História Mercy (Jikook) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtanboys, Depressão, Infantilismo, Jikook, Namjin, Taeyoonseok
Visualizações 1.088
Palavras 1.373
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Lemon, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Capítulo um.


P.O.V. Park Jimin.

Eu odeio as férias mas também odeio quando voltamos dela. Eu odeio voltar naquele inferno onde dizem que estão ensinando alguma coisa. Na realidade, eu gostaria apenas de acordar e não odiar tudo, e não sentir nada. Na verdade, eu gostaria de não acordar... Seria bem melhor. Mas se eu fosse acordado pela minha querida mãe, eu iria adorar. Iria adorar que ela me fizesse acordar, que tentasse me fazer viver novamente.

Falando em viver, eu estou falhando muito bem nessa missão. Na verdade, no que eu não falho? Rio fraco. Em nada...

Ok, eu tenho que levantar mas fitar o teto é bem melhor do que ficar tentando parecer bem por aí, melhor do que ficar forçando uma merda de sorriso. Que seja, de qualquer forma, eu já não vivo mais por dentro.

Levanto, colocando todas as minhas forças nessa única ação. Há quantos dias que eu não como?... Eu nem sei mais.

Sigo em direção ao banheiro, abro o chuveiro e fico esperando a água esquentar um pouco.

Retiro as minhas poucas peças de roupas e ando até o gabinete de mármore escuro da pia, pego uma lâmina nova e volto para o chuveiro.

A água já está quente, então, eu entro. Imediatamente meu corpo relaxa. Eu me sinto bem, me sinto purificado mas eu sei que não é por muito tempo. Olho para a lâmina em minhas mãos e levo até o meu pulso, tal pulso que está todo ferrado, tal pulso que está repleto de marcas... Tal pulso que terá novas marcas.

P.O.V. Jeon Jungkook.

Acordo cedo e dou bom dia até para o sol lá fora, na verdade, eu fui acordado pela minha amada omma. Ela é a única que eu amo de verdade.

Me levanto rapidamente e vou em direção ao meu guarda-roupa. Pego uma blusa longa de cor preta, uma calça jeans com alguns rasgos pequenos nas pernas e um grande no joelho direito, e, por último, pego o meu coturno cor marrom claro.

Sigo em direção ao banheiro, eu estou realmente animado.

Coloco a banheira para encher, adiciono espuma e começo a me despir.

Fico esperando a banheira encher, me fitando no espelho. Caralho, eu sou muito maravilhoso. Olho para o meu peitoral levemente definido, as marcas da noite passada estão, perfeitamente, visíveis. Ah, a noite passada foi tão boa...

Flashback on.


- Mais rápido, Jungkookie...- A Jihoo, uma menina que eu conheci ontem na escola, pediu manhosa.


- Como quiser.- Eu digo sorrindo de lado. Estocando cada vez mais forte e fundo.


Flashback off.


(N/a: O Jungkook é muito vadio, eu sei. E outra, JUNGKOOK NERA GAY?)


Paro de me fitar e vou fechar a torneira da banheira. Entro na mesma e imediatamente todos os meus músculos relaxam, eu me sinto bem.


Na verdade, eu preciso fazer uma festa. Eu preciso ver com o viudo, nós iremos organizar uma festa daquelas, eu acredito que todo mundo vai amar, com toda a certeza. (N/a: "viudo", o "vi" significa viado, e, "udo" significa piranhudo, vulgo, Kim Taehyung é um viado piranhudo que dá e come kajskns.)


P.O.V. Park Jimin.

Saio do banho, com os braços e pulsos machucados. Me direcionei até o meu guarda-roupa. Pego uma blusa branca de manga longa, uma calça preta colada ao corpo e um tênis também preto meio alto. Me olho no espelho e vejo a mesma coisa de sempre. Um gordo, feio, lixo, idiota, imundo... Eu sinto nojo de eu próprio... Olho para o meu pescoço que está todo exposto. Ele está todo marcado, cheio de hematomas, e eu odeio isso também.

Pego uma base e um pó, me sento em frente ao espelho e começo a passar. Seria tão melhor se o TaeHyung estivesse aqui comigo, ele com certeza iria me abraçar e dizer que tudo ia ficar bem. Sabe, o Tae é o único verdadeiro na minha vida, o único que sabe dos meus problemas e não me julga, o único que me conforta e fica comigo, o único que ouve tudo, me aconselha e me abraça forte no final... Ele é o único que eu tenho.

Assim que termino, desço as escadas silenciosamente, eu não quero que ele me veja, eu não quero que ele fale comigo, eu odeio ele.

Desço com todo o cuidado do mundo e vou até a cozinha. Imediatamente a minha barriga ronca. O cheiro bom, de bolo recém tirado do forno, reina no ar.

Mas infelizmente, ele está lá, sentado em uma das cadeiras em volta da mesa escura, ele está lá, me observando.

- Bom dia, meu filho querido.- Ele, o sr. Park, diz, tão calmamente.

- Oi.- Eu digo seco e dou a volta, para não passar perto dele.

- Meu filhinho, se sente aqui.- O sr. Park diz, batendo no seu colo, ao lado do seu membro.

Eu apenas o observo por um tempo, vendo a sua feição sugestiva, antes de sair correndo para fora da casa.

P.O.V. Jeon Jungkook.

Saio do meu banho, logo após 10 longos minutos relaxando. Me visto rapidamente. Olho o meu reflexo no espelho, analisando a minha roupa e meu Deus, eu estou muito, muito mesmo, gostoso. Deixo os meus cabelos levemente bagunçados, me deixando com um ar mais sexy.

Saio do meu quarto e desço as escadas animado.

- MAMÃE!!!- Eu grito e abraço a minha mãe por trás, fazendo ela rir.

- Bom dia, meu amor.- Ela diz e se vira assim que eu me afasto.

- Como se sente?- Eu pergunto.

- Bem e você?- Ela diz e sorri maliciosamente.

- Mamãe, o que a senhora ouviu? - Eu pergunto meio surpreso.

- Eu?- Ela pergunta, apontando para si mesma.- Nada demais.- Ela diz cantarolando.

- Mamãe...- Eu digo.

- Além de: "mais rápido, Jungkookie", "mais forte KOOKIE", "UAU KOOKIE".- Ela diz imitando o jeito da menina de ontem, o que fez nós dois gargalhar exageradamente.

- Meu Deus, mamãe.- Eu digo limpando algumas lágrimas formadas de tanto rir.

- Ai, ai...- Ela diz com a mão na barriga, parando de rir um pouco.

- E então mamãe... Tem bolo?- Eu pergunto manhoso.

- Tem sim, Kookie.- Ela diz o meu apelido com a voz da menina.

- Mamãe, me desculpe mas a senhora não presta.- Eu digo e ela solta um "eu sei", rindo.

- BOLO DE CHOCOLATE?- Eu grito.

- SIM!- Ela grita também.

Pego um pedaço do delicioso bolo de chocolate de minha mãe, é realmente muito bom. Ela sabe que eu adoro esse sabor, por isso, faz quase todas as manhãs.

- Mamãe, eu já vou.- Eu digo e ela me olha incrédula.

- Mas já? Ainda está muito cedo.- Ela diz.

- Eu sei, mas eu quero passar na biblioteca antes. E, mamãe, eu não sei que horas eu volto.- Eu digo dando uma piscadinha.

- JUÍZO, JEON JUNGKOOK.- Ela diz um pouco alto demais.- Não esquece de levar as chaves.- Ela diz apontando para as minhas chaves.

- Juízo? Onde vende isso?- Eu digo brincalhão.- Beijos, mamãe.- Eu dou um beijo nela e saio de casa.

Assim que saio, vejo Park Jimin, o meu vizinho, correndo parecendo sem rumo.

O Park é o meu vizinho mas as únicas coisas que eu sei sobre ele é: ele também tem 16 anos, ele vai ser da minha classe esse ano, ele tem marcas estranhas pelo corpo, é amigo do TaeHyung e é gostoso pra CARALHO.

Começo o meu caminho até a escola, está um clima bom... As árvores estão lindas, eu adoro isso.

{...}

Logo após uns 20 minutos andando, eu chego na escola. Tal escola que está vazia, parece não ter nenhuma alma viva aqui... Meu Deus.

Ando até a biblioteca, vai ser bom passar um tempo lá.

P.O.V. Park Jimin.

Chego na escola totalmente cansado, me faltava ar, mas eu estava desesperado...

Eu corri até a biblioteca, ninguém gosta de ficar por lá além de mim...

{...}

Chego lá e a iluminação está muito fraca mas, ainda, eu consigo ver a silhueta de Jeon Jungkook, o garoto mais desejado dessa escola. Vejo que ele está lendo um romance.

Eu nunca gostei muito de romances, sempre achei tudo muito falso e quase sempre termina em um final feliz. Mas esse, que ele está lendo, eu gostei...

Que seja...

Eu estava andando em direção às estantes de livro, de cabeça erguida, imaginando que ele não me notaria, mas ele me notou ali.

- Bom dia, senhor Park.- Ele diz meio animado.

- Bom dia, senhor Jeon.- Eu digo e ele sorri.

Ele nunca havia trocado uma palavra comigo.


Notas Finais


oioi ♡
bem-vinda(o) à Mercy.

esta história já está terminada (?) mas eu estou revisando :33

fiquem bem :33


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...