História Mestre das armas: Caçado por todos - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias 007, Histórias Originais, John Wick, Metallica
Visualizações 1
Palavras 745
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Policial, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Confusão no aeroporto


Continuei dirigindo com o carro quando percebi que haviam dois carros me perseguindo. Eram três faixas, eu no meio e os outros dois em cada faixa. Liguei o pisca-alerta e fui reduzindo a velocidade até parar. 

Olhei as horas e eram exatamente 6 horas e 30 minutos da manhã. Os dois pararam ao meu lado. Abaixo os vidros e olho para cada e digo.

-Bom dia - Dou um sorriso carismático

Os dois levantam as armas, recolho o banco para trás e os dois se matam.

-Ainda bem que abaixei o vidro...

Saio do carro e recolho a arma dos dois.

-É isso que vem atrás de mim?

Ligo o carro e continuo o caminho até o aeroporto.

-Guilherme, estou deixando o carro no aeroporto - Enviei um SMS avisando a localização do carro.

Entro no banheiro para lavar o rosto. Logo após, entram três homens bem vestidos e param um em cada mictório que estava atrás de mim.

-Querem terminar com isso logo?

Os três jogam uma faca em minha direção. Pulo para o lado e logo me levanto.

-Vem na mão, covarde.

Um veio me dar um soco, mas eu desviei desse, o outro que veio atrás me acertou. Permaneci em pé. Ele usava óculos e vi no reflexo que o outro estava vindo por trás. Logo jogo o corpo para o lado e ele acerta o outro homem.

-(Não tinha um terceiro?)

O terceiro me dá um soco e eu caio nas pias.

-Merda!

Olho para cima e vejo as três facas. Pego uma e jogo no ombro dele. Ele recua e põe a mão na faca. Pulo em cima da mão dele e puxo para baixo, fazendo ela rasgar ele de cima em baixo.

Ele cai no chão e seu sangue marca o piso branco. Os outros dois levantaram e vieram em minha direção.

-Dois contra um não vale!

-Tá certo... é um contra dois - Disse um deles.

-(Idiota)

Um dá o soco e eu viro de lado, o outro acerta meu ombro direito. Pego o braço que estava estendido na minha frente e jogo em direção ao rosto do outro. Os dois caem no chão.

Pego as outras duas facas e finco no peito deles.

**

-Alô? Estou precisando que limpem três corpos.

-Seu pedido será atendido. Onde o senhor está?

-No banheiro Quatro do Aeroporto de Roma.

-Ok.

Isso era um tipo de serviço internacional que limpa os corpos que você mata. E eles são rápidos até... em cinco minutos eles chegaram e rapidamente retiraram os corpos.

-Cobra na minha conta: Levi Tonon Nº 015.

-Foi um prazer atendê-lo - o homem aperta minha mão.

Dou um sorriso de agradecimentos, saio daquele lugar e ligo para Letícia.

-Oi.

-O que você quer?

-Localiza o Mauricio Havier, de preferência agora.

-Mas não foi você que fez redes? - o sarcasmo dela me dava raiva.

-Se eu estivesse com meus equipamentos, e aliás, você consegue fazer melhor que eu! Assim como outras coisas também...

-Sem brincadeiras agora. E como sempre... eu tendo que resolver seus problemas - Deu pra sentir o deboche de longe.

-É pra isso que você recebe

-Quero ver o dia que eu largar esse emprego... o que será de você?

-Vê logo o que eu te pedi! 

Letícia desliga o telefone.

-Sempre assim... ô mulher difícil...

Sentei em uma poltrona e fiquei esperando por uns dez minutos até o telefone tocar novamente.

-Pronto, já resolvi o problema do bebezinho que não consegue encontrar seu brinquedo. Ele está em Londres - Letícia dá uma breve pausa - Ah - Ela ri um pouco - Olha quem está lá!

-Quem?

-Débora - ela volta a rir.

-Mas nem ferrando!

-Vai visitar ela?

-Não! Quer dizer... não sei.

-Se vira aí - ela ri de novo- Vou passar o endereço por sms. Tem um voo marcado para duas horas a partir de agora. Já comprei sua passagem e você está na Primeira Classe, para poder dormir bem na viagem. Encomendei novas roupas e algumas armas, que você vai gostar, para o apartamento que aluguei na Highgate Hill. Ah, já ia me esquecendo... Preparei todo um serviço para te alimentar na sua estadia e reforcei a segurança do prédio.

-É por isso que eu te amo!

-Eu sei que me ama...

-Tudo isso em dez minutos... você é demais!

-Eu sei que sou demais - Ela ri de novo.

-Muito obrigado. Tchau!

-Adeus...

-(Tem um ponto de visita interessante lá).

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...