História Mestre das armas: Caçado por todos - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias 007, Histórias Originais, John Wick, Metallica
Visualizações 2
Palavras 718
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Policial, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Início da caçada


Fanfic / Fanfiction Mestre das armas: Caçado por todos - Capítulo 3 - Início da caçada

-Como troquei de casa e virei empresário, comprei um prédio para minha empresa e reservei uma sala para essas armas, pois, eu sabia que você voltaria um dia.

-Você é um ótimo amigo.

-Eu sei.

-Senhor Guilherme, estão precisando do senhor na recepção urgentemente - Um de seus funcionários entrou na sala.

-Daqui a pouco nos vemos - Ele sai apressadamente.

Fico olhando as armas e vou pegando algumas para checar. A porta se abre e uma voz familiar aparece.

-Quanto tempo...

-Mateus - Nem precisei me virar para reconhecê-lo - Faz bastante tempo...

-Trabalho de novo?

-Sim... O que faz aqui?

-Bom, eu vivia as custas dos Freitas, pois não conseguia arranjar um emprego... quando rolou aquela merda lá e ele saiu para virar empresário... ele me deu um cargo aqui. Desde então, eu consegui comprar minhas coisas e ter minha vida.

-Realmente... ele é um ótimo amigo.

-Como foi a vida depois daquele dia?

-Um pouco triste... não poder ter mais o que você ama por perto é de cortar o coração, mas, sacrifícios são necessários.

-Nem sempre... e você sabe disso.

-Claro que sei. Vem cá, vocês tem algum colete?

Mateus abre uma gaveta que estava em baixo.

-Quer um colorido?

-Quando eu for no festival das cores, talvez eu aceite.

Peguei umas três pistolas, cada uma menor que a outra, algumas facas e fui para o leilão.

Chegando lá, entro no meio da turma para ver se conseguia informações, mas ninguém falou nada. Alguns minutos depois, chegava Lucca com sua acompanhante.

-Ele está aqui?

-Ele vai abrir o leilão - Lucca olhava para todos os lados.

-Ótimo, vai ser a atenção do dia. Que coisa que você me deu hein...

Quando começou, ele veio correndo e gritando no microfone. Levantei o rosto e reconheci na hora. Um homem branco com um bigode e um óculos.

-Mas não pode ser...

-O que foi? - Lucca olhou para mim sem entender.

-Nada não.

-Quem está pronto para dar toda a grana nesses carros que estão aqui?!

Boa parte começa a se manifestar com gritos e aplausos.

-Que merda eu tô fazendo aqui?

-Vou passar o microfone para meu amigo fazer as ofertas. Tenham uma ótima noite!

Decidi me retirar. Fui até o lado de fora, onde tinha uma vista para o mar e encostei lá. Logo após, escutei passos.

-Fazendo o que aqui fora? - Ele veio conversar comigo.

-Respirando - Levanto o rosto e olho para ele.

-Impossível!

-Tudo é possível - Ele dá um soco no meu rosto - Obrigado - Dou um soco no meio do rosto dele e quebro seu óculos.

-Ela era minha!

-Ela está morta! Por sua culpa! Querendo fazer disputa por mulher? Seu idiota! Naquela noite que seus homens foram me matar, não era eu no carro, era ela!

-E você veio se vingar? - Ele ri.

-Não não... eu decidi seguir minha vida e conhecer outras pessoas. Eu esqueci ela e você! - Dou um soco na barriga e ele cai, logo após sigo com uns chutes - Larissa merecia uma vida melhor! E você tirou isso dela! - Sigo com mais chutes.

Ele aperta um botão em seu relógio e sua guarda aparece.

-Inútil - Cuspi nele.

Atiro em alguns guardas e corro para me proteger. Alguns guardas correm e pegam ele.

-Acho que é hora de sair - Pego o telefone e chamo Freitas- Agora!

Ele entendeu o que eu disse e veio rapidamente. 

Corri dos guardas até a fachada do local, onde havia pessoas se movimentando e entrei no meio delas. Vi Mauricio sendo carregado por seus homens para dentro de uma limousine.

-(Burguês safado) - Falei em minha mente.

Logo após Freitas chegou com seu carro e eu fui embora do local.

-Como foi?

-Lembra do Mauricio?

-Qual deles?

-Larissa

-Lembro sim. Pera! Quer dizer que é ele?

-Sim! Entramos em combate e ele chamou seus guardas para salvá-lo.

-Complicado.

-Antes era só negócios, mas agora vai ser pessoal.

-Toma cuidado!

**  

-O que o senhor vai fazer? - Um dos homens de Mauricio pergunta.

-Cacem ele! Agora! Se ele não morrer... irei botar um preço pela cabeça dele. Vamos ver até onde esse otário vai...

-Quantos homens, senhor?

-O máximo que você puder!

-Máximo?

-Não está me ouvindo, idiota?!

-Ao seu comando.

**

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...