e eu a chupei como uma boa garota. Lambi os lábio gemendo com seu gosto, e sem conseguir me conter mais, abocanhei todo o seu pau

   -Porra! –ele grunhiu arrebentando o elástico que prendia meu cabelo. Quando ele percebeu oque tinha feito, logo tratou de prender meu cabelo em um rabo de cavalo apertado com suas mãos, guiando meus movimentos em seu maravilhoso pau

Quando eu senti que ele estava presentes a gozar, ele afastou minha boca de deu membro

   -Me deixa terminar de te chupar

   -Você gosta disso?

   -Muito, seu pau é gostoso –ele grunhiu. Cara sério, eu amo demais esse grunhido, me excita demais

   -Sua boca é gostosa –ele disse mordendo o lábio inferior

   -Então seja um bom menino Adrien, e me deixa coloca-la no seu pau –ele assentiu e guiou minha cabeça, mais precisamente minha boca ate seu pau, me deixando envolve-la nele

Ele gemeu empurrando seus quadris para cima, colocando mais do seu membro dentro da minha boca. Ele arfou apertando mais o rabo de cavalo, se segurando com a outra mão na cama

Abri bem minha boca deixando que ele fodesse ela como se fosse minha boceta. Eu sentia meu sexo encharcado só de chupa-lo, eu precisava dele urgentemente

Afastei meus lábio assim que senti a primeira gota de seu gozo, deixando que o resto de seu leite caísse sobre meus peitos

Sorrindo peguei uma camisinha a deslizando por seu pau enquanto ele ainda se recuperava do orgasmo. Sem dar chances para ele se acalmar, sentei em seu colo, guiando seu pau até minha entrada. Suas mãos agarraram meus quadris com força, me puxando brutalmente na direção de seu membro. Mordi as costas da minha mão para não gritar, seu pau enorme me preencheu de uma forma deliciosa

   -Oh Deus –ele grunhiu enfiando o rosto na curva do meu pescoço

Abracei seus ombros largos começando a me mover. Seu pau saiu de mim de forma tortuosa, mas quando voltou, quase me fez gritar. Adrien afastou seu rosto do meu pescoço, jogando a cabeça para trás gemendo enquanto dava um belo apertão em minha nádega direita. Em seguida começou a guiar meu corpo, me fazendo subir e descer em cima de seu membro. Primeiro lentamente, fazendo quase todo seu pau sair de mim, para entrar com força logo atrás. Quando eu sabia apenas implorar, pedi que suas investidas aumentassem, e elas logo se tornaram frenéticas, fazendo o quarto cheirar cada vez mais a sexo a cada nova estocada

Minha boceta era uma poça sobre seu pau, e eu já podia sentir o clímax se aproximando, não apenas de mim, mas dele também

A respiração de Adrien se tornava cada vez mais desregular, então sua boca encostou em meu ouvido

   -Esfregue seu clitóris Marin... –gemendo e eu obedeci. Aquela voz me levava a loucura, ainda mais quando me chamava de senhorita, era pedir para um orgasmo imediato. E foi oque aconteceu

Mau toquei meu botão e já vim com força, dando um aperto matador em seu pau

Ele grunhiu. Suas investidas se tornaram eróticas e intensas, enquanto eu mordia seu ombro para não gritar, mas isso foi impossível quando seu pau bateu em um lugar maravilhoso. E eu vim pela segunda vez, mordendo seu ombro com mais força, oque eu acho que tirou sangue, pois logo senti um gosto metálico em minha boca

   -Porra –ele gemeu gozando também. Eu senti a minha boceta piscar, dando pequenos choques em minha abertura

Eu agarrei seus ombros, o abraçando com força, e ele fez o mesmo com minha cintura, me apertando contra ele como se tivesse medo que eu fosse embora. Tão bobinho, mau sabia ele que eu ficaria a noite inteira ao seu lado

(...)

Olhei para o corpo nu de Adrien ao meu lado com um sorriso malicioso, e pensamentos nada puros passando pela minha mente. Que puta homem gostoso

Ele deve ter percebi meu olhar sobre si, pois logo me encarou

   -Oque?

   -Nada, só admirando uma arte dos anjos

   -Eu? –ele riu

   -Aham! Você é gostoso demais, isso devia ser um pecado

   -Se isso for um pecado, nós dois somos pecadores. Você é muito mais gostosa, então uma pecadora maior –sorri me aproximando mais dele, deitando minha cabeça sobre seu peito

   -Eu peco por te cobiçar também

   -Acho que esse pecado é meu Marin, que eu saiba “não cobiçar a mulher do próximo” é um mandamento. Minha vaga para o inferno já deve ter sido efetuada –não pude deixar de me sentir culpada pelo que ele disse. Eu queria tanto contar... Mas eu fiz uma promessa, não posso rompe-la

   -Você é linda –ele disse agarrando meu queixo, me fazendo encara-lo. Senti meu rosto esquentar, e vi seu sorriso aumentar conforme ele acariciava minhas bochechas sentindo o calor delas

   -Você também é lindo gatinho... –mordi o lábio e ele sorriu esfregando o nariz no meu. Me aconcheguei mais ainda contra seu corpo, me sentindo segura

   -Marinette eu sinto muito por seus pais –ele disse derrepente

   -Tudo bem, já faz muito tempo...

   -Não importa, eu sinto. Mas ficar feliz pela mãe da sua amiga ter cuidado de você como uma tia –sorri acariciado sua bochecha levemente

   -Obrigada –ele sorriu de volta acariciando meu braço

   -Doeu? –segui seu olhar para meu braço, e logo entendi sua pergunta. Ele se referia as minhas tatuagens, as tribais no braço e a enorme nas costas, um dragão com uma enorme cauda que se enrolava em minha barriga

   -Pra caralho –Adrien riu

   -Sabe... Eu já tive vontade de fazer uma

   -E porque não fez? –ele deu de ombros

   -Não sei ao certo... Talvez a falta de tempo, ou a coragem que está em falta. Acho que não sou eu sabe

   -Bobagem, eu totalmente sou a favor de você fazer uma tatuagem

   -Bom... Então qual sugere que eu faça? –ele perguntou. Me sentei encarando todo o seu corpo, mordendo o lábio ao imaginar uma tatuagem naquela obra de arte esculpida pelos anjos

Um dragão em suas costas, com a calda enrolada em seu torço talvez... Ou uma tribal que ocupe quase todo seu braço...

   -Você está pensando demais –ele sorriu. Ri me deitando sobre seu peito

   -Estou na dúvida

   -Me diga oque tem em mente –sorri

   -Um dragão ao redor do seu corpo, ou talvez uma tribal em todo o braço, ou no peito

   -Ouw! Isso não é muito? –neguei com a cabeça sorrindo divertida

   -Eu acho que se vai fazer, que faça logo de uma vez –dou de ombros

   -Foi assim com você?

   -Com certeza! Alya e eu fizemos nossas primeiras tatuagens juntas, com o primeiro salário que ganhamos no bar, decidimos fazer como primeira tatuagem uma significativa, algo importante –mostrei para ele a Rosa enorme que tinha no meu braço, haviam outras tatuagens ao redor da rosa, formando uma paisagem, mas essa rosa era a mais importante

   -T&S –ele leu alto, passando seus dedos sobre a tatuagem– Oque significa?

   -Iniciais dos meus pais, Tom e Sabine –sorri

   -Realmente uma tatuagem significativa entre tantas outras... Mesmo que seja simples deve significar muito

   -E significa... Como uma homenagem a eles...

   -Gostei! Acho que se um dia for fazer uma, a minha primeira deve ser significativa também

   -Isso é incrível. Oque é significativo pra você? –ele pensou um pouco

   -Meus pais, meus irmãos... A minha família em si –respondeu ele simplesmente

   -E namorada?

   -Não tenho

   -Estou chocada! –fali de boca aberta arrancando um riso dele

   -Porque? –ele arqueou a sobrancelha me encarando

   -Você é um tesão ambulante, deveria é ter uma fila de 50 metros atrás de você só pra conseguir um segundo de sua atenção

   -Huum... Obrigada!... Eu acho –revirei os olhos, me inclinei em sua direção, esfregando meus seios em seu peito

   -Bom... Se não tem, azar o delas, e sorte a minha –beijei seu peito, indo até próxima a sua intimidade

   -De novo? –ele apertou minha bunda com força, me fazendo soltar um pequeno gemido

   -Eu trouxe uma cartela inteira de camisinhas, não vamos desperdiça-las, pois só saio daqui quando usarmos todas –falei séria. Ele grunhiu, oh deus esse grunhido... Ele nos virou na cama, ficando por cima de mim

   -Isso foi um desafio? –ri puxando seu pescoço com minha mão, deixando nossos rostos muito próximos

   -É uma promessa Agreste... –disse selando nossos lábios em um beijo voraz

(...)

Sai da piscina arrumando meu biquíni discretamente, meu sutiã havia se desprendido nas costas, e minha calcinha havia entrado na bunda. Notei Adrien me encarando com a boca aberta, e ele parecia não ser o único, seu pai e Félix também me encaravam

Pisquei para os três com um pequeno sorriso malicioso nos lábios. Todos eles coraram, tentando desviar o olhar

Rindo discretamente, fui para a cadeira ao lado do Plagg. Ele estava de óculos escuros, provavelmente para disfarçar seu olhar descarado em Tikki, que usava um maiô rosa choque que eu sabia que estava deixando ele louco

   -Seque a baba mozão –rapidamente Plagg levou a mão a boca, me fazendo rir alto, ele acabou entendendo a brincadeira e rindo junto, me puxando para seu colo

   -Sorry Baby, a Tikki está uma delícia naquele maiô

   -Sem problemas, eu estava secando seu irmão há pouco minutos –mordi o lábio olhando de relance para Adrien

   -Que horas você voltou para o quarto ontem? –ele indagou, ignorando oque eu havia dito. Sorri lembrando o quão difícil foi abandonar Adrien na cama sozinho, eu não queria me afastar dele, e garanto que ele também não queria que eu me afastasse

Praticamente acabamos com a cartela de camisinhas durante a noite, e a madrugada, e como consequência eu estava toda ardida de manhã quando sua do quarto dele para me esgueirar de volta para o quarto de Plagg

   -Perto das sete da manhã, se não mais cedo –dei de ombros

   -Vejo que a noite foi muito bem aproveitada

   -E a madrugada também –movi as sobrancelhas sugestivamente, ele riu

   -Quem diria, meu irmão chatolino Adrien um pervertido. Estou em choque mulher, em choque

   -E ele é mesmo! Estou toda ardida

   -Opa! Informação demais –reclamou rindo

Observei que todo mundo nos encarava, os pais de Plagg pareciam contentes, Bridgette parecia transtornada, e Félix divertido. Tikki... Bem, essa estava na cara que mataria um, nesse caso eu. Já Adrien também mataria alguém, no caso seu irmão

   -Vou pegar um refri –sai do colo de Plagg me encaminhando para dentro da casa

   -Traga um para mim também Mari, por favor

   -Claro!

Fui para a cozinha abrindo a geladeira procurando o refri que Plagg fora mais cedo comprar. Estava enchendo os copos sobre o balcão, quando senti alguém me prensar sobre o mesmo

Seu corpo quente contra o meu me fez gemer, e sua ereção contra minha bunda parecia ganhar a cada momento mais vida

   -Quero você, agora! –ele rugiu

Que se dane, estou ardida mas eu quero ele também!



Notas Finais


Bom pessoal foi isso
E desculpa novamente a demora
Eu sei que sou um ser humano horrível
Podem jogar na minha cara... Eu deixo

Espero que tenham gostado
Favoritem para chegarmos a 100 favs
E comentem oque acharam

Beijinhos da Sun😙😘
E até a próxima
Bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...