História MERMAID ' Jikook - Capítulo 18


Escrita por:


Notas do Autor


MERMAID está postada aqui a dois dias e estamos bem pertinho de 1K, falta muito pouco, apenas mais 50 views, eu tô surtando aaaaa.

Fiquem com essa fanart mais que perfeita feita por uma pessoa especial.

Para quem não sabe, os olhos do Jeon são num castanho avermelhado.

Obrigada ♡

Capítulo 18 - Eighteen


Fanfic / Fanfiction MERMAID ' Jikook - Capítulo 18 - Eighteen

Park Jimin

— Aonde fica o tal tridente, Jungkook? — Perguntei assim que paramos para descansar um pouco.

— Tem uma lenda, entre os tritões, de que o tridente se esconde no lugar mais profundo do mundo.

— Fossa das Marianas? — Lhe questionei, temendo a resposta. Jungkook assentiu. — Tá de brincadeira?

— Lá é o único lugar que os humanos não conseguem achar, quer dizer, eles não conseguem ir tão fundo ali, o que eles sabem é muito pouco de tudo que realmente vive lá, incluindo o santuário com o tridente. — Minha boca agora estava em um perfeito "o".

— Vamos ter que nadar até as ilhas marianas? Isso vai demorar dias, Jungkook! — Passei a mão por meus cabelos, nervoso.

— Especificamente três dias, já que conseguimos nadar rápido. A questão mesmo, vai ser você conseguir pegar o tridente.

— Como? Eu não posso só chegar e pegar? — Respirei fundo, tentando conter a vontade de gritar.

— Não, ele é protegido. — Jeon suspirou.

— Protegido por quem? — O olhei sério.

— É... — Jungkook desviou o olhar.

— Fala de uma vez, Jeon. — Cruzei os braços.

— Eleéprotegidopelomegalondonte... — Jungkook falou tudo de uma vez, fazendo com que eu não entendesse nada.

— Jungkook, fala devagar. — Me aproximei de Jeon, sem deixar de lhe olhar.

— Dizem que o último megalodonte não morreu de fato, Jimin... — Jungkook mordeu o lábio inferior. — Por incrível que pareça, eles costumavam ser nossos guardiões, eles protegiam Atlântida e lutavam contra humanos para nos proteger, mas foram morrendo de um por um. — Jeon pegou em minha mão, brincando com meus dedinhos.

— Eles existiram de verdade? — Engulo em seco.

— Com medo de perdemos o último, o mandamos para a fossa das Marianas, para proteger o tridente, e ele está lá até hoje, segundo a lenda.

— Como faço para conversar com ele?

— Só o verdadeiro escolhido do tridente consegue se comunicar com ele, quero dizer, só o escolhido consegue fazer com que o megalodonte saiba que ele é o escolhido. Se você for o escolhido, ele vai saber.

— E se eu não for?

— Você tem que ser.. Eu não posso perder mais ninguém. — Jeon murmurou. — Vamos voltar a nadar, sim? A viagem vai ser longa. — Assenti, segurando em sua mão.

Trusty lambeu meu rosto, notando que eu estava inquieto.

Eu e Jungkook voltamos a nadar, nossas mãos não se soltavam de jeito nenhum.

[•••]


Depois de mais algumas horas viajando, eu e Jungkook decidimos parar um pouco para comer algo.

— Não vou comer isso não. — Olhei para a planta na mão de Jeon e cruzei os braços.

— Você não pode ficar fraco, Jimin. — Jeon revirou os olhos. — Vamos, come.

— Eu sou um tritão, não uma vaca pra comer mato. — Fiz bico.

— Jimin! — Jeon me repreendeu, colocando a planta em minha boca.

Mastiguei, me sentindo obrigado.

O gosto não era tão ruim, então logo eu estava comendo mais.

— Experimenta isso aqui. — Era um pedaço de coral e eu olhei estranho para Jeon. — É comestível e faz bem para o nosso organismo, pode comer, sem medo.

Abri a boca, esperando que Jeon me desse o pedaço na boca e assim ele o fez.

Acabei gostando e sorrindo, sentindo que meu estômago já não estava mais tão vazio assim.

— Viu que é bom? — Jeon me deu um beijinho na testa, sorrindo.

— É bom, mas é estranho comer isso. — Disse, sem parar de mastigar.

— Não se fala enquanto mastiga, Jiminie. — Jeon riu baixinho e eu lhe dei língua, logo após ter parado de mastigar.

— Eu faço o que eu quiser. — Arrebitei o nariz.

Trusty e Minie apareceram, parecendo eufóricos.

— Só falta mais dois dias e algumas horas, estamos mais perto. — Minie falou, sendo acompanhado por Trusty que assentiu.

— Sem nenhum sinal de rebeldes por essas áreas, então estamos seguros. — Respirei aliviado, pelo menos isso.

— Obrigado, garotos. — Jeon fez carinho em cada um deles.

— Descansem um pouquinho, ainda estamos meio longe. — Trusty falou e nós assentimos.

Depois que eu havia terminado de comer, Jungkook se encontrava inquieto ao meu lado.

— O que lhe incomoda, Jungkook? — O olhei.

— É que... - Jeon parecia procurar as palavras certas para dizer. — Você me beijou...

Eu o olhei, gesticulando para que o mesmo continuasse, tentando ignorar minhas bochechas vermelhas.

— Você disse que isso era algo que só casais faziam e eu sei que nós não somos um casal então... Por que me beijou? — Jungkook me olhou, parecendo curioso.

— Você não parava de falar... — Murmurei, baixando meu olhar para minha cauda.

— Foi só por isso?

— Foi...

— Você não sente o que eu sinto, não é? — Fui pego de surpresa, olhando para Jungkook.

— O que você sente? — Jungkook se afastou, então eu o segui. — Fala, Kookie.

— Não importa, Jimin. — Jeon suspirou, tentando sorrir em seguida. — O importante é que estamos nessa juntos, não é?

Eu tentei entender o que sua expressão queria dizer, mas Jeon rapidamente havia desviado o olhar.

— Você gostou? — Perguntei, tentando ignorar a vergonha que eu sentia.

— Do que? — Jeon me olhou.

— Do beijo... — Falei baixinho, voltando o olhar para minha cauda.

— Eu gosto de tudo quando se trata de você, Jimin-ssi. E isso é assustador as vezes. — Jungkook confessou, se aproximando.

— O que quer dizer com isso? — Olhei para o mesmo, vendo que seu rosto estava a centímetros do meu.

— Que o que eu sinto por você eu não sinto por ninguém, Jimin, eu ainda não sei dizer o que é isso, mas juro que eu estou tentando descobrir. — Assenti, tentando processar toda a informação.

— Você é especial, Kookie. — Sorri de lado, sendo acompanhado por Jungkook, que também deixou um sorriso escapar.

— Você é importante, Jiminie. — Jungkook beijou minha testa, eu aproveitei para o abraçar.

— Tá vendo? Nem nos dão atenção. — Trusty murmurou.

— Para de ser ciumento, Trusty. — Ouvi a voz de Minie e me segurei para não rir.

— Ciumento, eu? Ciumento é você, seu doido. — Trusty lhe bateu com a cauda.

— Ei, meu corpo é especial, nada de bater no golfinho aqui. — Minie murmurou, o olhando irritado.

— Vão começar? Até parecem o Jungkook e o Yoongi. — Cruzei os braços olhando para os dois, Jeon fez uma expressão de ofendido ao meu lado.

— Não vem me comparar com o Jungkook e o Yoongi não, hein? Eles não são amigos, já eu e Minie somos amigos. — Trusty sorriu, pela sua expressão eu sabia que era um sorriso.

— Amigos, tá. — Minie murmurou.

— Nós devemos voltar a nadar, não acham? Vamos, sigam me os bons. — Trusty começou a nadar e Jeon riu.

— É pro outro lado, Trusty. — Jungkook disse, tentando conter a risada.

Trusty voltou a nadar para o outro lado rapidamente.

— Eu já sabia, tava testando vocês. — Trusty pulou na superfície, logo voltando a cair na água.

— Tá, exibido. — Minie o seguiu.

Eu e Jungkook rimos, seguindo os dois.

[•••]


Agora só faltava mais dois dias de viagem, até aqui, conversamos um pouco sobre coisas aleatórias e sobre como estaria Atlântida sem nós até esse momento.

— Eu estou preocupado com Taehyung e Seokjin. — Admiti baixinho, com a cabeça no peitoral de Jungkook. Estávamos deitados na areia, tentando dormir um pouco, mas nenhum de nós estava com sono de fato.

— Hoseok não pode sair de Atlântida até nós voltarmos, então acho improvável ele ter mandado uma equipe de busca. — Jeon suspirou.

— Se algo acontecer com eles eu não vou me perdoar, Kookie. — Admiti, baixinho. — Eu não vou me perdoar mesmo.

— Eles são fortes, os rebeldes não vão fazer nada contra eles, disso eu tenho certeza.

— Como conseguiram invadir Atlântida? — Olhei para Jungkook.

— Um dos seguranças deveria ser aliado dos rebeldes, estavam pensando nisso há bastante tempo, eles são tudo, menos impulsivos e burros. — Jungkook acariciou meus cabelos.

— Quem será que foi?

— Jung Hoseok já deve ter descoberto, ele é bom com essas coisas. — Assenti.

— E o que vai acontecer com o tritão que traiu Atlântida?

— Pena de morte. — Olhei assustado para Jungkook.

— Ele pôde ter sido ameaçado. Não podemos tomar conclusões assim. — O olhei sério.

— Eu não sei, Jiminie, eu realmente não sei, mas eu acho que seja quem for, você tomará a decisão certa. — Assenti, mesmo que no fundo eu não tenha tanta certeza disso.

No fundo, eu não tenho certeza de muita coisa.

Mas uma das certezas que eu tenho, é que eu não me vejo mais sem Jungkook.

Uma das certezas que eu tenho também, é que eu daria a minha vida para proteger não só a ele, como Atlântida também.

Isso foi a coisa mais louca e mais importante que me aconteceu, Atlântida também é o meu lar, não só ela, como Jungkook também é, embora eu não diga isso em voz alta.

O mundo a minha volta pode estar caótico, mas tendo Jungkook do meu lado, eu me sinto forte pra continuar.

— Jungkook... — O chamei baixinho.

— Sim?

— Obrigado. — O apertei contra mim.

— Pelo que?

— Por fazer parte da minha vida, por existir, por ser você. — Olhei para Jeon e o mesmo sorriu de lado.

— Eu que agradeço. — Jeon depositou um selinho em meus lábios e eu sorri, voltando a deitar em seu peitoral.

É, nós vamos ficar bem.


Notas Finais


Estão gostando?

Até ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...