História Mestre e Aluno - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Mob Psycho 100
Personagens Arataka Reigen, Shigeo Kageyama
Visualizações 178
Palavras 1.268
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Mestre e Aluno - Capítulo 1 - Capítulo Único

- Mestre?

- O que houve, Mob? – o garoto que já era quieto estava estranhamente calado aquele dia, o que deixou o outro um pouco preocupado.

- É... – começou mas não falou o que queria, ficando calado logo em seguida.

- Você está estranho hoje desde que chegou. Aconteceu alguma coisa na escola?

- Bem, aconteceu uma coisa sim...

- ...

- Estava vindo para cá e vi duas pessoas em um beco fazendo algumas coisas, e agora estou com um incômodo aqui em baixo.

- Aqui em baixo onde, Mob? – o suposto paranormal perguntou com medo da resposta.

- Aqui – garoto se levantou apontando para o local.

A ereção do menino era mais do que óbvia. Seu uniforme até estava um pouco húmido.

- O que, exatamente, você viu?

- Bem, eles estavam se beijando, e fazendo um movimento estranho com o corpo.

O mais velho respirou fundo.

- Mob?

- Sim?

- Você sabe o que é sexo, né?

- Sim.

- E você sabe que era isso que eles estavam fazendo, não sabe?

- Pensei que sexo era algo que duas pessoas faziam em um quarto.

Era incrível como o garoto era inocente. Ainda mais nessa idade em que os hormônios começam a trabalhar.

- Bom, não tem que ser feito em um quarto, pode ser em qualquer lugar.

- Ah!

- E sobre o seu problema, é só se aliviar.

- Como assim se aliviar?

- Mob, você já se tocou, não é?

- Como assim?

- Você sabe – o “paranormal” estava um pouco vermelho pela conversa – se tocou enquanto vê algumas revistas de sacanagem.

- Eu nunca vi esse tipo de revista, é conteúdo para adultos – o menino respondeu depois de pensar um pouco.

- Mas você já se tocou, não tocou?

O garoto fez uma expressão de interrogação, o que levou ao mais velho a se perguntar o quer está acontecendo com a juventude hoje.

- Você se masturba com que frequência, Mob? – o garoto ficou vermelho com essa pergunta, um dos momentos raros em que alguma expressão aparecia em seu rosto, o que o deixava um tanto fofo.

- Eu...

- Você...?

- Nunca fiz isso – falou em um tom baixo.

O “paranormal” não pode acreditar no que acabou de ouvir. Sabia que o garoto era apático, quase uma ameba. Mas não se tocar naquela idade? Isso só podia ser brincadeira.

- Você tá brincando, né?

- Não.

- Mob, na sua idade eu fazia isso pelo menos uma vez ao dia. Seu irmão também deve fazer. Por que você nunca fez?

- Nunca tive motivos – respondeu o garoto depois de pensar um pouco.

- Você devia tentar agora então – o outro disse – Deve tá doendo – falou apontando para o membro do menino.

Aquele papo acabou por começar a excitar o adulto. Não. A verdade não é essa.

O rosto corado do garoto e o desenho que seu pau duro formava sob as roupas, estavam despertando fantasias nada castas em sua mente.

Balançou a cabeça com força para tentar afastar esses pensamentos sujos. Não podia pensar nesse tipo de coisa. O garoto, além de bem mais novo que si, era seu aluno.

- Eu não sei como fazer – disse o menino tirando o outro de seus devaneios.

- O que?

- M-me masturbar – falou em um tom bem baixo.

- Como assim não sabe fazer isso?

- Poderia me ensinar, mestre?

Todas as forças que fizera para não atacar o menino foram por água abaixo. Não havia como resistir à um pedido desses sendo feito por bochechas rosadas de vergonha e olhos brilhando de expectativa.

- Pois bem – o “paranormal” disse enquanto se levantava – é  o dever de um adulto ensinar os mais jovens.

Ele se ajoelhou na frente do menino ficando próximo do membro ereto do mesmo. Tocou de leve o local ainda por cima das roupas, olhando para o rosto do garoto afim de observar suas reações.

Só aquele leve toque havia feito Mob arfar. A sensação era realmente prazerosa.

Seu rosto ficou vermelho de vergonha quando o outro abriu sua calça, descendo-a juntamente com a cueca até metade de suas coxas, expondo completamente seu membro ereto.

Ver as expressões faciais do menino era realmente fascinante. Nunca pensou que chegaria o dia em que Mob se expressasse tanto.

Quando liberou o falo das vestes, o menino ficara vermelho como um tomate, mas ainda assim observava tudo com atenção. Era óbvio que estava empenhado a aprender.

Uma masturbação lenta foi iniciada. O menino não conseguia evitar gemer. Parecia que toda aquela região iria derreter de tanto prazer.

O “paranormal” estava chegando ao seu limite.  Seu membro já estava latejando e molhando a parte da frente de sua calça devido a excitação.

- Mob, isto está bom? – perguntou só para ter o prazer de ver o menino com dificuldade para falar.

- S-si-sim... – respondeu - ma-mas... eu qu-quero fazer ... fazer também.

- Como assim? – o mais velho parou o que estava fazendo para o garoto pudesse falar normalmente.

- Em você – Mob falou apontando para o volume que se formava na frente da calça do homem.

- Você quer me tocar?

- Sim.

O homem pensou um pouco em tudo aquilo. Bom, se ele já estava tocando o menino, que mal faria se o pequeno fizesse o mesmo em sim?

Levantou-se e tirou sua calça e a cueca. Percebeu a atenção do menino sobre seu pênis, e não conseguiu evitar um sorriso.

Sentou no sofá e bateu no acento ao seu lado para que o menino fosse até lá.

- Pode tocar, Mob.

O menino estava vermelho E claramente com vergonha, mas obedeceu o homem. Pegou timidamente em seu membro, tentando reproduzir o que estava sendo feito em si momentos antes.

- Pegue com um pouco mais de força. Isso. Agora passe o dedo na ponta. Assim mesmo.

O homem dava instruções para o menino, que obedecia com afinco. Aquela mãozinha o estava levando a loucura. Quando o menino pegou o ritmo da coisa, o “paranormal” voltou a masturba-lo.

Os dois se tocavam no mesmo ritmo. Ambos gemiam baixo.

Quando sentiu que o clímax estava se aproximando, o mais velho segurou o rosto do garoto e o beijou. Já estavam fazendo aquilo mesmo, um beijo não seria nada demais.

Ele explorou a boca do menor com a língua enquanto apreciava seu sabor, que era único, maravilhoso. Terminou o beijo uma mordida, ao mesmo tempo que gozavam juntos.

Ficou um tempo olhando para o garoto desarrumado e com o rosto vermelho e os lábios inchados. Aquela imagem o impeliu a beija-lo novamente.

Foi um beijo lento e cheio de carinho. Quando se afastou o garoto sorriu para si, o surpreendendo. Era raro o menino rir.

- Mestre, podemos fazer isso novamente?

- Claro! Uma aula não é o suficiente para se aprender algo, não é mesmo?

- Sim.

- Ótimo, agora limpe essa bagunça antes que algum cliente chegue – falou apontando para os indícios do que havia acabado de ocorrer ali.

Se vestiu e limpou o que pode daquela coisa branca e viscosa que estava em si.

Uma parte de sua mente estava se culpando do que havia acabado de ocorrer. Mob era só um garoto inocente, não devia ter feito aquilo. Mas a outra parte dizia que ele já explorava o menino mesmo, então pelo menos o fez se sentir bem hoje.

Bom, não se pode voltar no passado e mudar as coisas. Então da próxima vez irá ensina-lo “técnicas mas avançadas”.  

Pensou com seus botões que foi muito sortudo pelo garoto tê-lo procurado no passado em busca de instruções.  

 


Notas Finais


Obrigada por ler até o fim ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...