1. Spirit Fanfics >
  2. Mesa de Mogno >
  3. Único

História Mesa de Mogno - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi mores, como estão? Bem? QUE BOMMM

Hoje é aniversário da @Moku, uma das melhores pessoas que conheço, e eu gostaria de presentear ela com uma one que eu goste muito.
Essa one estava excluída pois eu a estava reescrevendo, então decidi postar ela no aniversário da Moku como um presente.
Amiga, te desejo um feliz aniversário e que você goste muito desse pequeno agrado! Te amo, beijão ♥

Boa leitura!

Capítulo 1 - Único


Os suspiros apaixonados começaram.

Naruto se aprumou na cadeira de sua cabine.

Sasuke, seu colega que trabalhava ao lado, e também seu melhor amigo, sussurrava ao telefone com a noiva, uma moça chamada Sakura.

— Sim, amor. — o Uchiha sorriu. — Estarei em casa para jantar hoje. 

Os homens daquele imenso escritório se encontravam alvoroçados, mas Sasuke não havia notado. 

— Você, minha linda... — Naruto jogou uma caneta na cabeça do amigo e apontou para a entrada. Sasuke arregalou os olhos. — Tenho que desligar amor, outro... Sim... Também te amo.

O moreno colocou o telefone no gancho no exato momento em que a chefe entrou no recinto.

— Toneri. — disse a mulher de 1,56m. — Café duplo com creme e sem açúcar, na minha sala. Você tem cinco minutos.

— S-Sim, Senhorita Hyuuga. — gaguejou o homem de cabelos platinados e saiu praticamente correndo para a máquina de café que ficava na cozinha do escritório.

— Shikamaru? Já conseguiu fechar as planilhas?

Shikamaru se remexeu desconfortável na cadeira.

— Sim, Senhorita Hyuuga. Estão devidamente enviadas para seu e-mail.

A Senhorita Hyuuga andou mais um pouco, e ficou próxima de sua sala.

— Você cuidou das reuniões com a Vogue e a Runway, Gaara?

O indicado a observou olhar as horas no celular e engoliu a seco antes de responder.

— Sim, Senhorita Hyuuga. Será às onze.

— Ótimo. — a mulher chegou perto do loiro e do moreno. — Sasuke?

— Sim? - respondeu Sasuke respirando fundo.

— O livro com o esboço da nova edição da Byakugan já está na minha mesa?

O Uchiha assentiu aos olhos atentos do amigo ao lado, mas logo tratou de informar sua chefe.

— Sim, completamente pronto.

— Você e Sakura são uma bela dupla. — a chefe sorriu para ele, e o alívio sobre seus ombros foi implacável.

Um flashback começou a passar na cabeça de Sasuke. Ele e a noiva desenhando a edição, a noiva nua em cima da edição, ele a fazendo gemer seu nome repetidas vezes...

— Obrigado, Senhorita Hyuuga. Também gostamos de trabalhar em conjunto. — respondeu-a com um sorriso de canto.

Sem mais questionamentos, a chefe andou até a sua sala, mas antes de passar pela porta, olhou para trás de relance.

— Naruto?

— Sim?

— Gostei da camisa.

Depois disso, Hinata Hyuuga entrou em sua sala de editora-chefe da revista de moda Byakugan.



 

— Cara, ela é uma gata! — afirmou Deidara.

Os homens presentes estavam em seu horário de almoço. Comiam de suas marmitas e conversavam alegremente sobre sua chefe, que por mais durona que fosse, era encantadora.

— Que bunda! — falaram Sasori e Gaara ao mesmo tempo.

— Que bunda o que? Já viram os peitos dela? — murmurou Shikamaru, Sai e Suigetsu concordaram.

— E aí, Sasuke? — Shikamaru se dirigiu ao colega, esperando que ele exaltasse alguma outra qualidade da chefe. Mas ele nada ouviu, estava trocando mensagens de texto com a noiva e sorrindo como um idiota.

— Sasuke! — o moreno bloqueou o celular e acenou como se a conversa fosse irrelevante, logo jogando sua marmita no lixo.

 Naruto, que observava tudo em um canto, olhou o relógio e suspirou. Chegou perto dos amigos e encarou cada um, detestando — sinta a ironia — em acabar com a festa deles.

— Não estavam falando da nossa chefe, estavam? — disse o Uzumaki com um sorriso debochado.

Todos começaram a negar ao mesmo tempo, com exceção de Sasuke, que voltou a mandar mensagens de texto no celular.

— O horário de almoço está terminando, vamos voltar ao trabalho.



 

Hinata folheava o rascunho da nova revista, ou, o livro, como chamavam.

Todo mês a Hyuuga mandava o livro para a casa de sua grande amiga e estilista Sakura Haruno, que, junto do noivo, Sasuke Uchiha, confeccionavam as edições do mês seguinte.

— Ótimo... — Hinata ficava maravilhada com o trabalho do casal. — Muito bom.

Levantou de sua mesa e saiu do escritório, indo até a mesa do Uchiha, que estava atendendo a um telefonema importante. Esperou pacientemente e quando o homem terminou a chamada, se fez presente. Ele ficou pálido com sua presença repentina.

— Senhorita Hyuuga, que susto! — Sasuke levou a mão até o peito.

— Calma, sou tão feia assim? — Hinata perguntou com um sorriso.

— Que isso, imagina. — Sasuke sorriu amigavelmente. — Quer falar comigo?

— Sim, e pode ser aqui mesmo. — disse-o. A Hyuuga olhou por sobre o ombro e percebeu que Naruto não estava em sua mesa. Recriminou-se mentalmente, detestava como seus olhos estavam sempre a procura dele. — Você vai ganhar um aumento, Sasuke. Sessenta por cento.

— Olha, Senhorita Hyuuga, isso é maravilhoso, mas isso é muito! — arregalou os olhos. Tudo bem que ele não precisava de dinheiro, trabalhava na Byakugan como estágio para concluir o curso de Administração, e vinha de família rica, mas o aumento que Hinata lhe propunha era enorme.

— Você merece, e meus parabéns pelo casamento, quero um convite hein? — ela o implicou e ele acabou aceitando o aumento em meio aos risos.

Sua resistência era sobre ele e a noiva serem grandes amigos de Hinata a muito tempo. Detestava imaginar que os colegas iriam sentir raiva dele se soubessem disso. Sabia que estava ali por competência, mas preferia manter o relacionamento afetivo com Hinata às cegas. Apenas seu melhor amigo, Naruto, sabia disso.

O que Naruto não imaginava é que Sasuke também sabia coisas sobre ele.



 

 Naruto foi ao banheiro e logo que voltou, Sasuke já lhe contou sobre o aumento. Ele merecia, trabalhava mais do que qualquer cara alí dentro, e era o único funcionário que não dava em cima da patroa. O que, para si, era fantástico. Sakura e Sasuke eram um casal perfeito demais.

Acontece que Naruto e Hinata tinham um caso que durava longos três anos.

Começou quando o Uzumaki foi admitido pelo, até então, editor-chefe Hiashi Hyuuga, podendo de tal forma fazer seu estágio para a faculdade de Jornalismo. Hinata Hyuuga, a filha prodígio de Hiashi, era sua colega de turma da faculdade de Jornalismo e ainda cursava Moda ao mesmo tempo, concluindo duas graduações em um período de cinco anos. 

Durante o período da faculdade Hinata e Naruto construíram uma linda amizade. Sendo colegas, a aproximação entre ambos ocorreu naturalmente, logo todos os trabalhos que faziam eram em conjunto e começaram  a confiar um no outro cada vez mais. Eram como a manteiga de amendoim e a geléia.

O Uzumaki viu uma garota inocente se transformar em uma mulher no decorrer dos anos, foi inevitável ver o quão apaixonante ela era, e então, em um programa como qualquer outro em que iam ao cinema e viam filmes ruins para criticar depois, ele a beijou pela primeira vez e acordou uma fera fatal dentro dela.

Infelizmente o início desse romance foi cortado pelas responsabilidades. Hiashi se aposentou e largou o império da moda nas mãos de sua primogênita, que escolheu focar-se integralmente ao trabalho e deixar o pai orgulhoso.

Manter-se afastada de Naruto foi um inferno, mas não durou muito tempo. Assim que se estabilizou e começou a esquecer-se do mesmo, o viu em seu Rh para uma entrevista de emprego. O conhecia, o desgraçado era bom no que fazia, contratá-lo foi o lógico. Apenas não contava que a reaproximação entre eles fosse instantânea e explosiva. Finalmente, ela pisoteou o próprio orgulho pediu que ele ficasse consigo, e Naruto não teve como recusar.

Hoje em dia não havia lugar naquela empresa em que já não houvessem transado.

Divagando sobre isso, o loiro mal havia se sentado em sua cadeira e já ouviu um grito da sala da editora-chefe.

Nessas horas ele se lamuriava por sua mesa e a de Sasuke serem próximas à sala dela.

— Naruto, venha até aqui! — chamou Hinata escorada na porta de seu escritório.

— Boa sorte. — disse Sasuke, que deu um tapinha em seu ombro.

— Dizem que quem foi pra lá nunca voltou. — Sasori comentava com Shikamaru e Gaara no fundo da sala, se divertindo com a situação.

Mal sabiam eles...

— Ouvi dizer que ela tritura os funcionários para comer com o pão. — zoou Gaara.

O Uzumaki revirou os olhos e começou a caminhar até onde foi chamado. A viu entrar e a seguiu com rapidez. Logo Naruto já estava dentro da sala da chefe, a cara de receio deslavada que exibia para os colegas de trabalho durante o trajeto fora completamente modificada por um sorriso safado após a porta se fechar.

— Chamou, Senhorita Hyuuga? — sussurrou com uma voz rouca, vendo a mulher a sua frente sentada na mesa de mogno.

— Sim, Senhor Uzumaki. — ela lhe sorriu de volta. — Por favor, sente-se.

Ele sentou-se na cadeira em frente da chefe, se maravilhando com a visão das pernas grossas e macias cruzadas de forma sexy.

— O que quer que eu faça com você? — Perguntou na lata, se sentado no meio das pernas dela.

— Eu quero que você me chupe. — Hinata começou a acariciar o rosto dele com o pé. — E depois, quero que você me foda.

Memórias de outras vezes — várias vezes —, em que a fodeu bateram em sua cabeça com força. Sua mente traçava planos sobre como faria dessa vez.

— E como quer que eu te foda? — Naruto ainda estava inerte, apenas observando os movimentos muito bem calculados de Hinata.

— Bem aqui, nesta mesa. – a morena se inclinou para frente, pousando suas mãos nos ombros largos e fortes do loiro, para que pudesse sibilar-lhe ao ouvido. – Forte, rápido e duro.

Foi a deixa que ele precisava.

Agarrou a cintura da morena e a pôs sentada na mesa. Subiu sua saia cinza Gabardine e a embolou até a cintura, permitindo que suas mãos vagassem para as coxas brancas e macias cobertas pela cinta-liga preta. Se aproximou de forma lenta da feminilidade da mulher, aspirando sua pele cheirosa da qual tinha saudade a cada minuto do seu maldito dia. 

Hinata arqueou as costas ao sentir a boca de Naruto em sua virilha. A língua dele se aventurava pelo elástico da calcinha preta que usava, causando arrepios na Hyuuga. Plantava delicados beijos e lambidas na região, nublando a mente feminina exatamente como queria. Ela era tão macia, tinha um gosto único. Por vezes Naruto pensava se ela não passava açúcar na pele ao se banhar, de tão doce que era.

Com o auxílio de seus dedos, puxou a calcinha de lado e viu a intimidade rosada e molhada brilhando à luz da tarde.

— Babando por mim, Hyuuga? — perguntou debochado a encarando nos olhos perolados enquanto ela suspirava.

— Quer ser demitido? — retrucou Hinata com um sorriso sarcástico. Ele acenou negativamente. — Então faça o seu trabalho.

O Uzumaki então passou a língua bem vagarosamente sob a intimidade encharcada de Hinata. Colocou um dedo dentro da cavidade apertada, e voltou com a língua até o clitóris pulsante. Seus movimentos eram lentos, todavia intensos. A língua circulava lentamente o ponto de prazer pulsante e seus dedos a massageavam internamente com certa preguiça. Logo a lubrificação da morena começou a descer por sua mão, sujando-a com provas da promiscuidade que executavam.

— Ah... — suspirou ela.

Ele agarrou as pernas leitosas e as trouxe para seus ombros, permitindo que Hinata abrisse mais a intimidade para si. Os dedos foram substituídos pela língua, que penetrou a intimidade dela tentando lamber todos os cantos possíveis com uma destreza libinosa e sedutora. Era tão gostoso. Hinata adorava quando ele lhe chupava. Fazia com tanto carinho, sentia-se adorada, amada, desejada, a mulher mais gostosa da face da Terra.

— Naruto! 

Uma camada fina de suor já cobria o corpo curvilíneo da garota, não demorou muito até que suas pernas se tornarem tensas e o ventre ficasse rígido, logo explodindo em um orgasmo que a deixou mole e com a garganta seca.  Nem assim ele parou de sugar. Sugou até a última gota de gozo.

— Sempre gostosa. — deu um tapa na coxa dela e a encarou com os olhos semicerrados e brilhosos de desejo. — Senta no meu colo, senta?

Ela logo se sentou no colo dele, e ele abriu os botões da blusa social que ela usava, acariciando os seios grandes por cima do sutiã preto meia-taça.

— Gosta disso? — perguntou próximo ao ouvido dela, e recebeu um gemido manhoso e uma rebolada gostosa por cima do seu membro. — Gosta, não é? Você é uma safada suja.

Naruto desatou o fecho frontal do sutiã e passou a massagear e chupar os seios de Hinata, fazendo ela jogar a cabeça para trás enquanto suspirava. Ela sentia choques elétricos onde a mão e a boca dele passavam por sua pele, fazendo-a querer lhe proporcionar mais prazer, rebolando mais forte no colo dele. 

Agarrou a cintura de Hinata ea afastou um pouco, abrindo o fecho da sua calça social e tirando o membro rijo e cheio de veias pulsantes para fora. Bem devagar, pegou a mão dela e levou até sua intimidade, fazendo-a cobrir-lhe com a mão pequena e macia, e cobrindo a mão dela com a sua. Juntos começaram movimentos de vai e vem pela extensão bem dotada do loiro. Ela sentia-o quente e duro. Um suspiro prazeroso saiu da boca carnuda dele quando ondas de tesão foram tomando conta de seu corpo.

— Você quer sentar o meu pau, chefia? – perguntou em um sussurro rouco, e ela, sem pestanejar, se sentou no colo dele fazendo as intimidades nuas se tocarem, arrancando suspiros dos dois quando o quadril feminino era jogado para frente e para trás, deslizando a lubrificação sobre o membro cada vez mais pulsante e atritando com seu clitóris.

Começou a gemer no ouvido masculino, beijando o pescoço e chupando a região. Com toda a certeza ficaria marcado depois.

Hinata posicionou o membro ereto de Naruto em sua entrada, e foi descendo devagar até que ele estivesse dentro por completo. Ela podia senti-lo tocando cada canto de sua cavidade, cada ponto de prazer estava preenchido. Arqueou o corpo, deixando os seios volumosos à mercê dele, começando a quicar bem devagarinho no colo do homem maravilhoso sentado abaixo de si. Suspiros começaram a ser ouvidos dentro da sala. Para ocupar suas mãos, Naruto começou a massagear os seios com bicos rosados e intumescidos, sabia que ela gostava, e a prova disso foi o sorriso de satisfação que ela deu em meio um gemido. Ela agarrou os cabelos dourados dele e começou a subir e descer mais rápido, ele, por sua vez, colocou as mãos no quadril avantajado dela e passou a acompanhar e ajudar nos movimentos.

— Rebola essa bunda gostosa em cima do meu pau, safada. — sussurrou no ouvido dela, e recebeu uma rebolada lenta e um gemido que mais parecia um miado.

Naruto passou a beijar e lamber o pescoço alvo da garota, deu um tapa estalado na nádega dela, o que a fez se contrair inteira, causando uma sensação fodidamente gostosa em si.

— Aperta de novo, Hinata. — ele pegou na bunda dela e passou a ditar os movimentos em ritmo mais intenso. — Aperta gostoso, bebê, aperta... mm...

— Ah... Naruto... – Hinata se agarrou com todas as forças no louro, atacou sua boca e passou a beijá-lo desesperadamente, ora ofegando, ora gemendo contra os lábios do Uzumaki. – Eu vou gozar!

— Ainda não. 

Tirou ela de seu colo, derrubou todos os papéis que tinham na mesa dela e a deitou de bruços, esmagando os peitos dela contra a mesa de mogno e segurando os longos cabelos preto-azulados em um rabo de cavalo. — Empina aí, quero ver você gozando enquanto eu te fodo de quatro.

A penetrou novamente com força, batendo os quadris de forma tão dura que barulhos ecoavam pelo ambiente. Ela gemia abafado com a mão sobre a boca, se negando a deixar que os homens lá fora ouvissem o que acontecia no escritório.

— Rápido, Naruto! — praticamente gritou. — Por favor...

Ele então se enterrou até o talo, preenchendo aquela boceta agora ainda mais apertada e molhada. Começou movimentos firmes e fortes, vai e vem, vai e vem...

Hinata só sabia olhar para a grande janela panorâmica, onde a senhora da sacada do prédio vizinho regava as plantas, um homem lia jornal e uma moça se agarrava com o seu possível namorado. De repente, a ideia de que eles pudessem olhar para ela enquanto estava sendo maravilhosamente bem comida em cima da mesa do escritório atiçou um tesão imensurável na Hyuuga, mesmo que soubesse que as janelas eram espelhadas pelo lado de fora.

— Mais... ah, Naruto! Mais forte! — gritou. 

Cada vez mais forte, fundo, o clímax atingiu os dois quando ele acertou o colo do útero dela, e juntos atingiram o tão esperado orgasmo.

Naruto caiu sobre o corpo de Hinata, e juntos, se deitaram na mesa.

As respirações ofegantes e as gotas de suor era a evidência do que havia acontecido ali, se entreolharam e sorriram. Sabiam que a sua relação, por mais estranha que fosse, era um segredo deliciosamente seu.



 

Perto, na mesa em que Sasuke trabalhava, uma conversa acalorada com a noiva se desenrolava.

— De novo? — Sakura exclamou aos risos.

— Sim, meu amor. Eles acham que ninguém escuta, o que é de fato verdade. — disse-a após terminar de escutar os gritos da chefe.

— Mas então, como você sabe? — indagou a haruno, curiosa.

— Só tive a infelicidade de ter a mesa mais próxima da sala dela. — murmurou. -  Ah, Sakura... acho que tô excitado, sabia? Se prepara, quando eu chegar, você não tem pra onde correr.

Ela riu alto, terminando de pintar as unhas.

— Agora eu sei o porquê de toda noite você virar uma máquina de fazer sexo.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...