1. Spirit Fanfics >
  2. Mesmo depois do fim >
  3. Como não notei isso antes?

História Mesmo depois do fim - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


O segundo do dia.
Boa leitura.

Capítulo 3 - Como não notei isso antes?


Fanfic / Fanfiction Mesmo depois do fim - Capítulo 3 - Como não notei isso antes?


 Desci as escadas que levavam ao escritório de Negan  com o coração saltando no peito e a respiração completamente irregular, sem conseguir parar de pensar no que tinha acabado de acontecer, ele iria me beijar e eu o beijaria de voltar, sem sombras de dúvidas o beijaria de volta, no fim as piadinhas não eram apenas piadinhas, elas estavam carregadas de verdade? Sim, estavam carregadas de verdade, mas a outra parte do que acabo de constatar também me deixa surpresa, eu o beijaria de voltar, travei no meio do corredor, eu também me interessava por ele, quando isso começou? E por que eu não notei antes? 
 - Daniela, está tudo bem?  
 - Oi Dr. Theo, está sim, eu só estou pensando em algumas coisas, meio que me perdi no meu mundinho aqui. Disse lhe dando um sorriso amigável que prontamente foi correspondido.  
 - Bom, já que está tudo bem, vou indo, preciso atender o Negan. 
 - Assim, eu limpei o ferimento, mas acho que vai precisar de pontos, desculpa ter me metido no seu trabalho, mas ele estava fazendo sozinho. 
 - Não tem problema Daniela, vou lá, até. - O homem disse já começando a subir as escadas em direção ao escritório de Negan. 
 Voltei para a minha sala e ao abrir me surpreendo com quem me esperava lá dentro Gavin, um dos salvadores de Negan, mas sua presença aqui não era muito frequente, ele sempre estava fora comandando uma espécie de braço do santuário, que Negan nomeou como posto avançado, como sua presença no santuário era rara, esse era o motivo da surpresa. 
 - Oi, o que faz aqui? Perguntei de forma neutra, olhando o homem na minha frente se levantar para me encarar.  
 - Olá engenheira, eu bati na porta, como ninguém respondia eu abri e entrei, fiquei te esperando pois vou precisar de seus serviços no posto avançado.  O homem disse sendo direto em sua resposta.  
 - Qual o problema? Perguntei enquanto me dirigia para minha cadeira do outro lado da mesa, ao mesmo tempo que Gavin voltava a se sentar.  
 - Bom, estamos com problemas na nossa recepção, está difícil receber o sinal do Santuário, as vezes ficamos no escuro. De imediato eu achei a ideia interessante, sair um pouco do Santuário e resolver um problema plausível seria um tanto quanto significante para a comunidade.  
 - Posso ir até lá e descobrir o que está acontecendo. 
 - Ótimo, vamos sair amanhã cedo, por volta das sete horas eu e os outros vamos estar te esperando próximos ao portão. Gavin disse já saindo da sala. - Vou atrás do Negan e solicitar sua autorização de saída. O Homem completou. 
 - Não se preocupe quanto a isso, eu mesma falo com ele. - Achei que seria uma boa desculpa para conversar com Negan e descobrir se ele comentou ou não com Morales o que estava acontecendo antes dele chegar.  
 - Deixa que eu mesmo faço, sou o chefe do posto avançado e você vai para lá sobe minha tutela, enfim, até mais engenheira. - Disse na sequencia fechando a porta.  
 O resto do dia custou a passar e não ter muito o que fazer não ajudava, a única coisa que me consolava é que na manhã seguinte seria útil para algo, já pensando nisso, resolvo ir para o meu quarto arrumar as minhas coisas, já tinha separado algumas ferramentas que levaria comigo, mas faltava arrumar meus pertences pessoais, não sei quanto tempo vou passar fora, será bom estar preparada, saio da minha sala a tranco e vou em direção ao meu quarto que fica em uma parte separada dos alojamentos comunitários, é uma ala que no segundo andar e só tem quartos individuais, o meu em especial fica ao lado de uma grande sala recreativa que é liberada apenas para a convivência dos reparadores, ela é raramente frequentada durante a semana, tendo apenas alguns gatos pingados, mas aos finais de semana está sempre movimentada, já que é o dia em que o pessoal está mais livre e acabam aproveitando para beber e conversar sobre assuntos diversos e até mesmo ler, já que a sala dispõe de uma biblioteca variada, é divertido ver como pessoas extremamente diferentes convivem bem ali, o espaço foi uma ótima sacada de Negan, as pessoas se tornavam mais produtivas e trocavam experiencias. Os andares inferiores também possuem versões dessa sala para os outros grupos que funcionam praticamente da mesma maneira, porém com menos livros e menos opções de bebidas, sem contar que não eram exclusivas, todos os grupos frequentavam as mesmas salas. 
 Chego ao meu quarto e logo começo a arrumar minha mochila, coloco tudo o que julgo necessário, roupas e produtos de higiene pessoal, foi bem rápido arruma as coisas, afinal eu não tenho muitas, nossa não posso esquecer minha polaroid, penso já me dirigindo a gaveta do criado mudo do lado da cama, perto da polaroid guardo uma caixinha com as fotos já reveladas, a coloco junto na mochila, minhas recordações mais preciosas e é isso está tudo pronto.  
 Tomo um banho demorado, o Santuário possui água encanada, não é quente, mas é maravilhoso ter um chuveiro a disposição, saio do banheiro já vestida com um vestido preto básico colado ao corpo, secando meu cabelo e procurando minha escova que sabia que já estava dentro da mochila, a pego quando sou surpreendida com duas batidas na porta, que se abre na sequencia antes mesmo de eu autorizar a entrada. 
 - Negan, o que faz aqui? Pergunto pasma a um homem de cara fechada e olhos indecifráveis, que naquele momento pareciam mais escuros que o de costume.   
 - Desculpa docinho, mas você não vai. Disse rápido, entrando e já fechando a porta atrás de si. 
 - O Gavin já falou com você? 
 - Sim e disse a ele o mesmo que estou te dizendo agora. 
 - E por que eu não vou? Perguntei intrigada, já que o santuário não precisava de mim. 
 - Eu preciso de você aqui. 
 - Não tem nem um problema que eu precise resolver aqui, a menos que surja algo de hoje para amanhã eu estou livre de trabalho, já o posto avançado precisa de mim. 
 - Eu não quero que você vá. Ele diz se encostando na escrivaninha que fica ao lado da porta. 
 - Por que não? Ele respira fundo olhando para o nada, até que foca seus olhos em mim. 
 - Não posso te proteger estando longe de mim, aqui você está segura, o Santuário é mais seguro que o posto avançado. O silencio reinou no quarto, mas nossos olhos não se desviavam um do outro. 
 - Negan, o que está acontecendo? Pergunto me levantando da cama, porém ele não me respondeu. 
 - Negan? Volto a insistir em uma resposta, então ele suspira. 
 - Eu não sei, só sinto essa necessidade de que você esteja bem, de cuidar de você.  
 Não sei por que fiz, mas eu fiz, cruzei o quarto em um impulso desesperador e praticamente colei nossos corpos envolvendo sua nunca com as mãos, nossos olhos pareciam imãs se atraindo, as mãos de Negan estavam na minha cintura, minha respiração estava descompassada quando um barulho de um copo se quebrando na sala de recriação ao lado me tirou do transe e me afastei, porém antes de estar longe o suficiente Negan me puxa pelo braço, me trazendo de volta ao encontro de seu corpo, praticamente me choquei contra ele. 
 - Não, dessa vez não vai fugir de mim. Então me beijou, um beijo ardente, sedento, era como se tudo o que precisássemos naquele momento fosse o beijo um do outro. 
 Negan gira nossos corpos, agarrando minha cintura e me levantado para me colocar sentada em cima da escrivaninha, já se posicionando no meio das minhas pernas, não separamos o beijo em nem um segundo durante esse movimento inesperado que fez com que negan tivesse total acesso ao meu corpo, já estou totalmente envolvida no momento quando ele passa a se pressionar contra minha vagina, isso me excita ainda mais, se é que é possível, ele coloca uma das mãos na minha coxa e a aperta, enquanto a outra segura firme minha nuca, não deixando que o beijo se torne superficial, cravo meus dedos no cabelo da sua nuca, estou desesperada por ele, e ele pode sentir, o que o encoraja a continuar com os carinhos subindo meu vestido, deixando ele na cintura como uma blusa, Negan passa a descer seu beijo para meu pescoço e o chupa forte sem se importa se vai deixar marcas ou não, eu também não me importo eu só preciso de mais, eu só preciso dele, cruzo minhas pernas em sua cintura forçando ainda mais minha intimidade contra seu membro ereto dentro da calça, ele desce a alça fina do meu vestido, deixando meu ombro livre e beijando minha clavícula em seguida, nessa altura eu já estou hiper ventilando, com o tesão me fazendo tremer a cada toque e para ajudar ele fazia leves movimentos com os quadris, fazendo seu pau massagear minha vagina por cima do fino tecido da calcinha, não consigo me controlar e começo a gemer de prazer, gemidos que logo são abafados pelo beijo de Negan. 
 - Quietinha docinho, tem pessoas aqui do lado, eles podem te ouvir. Diz baixo com os lábios contra os meus. 
Ansiosa por mais, levo minhas mãos para fivela de seu cinto desesperada para abri-lo, queria Negan, e queria logo.  
 - Eu quero mais. Digo tentando recuperar o folego, olhando diretamente em seus olhos, ele sorri lascivo me ajudando a abrir seu cinto e o jogando longe. 
 - Você quer mais? Eu te dou mais gostosa. 
 Me agarra novamente, me pegando no colo e me levando em direção a cama, quando três batidas são ouvidas na porta.   
 - Ela não está. Negan grita me colocando na cama e se deitando por cima de mim. 
 - Ei, fica quieto. O repreendo o empurrando para o lado e indo em direção a porta já arrumando minha roupa. 
 Seguro a maçaneta e olho para Negan rapidamente, ele está deitado olhando para o teto e controlando a respiração, eu respiro fundo e abro uma pequena fresta na porta, era Morales e Liz. 
 - Oi querida, trouxemos o jantar. Liz diz tentando olhar dentro do quarto. - Está acompanhada?  
 - Não, eu não est. Negan então me interrompe abrindo mais a porta com um sorriso enorme no rosto, enquanto passa uma das mãos no cabelo, tentando organizar um pouco as mechas.  
 - Olá Liz, Morales. Nesse momento não sabia onde enfiar minha cara. - Estávamos em uma pequena reunião, entrem, nós terminamos isso em outra hora. Disse já saindo do quarto.  
 Liz e Morales trocaram olhares enquanto Negan se afastava pelo corredor. 
 - Bom, entrem. Faço um gesto para que entrassem, Liz foi a primeira a entrar, sendo seguida por Morales. 
 - Nós trouxemos comida. Morales diz levantando um pouco a bandeja com três tigelas, a deixando na altura do peito.  
 - Obrigada. Respondo a pegando e colocando na escrivaninha que a poucos segundos atrás foi testemunha de um princípio de incêndio. 
 - Que tipo de reunião estava acontecendo aqui? Liz pergunta levantando o cinto do chão, eu claro, corei em um tom de escarlate.  
 - Vi você na sala dele mais cedo, já tinha sentido que estavam escondendo algo, agora tenho certeza, essa boca vermelhada e respiração irregular não deixa dúvidas.  Morales afirmou, fazendo menção de se sentar na cama. - Por acaso é seguro sentar aqui? Ele completa enquanto Liz abertamente ri, colocando o cinto sobre a escrivaninha.  
 - É claro que é seguro manezão, não fizemos nada. Infelizmente, penso sozinha. 
 Pego uma tigela da bandeja e me acomodo em uma cadeira, Liz serve Morales e em seguida ela mesma se sentando na cama ao lado dele.  
 - A quanto tempo isso vem acontecendo? Morales pergunta.  
 - Bom é difícil dizer, talvez eu seja um pouco lerda em relação a homens, só notei hoje mais cedo quando ele tentou me beijar. 
 - Meio lerda? Você é uma lerda completa irmãzinha, faz muito tempo que noto Negan te olhar diferente e você agir como uma adolescente perto dele. 
 - Vocês estão juntos? Liz pergunta levando uma colher de comia a boca.  
 - Não, que bobagem, não estamos juntos. Respondi rapidamente.  
 - Se não estão é porque você não quer. Morales me interrompe. - Passo muito tempo com Negan, apesar do jeito meio doido é um cara legal e está muito interessado em você, acho que vocês formariam um casal um tanto quanto interessante. 
 - Você acha é? Pergunto meio descrente, Negan tem seu charme eu não nego, ele tem um magnetismo fora do comum e hoje nós fomos como fogo e gasolina, mas ele é um tanto controlador, não suportaria ser uma namorada de asas cortadas.  
 - Sim eu acho, apesar de vocês serem um pouco opostos, acho que se dariam bem da forma de vocês. Morales responde. 
  Liz comia em silencio, apenas observando o que conversávamos.  
 - E você Liz, o que você acha? Pergunto olhando diretamente para ela. 
 - Ah querida, acho que só sua opinião que conta, mas vocês dois são muito alfas, caso aconteça algo vocês terão que aprender a conviver um com o outro, serão obrigados a encontram um equilíbrio. Apenas assenti com a cabeça, ela tinha razão sobre isso. 
 Terminamos de jantar, conversamos mais algum tempo sobre assuntos corriqueiros, Morales acabou contando um pouco sobre o que faria na manhã seguinte e eu acabei me lembrando de que não tinha autorização para sair também, isso estava me incomodando, foi quando notei que Liz estava quase dormindo na minha cama. 
 - Liz, quer uma coberta? Perguntei indo em direção ao armário. 
 - Não querida, eu já estou indo. Respondeu se levantando da cama. 
 - Bom, vou também, deixo ela no alojamento dela e depois vou para o meu, amanhã tenho que acordar cedo.  
 Me despedi com um abraço em cada um e os levei até a porta, os observei se afastarem pelo corredor, Morales repousava a mão nas costas de Liz, a conduzindo carinhosamente, sorri ao notar como realmente somos uma família.   
 Bom, vamos para cama então Daniela, disse para mim mesma, pego uma coberta e me deito pensando no dia de hoje e em como meu dia poderia ser na manhã seguinte, me lembro novamente das palavras de Negan “Você não vai docinho”. 
 Rolo de um lado para o outro na cama, não consigo relaxar, sinto que tenho um assunto inacabado com Negan e não vou conseguir relaxar até resolve-lo, levanto, coloco minha bota e vou em direção ao quarto dele, dois andares a cima, em uma parte totalmente isolada do Santuário naquele horário, já que o andar só era usado durante o dia por possuir algumas salas de reunião, durante a noite só Negan o usava, bato em sua porta e nada, bato novamente ainda mais forte ninguém responde, insisto e bato de novo, aguardo um pouco mas nem sinal.  
- Droga, onde ele pode estar a essa hora? Foi aí que a porta se abriu.  
 - Dormindo talvez? Um Negan sonolento abre a porta, falando no meio de um bocejo. - Então é Melhor que sej. E ao me reconhecer seus olhos brilham. - Docinho, é você? Já está com saudades? E sorri sacana.  
- Posso entrar? Ele faz uma cara de que estava pensando no assunto, com a mão no queixo, como a escultura do pensador, então abre um sorriso.  
- Claro, você pode, quer dormir comigo não é mesmo? Disse me envolvendo em seus braços.   
- Negan, eu quero conversar com você, me deixe entrar. O sorriso em seu rosto se desfez um pouco, mas não some por completo, então eu entrei e ele fechou a porta, só aí notei que nunca tinha entrado no quarto de Negan quando já estava dentro, vi que o quarto na verdade era um apartamento e estávamos na sala.   
- Negan eu vou para o posto avançado amanhã. Foi aí que o sorriso sumiu totalmente de seu rosto, dando lugar a uma carranca contrariada.   
 - Não, você não vai. Disse com uma voz neutra se dirigindo ao frigobar.  
 - Negan, me diz o que eu sou aqui no Santuário? Perguntei na tentativa de contornar a situação, ele se manteve em silencio, pegou uma garrafa de vodka, se serviu deu um generoso gole seguido de uma leve careta pelo amargor.   
 - Você concerta coisas, ou seja, precisamos de você caso as coisas precisem ser concertadas. Disse se sentado em uma poltrona e fazendo um gesto para que eu me sentasse no sofá a sua frente, então me sentei.  
 - Negan, não foi isso que você me disse mais cedo, você me disse que. Então me interrompeu.   
 - Acabei de reconsiderar o motivo, eu posso fazer isso não é mesmo? sou o chefe.   
 - Sabe o que eu acho, acho que você gosta de mim e está tentando me controlar, e se gosta de mim essa sua atitude só vai me afastar de você. Ele pareceu ponderar sobre o que tinha acabado de dizer, deu mais um longo gole na vodka e se levantou colocando seu copo em uma mesinha do lado da poltrona.   
 - Tudo bem. Disse vindo em minha direção, apoiou a mão no encosto do sofá ao lado da minha cabeça, inclinando seu corpo sobre o meu e me roubando um beijo.   
 - Tudo bem o que? Perguntei em meio ao beijo realmente sem intender.   
 - Tudo bem, você vai. Ele respondeu roçando seus lábios nos meus, então voltou a me beijar e de repente interrompeu o beijo - Mas com uma condição. Disse com a voz rouca voltando ao beijo.  
 Rapidamente nos separei segurando em seu queixo.  
 - Que condição Negan? Perguntei já me sentindo iludida, acreditando que a condição seria algo impossível.   
 - Passe essa noite comigo, vou sentir sua falta enquanto estiver fora. Sorrio e o beijo com todo o carinho que eu podia.   
 Negan separou o beijo, me pegou no colo e me levou para o seu quarto, lá me deitou carinhosamente em uma cama king size de lençóis em um tom de bege se posicionando no meio das minhas pernas e voltando a me beijar, eu já perdia o controle sobre meu corpo em antecipação ao que viria, não sei qual era o segredo de Negan mas quando ele me tocava, eletricidade pura passeava pelo meu corpo, era bom e assustador, pois nem um outra jamais me fez sentir isso, ele então separou o beijo e tirou sua camisa com um único movimento, deixando seu peitoral a mostra, me perdi olhando para ele e para suas tatuagens que a roupa escondia.   
 - Gosta do que vê docinho?  Então voltou a me beijar.  
 Ele gostava de provocar? Pois eu também sei jogar esse jogo, rolei sobre ele brigando para ficar por cima, me sentei sobre sua pelve e tirei meu vestido, ficando apenas de calcinha já que não estava usando sutiã, os olhos de Negan ficaram em chamas, passeando por cada detalhe do meu corpo.  
 - E você? gosta do que vê docinho. Negan ri e vem de encontro ao meu corpo, ficando sentado se apoiando com um braço e com o outro agarrando fortemente minha cintura.  
 - Você é muito gostosa, muito gostosa e toda minha. Diz no meio dos beijos.  
 Negan em um movimento rápido me joga sem nem uma delicadeza na cama, ficando por cima de mim e enchendo sua boca com meu seio esquerdo enquanto massageava o direito, arfei pela carícia bem feita.  
 - Aqui você pode gemer à vontade amor, ninguém vai te ouvir e pode ter certeza, vou te fazer gritar. Disse dando uma risadinha contida.  
 Ele voltou a me beijar, com ainda mais vontade, enquanto explora meu corpo com a mão, passeou do meu seio para meu ventre, minhas coxas até chegar em minha boceta, a acariciou por cima da calcinha e eu gemi baixinho, mordendo seu lábio inferior, Negan então separa o beijo, afastando seu corpo do meu, sem sair do meio das minhas pernas.  
 - Isso Docinho, gemi para mim vai.   
Negan então rasga minha calcinha, volta ao beijo acariciando meu clitóris com os dedos, me fazendo gemer ainda mais.  
 - Você está muito molhadinha amor. Ele diz com a voz rouca de tesão.   
Sem nem uma cerimônia me penetra com dois dedos, não consigo me segurar e gemo alto.  
 - Isso amor, geme para mim. Diz roçando seus lábios nos meus, logo voltando a um beijo sedento.  
 Cravo as unhas em suas costas e me dedico ainda mais ao beijo, soltando gemidos carregados de luxúria entre ele, os dedos de Negan não paravam de trabalhar com movimentos de vai e vem, indo cada vez mais rápido, mas isso já não era mais o suficiente para o tamanho do meu desejo.    
 - Mais Negan, eu quero mais. Digo com uma voz manhosa.   
 - Calma amor, deixa eu te foder com calma.  
 - Eu quero mais. Digo o empurrando para o lado me pondo sobre ele, já levando minha mão ao cós de sua calça de algodão a puxando para baixo junto com a box, negan me ajuda e em segundos estamos os dois nus.  
 - Se você quer assim, vai ser assim, uma foda com força. Ele me joga para o lado novamente entrando no meio das minhas pernas e me penetra sem dó, de uma vez só, me fazendo sentir um pouco de dor, dor essa que diminuía a cada estocada bruta e firme que ele dava, no começo da noite ele disse que eu iria gritar e estava certo, eu estava gritando, sem pudor algum, estava gritando de prazer.    
 Ele estava me penetrando, porém não voltou ao beijo de antes, ficou apoiado com um cotovelo de cada lado do meu corpo, olhando minhas reações a cada estocada, e se deliciando com elas, quando tentei tocar em seu rosto para iniciar um novo beijo ele me segurou firme pelos pulsos, me prendendo na cama e passou a me penetrar ainda mais forte, não demorei muito e sentir o clímax chegar, o apertei pela cintura com as minhas pernas, ele notou que eu estava prestes a gozar, então me soltou e me beijou, um beijo quase carnívoro com um leve sabor de vodka e então me entreguei a um orgasmo avassalador, sentindo o gosto dos seus lábios, não conseguindo me conter, gemendo seu nome e fincando minhas unhas em suas costas tão firme que rasguei sua carne, enquanto ele beijava meu pescoço e acariciava meu cabelo.   
 Cinco estocadas depois senti Negan se derramar dentro de mim, forte e quente, ele soltou um gemido rouco em meu ouvido e o peso sobre o meu corpo, estávamos ofegantes, exaustos e completamente suados, todos os músculos do meu corpo tremiam, nunca tinha chegado em um clímax tão forte como aquele.  
 Ele saiu de cima de mim e me puxou para um abraço protetor.   
 - Acho que vamos precisar de um banho docinho. Ele disse no pé do meu ouvido, me apertando ainda mais em seu abraço. 
 


Notas Finais


Eai sobreviventes.

Nesse capitulo vimos que a temperatura entre Negan e Dani vai de 0 a 120 graus em 6 segundos shauhsuahsus.

No próximo capitulo vamos ver se o Negan manteve mesmo sua palavra, se realmente vai permitir a saída da Dani, e ai, o que você acha que vai acontecer?

Nos vemos na próxima sexta. :)
Cambio e Desligo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...