História Mestre das armas: Caçado por todos - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias 007, Histórias Originais, John Wick, Metallica
Visualizações 1
Palavras 603
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Policial, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Uma noite em Roma


Fanfic / Fanfiction Mestre das armas: Caçado por todos - Capítulo 4 - Uma noite em Roma

Escuto alguns passos apressados vindo do corredor.

-Boa noite.

-Boa noite, Guilherme.

Guilherme sai e fecha a porta do quarto. Eu levanto e tranco ela.

Consigo ouvir mais alguns passos, mas, não eram como passos de uma pessoa só, parecia ter mais.

-Esse deve ser o quarto - Um dos homens fala com o outro.

-(Merda) - Olhei para a mesa ao lado e vi o revólver que larguei ali - Vai fazer barulho.

O homem chutou a porta, mas ela resistiu ao primeiro chute. Quando ele deu o segundo, eu viro com o revólver e acerto ele e seu amigo.

**

-Mas que merda é essa? - A esposa de Guilherme pergunta e o bebê começa a chorar.

-Alguém está aqui... comece a arrumar as malas, essa casa não é segura mais - Guilherme pega uma arma escondida debaixo da cama, sai e tranca o quarto com a porta de ferro.

**

Boto a cabeça, rapidamente, para fora do quarto e não vejo ninguém. Logo após vira Freitas com a arma apontada para mim. Rapidamente miro a arma nele.

-Não me assusta, caralho.

-Que merda você trouxe para mim.

-Eu sei - Saio do quarto - Tem mais gente vindo, eu sei disso. Sua casa tem segurança?

-Tinha, mas, pelo que parece, teve uma queda de energia e desativou os sistemas de defesa

-Porcaria. Como nos velhos tempos? - Estendo o braço para Freitas apertar.

-Como nos velhos tempos - Freitas aperta o braço.

Nos separamos, eu fui para o lado oeste da casa e ele para o leste.

Vejo alguns homens do lado de fora da casa e eles atiram contra mim, pulo no chão, mas, por sorte, os vidros eram blindados.

-Otários! - Saio correndo para a proteção mais próxima.

-Isso vai segurar um pouco - Guilherme grita do outro lado da casa.

Um a um vai entrando na casa. Eram várias entradas estava ficando difícil acertar todos.

-(Tô ficando sem balas) - Passo a mão no bolso e esqueci que estava sem munição reserva - Fodeu...

Abro uma gaveta e pego um conjunto de facas que estava guardado. Jogo algumas facas nos primeiros que vejo e saio correndo. Chego ao centro da casa e encontro Freitas.

-Sem munição - Pulei do lado dele para me proteger.

-Então... não pensei que seria tantos.

Eles iam se aproximando de todas as direções para nos funilar, e de repente se ouve um som de fuzil.

-(Não pensei que seria tão cedo) - Fecho os olhos.

-Podem levantar daí - Uma voz feminina surge.

Levanto e vejo a esposa de Freitas.

-Vicenza! Muito obrigado! - Ela atira próximo ao meu ouvido.

-Vai embora da minha casa!

-Vejo que sua mira não piorou - Passo a mão no ouvido para ver se está bem - Bom... já vou indo. Muito obrigado pela recepção e pelas armas.

-Para onde você vai? - Freitas pergunta.

-Não pensei nisso... aliás, preciso de um carro.

-Eu tenho um Shelby Mustang Gt500.

-Qualquer coisa tá bom.

Corri sem rumo para qualquer lugar. Parei por um tempo até receber uma ligação.

-Oi, Letícia.

-MAS QUE MERDA É ESSA? - Letícia parecia estressada.

-Calma calma, o que aconteceu?

-Sua cabeça está valendo 3 milhões! A porra de TRÊS MI-LHÕES - Ela fez questão de silabar a palavra milhões.

-Aonde você viu isso?

-AONDE VOCÊ ACHA QUE EU VI?!

-Mas que merda...

-MAS QUE MERDA O CARALHO! ONDE VOCÊ ESTÁ AGORA?? O QUE VOCÊ VAI FAZER?!

-Calma porra! Eu vou resolver tudo, como sempre fiz...

Letícia desligou a chamada. Parecia um pouco, ou melhor, bem nervosa.

-E agora, o que eu faço?

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...