História Mermaids - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias H2O, Meninas Sereias, Mako Mermaids, Saga Crepúsculo
Personagens Carlisle Cullen, Personagens Originais, Seth Clearwater
Tags Crepusculo, Mermaids, Romance, Sereias
Visualizações 140
Palavras 1.189
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá :3
Obrigada a todos os favoritos <3

Capítulo 2 - Imprinting


Os lobos rosnaram para os dois vampiros, a mulher tinha cabelos lisos e negros, sua pele era tão pálida que parecia ser porcelana, o homem era negro e tinha cabelo castanho, ambos vestiam roupas desgastadas e tinham olhos de um vermelho intenso. 

- Ferrou - Urânia disse baixo, mas devido a audição apurada dos presentes e o silêncio que se instaurou, todos puderam ouvir. 

- Vocês mataram Liam! - Disse a mulher com raiva na voz. 

- E agora é vocês que irão morrer - Completou o homem. 

Os lobos correram em direção aos vampiros, Seth apenas tinha em mente o dever de proteger o seu imprinting. O homem pulou em cima de Jacob, mas Leah foi rápida e tirou-o de cima do amigo antes de machucá-lo, Quil conseguiu arrancar seu braço esquerdo e jogou-o em algum lugar por ali.

A mulher ficou com mais raiva ainda e antes de atacar um dos lobos, avistou as garotas presentes e resolveu atacá-las, com o susto Urânia e Calliope usaram seus aneis da lua e fizeram a vampira flutuar, chamando a atenção de todos presentes. Com a distração do vampiro, Paul e Seth terminaram de arrancar seus pedaços e Jacob, Leah e Jared fizeram o mesmo com a mulher. 

O silêncio predominou no ambiente, os lobos não entendiam o que havia acontecido, mas sabiam que elas não eram humanas comuns e as duas ainda tentavam entender o ocorrido e foi como se uma lâmpada acendesse na cabeça de Calliope. 

- Lobisomens - Murmurou a garota e todos olharam para ela.

- Vocês são lobisomens - Dessa vez falou olhando para os lobos. 

Eles recuaram para trás das árvores e voltaram na forma humana, depois foi a vez de Leah fazer a mesma coisa. 

- Como sabia sobre a gente e como fizeram aquela vampira flutuar? - Perguntou Jacob, o o alfa da matilha. 

- Nós não somos humanas, quer dizer, as pernas são úteis, mas não somos totalmente humanas - Tentou explicar Urânia, mas os quileutes expressavam confusão. 

- Híbridas? - Chutou Jared. 

- O que minha irmã quis dizer é que somos sereias - Falou Calliope. 

- Tá, e eu sou um vampiro - Desdenhou Paul. 

- Se vampiros e lobisomens existem, outras espécies que são consideradas ficção também podem ser reais - Falou encarando Paul - Prazer, sou Jacob Black e esses são Embry, Jared, Paul, Quil, Seth e Leah. 

- É um prazer Jacob, eu sou Calliope e essa é minha irmã Urânia. 

- Íamos até a minha casa, podem vir conosco e lá nos conhecemos melhor - Seth falou olhando para Calliope. Urânia arqueeou uma sobrancelha pela interação dos dois, mas resolveu não falar nada.

Voltaram para a trilha e depois de alguns minutos de caminhada algumas casas já podiam ser vistas, durante esse tempo Seth e Calliope trocavam olhares e sorrisos, mas nenhum dos dois tinha coragem para se aproximar e/ou para quebrar o silêncio. 

Entraram em uma casa branca, era simples, mas organizada e aconchegante. Um aroma de chocolate pairava no ar e uma mulher morena por volta dos quarenta anos apareceu com uma bandeja de bolinhos. 

- Mãe, essas são Urânia e Calliope - Seth apresentou as duas garotas e sua mãe percebeu que tinha algo de importante na última citada, pois Seth deixou escapar um sorriso bobo. 

- É um prazer conhecer vocês, eu sou Sue Clearwater. Preparei bolinhos, sirvam-se - Disse simpática. 

- O prazer é nosso - Respondeu Calliope. 

Todos pegaram bolinhos, os quileutes os devoravam de forma exagerada, mas foi apenas Sue dar um olhar reprovador para se comportarem melhor. Urânia e Calliope também pegaram um dos bolinhos de chocolate que estava uma delícia. 

- Está muito gostoso senhora Clearwater - Falou Calliope após engolir um pedaço. 

- Não precisa de formalidade, me chame apenas de Sue - Sorriu para a garota que logo retribuiu. 

- Comida humana é muito boa - Urânia falou após acabar seu bolinho. 

Sue não entendeu o que a loira quis dizer, até porque pensava que as duas eram humanas. 

- Bom, por que não falam um pouco sobre vocês? - Jacob disse curioso para saber mais sobre sereias. 

- Vivíamos no cardume do Alasca, mas há um ano um grupo de tritões apareceu e conquistaram as ilhas, tentamos lutar contra eles, mas mesmo com nossos anéis da lua eles eram mais poderosos. Eu e Urânia fomos as únicas sereias que sobreviveram - Calliope enchugou a lágrima que escorreu por seu rosto depois que ela começou a falar. Sue não estava entendendo essa história de sereias ou anéis da lua, mas achou melhor elas terminarem de narrar os fatos para depois perguntar. 

- Depois disso fomos morar em Gold Coast na Austrália com um outro cardume, mas não nos adaptamos ao calor e estávamos procurando um outro lugar até sermos atingidas por um furacão e viemos parar aqui - Finalizou Urânia, pois ainda era doloroso para Calliope relembrar a perda não apenas do cardume, mas também a de sua família. 

- Isso é bem... triste - Falou Embry sem saber o que realmente dizer. 

- O que são os anéis da lua? - Perguntou Leah quebrando a tensão que havia se formado no ambiente. 

- Eles tem a energia lunar, fazendo com que amplifique nossos poderes - Explicou Urânia. 

- Poderes? - Perguntou a maioria ao mesmo tempo. 

Calliope levitou a água que estava em um copo na mesa e todos olharam de forma curiosa e ao mesmo tempo admirada, ela então deu formas a água como uma bolha, uma flor e depois uma sereia, desfez e devolveu a água ao copo. 

- Isso foi incrível - Falou Seth maravilhado e Calliope não soube explicar o porquê, mas ficou feliz com isso. 

Paul foi se levantar e sem querer derrubou um pouco de refrigerante em Urânia que estava próxima. 

- Desculpe - Falou assim que viu o que fez, mas ficou atônito ao ver a calda alaranjada. 

- Tudo bem, foi um acidente - Disse a loira que logo começou a evaporar a água e as pernas voltaram ao estar seca novamente. 

- Se nos molharmos a calda aparece - Explicou Calliope antes que perguntassem. 

Depois disso, os quileutes contaram mais sobre "as lendas" da tribo e também um pouco sobre os Cullen, até que Seth chama Calliope para dar uma volta e conhecer a Reserva. 

- Eu preciso te contar uma coisa - Seth sentou-se em um tronco que havia ali e Calliope fez o mesmo sentando-se ao seu lado - Há uma lenda da nossa tribo que diz que quando o lobo achar sua companheira ele terá um imprinting. É como se fosse um amor a primeira vista e será como se a gravidade não lhe prendesse mais na Terra e sim a pessoa, e o lobo seria tudo o que ela precisasse, um amigo, irmão, companheiro. Difícil acontecer, mas quando ocorre é mais forte que tudo.

- Por que está me contando essa história? - Nesse momento Seth olhou nos olhos chocolate de Calliope e sorriu, mas a sereia percebeu que ele estava nervoso. 

- Porque eu tive um imprinting por você. 
 


Notas Finais


Os Cullen aparecerão no próximo :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...