História Mesmo que o destino nos separe - Capítulo 29


Escrita por: e Hentai-kun

Postado
Categorias Vocaloid
Personagens Fukase, Kaito, Len Kagamine, Oliver, Rin Kagamine, Utatane Piko
Tags Fukase, Olikase, Oliver
Visualizações 29
Palavras 1.658
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Slash, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura.
Escute "Rise- Katy Perry"

Capítulo 29 - Por que, Tonio?


Fanfic / Fanfiction Mesmo que o destino nos separe - Capítulo 29 - Por que, Tonio?

Na manhã seguinte a áurea da casa era calma, ao se levantarem se cumprimentavam sorrindo quase sem nenhum rancor. Certa alegria se espalhava pelo ambiente, no momento todos se encontravam juntos na sala tomando, uns cafés outros chá. 

Tonio sentava no sofá com Luka ao seu lado, lendo um livro chamado "orgulho e preconceito". A mais nova lia as páginas animada com a história, enquanto o outro limpava frequentemente os olhos. 

Fukase permanecia sentado ao lado da lareira observando as chamas avermelhadas, e Oliver ficava ao seu lado tomando seu café apenas ouvindo o crepitar do fogo. Não diziam nada, apenas aproveitavam o simples silêncio harmonioso do local. A companhia, a paz, por um momento sentiam que poderiam realmente descansar. Mesmo que fosse apenas por um momento. 

Big dormia no sofá, pelos deuses ele não roncava. Sweert o acompanhava só que no chão próximo a braceira do sofá. A manhã fria são as melhores para um descanso. Nenhum ali estava interessado em sequer se levantar para fazer qualquer tarefa, não havia porquê.

Miriam e Hatsune sentavam de pernas dobradas cada uma de um lado da mesa central da sala. Em cima da mesa tinha um tabuleiro de Baduk, era um jogo japonês que Miriam apreciava. Em uma soma total de jogos sobre vitoria, digamos que  Miriam estava dando uma surra em Hatsune:

-Como? - A azulada questionou batendo a cabeça contra a mesa. 

-Um discípulo demora anos até superar um mestre - rio baixo enquanto arrumava as peças para jogar de novo.

-Droga - murmurou baixo.

Ouviu-se uma batida na porta era suave:

-Vai ver são as testemunhas de jeóva - Luka disse olhando a porta - se fingirmos que não tem ninguém em casa eles vão embora. 

-Eu vou atender, é deselegante deixar a visita esperando - se levantou limpando o terno. 

-Vá - Miriam disse pegando a arma. 

-Que falta de educação - bufou ele se virando para a porta. 

-Sweet - Oliver chamou preocupado. 

-Oi - ela acordou confusa, mas logo a expressão no seu rosto seu trocado por preocupação - eu ouço. 

-São muitos - se virou para a Ann. 

-Estão cercando a casa - se levantou batendo o pé no chão.

Nesse ponto todos estavam preocupados, Hatsune pegou sua cz-75 BD que ganhara da mais velha; Miriam pegou sua Taurus 92B, ambas as garotas se prepararam.  Sweet e Oliver se aproximaram ficando lado a lado em posição de ataque, cada um deles com seus soco inglês . Luka pegou sua espada Yū Asakawa, e esperou atrás do sofá. Big Al se levantou meio sem desequilíbrio e meio sonolento e tirou debaixo do sofá seus nunchakus debaixo do sofá. Fukase apenas os olhos confuso:

-Que? - ele olhou todos armados. 

-Eita cambada esquecemos dele - Big Al falou - Espera - mexeu debaixo do sofá - toma.

-Uma adaga - pegou confuso.

-Melhor que nada - sorriu. 

Tonio não havia sacado sua espada:

-Desculpa pessoal - seus olhos lagrimejavam.

-Você não - Miriam tentou falar. 

Tonio correu até a porta e a chutou com força. Tiros vieram da parede esquerda cantando uma música de morte. Todos se jogaram no chão. A parede esburacada mostrava uma serie de pessoas armadas do lado de fora. Miriam se levantou e correu para o andar de baixo indicando para os seguir. Fizeram isso enquanto Hatsune dava cobertura atirando nas pessoas do lado de fora. As balas viram, mas apenas zumbiam nos ouvidos de todos. Alcançaram o subsolo. Desciam as escadas correndo. Entraram na última sala do local. Haviam um arsenal completo de armas de fogo, Ak-47, fuzil, espingardas. Das mais sofisticadas as mais simples:

-O que vamos fazer? - Fukase foi o primeiro a falar. - Esses caras querem nos mortos, viram o que fizeram lá em cima. 

-Acho que a adaga não vai funcionar muito bem - Oliver disse baixo, ele falava sobre aquilo, mas referia praticamente a si mesmo por não ter o que fazer. 

-Podemos tentar atacar - Luka tentou falar algo um pouco decepcionada.

-Não dá iremos morrer antes de tentar - Big Al falou. 

-Quem são eles? - Hatsune se manifestou. 

-São assassinos de aluguel  - Fukase opinou. 

-Dá para calar a boca - Miriam disse com lágrimas nos olhos. 

-Miriam - Big Al se aproximou da outra e viu um corte no seu rosto.

-Tonio nos traiu e parece que ninguém se importa - falou virada para um 12.

-Ei - Hatsune ficou a frente dela e estapeou o rosto da outra que a olhou surpresa- nossos maiores inimigos são aqueles que um dia chamamos de amigos, aprenda a viver com isso - disse com ar de superioridade. 

-Parece que alguém escuta minhas lições - riu baixo.

-Espera - Sweet disse - Oliver. 

-Eu estou ouvindo - o loiro se pronunciou.

-O que? - Fukase questionou os olhando.

-Um tiroteio - falaram ao mesmo tempo.

-Por que estariam lutando entre si? - Hatsune questionou. 

-É isso - Luka disse pensativa. 

-Diga - Big pediu. 

-A filha e a mulher do Tonio foi levada pelo sistema ou algo assim - ela explicou gesticulando com as mãos - talvez o que o Fukase tenha dito esteja certo, o sistema nos quer vivos, os assassinos não. 

-Eles estão em uma luta de território- Oliver devaneou. 

-Meio que não importa quem ganhe o final vai ser o mesmo se não fugirmos - Miriam disse rápido. 

-Como se estamos no subsolo presos? - Hatsune indagou. 

-Nem tanto há passagem de ar. Poderiámos ir por ela - Sweet  disse 

-Big não passaria - Oliver falou.

-Tudo bem eu acho outra saída - o irmão mais velho pronunciou. 

-Não, ou vamos todos juntos ou eu não vou - falou com uma irritação interna -Eu não vou te deixar de novo. 

-Que lindo, bro - sorriu Al -, mas dessa vez você vai ter que deixar eu te salvar.

-Não! Podemos achar outra saída -  virou-se para todas a procura de ajuda. 

-A única outra saída é se sairmos e lutarmos - Fukase começou. 

-Porém seriamos mortos - Sweet terminou. 

-Não podemos deixar ele - gesticulou Oliver. 

-Não podemos - Miriam o apoiou. 

-Eu meio que já estou cansada de fugir - Hatsune esclareceu - eu não me importo se for para cair ao lado da minha família. 

-Então esse é o nosso suicidio coletivo - Fukase disse guardando a adaga. 

-Finalmente vou usar essas belezinhas - acariciou as armas, fazendo todos olharem a Miriam confusa. 

-Não seria bom colocar algo? - Oliver perguntou. 

-Tenho três coletes e quatro capacetes - Ela falou mexendo nas coisas de uma caixa - e dois escudos. 

-Espera não seria melhor se o Oliver e Sweet ficassem aqui - Big confessou. 

-Sai dessa -Sweet pegou uma M4 - Se eu conseguir ouvir da onde vem os tiros eu sei para onde mirar. 

-Tem certeza? - Big indagou. 

-Claro que não - declarou recarregando a arma -, mas não é como se fossemos sobreviver de qualquer forma. 

-Pensamento muito positivo - Oliver suspirou. 

Cada um pegou uma arma, mesmo que tivesse nenhum entendimento do objeto. Miriam explicou o básico de atirar e enfatizou em atirar apenas no inimigo. Hatsune pegou uma ak- 47; Miriam pegou M24E6  e um lança chama; Big Al ganhou um UMP; Fukase pegou uma CZ EVO3; Oliver e Sweet ganharam um par de M4;  Luka ficou com FN F2000 que era melhor para canhotos. Todos ganharam uma bolsa com outras pistolas e balas cada um ganhou um conjunto de Kid medico para usar caso fossem separados. Quando eles subiam as escadas Oliver parou Fukase:

-Eu queria dizer algo antes que fossemos - Oliver começou. 

-Não vai - Fukase sorriu. 

-O que? - havia confusão obvia na face de Oliver.

-Não vai, porque você pode dizer depois que essa confusão acabar. 

-Mas se a gente - tentou dizer algo.

-Confie em mim- Fukase acalmou o outro.

Subiram as escadas e pararam na escotilha principal, o plano ele era ser aberta e caso tivessem alguém os esperando Miriam os transformariam em espetinhos. Contaram até trés e abrir, em um segundo Miriam lançou o fogo. Parou antes que acabasse o combustível. Não havia ninguém. Subiram para o andar da casa, bem não havia mais casa apenas o resto dela que eram apenas destroços, de madeira que agora pegavam fogo. A volta deles era visível apenas corpos mortos. 

Todos saíram e esperaram que alguém aparecesse. Big se virou para Oliver confuso, mas logo caiu no chão:

-O que? - havia um pino na nuca de Big Al. 

-Calma, ele ainda esta vivo - Sweet verificou. 

-Um sniper - Miriam disse olhando os lados- como eu os odeio. 

-O que faremos? - Hatsune disse ficando as costas de Miriam. 

-Formem um circo - se juntaram cada um observando um lado. 

-O tiro veio do leste, mas cuidem do oeste - a atirador proficíonal procurava a sua frente.

-Nós nã... - Hatsune caiu com um tiro no ombro. Não eram balas apenas soníferos.

-O sistema venceu -  Luka disse segurando a amiga.

-Não, apenas vence quando pararmos de lutar - Miriam parecia desesperada. 

-Tem mais de um... - Fukase caiu ao lado de Al. 

-Não, nós não iremos voltar para aquele lugar - Miriam disse com a voz tremula. 

-Qual é o problema? - Luka disse as costas delas.

-Miriam já  foi do... - Sweet caiu com um tiro no cotovelo. 

-Estão usando silenciadores - Luka disse preocupada. 

-Não vamos voltar, não vamos voltar, não vamos voltar - Miriam repetia isso baixo.

-Miriam, você tem que se acalma... -Luka caiu. 

-Não! - Ela olhava para os lados desesperadas. 

Um homem de terno avançava para ela com um sorriso cínico:

-Se acalme, aqueles babacas do sistema morreram, querida - O loiro riu baixo.

-Quem é você? -  ela o olhou confusa. 

-Eu? - levantou o braço - Alguns me chamam de maça dourada, mas prefiro ser conhecido como Yohio - cerrou a mão e um tiro atingiu Miriam.


Notas Finais


Espero que tenha gostado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...